Tag archive

1º Ciclo do Ensino Básico

“Os Verdes” questionam as condições de Abertura do Ano Letivo

Setembro 24, 2020 em Atualidade, Concelho, Educação, Mundo, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

Escola barcelense serve de exemplo na argumentação

A deputada Mariana Silva, do Grupo Parlamentar “Os Verdes”, entregou na Assembleia da República uma pergunta, questionando o Governo através do Ministério da Educação, sobre o início do ano letivo 2020/2021 que levou a ajustamento horário e de oferta educativa, afetando a organização da vida familiar e profissional das famílias na medida em que não conseguem acompanhar as alterações de horários escolares, por outro lado persistem muitas dúvidas quanto ao reforço dos transportes escolares e a falta de pessoal docentes e não docente.



Segue-se, na íntegra, a referida pergunta e argumentos iniciais:

«Pergunta:

A abertura dos estabelecimentos públicos de ensino no início do ano letivo 2020/2021, com o regresso dos alunos ao regime presencial, revelou as fragilidades e carências de recursos humanos de inúmeras escolas, criando sérias dificuldades para colocar em marcha os planos de contingência traçados pelos agrupamentos escolares.

Alterações aos horários de funcionamento das escolas, com escolas a encerrarem mais cedo do que o previsto, encerramento de escolas por falta de funcionários e protestos da comunidade educativa, face à falta de condições de garantia do cumprimento de normas básicas, tal como como o distanciamento recomendável no contexto da sala de aula, evidenciaram que o Ministério da Educação (ME) poderia ter feito um maior investimento para reforçar a segurança, o acompanhamento dos alunos e compensar de forma significativa todos aqueles que voltando à normalidade têm que adotar e fazer adotar comportamentos adequados à situação pandémica, o que exige um esforço acrescido.

Após um período de ensino à distância, imposto pelo contexto da pandemia provocada pelo COVID-19, que conduziu a perdas significativas do ponto de vista pedagógico, a enormes desafios ao salutar desenvolvimento cognitivo e social, impediu um acompanhamento de proximidade das carências e dificuldades sentidas por alunos e as suas famílias, não obstante o empenho de muitos professores, o ensino presencial é agora retomado e aquilo que todos desejam é que decorra com normalidade cumprindo as normas que assegurem a prevenção do contágio pelo vírus, tais como, a higienização adequada, e que seja garantida a segurança da comunidade escolar e das famílias.

Os constrangimentos na contratação de assistentes operacionais são um problema em muitas escolas, que se agravou com as necessidades acrescidas. Vários são os exemplos de escolas que não conseguem cumprir com as necessidades, porque não se fez a contratação atempada de assistentes operacionais necessários.

A Escola Básica e Secundária de Canelas, em Vila Nova de Gaia, encerra mais cedo que o horário previsto; a EB1 de Ponte Pedrinha falhou o dia previsto para o início das aulas por falta de funcionários; a Escola Básica e Jardim de Infância do Bárrio, em Barcelos, que terá encerrado salas enquanto são criadas, pela primeira vez, turmas mistas com alunos que partilham as mesas, não havendo condições para o distanciamento, são situações que facilmente podiam ser colmatadas pela tutela.

Interior de uma das salas da Escola Básica 1 de Bárrio – Roriz, em Barcelos (Foto: DR)

Apesar de o Ministério da Educação ter anunciado a contratação de mais 800 assistentes operacionais para as escolas, 500 correspondem a renovações de contrato, pelo que apenas se pode falar num efetivo reforço de 300 operacionais. Para inúmeras escolas este reforço não existe e nos casos em que tal se verifica é manifestamente insuficiente.

Para responder eficazmente à pandemia, manter as escolas abertas e evitar o retorno ao modelo de ensino à distância, o Governo não se pode demitir da sua responsabilidade e empurrar para os municípios, alguns dos quais com dificuldades na gestão e no recrutamento de pessoal, para responder à urgente mobilização de meios humanos para fazer face às exigências atuais.

Perante a necessidade de compensar as aprendizagens do ano letivo anterior, o reforço que deve ser extensível ao pessoal docente e aos psicólogos, por forma a responder às situações de dificuldades de aprendizagem, insucesso e de abandono escolar, promovendo um melhor acompanhamento psicossocial dos alunos para quem estes 6 meses de afastamento físico da escola tiveram repercussões preocupantes para o seu percurso académico.

De acordo com dados disponibilizados pela FENPROF, o reforço do número de professores nas escolas, que segundo o Governo se traduziria em mais de 2500 docentes, não terá tido lugar em 81,5% dos Agrupamentos de Escolas e Escolas Não Agrupadas (AE/ENA).

É igualmente motivo de grande preocupação a ausência de investimento no reforço de docentes, técnicos especializados ou pessoal auxiliar para os alunos com Necessidades Educativas Especiais, o que, segundo a mesma fonte não está a acontecer em 61% dos AE/ENA.

O alargamento do horário escolar e a higienização dos espaços exige que, entre outras preocupações, seja possível substituir em tempo útil assistentes operacionais em falta.

As bolsas de contratação de pessoal não docente para processos de substituição apenas abrangem as escolas que tiveram autorização para abrir concurso para o recrutamento destes profissionais. Para as escolas que são da responsabilidade das autarquias e que correspondem a mais de um terço, estas bolsas não se aplicam.

O Ministério da Educação anuncia, há muito, a revisão da portaria dos rácios que define o número de auxiliares que cada escola tem de ter. Em declarações à comunicação social no dia 18 de setembro, o Primeiro Ministro anuncia o aumento desse rácio para breve. Importa, pois, que o seu cálculo tenha em atenção as necessidades e especificidades dos agrupamentos e escolas de modo a tornar eficaz a sua aplicação e que a mesma se traduza num aumento significativo e efetivo do número de auxiliares.

A agravar esta situação, não estão a ser salvaguardados critérios de redução da dimensão das turmas e grupos de alunos em contexto e sala de aula, em muitos casos porque as instalações não o permitem.

O arranque do ano letivo, com o novo ajustamento horário e de oferta educativa, afeta a organização da vida familiar e profissional das famílias na medida em que não conseguem acompanhar as alterações de horários escolares e por outro lado persistem muitas dúvidas quanto ao reforço dos transportes escolares.

Assim, ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, solicito a S. Exª O Presidente da Assembleia da República que remeta ao Governo a seguinte Pergunta, para que o Ministério da Educação, possa prestar os seguintes esclarecimentos:

1. Qual o número de turmas mistas que integram alunos de diferentes anos de escolaridade, no ano letivo que agora se inicia?

2. O ME orientou as escolas e agrupamentos, no sentido de encontrar alternativas às turmas mistas neste ano letivo?

3. Quais os estabelecimentos de ensino e agrupamentos com turmas mistas que dispõem de salas que permitiriam assegurar turmas apenas com alunos de um ano de escolaridade?

4. Pretende o ME estender as bolsas de contratação de pessoal não docente às escolas e agrupamentos que não tenham aberto concurso para recrutamento destes profissionais e para as quais as autarquias não são responsáveis por essa contratação?

5. Como pretende o ME proceder nas situações em que as autarquias não conseguem assegurar o número de auxiliares necessários?

6. Atendendo a que os alunos com NEE sentiram no ano letivo anterior dificuldades acrescidas e um acompanhamento menos eficaz, prevê o governo responder a esta necessidade através do reforço de mais docentes, assistentes operacionais e técnicos especializados?

7. Tem o ME conhecimento de dificuldades sentidas na oferta e no acesso ao transporte escolar? Quais? Como pretende colmatar tais dificuldades?»

Fonte: PEV.

Fotos: DR.

Cerca de 750 crianças falam de “Água com Amor”

Maio 5, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação Por barcelosnahorabarcelosnahora

Jorge Luís Nogueira Carvalho, do 4º ano da EB de Caminhos – Lama, foi o grande vencedor

Com o objetivo de continuar a estimular, junto dos mais jovens, o gosto pela escrita e pela leitura, a Águas de Barcelos desafiou, mais uma vez, os alunos do 3º e 4º ano, do Ensino Básico, a assinalarem o Dia de São Valentim com um poema recheado de sentido. O Concurso de Poesia, sob o tema «Falar de Água com Amor», abrangeu todas as escolas públicas do 1º ciclo do ensino básico do concelho de Barcelos e contou com a participação de cerca de 750 alunos. O júri foi composto por Joana Luísa Matos, Victor Pinho e José António Serra.



O grande vencedor foi Jorge Luís Nogueira Carvalho, do 4º ano da EB1 de Caminhos – Lama. Em segundo lugar ficou Eva Araújo Sousa, do 3º ano da EB1 de Fonte Coberta, e em terceiro ficou Mathew Casanova Silva, do 4º ano da EB1 de Carreira. O aluno vencedor receberá um tablet; o segundo classificado receberá um mp4; o terceiro classificado, um mp3. À escola vencedora, neste caso a EB1 de Caminhos – Lama, será oferecido um videoprojetor. Todos os participantes receberão diplomas de participação. Os melhores poemas serão, depois, expostos em data a definir.

A poesia tinha de ser original, criativa, coerente, pertinente ao tema, com ideias e vocabulários compatíveis à sua categoria, bem como conter as palavras ‘Águas’ e ‘Barcelos’.

O poema vencedor:

Falar de Água com Amor

A Água de Barcelos é potável,

quem a bebe sabe-se hidratar.

O nosso corpo mantém-se saudável,

a nossa mente relaxada vai ficar.

.

A Água, a qualquer hora,

só faz bem, podem crer!

Não devemos deitar fora,

um bem que nos faz viver!

.

A Água é um bem precioso,

temos que a saber preservar.

Se fizermos um controlo rigoroso,

ficaremos todos a ganhar!

.

A Água é como o Amor,

sem estes a vida é impossível,

amar em Barcelos tem mais sabor,

acreditem, é uma experiência imperdível!

.

Jorge Carvalho, 4º CL2, Escola Básica de Caminhos – Lama

Sobre o júri, Joana Luísa Matos nasceu em 25 de novembro de 1973 em Barcelos. Licenciou-se em Medicina Dentária, em 1997, na Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto, com pós-graduações nas áreas de Ortodontia, Oclusão e Ortopedia Funcional dos Maxilares. Fundou, em 1999, a “Ortocelos Clínica Médico-Dentária Barcelos”, onde exerce a sua prática privada e as funções de proprietária e de diretora clínica.

Desde cedo despertou para o mundo das letras e das artes, tendo publicado, em 1993, o seu primeiro livro de poesia. Em 2000, participou na “Antologia dos Jovens Poetas do Baixo Minho”. Em 2004 iniciou-se nas artes do teatro, da declamação poética e do canto, tendo participado em vários espetáculos poético-musicais. Foi sócia fundadora do grupo ”D’ Improviso – Artes do Espetáculo”. Em 2015, publicou o seu primeiro conto infantil “As Cinco Ânforas de Ouro”, que nos leva a redescobrir e a reapreciar os valores, numa escrita rigorosa e sensível, com ilustrações de Sebastião Peixoto. Este livro, de grande sensibilidade humanística e artística, deslumbra não somente os mais pequenos, mas também os pais e os educadores.

Entre 2018 e 2019, publicou os dois primeiros volumes da coleção “Raimundo Canta Barcelos”. Com ilustrações de Susana Lima, esta coleção pretende contar, com a ajuda do Galo Raimundo, a história de Barcelos aos mais pequenos. Esta coleção, que se pretende que tenha quatro volumes, tem o apoio da Câmara Municipal de Barcelos.

Já Victor Pinho é Licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, possuindo o curso de especialização em Ciências Documentais pela mesma Universidade e é Chefe do Gabinete de Bibliotecas do Município de Barcelos. Técnico Superior do Câmara Municipal de Barcelos, dirige a Biblioteca Municipal há 33 anos, tendo proferido diversas conferências sobre Leitura Pública e História Local.  É ainda membro da Comissão de Toponímia e é responsável pelo programa cultural da Feira do Livro.

Autor de diversos trabalhos de História Local, a maior parte dos quais publicados na “Barcelos Revista” e nos semanários “A Voz do Minho” e “Jornal de Barcelos”, onde tem vindo a publicar “Os Presidentes do Município de Barcelos”, desde o liberalismo até à atualidade. É, ainda, o Coordenador Científico dos Fascículos que este mesmo jornal está a publicar sob o tema “Concelho de Barcelos – Freguesias”. É autor do livro “Dicionário de Barcelenses” publicado em 2017 e que foi Prémio Literário do Município de Barcelos, 2009, na modalidade de investigação. É coautor do livro “D. José Domenech: defensor do trabalho e prestante cidadão” publicado em 1999, em que divulga a vida e obra deste industrial espanhol de serração de madeiras e que contribuiu para a fixação, em Barcelos, de muitos cidadãos espanhóis. No prelo, está o livro “Teatro Gil Vicente: um século de histórias”, que retrata a história cultural e social de Barcelos, antes e depois da fundação daquela casa de espetáculos. É membro do Rotary Clube de Barcelos, do qual foi presidente em 1998/1999 e presidente da Assembleia Geral da Tertúlia Barcelense, da qual foi presidente em 2000/2001. Foi Presidente do Definitório (Conselho Fiscal) da Santa Casa da Misericórdia de Barcelos, de 2009 a 2014, da provedoria do Eng.º Mário Azevedo e do Dr. António Pedras, Presidente da Direção do IPIR – Instituto Português de Imprensa Regional, de 2002 a 2008 e Vice-Provedor da Real Irmandade do Senhor Bom Jesus da Cruz de Barcelos, de dezembro de 2003 a março de 2007, da provedoria do Dr. Vale Ferreira.

José António Serra é docente do Ensino Básico, geógrafo e urbanista, pela Universidade do Minho. Possui obras editadas, sobre o empreendedorismo da mulher, a defesa da igualdade de género. A par disso, tem incursões no mundo da poesia. De resto, um gosto que procura incutir nos seus discentes, quer na escrita criativa, quer na participação em concursos de poesia.

Em termos de jornalismo, colaborou em alguns órgãos de imprensa com o heterónimo Vítor Serra e outros. Possui inúmeros trabalhos de investigação publicados, dedicados quer a figuras locais: Garcia de Guilhade, Teotónio da Fonseca, António Ferraz, José Novais, Felgueiras Gayo, Gaspar Goes do Rego, Queirós Veloso, Pedro de Barcelos, Martins Lima, Miranda de Andrade, João Cardoso de Albuquerque, Gomes Pereira, Júlio Vieira Ramos, Jaime de Séguier, Augusto Soucasaux, Artur Roriz, Abade do Louro, Cardoso e Silva, Lapa Carneiro, Alfredo Carvalhais, João Macedo Correia, Cândido da Cunha, Gonçalves Torres, Jerónimo, Fernando Lopes entre outros; ao urbanismo; ao património paisagístico e natural; ao património arqueológico, arquitetónico, monumental e artístico; à literatura, entre outras.

Do mesmo modo, é autor de diversos artigos de opinião como cidadão do mundo. Foi vencedor do prémio literário atribuído pelo Município de Barcelos, na modalidade da investigação, ao trabalho “A Feira de Barcelos do Século XIII Até ao Presente: evolução da fisionomia dos espaços”, em 2011.

Presentemente, trabalha no projeto “Águas, Fontes, Fontanários e Outras Tipologias”.

Imagens: DR.

Alunos do 1º Ciclo falam novamente de “Água com Amor”

Fevereiro 11, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura Por barcelosnahorabarcelosnahora

Iniciativa no âmbito do Dia de São Valentim

Com o objetivo de continuar a estimular, junto dos mais jovens, o gosto pela escrita e pela leitura, a Águas de Barcelos desafia os alunos do 3º e 4º ano, do Ensino Básico, a assinalarem o Dia de São Valentim com um poema recheado de sentido.



O Concurso de Poesia, sob o tema «Falar de Água com Amor», abrangerá todas as escolas públicas do 1º ciclo do ensino básico do concelho e cada participante poderá concorrer com apenas um trabalho.

A poesia deverá ser original, criativa, coerente, pertinente ao tema, com ideias e vocabulários compatíveis à sua categoria, bem como conter as palavras ‘Águas’ e ‘Barcelos’. Para participar, cada escola deverá enviar os seus poemas a concurso, num envelope, com os poemas devidamente identificados com o nome do aluno, bem como o nome da escola, até ao dia 18 de fevereiro.

Os melhores poemas serão depois expostos em data a definir. Serão atribuídos o primeiro, o segundo e terceiro prémios, sendo que o aluno vencedor receberá um tablet; o segundo classificado receberá um mp4; o terceiro classificado, um mp3. À escola vencedora (do aluno vencedor) será oferecido um vídeo projetor. Todos os participantes receberão diplomas de participação.

O júri será composto por Joana Luísa Matos, Victor Pinho e José António Serra.

Imagem: DR.

Casa do Menino Deus comemora 10º aniversário

Dezembro 2, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação Por barcelosnahorabarcelosnahora

No passado dia 28 de novembro, a Casa do Menino Deus comemorou o seu 10º aniversário, desta que foi a primeira escola privada do 1º ciclo no concelho de Barcelos.



“Dez anos passados o crescimento grande, as aprendizagens uma rotina e o acolhimento e alegria no nosso dia a dia”, refere a instituição.

2009

“Há 10 anos que acreditamos que ensinar não chega. Somos uma família de valores com a missão de preparar cidadãos conscientes e felizes. A todos os que contribuíram para o nosso crescimento, o nosso muito obrigado”, concluiu.

2019

Fotos: CMD.

Município de Barcelos comparticipa fichas de trabalho dos alunos do 1º ciclo

Julho 19, 2019 em Atualidade, Concelho, Educação, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

A Câmara Municipal de Barcelos aprovou a comparticipação das fichas de trabalho de Língua Portuguesa, Matemática e Estudo do Meio aos alunos do 1.º ciclo (1.º ao 4.º ano de escolaridade) das escolas do concelho, para o ano letivo 2019/2020. Esta medida tem um valor estimado de 100 mil euros e insere-se nas prioridades do executivo municipal na ajuda às famílias no âmbito da educação.



Para usufruir deste apoio, os encarregados de educação deverão levantar uma credencial no Agrupamento de Escolas respetivo, emitida pelo Município e, na posse desse documento, poderão levantar os materiais em qualquer livraria que, por sua vez, enviará ao Município as credenciais recebidas acompanhadas de fatura para serem pagas.

Ainda no âmbito da educação, o executivo municipal aprovou um subsídio no valor de 2.500,00€ ao Agrupamento de Escolas Gonçalo Nunes como comparticipação nas atividades das comemorações dos 50 anos desta escola.

Na área social, foram aprovadas vários apoios e parcerias, entre os quais: um contrato de comparticipação com o Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU), tendo em vista a atribuição de uma comparticipação financeira ao Município de Barcelos (no valor de 23.616€) para custear a aquisição de uma prestação de serviços de acompanhamento técnico, no âmbito do Programa de Apoio ao Acesso à Habitação; um acordo de colaboração com a Associação de Pais e Amigos das Crianças (APAC) destinado a estabelecer as condições de utilização gratuita das piscinas municipais na época de verão por parte das crianças daquela instituição; um acordo de colaboração com o Centro Social de Aguiar, que conta com uma comparticipação financeira de 5 mil euros e que tem em vista a realização de atividades de promoção gradual da autonomia pessoal e social da pessoa idosa, bem como um trabalho comunitário de intervenção e dinamização social e que conta; um acordo de colaboração com a Sopro – Organização Não Governamental de Solidariedade e Promoção, para a concretização do plano de atividades desta entidade e que inclui uma comparticipação financeira do Município no valor de 10 mil euros; um acordo de colaboração com a Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens, tendo em vista a afetação de meios humanos por parte do Município (disponibilização de um elemento técnico mediante à CPCJ de Barcelos) mediante comparticipação financeira da Comissão.

Ainda na área social foram aprovadas as seguintes propostas: a atribuição de um subsídio à Associação Social, Cultural e Recreativa de Chorente, no valor de 15.000,00€, para comparticipar nas despesas inerentes à sua atividade; a aquisição de serviço de transporte para o IPO do Porto, no âmbito do programa de rastreio do cancro da mama; o apoio à renda a 13 agregados familiares.

A destacar também nas restantes deliberações, a atribuição de um subsídio à Real Irmandade do Senhor Bom Jesus da Cruz, no valor de 5.500,00€, destinado a comparticipar na realização dos tapetes de flores naturais; a atribuição de um subsídio, no valor de 1.000,00€, à Paróquia de Santa Maria Maior, como comparticipação nas atividades da equipa sócio-caritativa; a oferta de um galo de grandes dimensões à comunidade barcelense residente da cidade de Toronto, Canadá.

Fonte e foto: CMB.

Amanhã há “Dia aberto” na Casa do Menino Deus

Abril 28, 2019 em Atualidade, Concelho, Educação Por barcelosnahorabarcelosnahora

Amanhã, 29 de abril, entre as 14h00 e as 18h30, realiza-se um “Dia Aberto” na Casa do Menino Deus para pais e encarregados de educação que pretendam conhecer a Escola do 1º Ciclo da referida instituição.



“A entrada para o 1º ciclo desperta sempre muitas dúvidas e ansiedades. Pais e filhos terão a possibilidade de ver uma escola em real funcionamento e assim poderem ver desconstruídos muitos dos receios e dúvidas nesta transição tão importante da vida dos filhos”, refere a instituição.

Os interessados em participar neste “Dia Aberto” devem inscrever-se através do seguinte link:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSc42b31okFaD-ryoSKEHMrqHEXVa3rJBUcPvI6hi_eE_-cMDA/viewform

Imagem: DR.

Águas de Barcelos fala de “Água Segura” a mais de mil alunos do 1º Ciclo

Abril 15, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação Por barcelosnahorabarcelosnahora

No decorrer do ano letivo 2018/2019, a Águas de Barcelos levou a cabo mais uma edição do projeto “Água Segura”. Mais de mil alunos participaram em aulas teóricas e práticas sobre o tema da Água e no concurso interescolar de desenho sobre os “Ciclos natural e urbano da Água”.



A implementação e consolidação do projeto tem sido gradual. Arrancou, em 2013, em Barcelos, tendo atingido, no passado ano letivo 2017/2018, a sua maturidade, ao envolver pela primeira vez todas as escolas públicas de ensino básico do concelho. A ação letiva envolve mais de 60 escolas do 1º Ciclo do Ensino Básico dos 9 agrupamentos escolares do concelho.

Terminada a ação educativa no Agrupamento de Escolas Vale do Tamel, foi altura de premiar todos os alunos que se esforçaram e empenharam.

Entrega de prémios e certificados de participação aos alunos do Agrupamento de Escolas de Vale do Tamel

No seguimento do concurso interescolar de desenho sobre “Os ciclos natural e urbano da Água” no Agrupamento de Escolas Vale do Tamel, decorreu, no passado dia 5 de abril, a exposição dos trabalhos e a sessão de entrega dos certificados de participação e prémios do concurso.

A entrega decorreu no âmbito do dia aberto da Escola Básica e Secundária Vale do Tamel e abrangeu um total de 186 alunos do 4.º ano de 10 Escolas Básicas. Todos os alunos participantes no Projeto Educativo e no Concurso de Desenho receberam um certificado de participação e a garrafa de água reutilizável “Água Segura”.

Dos excelentes desenhos realizados pelos alunos, que refletem o grande empenhamento dos professores e alunos, destacaram-se com o “Prémio Seleção”, que incluiu a oferta de bilhetes familiares de visita ao SEALIFE no Porto, os trabalhos realizados por Margarida Pereira Cunha, da Escola Básica de Alheira, Ana Dinis Faria da Costa e da Bárbara Costa Cunha, da Escola Básica e Secundária de Vale do Tamel, e Lara Luís Fernandes dos Santos, da Escola Básica de Silva.

Fotos: DR.

Já se conhecem os vencedores do concurso de poesia da Águas de Barcelos

Abril 9, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação Por barcelosnahorabarcelosnahora

Após a análise de mais de nove centenas de poemas de alunos do 3º e 4º ano, do Ensino Básico do concelho, o Júri do concurso de poesia «Falar de Água com Amor», promovido pela Águas de Barcelos, já selecionou os trabalhos vencedores.



O poema «Água e Barcelos», da autoria de Afonso Tomás P. Dias, da EB1 de Galegos – Santa Maria é o grande vencedor. O segundo lugar foi atribuído a Patrícia Vieira Rodrigues, da EB1 de Ponte, e o terceiro lugar foi atribuído a Filipa Ribeiro Nibra, da EB1 de Aldreu. A entrega de prémios será brevemente agendada e os melhores poemas por escola serão expostos em data e local a informar em breve.

A forte adesão ao projeto trouxe a concurso poemas de alunos de todos os agrupamentos escolares do concelho e contou com o envolvimento de 42 escolas. A decisão do júri não foi fácil, pois, em avaliação, estiveram trabalhos de grande qualidade literária e reveladores do grande empenho das escolas e alunos na participação deste projeto.

Eis o poema vencedor:

“Água e Barcelos”

Há um bem preciso

Sobre o qual vamos falar

É fonte para a nossa vida

Que precisamos aprender a preservar

.

Está nos rios e nos mares

Cristalina e sem igual

Pode ser doce ou salgada

Mas sempre especial

.

Água é o seu nome

Do ambiente a brotar

Magnífico dom da Natureza

Que devemos respeitar

.

Em Barcelos ou Portugal

E no Mundo inteiro é preciso alertar

A água é presente, passado e futuro

Por isso a ordem é poupar

.

A todos sem exceção

Lançamos o alerta

É preciso respeitar a água

E gastar na dose certa

.

Na nossa escola

Temos um desejo profundo

Que juntos cuidemos do ambiente

Porque as crianças são o Mundo

.

Afonso Tomás P. Dias

EB1 Galegos – Santa Maria

O Concurso de Poesia sob o tema «Falar de Água com Amor» tinha como objetivo “fomentar, junto dos mais jovens o gosto pela escrita e pela leitura, desafiando os alunos dos agrupamentos escolares do concelho a assinalaram o Dia de São Valentim com um poema recheado de sentido”. O júri composto Bernardete Costa, Vítor Pinho e José António Serra, analisou os trabalhos com base na originalidade, criatividade, coerência e pertinência ao tema. Com ideias e vocabulários compatíveis à sua categoria, os poemas deveriam conter as palavras “Águas” e “Barcelos”.

Imagem: DR.

Águas de Barcelos desafia novamente alunos a falarem de água com amor

Janeiro 16, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Versos estão a ser elaborados pelos alunos do 3º e 4º ano do concelho

Com o objetivo de continuar a fomentar junto dos mais jovens o gosto pela escrita e pela leitura, a Água de Barcelos desafia os alunos do 3º e 4º ano, do Ensino Básico, a assinalarem o Dia de São Valentim com um poema recheado de sentido.



O Concurso de Poesia, sob o tema «Falar de Água com Amor», abrangerá todas as escolas públicas do 1º ciclo do ensino básico do concelho e cada participante poderá concorrer com apenas um trabalho.

A poesia deverá ser original, criativa, coerente, pertinente ao tema, com ideias e vocabulários compatíveis à sua categoria, bem como conter as palavras “Águas” e “Barcelos”. Para participar, cada escola deverá enviar os seus poemas a concurso, num envelope, com os poemas devidamente identificados com o nome do aluno, bem como o nome da escola, até ao dia 14 de fevereiro.

Os melhores poemas serão depois expostos em data a definir. Serão ainda atribuídos o primeiro, o segundo e o terceiro prémios, sendo que o aluno vencedor receberá um tablet de oferta, o segundo classificado receberá um MP4 e o terceiro, um MP3. À escola vencedora (do aluno vencedor) será oferecido um vídeo projetor. Todos os participantes receberão diplomas de participação.

Imagem: DR.

Presidente da Câmara inaugura recuperação e ampliação da Escola do Bárrio, em Roriz, e da EB1 de Gueral

Setembro 22, 2018 em Atualidade, Concelho, Educação, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

Cerimónia de abertura do ano letivo 2018/2019

O Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Miguel Costa Gomes, acompanhado pela Vereadora da Educação, Armandina Saleiro, inaugurou ontem a recuperação e ampliação da Escola do Bárrio, em Roriz, e da EB1 de Gueral, na cerimónia de abertura do ano letivo 2018/2019.



Miguel Costa Gomes referiu que estas intervenções se inserem “num plano de recuperação de várias escolas do concelho” que o Município tem vindo a desenvolver, salientando que “desde que estamos no executivo temos feito uma aposta clara na educação”. O Presidente da Câmara frisou, ainda, que o objetivo destas requalificações é “criar condições para o bem-estar das crianças, que são o futuro do país”, concluindo que este executivo tem tido como prioridade a “aposta em políticas educativas que promovam a igualdade de oportunidades, a inclusão social e uma escola pública de excelência, consubstanciado em alguns projetos e ações municipais”.

Em nota, o Município refere que “ao longo do ano letivo 2017/2018, a Câmara Municipal de Barcelos fez uma série de melhoramentos nas escolas do concelho, nomeadamente de beneficiação, conservação e melhoramento, assim como manutenção de equipamentos e infraestruturas. Alem disso, há obras lançadas no ano letivo transato que ainda estão em curso como é o caso da recuperação e ampliação do edifício da EB1 de Paulinhos, em Macieira de Rates. O Centro Escolar da Várzea já obteve visto do Tribunal do Contas, pelo que as obras deverão começar em breve. No total, o Município de Barcelos investiu cerca de 4 milhões de euros, nesta área”.

O Município de Barcelos candidatou-se à medida 10.1 do quadro comunitário Portugal 2020, relacionada com o combate ao insucesso e abandono escolar. No âmbito da referida candidatura, foi elaborado o Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar do Cávado, que contempla um conjunto de projetos a serem dinamizados, em pleno, pelo Município durante o presente ano letivo, como o projeto Apoio Psicoeducativo e Psicossocial ao 1º ciclo do Ensino Básico, que consiste na disponibilização de uma equipa especializada de psicólogos e terapeutas da fala com intervenção direta no contexto escolar e familiar; o programa “Barcelos a Ler”, constituído por um conjunto de ações de promoção da literacia junto da população do pré-escolar e do 1º ciclo, promovido pela Rede das Bibliotecas Escolares e que tem como objetivo o incentivo à leitura e à escrita, de forma a promover o sucesso escolar; o projeto “A diferença está no desporto” que visa dotar os Agrupamentos de Escola e Escola Não Agrupada de Barcelos de repostas complementares que permitam uma abordagem integrada e diferenciada a partir do desporto, com impacto direto na motivação dos alunos, na fomentação de sucesso, na promoção de algumas competências transversais com impacto na realização escolar, no estabelecimento de objetivos e, por sua vez, com impacto direto no sucesso académico.

Outros apoios na área da educação

Na mesma nota, o Município barcelense refere que “as bolsas do ensino superior, os apoios à educação (através de refeição, transporte, material escolar, pequenos-almoços, acompanhamento psicológico, atividades extracurriculares, rede de bibliotecas, entre outros), bem como os subsídios de apoio às famílias (arrendamento habitacional, habitação social, transporte para pessoas com deficiências, serviços de saúde ocular e auditiva, promoção de imagem, medicina dentária, etc.) são para manter no âmbito da política que o Município de Barcelos tem vindo a desenvolver, na procura de condições equitativas para as famílias mais carenciadas”.

Fonte e fotos: CMB.

[Ndr: imagem de destaque meramente ilustrativa (DR)]

Ir Para Cima