Pedro Ribeiro (treinador do Gil Vicente): “Também temos os nossos argumentos, a nossa qualidade”

Março 17, 2018 Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo

Na passada quinta-feira, em conferência de imprensa difundida pela GVTV, o treinador do Gil Vicente, Pedro Ribeiro, lançou o jogo do próximo domingo, no Seixal, onde os gilistas defrontam a equipa B do SL Benfica, pelas 16h00.



Sobre a semana de trabalho, o treinador gilista salientou que está a corre bem e que o grupo está a trabalhar bem em todos os aspetos. “O grupo está motivo e sabe o que tem que fazer para conquistar os três pontos”, ressalvou.

Instado a comentar a atual situação da equipa e a derrota em Guimarães, frente à equipa B vitoriana, Pedro Ribeiro referiu que esta não é a melhor mas a derrota em Guimarães não significa que “tenhamos feito um mau jogo, pelo contrário. Nós fizemos um bom jogo. Progredimos bastante enquanto equipa e melhorámos muitos comportamentos. Claro que o resultado final não nos agradou. Depois de analisar o jogo, a sensação é que, apesar da derrota, aquilo que aconteceu em campo dá-nos esperança de que nos próximos jogos o resultado seja diferente”. A equipa tem vindo a adquirir uma série de comportamentos que agradam ao técnico gilista e em Guimarães não foi exceção. “É evidente que cometemos um ou outro erro e fomos muito penalizados nos nossos erros. Reagimos aos erros, fizemos um bom jogo com bola. Não conseguimos definir o último passe, o remate, termos clareza nessas ações. Mas em tudo o resto fizemos um muito bom jogo”, ressalvou. Para o técnico, a derrota em Guimarães não foi um percalço. “Faz parte do crescimento desta equipa, destes jogadores. Não queríamos esse resultado mas acreditamos que foi mais uma etapa para estarmos melhores para os próximos jogos e é isso que vai acontecer”, concluiu.

Abordando mais particularmente o próximo jogo, frente à equipa B benfiquista, Pedro Ribeiro salientou que se trata de uma equipa bem organizada, com bons jogadores e que procura jogar um bom futebol. “Tem vários jogadores que transitam entre a equipa A e a B. É sinal de que existe qualidade na equipa B senão isso não iria acontecer. Conhecemos bem e temos estudado o adversário. Temos preparado os treinos considerando isso. Estou à espera de um jogo competitivo, difícil. Ainda ontem [ndr: dia 14 de março] venceram o União da Madeira por 4-0. Estamos a falar de uma equipa que está estável na tabela classificativa, está estável em termos de jogo, tem qualidade individual mas nós também temos os nossos argumentos, a nossa qualidade”, salientou.

A posição do Gil Vicente na tabela classificativa, onde está no penúltimo lugar, está bem presente nos pensamentos da equipa. “Os jogadores têm noção que o real valor deles não é condicente com a posição que o clube tem na tabela classificativa. Sinto-os revoltados com isso” mas “para sair disto temos que ganhar jogos. A confiança vem com os resultados. A equipa venceu o Leixões depois de 4 meses sem ganhar e ‘respirou’ um bocadinho. Em Guimarães não fomos felizes”. A pressão não entre no balneário mas a responsabilidade sim. “Sentimos a responsabilidade de honrar o emblema que representamos e de ganhar os três pontos em todos os jogos. Esta é a nossa responsabilidade e o grupo sente essa responsabilidade”, afirmou Pedro Ribeiro.

No último jogo, o técnico gilista optou por Rui Faria para ocupar um lugar numa das alas defensivas, ele que é central de origem. Para Pedro Ribeiro, “ter opções e boas opções nunca é problema. Vou escolher aqueles que são os melhores para este jogo mas tenho noção que, até porque o plantel é extenso, terei que deixar de jogadores que, neste momento, mereciam estar, no mínimo, nos 18 convocados e mesmo alguns deles mereciam estar a jogar no 11 inicial”, retorquiu.

Sobre o tempo de trabalho e a assimilação, pelos jogadores, das suas ideias, Pedro Ribeiro salientou que, na opinião dele, os jogadores ainda não interiorizaram a 100% as suas ideias mas no tempo em que estão a trabalhar juntos, têm trabalhado bem. “Os jogadores têm tido a capacidade e a motivação para todos os dias quererem aprender e mostrar que estão dentro do caminho pretendido. Acho que é uma questão dos resultados também aparecerem para a confiança também aparecer cada vez mais notória e o grupo vai conseguir aquilo que conseguiu em Guimarães, mas com golos. Uma exibição positiva, forte, com personalidade. A única questão que é muito importante e que falhou foi a parte da definição e de conseguirmos fazer golos. Porque o resto, não tenho nada a dizer aos jogadores. Cumpriram a 100% aquilo que lhes foi pedido”, referiu.



Porque no próximo jogo, os gilistas enfrentam mais uma equipa B, depois da do Vitória de Guimarães, e porque está na ordem do dia o possível fim de algumas dessas equipas B, que passarão para a nova competição de sub-23, Pedro Ribeiro salientou que concorda com o atual quadro competitivo da segunda liga. “É natural que as equipas que têm equipas B, possam transitar jogadores. Estamos a falar de jogadores jovens, quem em nada interfere com questões regulamentares. Não vejo problema absolutamente nenhum nisso. Quando referi que eles vão intercalando entre equipa A e equipa B, são situações normais. Estava a reportar-me, até, a uma lógica de qualidade porque se um jogador da equipa B, neste caso do Benfica, é convocado e é opção na equipa A, é sinónimo, obrigatoriamente, de qualidade. Mas mesmo aqueles que não têm tido oportunidades na equipa A do Benfica são jogadores quem têm qualidade e que é uma equipa que joga um bom futebol. Mesmo estando a perder, tentam jogar. É uma equipa que é competitiva mas vamos tentar ser mais competitivos do que eles. A ideia passa por aí. Por respeitar mas sermos nós a sermos mais competentes”, finalizou.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima