Santander informa que investiu 7,2 milhões de euros no apoio à Sociedade em 2019

Maio 13, 2020 Atualidade, Concelho, Economia, Mundo

Em nota enviada às redações, o Santander em Portugal informou que investiu um total de 7,2 milhões de euros no apoio à Sociedade ao longo de 2019, “um sinal do elevado compromisso com a Comunidade”, refere. Com o fecho do ano, o valor total investido desde 2013, aproxima-se dos 50 milhões de euros.



“Os números de 2019 reforçam o compromisso do Santander com a implementação de um modelo de Banca Responsável transversal e, tendo em conta esta estratégia, desde o início da crise associada à pandemia COVID-19, triplicámos o valor do nosso orçamento de responsabilidade social, na parte dos donativos a instituições que apoiam quem mais precisa”, continua.

Neste momento, o Santander Portugal já disponibilizou 3,2 milhões de euros para ajudar no combate ao COVID-19, valor que inclui o apoio às Universidades e Politécnicos portugueses.

O Relatório de Banca Responsável, agora apresentado, foi verificado externamente pela PwC, e segue a metodologia GRI Standards – Global Reporting Initiative.

“O Santander atua em áreas onde a sua atividade pode ter um maior impacto e contribuir para o desenvolvimento das pessoas e das empresas. Em 2019, apoiou 336 associações, em causas ligadas à educação, proteção de menores, saúde, incapacidade, inclusão social e cuidado a idosos, com um impacto direto em 28.649 pessoas, um crescimento de 20% face ao ano anterior”, salienta.

No Ensino Superior, o Santander desenvolveu em Portugal importantes iniciativas, através dos 50 acordos de colaboração que têm com as Instituições de Ensino Superior, tendo apoiado 3.733 estudantes através de bolsas, estágios e programas de empreendedorismo. O Prémio de Voluntariado Universitário e a European Innovation Academy foram alguns dos eventos em destaque. De forma inovadora, foram lançadas as Bolsas Mais Perto para acesso dos estudantes a residências universitárias com preços acessíveis.

Pedro Castro e Almeida, Presidente Executivo do Santander em Portugal afirma no documento: “queremos continuar a cumprir a nossa missão de contribuir para o desenvolvimento das pessoas e das empresas e, ao fazermo-lo, não só crescemos como negócio, mas também ajudamos a sociedade a encarar os seus principais desafios globais. O desenvolvimento económico e social anda lado a lado. O valor que criamos deve traduzir-se em benefício de todos”.

Em 2019, o Grupo Santander foi reconhecido como o Banco mais sustentável do mundo no Dow Jones Sustainability Index e lidera o índice de igualdade de género Bloomberg 2020, composto por 325 empresas de todo o mundo. Esse índice inclui parâmetros de igualdade salarial e paridade de género, integração e talento e liderança feminina. “Estas distinções refletem o compromisso do Banco de contribuir para vários Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, nomeadamente os 10 em que as atividades comerciais e investimento na comunidade do Santander têm maiores implicações: Erradicação da pobreza; Educação de qualidade; Igualdade de género; Financiamento de energias renováveis e acessíveis; Trabalho digno e crescimento económico; Redução das desigualdades; Financiamento de cidades e comunidades sustentáveis; Produção e consumo sustentáveis; Ação climática e Parcerias para a implementação dos Objetivos. Em linha com o nosso compromisso com o meio ambiente e a luta contra as alterações climáticas, em 2019, verificou-se a diminuição mais acentuada das emissões globais (Âmbitos 1, 2 e 3) do Banco, em cerca de 63% face a 2018, resultante maioritariamente da aquisição de certificados de energia verde para cerca de 99,2% dos consumos energéticos realizados no ano passado”, refere o Banco.

“No âmbito da nossa estratégia climática, temos previsto alargar a oferta de produtos com critérios Ambientais, Sociais e de Governance para particulares e empresas. É de salientar que analisamos os riscos ambientais e sociais de todas as nossas operações de financiamento de projetos. No Santander é dada grande importância aos riscos ambientais e sociais que poderiam ser derivados da atividade dos nossos clientes em setores sensíveis. Além disso, seguimos as melhores práticas internacionais em matéria de bem-estar social e ambiental, em particular os Princípios do Equador”, conclui.

Durante a última conferência das Nações Unidas sobre as alterações climáticas, conhecida como Cop25, o Grupo Santander anunciou outro dos seus objetivos de Banca Responsável, comprometendo-se a ser uma empresa neutra em carbono em 2020, compensado todas as suas emissões de carbono.

O Relatório de Banca Responsável 2019 está disponível no site do Banco: https://www.santander.pt/institucional/banca-responsavel/relatorios-sustentabilidade.

Foto: DR.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima