Tag archive

António Júlio Trigueiros

Dia da Cidade de Barcelos dedicado a D. António Barroso

Agosto 22, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Barcelos comemora, no próximo dia 31 de agosto, os 90 anos de elevação a cidade. As celebrações serão dedicadas ao Centenário da Morte de D. António Barroso, barcelense ilustre e uma das figuras mais destacadas da Igreja Católica Portuguesa.



O dia começa com o hastear da bandeira, no edifício dos Paços do Concelho, pelas 9h30, seguindo-se uma Missa Solene, na Igreja Matriz, presidida por D. Francisco Senra, Bispo Auxiliar de Braga e Arcebispo Eleito de Évora.

Em simultâneo, pelas 11h30, serão descerradas placas evocativas da comemoração e depositadas coroas de flores no monumento a D. António Barroso, em Barcelos, e na Capela Jazigo, em Remelhe. Em Barcelos, atuará ainda o quarteto de metais da Banda Musical de Oliveira.

Um dos pontos altos do dia será a homenagem aos cerca de sessenta missionários barcelenses, pelas 17h30, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, que será antecedida da inauguração de uma exposição documental e iconográfica sobre a vida e obra e D. António Barroso. Segue-se, pelas 19h00, no Largo Dr. Martins Lima, a atuação da Banda Musical de Oliveira.

O programa do Dia da Cidade, evocativo do centenário da morte de D. António Barroso, encerra com duas conferências, no auditório da Câmara Municipal, pelas 21h30, subordinadas ao tema “D. António Barroso e a sua terra natal”, pelo padre jesuíta barcelense António Júlio Trigueiros, e “D. António Barroso: Bispo do Porto e Venerável da Igreja Católica”, por D. Carlos Azevedo, Bispo e membro da Comissão Pontifícia da Cultura do Vaticano. Será moderador o padre Manuel Vilas Boas, jornalista da TSF.

Sobre D. António Barroso

António José de Sousa Barroso nasceu em Remelhe, a 5 de novembro de 1854, e faleceu no Porto, em 31 de agosto de 1918. Está sepultado em Remelhe, numa capela mortuária da autoria do arquiteto Marques da Silva.

Barcelos erigiu-lhe, por subscrição pública, um monumento, em frente ao edifício dos Paços do Concelho.

D. António Barroso, no momento do seu falecimento, era Bispo do Porto, cargo do qual tomou posse a 24 de junho de 1899, tendo enfrentado, com frontalidade, a perseguição de que foi alvo durante a Primeira República. Para trás, tinha ficado uma vida de missionário e missiólogo, primeiro no Congo (1880-1888) e depois em Himéria (1891-1895), em Moçambique e Meliapor (1898), na Índia.

A sua fama de santidade fez com que o Vaticano, em reunião do Congresso Peculiar dos Consultores Teólogos, de 16 de maio de 2017, reconhecesse as suas Virtudes Heroicas, depois do seu processo de beatificação e canonização se ter iniciado em 1992.

Imagem: DR.

António Júlio Trigueiros apresenta III volume de “Apontamentos para a História de Barcelos”

Junho 12, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

No passado dia 8 de junho, o Auditório da Misericórdia de Barcelos recebeu a apresentação do III volume do livro “Apontamentos para a História de Barcelos”, de António Almeida Ferraz, conceituado médico barcelense e ilustre provedor da Santa Casa da Misericórdia de Barcelos entre 1877 e 1878.



A apresentação esteve a cargo do Pe. António Júlio Trigueiros, que frisou que “A grande mais-valia deste volume está na transcrição de manuscritos medievais que pertenciam ao arquivo do Solar dos Pinheiros e da Casa dos Azevedos, onde aparecem algumas cartas inéditas de S. Nuno de Santa Maria, no qual se apresentam algumas novidades”.

O evento contou, para além do referido Padre, com a presença do Provedor Firmino Silva, da Presidente da Assembleia Geral da SCMB, Manuela Dantas, e da Vereadora da Câmara Municipal de Barcelos, Armandina Saleiro, perante uma vasta plateia, na qual se encontravam também os descendentes do autor.

Ao longo de mais de trezentas páginas são apresentados temas desde Barcelos, Freguesias, Famílias/casa, património religioso, administração pública, vida militar, Rio Cávado, caminho-de-ferro, curtas biografias de barcelenses e outros.

Estes manuscritos foram redigidos por António Almeida Ferraz ao longo de cerca de 22 anos, entre 1894 e 1916. Este é considerado o maior trabalho que alguma vez se escreveu sobre Barcelos. Ao longo da sua pesquisa, o autor foi tratando centenas de temas, sem uma ordem aparente, que compõe a história de Barcelos, o seu património, as suas tradições e nomes das gentes de Barcelos.

À semelhança das edições anteriores, a fixação do texto foi da responsabilidade do Pe. António Júlio Trigueiros e as fotografias de José Eduardo Reis, numa coedição da Santa Casa da Misericórdia de Barcelos e da Câmara Municipal de Barcelos.

O evento encerrou oficialmente o programa comemorativo dos 518 anos da Santa Casa da Misericórdia de Barcelos.

Este III volume encontra-se à venda nos Serviços Centrais da Santa Casa e, em breve, nas livrarias barcelenses, pelo valor de 30€.

Fonte e fotos: SCMB.

Lançamento do IIIº Volume do livro “Apontamentos para a História de Barcelos”

Junho 5, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

A Santa Casa da Misericórdia de Barcelos (SCMB), com o apoio da Câmara Municipal de Barcelos, apresenta oficialmente o IIIº Volume do livro “Apontamentos para a História de Barcelos”, de António Miguel da Costa Almeida Ferraz.



A apresentação, que decorrerá no próximo dia 8 de junho, pelas 21h30, no auditório da SCMB, estará a cargo do Pe. Prof. Doutor António Júlio Trigueiros.

Fonte e imagem: SCMB.

Concerto abrilhanta comemorações dos 518 anos da Misericórdia de Barcelos

Junho 3, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

A Santa Casa da Misericórdia de Barcelos, com o apoio da Câmara Municipal de Barcelos, levou a efeito um Concerto, dirigido pelo maestro Alfredo Macedo, pela Orquestra da Escola de Música da Banda Musical de Oliveira e pelo Coro de Pais da Banda Musical de Oliveira.



A iniciativa, realizada no âmbito do programa comemorativo dos 518 anos da instituição, decorreu, dia 31 de maio, na Igreja da Misericórdia.

De realçar que os presentes foram brindados com Bravour 1900 (Randy Beck), Ammerland  (Jacob De Haan), Peer Gynt (E. Grieg), Prince of Egypt (Stephen Schwartz, arr. Jay Bocook), Les Misérables (arranged by Johnnie Vinson) e I Will Follow Him – (Arr: Ron Sebregts). À Orquestra juntou-se o Coro de Pais, que apresentou Verdes São os Campos (Arr: Filipe Cunha), Coro das Maçadeiras (Arr: Alfredo Macedo) e Saudação a Barcelos (Desconhecido).

Integrado, ainda, no programa dos 518 anos, na parte da manhã, teve lugar uma missa que assinalou o Dia Nacional das Misericórdias.

Próxima atividade

No dia 8 de junho, pelas 21h30, encerra o programa comemorativo com o lançamento do terceiro volume do livro “Apontamentos para a História de Barcelos”, de António Miguel da Costa Almeida Ferraz. A apresentação está a cargo do Pe. Prof. Doutor António Júlio Trigueiros.

Fonte e foto: SCMB.

Misericórdia de Barcelos comemora 518 anos reconhecendo mérito de quem serviu e serve a Instituição

Maio 23, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

“A Santa Casa da Misericórdia de Barcelos orgulha-se da sua história e reconhece o mérito de todas as mulheres e de todos os homens que serviram a Misericórdia de Barcelos, enquanto membros dos Órgãos Sociais, Irmãos e Colaboradores da Instituição”, frisou o Provedor Firmino Silva, na sessão solene que marcou o início das comemorações dos 518 anos da Instituição.



Esse mérito foi reconhecido igualmente no presente, nomeadamente com a homenagem aos colaboradores que completaram 15, 20, 25, 30 e 40 anos de relevantes serviços prestados à instituição, assim como ao membro dos órgãos sociais, Rodrigo Amaral, a quem foi entregue a medalha e o diploma de Irmão Honorário pelos 39 anos de trabalho voluntário em prol da Santa Casa.

“O nosso passado e o nosso presente obriga-nos a que tenhamos que projetar o futuro. Uma das preocupações sempre presente será a da sustentabilidade económica da instituição, sendo a valência da infância a que mais nos inquieta”, explicou o Provedor, que ainda apontou como prioridade a necessidade de intervenções de fundo, de remodelação e requalificação, que alguns equipamentos reclamam. Nesse sentido, “estamos a preparar uma candidatura ao Norte 2020, para a requalificação do Lar da Misericórdia, aumentando a sua capacidade de 38 para 43 camas”.

Em representação do Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, esteve o vereador José Beleza, que realçou o “sentimento de gratidão que a comunidade tem de ter para com a Santa Casa”. Mais, declarou que “o futuro será de confiança porque a história de Barcelos confunde-se com a da Santa Casa” pois o peso da instituição é tal que “Barcelos e a Santa Casa estão sempre de braços dados”. Por isso, a Câmara mantém a sua disponibilidade de parceria.

Deputado ao Parlamento Europeu interveio sobre “Economia Social e Fundos Europeus”

Outro momento da cerimónia foi a intervenção do Eurodeputado José Manuel Fernandes, que interveio com uma palestra sobre “Economia Social e Fundos Europeus”, onde deu conta de que existem outras oportunidades para além das subvenções, de realizar candidaturas ou apresentar projetos a instrumentos financeiros, ou seja, a possibilidade de realizar empréstimos a taxas de juro reduzidos.

Reconheceu, ainda, o papel fundamental das Misericórdias, que são um “excelente parceiro e uma mais-valia. Fazem um trabalho verdadeiramente notável. Na economia social, a inovação, a investigação, os instrumentos financeiros e novos serviços vão ser uma necessidade e aí, as Misericórdias deverão estar na linha da frente”.

Garantiu, ainda, que seria “essencial que existisse uma estrutura que aconselhasse o investimento e que desse apoio técnico” às instituições que se candidatassem a fundos comunitários.

Concluiu, afirmando que “temos de nos preparar, organizar, estar juntos e unidos para vencermos os desafios, aproveitarmos as oportunidades e caminharmos com um objetivo onde se pretende alcançar um crescimento inteligente, um crescimento com inovação e sustentável. A sustentabilidade económica, ambiental e social é uma questão de solidariedade para com as gerações futuras”.

De realçar que a cerimónia solene foi antecedida de uma missa, presidida pelo Arcipreste de Barcelos, P.e. José Araújo, concelebrada pelo Prior de Barcelos e Capelão da Misericórdia e animada pelo Coro de Barcelos.

Próximos eventos dos 518 anos

O programa comemorativo prossegue no próximo dia 29 de maio, pelas 21h30, no auditório da Misericórdia de Barcelos, com uma palestra subordinada ao tema “A linguagem religiosa num mundo secular”, proferida pelo Frei Hermano Filipe Rodrigues.



No dia 31 de maio, pelas 10h00, haverá uma missa comemorativa do Dia Nacional das Misericórdias e , pelas 21h30, um sarau musical pela Orquestra da Banda de Oliveira, na igreja da Misericórdia.

No encerramento, dia 8 de junho, pelas 21h30, no auditório da Misericórdia de Barcelos, será lançado o III volume da obra “Apontamentos para a História de Barcelos”, de António Miguel da Costa Almeida Ferraz, proferida pelo Prof. Doutor P.e António Júlio Trigueiros. Também haverá lugar a um momento musical pelo Quinteto da Banda Musical de Oliveira.

Fonte e fotos: SCMB.

Misericórdia de Barcelos comemora 518 anos com vasto programa de atividades

Maio 15, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura Por barcelosnahorabarcelosnahora

A Santa Casa da Misericórdia de Barcelos está a celebrar 518 anos de existência e iniciará as comemorações já no próximo domingo, dia 20 de maio, pelas 17h00, na Igreja da Misericórdia, com uma Eucaristia Solene, participada pelo Coro de Barcelos. Segue-se a Cerimónia Solene, com os discursos protocolares e homenagens a colaboradores e ao Irmão Honorário Rodrigo Amaral.



Na terça-feira, dia 29 de maio, pelas 21h30, no Auditório da Misericórdia, as cerimónias prosseguem com uma palestra  sobre “Humanização dos Serviços”, subordinada ao tema «A Linguagem Religiosa num mundo secular», proferida pelo Frei Hermano Filipe Rodrigues.

No dia 31 de maio, na Igreja da Misericórdia, haverá uma Missa comemorativa do Dia Nacional das Misericórdias.

Já em junho, sexta-feira, dia 8, pelas 21h30, no Auditório da Misericórdia, haverá o lançamento do III Volume da obra “Apontamentos para a História de Barcelos”, de António Miguel da Costa Almeida Ferraz, proferida pelo Prof. Doutor Pe. António Júlio Trigueiros. Este é o 3º de 11 volumes. Também haverá lugar a um momento musical pelo Quinteto da Banda Musical de Oliveira.

As comemorações encerram no sábado, dia 9 de junho, pelas 21h30, na  Igreja da Misericórdia, com um Sarau Musical pela Orquestra da Escola de Música da Banda de Oliveira.

Estas iniciativas estão abertas à comunidade, a quem a Misericórdia de Barcelos apela à participação. “É sempre importante para a Misericórdia de Barcelos esta interação com a comunidade numa data tão especial como esta”, refere em nota.

Fonte e imagem: SCMB.

Exposição e palestra abrem comemorações dos 517 anos da Santa Casa da Misericórdia

Maio 23, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação Por barcelosnahorabarcelosnahora

Uma exposição sobre “A Misericórdia de Barcelos no século XX” e uma palestra subordinada ao tema “Da Ética, Da Medicina e Da Religião: visões sobre a Eutanásia” assinalaram o início das comemorações dos 517 anos da Santa e Real Casa da Misericórdia de Barcelos, no passado sábado, no auditório da Instituição.

A palestra, moderada por João Lobo, teve como intervenientes o professor catedrático da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto e presidente da Associação Portuguesa de Bioética, Rui Nunes, e o diretor da revista Brotéria e autor de várias publicações, Padre António Júlio Trigueiros.

SCMisericórdia-517-palestra-2

Este tema complexo, que se encontra na ordem do dia na Assembleia da República, em vias de ser legislado, levanta questões éticas, algumas das quais foram abordadas do ponto de vista científico e moral.




Em discussão esteve “se no limite como sociedade estruturada, devemos permitir ou não que em circunstâncias muito tipificadas, a pessoa possa, diretamente, dispor da sua vida, nomeadamente quando estiver em causa um grande sofrimento, que é essencialmente de nível espiritual e psicológico, como em casos de doença crónica ou terminal”, explicou Rui Nunes.

Este catedrático defendeu a eutanásia racional e voluntária na perspetiva de que “cada um de nós como ser livre, com dignidade, deve fazer escolhas para e por si próprio”, acrescentando que “estará sempre em causa uma forma de eutanásia voluntária, que decorre de uma vontade expressa, firme, informada, reiterada e esclarecida da pessoa”.

Na sua opinião, “nunca se poderá basear numa forma de eutanásia involuntária, ou seja, formas de eutanásia que pressupõem um julgamento de terceiros sobre vidas que valem a pena ou não serem vividas”.

Especialista na matéria, há cerca de 30 anos, que acompanha de perto a lei da eutanásia na Holanda, Bélgica e Luxemburgo, sendo um crítico às formas de aplicação da eutanásia nesses países, que legalizou a eutanásia involuntária a crianças ou a pessoas com problemas psiquiátricos.

santa-casa-misericórdia-barcelos-logo

Levantou outras questões como “quem deve administrar” a eutanásia, defendendo que não deve ser o médico uma vez que choca diretamente com a ética dessa classe profissional.

O responsável pela Brotéria, revista que no passado mês de fevereiro dedicou uma edição especial ao tema, Padre António Júlio Trigueiros, apresentou a posição da Igreja Católica relativamente à eutanásia, citando uma passagem do catecismo: “As pessoas deficientes ou doentes devem ser amparadas para que possam levar uma vida tão normal quanto possível”, considerando a eutanásia “moralmente inaceitável”.

“Quando alguém acede ao pedido da eutanásia, não reconhece a dignidade do eutanasiado” frisou o barcelense António Júlio Trigueiros.

Perante o sofrimento “deve-se fixar o olhar na gratidão pela vida vivida e alimentar a esperança de uma paz esperada”, diz. Sublinhando, ainda, que “mais que uma morte assistida, todos queremos uma morte acompanhada” e o ato de compaixão é “acompanhar a vida até ao fim”.

João Lobo, assim como os oradores, considera que este debate deve ser sério e profundo e, sendo uma questão social, a população deve ser esclarecida e consultada.

Muito haverá ainda a aprofundar sobre o assunto antes de qualquer decisão pessoal.




A iniciar as comemorações esteve também a exposição sobre “A Misericórdia de Barcelos no século XX”, que vai estar patente durante o mês de maio.

SCMisericórdia-517-exposição

Trata-se de uma exposição fotográfica com quatro dezenas de imagens que retratam os principais momentos da instituição desde os anos 80 até à atualidade. Uma efeméride que recorda o nascimento das valências na Santa Casa da Misericórdia de Barcelos.

Fonte e imagens: Santa Casa da Misericórdia de Barcelos.

Palestra debate sobre a eutanásia

Maio 17, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação Por barcelosnahorabarcelosnahora

A Santa Casa da Misericórdia de Barcelos organiza, no próximo dia 20 de maio, pelas 21h30, no auditório da instituição, uma palestra subordinada ao tema “Da Ética, Da Medicina e Da Religião: visões sobre a Eutanásia”, proferida pelo Prof. Doutor Rui Nunes e pelo Padre António Júlio Trigueiros.

Este evento decorre no âmbito das Comemorações dos 517 anos da Santa Casa da Misericórdia de Barcelos e a entrada é livre.





Fonte e imagem: SCM Barcelos.

Ir Para Cima