Regresso às aulas: com informação e gastos controlados

Setembro 2, 2020 Atualidade, Concelho, Economia, Educação, Mundo, Opinião

O arranque do ano letivo exige alguma preparação às famílias, sendo os manuais, o material escolar, a ação social, os seguros e o transporte, os problemas a resolver primeiro. Relativamente ao material escolar:



Antes de mais, verifique em que estado estão os materiais do ano anterior. Há sempre material que ainda está em condições e pode ser utilizado novamente. Só depois desta triagem é que deverá elaborar uma lista de material necessário. Aconselhamos a que estabeleça um limite máximo relativamente aos montantes a despender com a aquisição do respetivo material. Assim, poderá evitar gastos supérfluos.

Embora os mais novos tenham preferência por material escolar “na moda”, publicitado na televisão, por exemplo, com referências a super-heróis ou figuras de animação infantojuvenil, na sua escolha deve privilegiar os produtos simples, robustos, recarregáveis e à base de materiais reciclados, procurando. de preferência, produtos com o rótulo ecológico europeu.

Ter também em consideração que os produtos de marca branca são uma boa opção de compra, pois o preço é mais acessível. Esta pode ser, também, uma excelente oportunidade para transmitir ideias e comportamentos de compra mais sustentáveis aos consumidores mais jovens!

Por outro lado, não “deixar tudo para a última hora”, permitirá uma avaliação mais criteriosa dos materiais necessários, evitando ruturas de stock e gastos desnecessários. Esta altura do ano obriga a alterações muito significativas no orçamento familiar.

Se, por exemplo, utilizar o cartão de crédito lembre-se que se não pagar entre 30 a 50 dias de vista, conforme os casos, pelo que estará a incorrer em juros que elevarão os seus gastos substancialmente.

Na aquisição de manuais escolares, sem prejuízo de os mesmos estarem sujeitos a um regime de preços convencionados, aconselha-se um estudo prévio de mercado no sentido de garantir os preços mais baixos.

Sabendo que, frequentemente, as famílias têm já o manual escolar em questão, precisando apenas de adquirir o caderno de atividades, o legislador decretou que a compra em conjunto, manual e caderno de atividades, por exemplo, não é obrigatória, nem os estabelecimentos podem pressionar para que faça a compra em conjunto. Caso tal aconteça, dever-se-á utilizar o Livro de Reclamações e denunciar esta situação à ASAE.  No que respeita aos alunos que frequentam a escolaridade obrigatória na rede pública do Ministério da Educação, consulte previamente o regime de gratuitidade dos manuais que pode encontrar na internet.

Para estas e mais informações a DECO – Delegação Regional do Minho encontra-se na Avenida Batalhão Caçadores 9, Viana do Castelo, mediante agendamento obrigatório através do contacto telefónico 258 821 083 ou por e-mail deco.minho@deco.pt.

Por: DECO Minho*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade da DECO – Delegação Regional do Minho)

Foto: DR.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima