Projeto LaserNAVI é finalista da competição KUKA Innovation Award 2019

Novembro 7, 2019 Atualidade, Concelho, Cultura, Educação, Mundo

O projeto LaserNAVI – robô colaborativo baseado em inteligência artificial (IA) para o tratamento laser de lesões vasculares, foi selecionado, por um júri internacional de especialistas, como um dos 5 projetos mais inovadores e com maior potencial económico da competição internacional de robótica médica – KUKA Innovation Award 2019. Competição esta, onde especialistas de todo o mundo foram encorajados a apresentar propostas de novos conceitos de robótica colaborativa que possam melhorar os tratamentos médicos atuais.



Cada equipa finalista teve acesso, durante 1 ano, a um robô KUKA LBR Med para desenvolver os seus projetos. Durante este período, beneficiaram também, de formação na sede da empresa na Alemanha e acompanhamento técnico por especialistas da KUKA.

Os 5 projetos finalistas serão apresentados, de 18 a 21 de novembro 2019, na principal montra de dispositivos médicos do mundo, a MEDICA em Düsseldorf na Alemanha. Durante os 4 dias do evento os projetos finalistas serão apresentados aos principais stakeholders e investidores da área da saúde. O projeto vencedor receberá, também, um prémio no valor de 20.000 €.

O consórcio liderado pelo 2Ai-IPCA, com coordenação técnica de João L. Vilaça, visa combinar conceitos de inteligência artificial com a área da robótica colaborativa para melhorar a identificação e tratamento de lesões vasculares por aplicação laser. O procedimento médico atual, realizado anualmente em milhões de pessoas por todo o mundo, apresenta reconhecidas dificuldades de aplicação pela elevada curva de aprendizagem que compreende. Para diminuir essa dependência, o LaserNAVI (tecnologia patenteada), dispõe de um sistema de visão baseado em IA e realidade aumentada para deteção de lesões vasculares, e, de uma interface natural baseada na colaboração humano-robô que assegura uma precisa e segura aplicação do tratamento. É expectável que a introdução deste sistema, pela sua facilidade de utilização e eficácia, permita reduzir o tempo e custo do tratamento, minimizar potenciais complicações associadas ao erro humano e, desta forma, aumentar a confiança de médicos e doentes na adesão à terapêutica.

A orientação clínica deste projeto está a cargo do cirurgião cardiotorácico António Lúcio Baptista e apresenta a seguinte equipa de investigadores: Bruno Oliveira (investigador 2Ai-IPCA e ALGORITMI-UM – aluno de doutoramento deste projeto), Pedro Morais (investigador 2Ai-IPCA), Fernando Veloso (investigador 2Ai-IPCA), António Moreira (investigador 2Ai-IPCA), Reinaldo Ribeiro (empresário da área da robótica), e Jaime Fonseca (investigador ALGORITMI-UM e co-coordenador).

Fonte e fotos: IPCA.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima