Tag archive

Adélio Miranda

Socialista Horácio Barra eleito Presidente da Assembleia Municipal de Barcelos

Outubro 27, 2017 em Atualidade, Concelho, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

Foi com “casa cheia” que o Auditório dos Paços do Concelho de Barcelos recebeu a sessão da Assembleia Municipal com o intuito de tomada de posse do executivo municipal e dos membros da referida Assembleia.



Tendo decorrido dentro da normalidade a parte concernente à tomada de posse do reeleito Presidente da Câmara, Miguel Costa Gomes, e dos restantes vereadores, assim como dos novos deputados municipais, foi no ponto relativo à eleição da Mesa da Assembleia que surgiram mais “atritos”, polémica e um “incidente regimental”.

Após esse “incidente”, concretizou-se o processo de eleição da Mesa, à qual concorriam duas listas, uma encabeçada por Horácio Barra, saída do Partido Socialista, e outra, encabeçada por Adélio Miranda, saída de um acordo entre a coligação de direita (PSD e CDS) e o movimento independente Barcelos, Terra de Futuro, liderado por Domingos Pereira.

A contagem dos votos acabou por ser, para surpresa de muitos que assistiam, surpreendentemente favorável à lista socialista, vencendo esta com 74 votos. A lista oponente recolheu apenas 47 votos, sendo que não houve votos nulos e em branco, num total de 121 votos contados. O tal “incidente” levou a que da parte dos eleitos pela coligação de direita houvesse menos dois votantes.

Nos discursos, o teor dos mesmos andou à volta da perda da maioria absoluta por parte do Partido Socialista, tendo o recém-empossado Presidente da Câmara Municipal, Miguel Costa Gomes, feito um discurso duro e muito crítico, deixando “nas entrelinhas” a ideia de estar a “visar” mais o seu antigo vice-presidente, Domingos Pereira.

Autárquicas 2017: PSD realiza mais uma etapa na escolha do candidato

Março 17, 2017 em Atualidade, Concelho, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

Dois membros da Comissão Política (CP) do PSD Barcelos e dois Vereadores social-democratas terão sido, de acordo com notícia do Barcelos Popular, os mais votados pelo Colégio Eleitoral, promovido pela CP para a escolha das pessoas a serem alvo de uma sondagem a realizar pela Distrital do Partido.

José Novais, Adélio Miranda, Domingos Araújo e Félix Falcão terão sido, assim, os mais votados, num processo que não esteve livre de polémica e, supostamente, “fiscalizado” por João Granja, vice-presidente da Distrital, e por Vítor Moreira, secretário da mesma. Aliás, segundo a notícia, terão sido estes dirigentes a levar os votos para efetuarem a sua contagem.

Uma fonte contactada pelo Barcelos na Hora referiu que houve quem “tendo grandes responsabilidades no processo, andasse a telefonar às pessoas que iam participar no ato, a dizer que eram apenas dois os nomes para candidato e dizendo que outros estavam fora da corrida por este ou aquele motivo”. Instado a concretizar os nomes, essa fonte preferiu concluir que “as pessoas em questão, principalmente os visados e prejudicados por essa atitude, já devem saber disso e depois que façam o que quiserem”.

Entretanto, o antagonismo dos quatro nomes mais votados terá deixado os militantes ainda mais confusos. Uma outra fonte, com muitos anos de militância, contactada por este jornal referiu que “o resultado final surpreende mais, não pela ausência de certos nomes, mas pela presença de outros”. Solicitada a explicar-se melhor, essa fonte salientou que “estamos a falar de dois nomes da comissão política e de outros dois nomes de uma fação que é oposição a essa comissão, e que foram mesmo derrotados em eleições internas”. Quando questionada sobre quem poderia sair vencedor da sondagem, preferiu usar uma frase famosa de um ex-futebolista: “prognósticos só no fim do jogo”. No entanto, considerou que, na sua ótica, “Domingos Araújo poderá sair vencedor da sondagem mas não sabemos em que moldes ela se realizará”. Por fim, numa espécie de desabafo, disse que “neste momento, com esta confusão toda, não invejo mesmo o lugar de quem tem que decidir isto tudo”.

Autárquicas 2017: PSD vai “de mal a pior”

Março 3, 2017 em Atualidade, Concelho, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

É com estas palavras que uma fonte social-democrata, contactada por este jornal, se refere aos últimos acontecimentos no interior do PSD Barcelos.

No passado domingo de manhã, a Comissão Política de Secção (CPS) do PSD Barcelos, presidida por José Novais, reuniu com o Presidente da Distrital do PSD, José Manuel Fernandes, e com um grupo de presidentes de junta que, ao que tudo indica, estarão desagradados com o nome do candidato.

jmf
José Manuel Fernandes

O número de autarcas presentes suscitou dúvida, com fontes a darem informações díspares ao Jornal de Barcelos, sendo certo que, em qualquer uma das versões (13 e 9), o número corresponde à maioria dos autarcas eleitos pela coligação PSD-CDS. Isto porque, dos 17 eleitos, uma é do CDS e outros já referiram que não são militantes e que deverão concorrer por outro partido. De relembrar que o concelho tem 61 freguesias mas apenas 17 são presididas por autarcas eleitos pela coligação.

Nessa reunião, segundo avança o referido jornal, os presidentes de junta presentes terão demonstrado o seu desagrado, já expresso em momento anterior, ao Presidente da Distrital e ao da Concelhia. Primeiro, porque o candidato escolhido não lhes parece ser o melhor e, principalmente, porque não foram auscultados no processo de escolha de Sérgio Azevedo.

16003324_1619670914716849_2202594296143967885_n
José Novais

Entretanto, numa outra notícia, desta feita do Barcelos Popular, o Vereador Domingos Araújo surgiu a tecer duras críticas à atuação de José Novais neste processo todo. No cerne da crítica surge o facto de os três vereadores PSD também não terem sido auscultados no processo de escolha, numa atitude que Domingos Araújo apelida de “absolutamente inqualificável”. Aliás, de acordo com o citado jornal, nem mesmo António Ribeiro, vereador e líder concelhio do CDS, foi auscultado e considerado neste processo. De relembrar que ainda na semana passada, Sameiro Serra, presidente de junta de Carvalhal e reputada militante centrista barcelense, deixou no ar uma crítica sobre o facto de o CDS assinar um acordo sem antes saber quem seria o candidato.

Por fim, em notícia avançada esta tarde pelo Jornal de Barcelos, o candidato anunciado por José Novais, Sérgio Azevedo, ter-se-á retirado da candidatura à Câmara Municipal por causa da contestação ao seu nome. No entanto, a notícia carece de confirmação.

sérgio-azevedo
Sérgio Azevedo

 

Sobre todos estes assuntos, uma fonte do partido referiu que o PSD Barcelos “vai de mal a pior” e a confirmar-se a notícia da “queda” de Sérgio Azevedo, então “o mais lógico é o Eng.º José Novais ter que se demitir, porque o escolheu, apresentou, louvou, e defendeu até, numa grande entrevista a um outro jornal. Ele e quem esteve com ele nesta trapalhada toda, a começar pelos ‘vices’ dele, Adélio Miranda e Joel Sá”. Mas vai mais longe, “mesmo que estes dois não concordassem, tinham que ter tido coragem de se baterem contra esta escolha, no mínimo questionável, pois sabemos agora que Miguel Durães, JSD, os vereadores, presidentes de junta, consta até que o Mário Constantino também, mostraram-se contra este nome, esta escolha e todo o processo que levou a isto”. E o que é isto? “É uma vergonha para o PSD e para o PSD Barcelos. Novais tem que sair, tem que se demitir”.

Fotos: Facebook do PSD Barcelos.

Nome do candidato gera convulsão no PSD

Fevereiro 16, 2017 em Atualidade, Concelho, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

Perante as notícias dos jornais Barcelos Popular (BP) e Jornal de Barcelos (JB), que referem que o Eng.º Sérgio Azevedo foi o nome escolhido por José Novais para encabeçar uma lista candidata à Presidência da Câmara Municipal de Barcelos, sem que essa escolha fosse unânime, nem parecendo ser consensual, um destacado militante social-democrata, contactado por este jornal e pedindo anonimato por não querer “chatices com o Novais” pois “não estou para aturá-lo”, referiu que “Finalmente se começa a ouvir mais vozes que mostram o seu desagrado com o trabalho do Novais e o andamento das coisas para as autárquicas. Já não é só o Durães [ndr.: Miguel Durães, secretário-geral do PSD Barcelos] mas também os Presidentes de Junta e, pelos vistos, até a JSD”.

Ao Barcelos Popular, o líder da Juventude Social Democrata, Ricardo Silva, referiu que é da opinião de que o candidato não conseguirá chegar à juventude e à faixa etária até aos “45/50 anos”. De salientar que esta estrutura, de acordo com a notícia, votou contra a escolha de Sérgio Azevedo para liderar a candidatura autárquica social-democrata.

Já o vice-presidente do PSD Barcelos, Joel Sá, terá, de acordo com o BP, também votado contra. No entanto, o mesmo não terá confirmado, nem desmentido essa informação, já que o referido jornal não conseguiu falar com ele.

Sobre estes dois aspetos, o referido militante salientou que “estou feliz por ver uma JSD reivindicativa, livre-pensadora e pronta”. Em relação a Joel Sá, referiu que “para mim, e julgo que para muitos militantes, não é surpresa o Joel Sá andar a ‘mexer-se por fora’, pois é ambicioso e, apesar de ainda ser novo, parece querer chegar a coisas mais altas na concelhia. O problema dele é que deverá ficar ‘colado’ a uma autêntica ‘trapalhada’.”

José Novais, presidente da Comissão Política de Secção (CPS) do PSD Barcelos, em palavras dirigidas ao BP, defendeu o candidato que escolheu e desmentiu qualquer sondagem com o nome de Sérgio Azevedo. Aliás, este terá mesmo referido a esse jornal que caso se avance para uma sondagem com o seu nome, auto-exclui-se da candidatura. Já sobre o facto de um dos vice-presidentes, mais – de acordo com o BP –, o secretário-geral, a JSD e Presidentes de Junta, estarem, supostamente, contra o nome de Sérgio Azevedo, José Novais parece ter desvalorizado qualquer divergência. De relembrar que Adélio Miranda, outro dos vice-presidentes do PSD Barcelos, mostrou-se disponível para ser candidato, numa declaração tornada pública pelo Barcelos Popular.

Sendo assim, um outro militante, igualmente contactado por este jornal, referiu, sobre este assunto, que “parece-me tudo uma hipocrisia e interesses. Num plenário de setembro, salvo erro, o Sérgio Azevedo criticou duramente o trabalho da CPS e do Novais. Disse que o Partido não estava unido, inclusivamente. É à frente do Fernando Negrão. O Novais ficou muito zangado e ainda mais ficou porque o Sérgio Azevedo saiu sem sequer ouvir os argumentos dele. Agora um elogia o altruísmo do outro e o outro diz que esse tem um caráter à prova de bala”. Mais, “como se vê, nem a CPS está unida e já são alguns nomes importantes que estão contra. Isto, para mim, não levará a coisas boas de certeza e, na hora certa, o responsável terá que levar com as consequências”. De referir que este militante também pediu anonimato mas por “não querer retaliações”.

Foto: Facebook do PSD Barcelos.

Polémica na Irmandade do Senhor Bom Jesus da Cruz: Arcebispo invalida eleições

Janeiro 27, 2017 em Atualidade, Concelho Por barcelosnahorabarcelosnahora

De acordo com o “Barcelos Popular” desta semana, o Arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga, terá mandado repetir as eleições para os órgãos sociais desta Irmandade, invalidando o resultado do ato eleitoral de 15 de janeiro.

O referido jornal salienta que esta polémica já vem desde setembro, quando deveriam ter decorrido eleições. No entanto, estas não ocorreram por, refere o jornal, o Arcebispo ter feito pressão para que houvesse mudanças nos órgãos sociais. Aliás, essa posição era consentânea com a do Prior, que no último boletim paroquial de 22 de janeiro também criticou todo este processo.

Nesse boletim, a que este jornal teve acesso, o Prior Abílio Cardoso afirma que das oito confrarias apenas a do Senhor da Cruz ainda não tinha novos órgãos sociais, deixando a crítica de que associações ligadas à Igreja não deveriam ser geridas como associações politico-partidárias e que na Igreja o “poder é sempre serviço e não fonte de prestígio ou ocasião de promoção pessoal”, chegando mesmo a deixar a achega de que é ridículo discutir sobre quem manda mais.

Nos pontos seguintes do boletim, salienta que as Confrarias devem agir de forma colegial, respeitosa de todos, sempre dialogante e sem “estratégias de coação, que destroem o espírito comunitário”. Mas não se fica por aqui. Ao longo dos restantes pontos do seu artigo, o Prior alerta para o facto de que a “admissão de irmãos não pode ter como critério primeiro os amigos de quem gere, ou o partido a que pertencem, ou o clube ou ideologia que professam”. Considera “ofensivo e lesivo da história, pondo em risco o futuro de uma Irmandade, a admissão de irmãos em grupo, sem discernimento e maturidade mas apenas tendo em vista um voto futuro” e que “ninguém é insubstituível e uma Confraria tudo tem a ganhar com novas ideias e modos de agir”.

O Prior termina com dois pontos onde nomeia as características pessoais que os candidatos aos órgãos sociais devem ter, ressalvando que tudo deve ser “feito com transparência” e onde, no último, refere que nada tem a perder.

O atual Provedor da Irmandade e candidato a Presidente do Conselho Fiscal no ato eleitoral invalidado, Adélio Miranda, contactado pelo “Barcelos Popular”, não quis comentar, por ter um compromisso de não “prestar declarações à comunicação social”.

adélio-miranda
Adélio Miranda – atual Provedor da Irmandade

Um “irmão” desta Irmandade, contactado pelo Barcelos na Hora, revelou estar “muito preocupado com esta polémica toda, que está a prejudicar a imagem da Irmandade”. Questionado sobre de quem seria a culpa, apenas respondeu que “a culpa é de quem está no poder e anda a fazer esta trapalhada toda para se manter lá”, referindo, por fim, que “quando há muitos interesses por detrás das coisas, dá nisto”.

 

Fotos: www.rurality.pt e Facebook do PSD Barcelos.

 

Membros da Comissão Política do PSD seguem pisadas de Miguel Durães

Janeiro 26, 2017 em Atualidade, Concelho, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

Indo por partes:

 

Uma notícia deste Jornal, datada de 06 de janeiro, referiu que Miguel Durães, de acordo com o “Barcelos Popular”, teria manifestado, na Assembleia de Secção (“Plenário”) de 29 de dezembro e perante os militantes, que estaria “disponível para ser sondado” para candidato à Câmara Municipal de Barcelos. Mesmo não confirmando, nem desmentindo esse facto, por não querer abordar “questões do partido na praça pública”, ficou patente a sua disponibilidade, sendo essa sua intervenção confirmada por alguns militantes que marcaram presença nesse “Plenário”, contactados por este jornal.

Nessa mesma notícia, foi referido, igualmente e de acordo com o mesmo jornal, que José Novais, Presidente da Comissão Política do PSD Barcelos se considerava como a “última reserva” para candidato à Câmara Municipal mas que, no seio do Partido, eram muitos aqueles que acreditavam querer ser ele o candidato, para “desgosto” de algumas fações do PSD local.

Entretanto, o tema do candidato do PSD e CDS à Câmara Municipal de Barcelos voltou, de novo, “à baila”.

Desta vez foi o Vice-Presidente da Concelhia do PSD, Adélio Miranda, a afirmar ao “Barcelos Popular” desta semana que está disponível para ser candidato. Este posicionamento do médico barcelense, dado a conhecer através do Jornal em causa, vem confirmar notícias anteriores, que o colocavam como potencial candidato social-democrata à Câmara.

Outro putativo candidato, de acordo com o referido Jornal, é o deputado e, também, Vice-Presidente da Concelhia local, Joel Sá, que, colocado perante essa hipótese, terá respondido que “se se vier a colocar [ndr.: a hipótese de ser candidato] será avaliada em devida altura”. Alguns militantes referiram a este jornal que interpretam esta resposta como uma espécie de “nim”, considerando normal esse posicionamento e ambição, e ficando a aguardar apenas de Joel Sá, caso este não deseje sê-lo, uma “clarificação sobre quem apoia para candidato”.

Por fim, o Presidente da Concelhia, José Novais, que, de acordo com notícias veiculadas pelos órgãos de comunicação social barcelenses ao longo das últimas semanas, se vem posicionando para ser ele o candidato, afirmou ao “Jornal de Barcelos” desta semana que é normal que o Presidente da Concelhia seja um “candidato natural à Câmara”. Na ótica dos referidos militantes contactados, esta é só mais uma “confirmação” de que José Novais quer mesmo ser o candidato e que a “forma que está a usar para tentar ser candidato faz lembrar, nalguns aspetos, o processo de escolha para as Autárquicas de 2013”.

Por outro lado, o parceiro de coligação CDS continua a não reagir a estas movimentações, sendo que António Ribeiro, contactado pelo “Barcelos Popular” terá respondido que não faria comentários.

Numa última nota, José Novais referiu, quer ao “Barcelos Popular”, quer ao “Jornal de Barcelos”, que todo o processo de escolha do candidato deverá estar encerrado até ao final de fevereiro.

 

 

 

Foto: Facebook oficial da Recovery IPSS.

Ir Para Cima