Tag archive

Balugães

“Pão Nosso”, do Teatro de Balugas, selecionado para o Festival Transfronteiriço de Teatro Amador PLATTA

Maio 4, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

O espetáculo “Pão Nosso”, do Teatro de Balugas, de Balugães, sobe ao palco do Auditório Manuel María, no dia 10 de maio, às 20h30, em O Carballiño (Ourense), integrando o programa do festival que apresenta três espetáculos de teatro nos três idiomas das organizações que compõem a plataforma: português, galego e castelhano.



Com três edições por cada membro (Castela e Leão, Galiza e Portugal), o Festival Transfronteiriço é promovido pela PLATTA – Plataforma Transfronteiriça de Teatro Amador, criada há nove anos para “fomentar o diálogo do teatro amador transregional e transnacional como uma realidade dentro do espaço cultural nacional e europeu”. A plataforma é constituída pela Federación Galega de Teatro Aficionado, pela Erreguete – Revista Galega de Teatro, pela Federación de Grupos Aficionados de Teatro de Castilla y León e pelo Teatro do Noroeste – CDV/TEIA – Teatro em Iniciativa Associativa.

O diretor artístico do Teatro de Balugas, Cândido Sobreiro, disse que esta participação “é uma oportunidade para mostrar o trabalho teatral desenvolvido pelo grupo” e, também, “um intercâmbio cultural transfronteiriço para uma nova visão do teatro amador”.

O espetáculo do Teatro de Balugas resulta de uma residência artística de teatro comunitário que foi uma das premiadas pelo Programa de Apoio ao Associativismo da Fundação INATEL, tendo a peça arrecadado o prémio de Melhor Espetáculo no Festival de Teatro de Barcelos, bem como os prémios de Melhor Cenário, Melhor Sonoplastia, Melhor Iluminação Cénica e Melhor Guarda-Roupa.

O texto fala-nos da aldeia de Balugães, situada entre o Alto e o Baixo Minho, que foi terra onde já se amassou muito pão e onde se talharam muitas gamelas de pinho. O pão era o sustento, as gamelas também. Uma relação de pequenas histórias que contam mais do que o artefacto, o alimento, o labor. Uma recolha de memórias, ladainhas, cantigas e ofícios, recuperando utensílios e ligando artisticamente com a comunidade a criação do espetáculo. A partir daqui, o Teatro de Balugas aborda de uma forma teatral e poética o ciclo do pão na aldeia, reconstruindo-o a partir de princípios diferentes não tradicionais e quase oníricos.

Imagens: DR.

Teatro de Balugas leva “Pão Nosso” a Esmoriz

Fevereiro 26, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

No próximo sábado, o encontro de teatro “Os Arautos”, que se realiza na Junta de Freguesia de Esmoriz, conta com a peça “Pão Nosso”, do barcelense Teatro de Balugas. Vai a cena pelas 21h30.



O novo espetáculo do Teatro de Balugas, com texto e encenação de Cândido Sobreiro, resulta de uma residência artística de teatro comunitário que foi uma das premiadas pelo Programa de Apoio ao Associativismo da Fundação INATEL, tendo a peça arrecadado o prémio de Melhor Espetáculo no Festival de Teatro de Barcelos, bem como os prémios de Melhor Cenário, Melhor Sonoplastia, Melhor Iluminação Cénica e Melhor Guarda-Roupa.

Segundo o referido Teatro, “o texto fala-nos da aldeia de Balugães, situada entre o Alto e o Baixo Minho, que foi terra onde já se amassou muito pão e onde se talharam muitas gamelas de pinho. O pão era o sustento, as gamelas também. Uma relação de pequenas histórias que contam mais do que o artefacto, o alimento, o labor. Uma recolha de memórias, ladainhas, cantigas e ofícios, recuperando utensílios e articulando artisticamente com a comunidade a criação do espetáculo. A partir daqui, o Teatro de Balugas aborda, de uma forma teatral e poética, o ciclo do pão na aldeia, reconstruindo-o a partir de princípios diferentes não tradicionais e quase oníricos”.

Imagens: TB.

“Palco de Terra” encerra com atribuição de prémio anual

Dezembro 3, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Festival de Teatro distingue Grupo Cénico Lírio do Neiva

Decorreu em Barcelos, mais concretamente em Balugães, mais um “Palco de Terra”, festival de teatro organizado pelo Teatro de Balugas. De 24 de novembro a 2 de dezembro, vindo da Galiza, Santa Maria da Feira, Gondomar e Barcelos, o teatro montou palco nesta terra do Minho.



O diretor do Festival, Cândido Sobreiro, afirmou que “esta edição foi novamente um sucesso e consolidou-se o projeto que visa a promoção do teatro na aldeia, tornando-se num palco de intercâmbio desta cultura teatral, com grande diversidade e qualidade dos trabalhados apresentados”.

A comédia musical “Do Céu Caiu um Anjinho”, de Fernando Gomes, apresentada pelo Teatro Vai Avante, abriu a programação, seguida da companhia galega Andaravía Teatro, que levou à cena a peça “Moito Barulho e Poucas Carolas”, uma adaptação da obra “Muito barulho por nada”, de William Shakespeare. O festival continuou com o Grupo de Expressão Dramática de Escapães com a peça “Os (des)Amores de Inês”, adaptado de um clássico de Gil Vicente.

No passado domingo, fechou o certame a comédia “O Médico da Aldeia”, texto de António Correia, pelo Cénico Lírio do Neiva, grupo distinguido este ano com o Prémio PALCO DE TERRA por ser o grupo de teatro mais antigo do Minho em atividade, tendo sido fundado em 1933. O diretor artístico, António Correia, foi quem recebeu o prémio em nome do grupo e mostrou-se bastante feliz por recebê-lo no ano em que o grupo celebra 85 anos e pelo reconhecimento do trabalho de teatro popular e de amadores realizado ao longo destas décadas.

O prémio anual PALCO DE TERRA foi instituído para reconhecer e agradecer o trabalho e o esforço de pessoas ou instituições no âmbito do teatro realizado no meio rural e da criação artística sobre o Minho.

Foto: TB.

“Palco de Terra” termina com atribuição de prémio anual

Novembro 28, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

O festival de teatro PALCO DE TERRA termina este fim de semana com mais dois espetáculos e a atribuição do prémio anual, instituído para reconhecer e agradecer o trabalho e o esforço de pessoas ou instituições no âmbito do teatro realizado no meio rural e da criação artística sobre o Minho.



Este ano, a distinção será atribuída ao Cénico Lírio do Neiva, grupo de teatro mais antigo do Minho em atividade, tendo sido fundado em 1933, celebrando 85 anos de teatro popular e de amadores.

No sábado, pelas 21h30, é a vez do Grupo de Expressão Dramática de Escapães levar à cena a peça “Os (des)Amores de Inês”. O certame encerra no domingo, dia 2 de dezembro, pelas 16h00, com a comédia “O Médico da Aldeia”, pelo Grupo Cénico Lírio do Neiva e, de seguida, será realizada a cerimónia de atribuição do Prémio PALCO DE TERRA.

O festival é organizado pelo Teatro de Balugas e pela Junta de Freguesia de Balugães (Barcelos). A entrada é livre e limitada à lotação do auditório da Junta de Freguesia.

Imagem: TB.

Festival de Teatro “Palco de Terra” está de volta

Novembro 20, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

O festival de teatro “Palco de Terra” arranca este fim de semana. De 24 de novembro a 2 de dezembro, vindo da Galiza, Santa Maria da Feira, Gondomar e Barcelos, o teatro monta palco na terra de Balugães.



Já este sábado, pelas 21h30, a comédia musical “Do Céu Caiu um Anjinho”, do Teatro Vai Avante, abre a programação. No domingo, pelas 16h00, é a vez da companhia galega Andaravía Teatro levar à cena a peça “Moito Barulho e Poucas Carolas”.

O festival continua no fim de semana seguinte, no dia 2 de dezembro, pelo Grupo de Expressão Dramática de Escapães, com a peça “Os (des)Amores de Inês”. O certame fecha com a comédia “O Médico da Aldeia”, pelo Cénico Lírio do Neiva, grupo que será distinguido este ano com o Prémio “PALCO DE TERRA” por ser o grupo de teatro mais antigo do Minho em atividade, tendo sido fundado em 1933.

O prémio anual PALCO DE TERRA foi instituído para reconhecer e agradecer o trabalho e o esforço de pessoas ou instituições no âmbito do teatro realizado no meio rural e da criação artística sobre o Minho. Em 2017, a distinção foi atribuída ao ator, encenador e dramaturgo Fernando Pinheiro, pelo trabalho desenvolvido ao longo de 50 anos de teatro no Minho.

O festival é organizado pelo Teatro de Balugas e pela Junta de Freguesia de Balugães. A entrada é livre e limitada à lotação do auditório da Junta de Freguesia de Balugães (Barcelos).

Imagens: TB.

 

Histórica Ponte das Tábuas passa a ser de uso pedonal

Outubro 2, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

O Município de Barcelos promove a travessia pedonal, em exclusivo, da Ponte das Tábuas, sobre o Rio Neiva, de forma a defender aquela importante construção da rede viária medieval e um dos mais significativos monumentos do Caminho Português a Santiago.



Em causa está a degradação do piso da ponte durante os últimos anos e a impossibilidade de se garantir a estabilidade estrutural, pela circulação de automóveis e principalmente de máquinas agrícolas, que implica um risco para a segurança do monumento e seus utilizadores. A ponte ficará encerrada a todo o trânsito motorizado, destinando-se apenas à passagem de peões e de ciclistas.

O piso da ponte será alvo de obras de conservação e de restauro, para a reposição de algumas lajes degradadas.

A Ponte das Tábuas situa-se na extrema das freguesias de Aguiar, Balugães e Cossourado, e está documentada desde 1135, tendo sido beneficiada durante os inícios do século XVII, por ocasião da reforma viária da Dinastia Filipina.

A antiguidade da ponte atesta a importância do lugar na passagem do rio e por este lado do vale do Neiva, por onde passava a estrada medieval entre o Porto e Ponte de Lima, e por essa via, o acesso mais importante a Compostela em território português, durante as Idades Média e Moderna.

Hoje, ainda é calcorreada por dezenas de peregrinos que todos os dias seguem pelo território de Barcelos, em direção a Santiago de Compostela.

Fonte e foto: CMB.

Peregrinação de Nª Sr.ª da Aparecida, em Balugães, realiza-se a 15 de agosto

Agosto 13, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura port barcelosnahorabarcelosnahora

A tradicional peregrinação a Nossa Senhora da Aparecida, em Balugães, realiza-se a 15 de agosto, feriado nacional.



Esta peregrinação serve para celebrar a primeira aparição mariana em Portugal, em agosto de 1702, quando um pequeno pastor, de seu nome João Alves, avistou a Senhora, quando se encontrava a guardar o seu rebanho, no Monte de Castro de Balugães, que pediu que Lhe construísse – mais propriamente seu pai, que era pedreiro – ali nesse mesmo local um ermida. No dia seguinte, encontrando-se o pastorinho a chorar de fome, a Senhora aparece-lhe de novo, reiterando o pedido. Por forma a mostrar ao pai pedreiro que a criança falava a sério quando lhe transmitiu o pedido da Senhora, esta prometeu transformar as ressequidas migalhas de pão guardadas no seu – pastorinho – alforge em pedaços de pão, assim como iria encher o vazio forno de sua casa com pão até não caber mais. E foi o que aconteceu.

Agora existe um belo local de culto e fé católica, com a requalificada Capela das Aparições, digna de visita.

A peregrinação leva ao Santuário milhares de fiéis, que pretendem honrar e manter viva a memória dessa primeira aparição mariana em Portugal.

Entre 6 de agosto e hoje – dia 13 –, rezaram-se novenas preparatórias, sendo que pelas 19h00 de hoje recita-se o Terço e meia hora depois celebra-se a eucaristia. O atendimento das confissões vai das 19h00 às 20h00.

Amanhã, pelas 18h00, celebra-se eucaristia, seguida de procissão eucarística. Pelas 22h00, reza-se um terço meditado, seguindo-se a procissão de velas, com a eucaristia da vigília da Assunção de Nossa Senhora a realizar-se pelas 23h00.

Finalmente, no dia 15, pelas 2h00, dá-se a Hora de Maria. Uma hora depois, a exposição do Santíssimo Sacramento, sendo que de duas em duas horas, até ao início da peregrinação – pelas 9h45 – celebra-se uma eucaristia. Pelas 11h00, celebra-se uma eucaristia solene, presidida pelo Arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga. Por fim, pelas 18h00, recita-se o Terço e expõe-se o Santíssimo Sacramento.

Fotos: DR.

 

Comunidade de Balugães junta em mais uma edição de TERREIRO

Agosto 7, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Balugães e o Teatro de Balugas levaram ao adro da Igreja Românica de São Martinho de Balugães mais um espetáculo de teatro comunitário e de forte identidade local, inserido no evento TERREIRO, que acontece de dois em dois anos, na primeira semana de agosto. O referido evento está assente numa cultura de valorização do espaço e na materialização artística da memória coletiva da aldeia.



Inserido nas Jornadas Culturais de Balugães, o TERREIRO apresentou, no passado sábado, para uma plateia cheia, a comédia “Abaixo o Aeroporto em São Martinho de Balugães”, uma produção do Teatro de Balugas, com a participação da Ronda Típica da Ponte das Tábuas e da aldeia de Balugães.

O diretor artístico da companhia de teatro, Cândido Sobreiro, resumiu que “a terra e o palco assumem-se como dois planos que são indissociáveis da sobrevivência espiritual do homem, mas também da natureza de um teatro comunitário que sempre foi feito do povo, para o povo, e a partir de uma ideia de pertença coletiva a um património imaterial comum”.

Para transformar este espetáculo de teatro comunitário de realização bienal num ponto de interesse do roteiro cultural do Caminho Português de Santiago de Compostela, foi criado um plano de comunicação para o evento, divulgando-o em língua inglesa junto dos Albergues de Peregrinos no Caminho Português de Santiago de Compostela e de outros promotores, instituições e plataformas.

Outra aposta para essa visibilidade foi a colocação de uma placa sinalética do evento nas imediações da Igreja Românica de São Martinho de Balugães que “informa os peregrinos sobre a realização do espetáculo de teatro comunitário e assinala o local numa conjugação de identidade, património e cultura”, adianta Cândido Sobreiro.

Fotos: TB/DR.

Jornadas Culturais de Balugães iniciam na próxima sexta-feira

Julho 31, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura port barcelosnahorabarcelosnahora

Realiza-se, entre 3 e 5 de agosto, mais uma edição das Jornadas Culturais de Balugães, com um programa que vai desde o teatro ao desporto, passando pela música e gastronomia.



Assim, no dia 3 de agosto, pelas 20h30, dá-se a abertura da Feira do Livro. Quinze minutos depois, abrem oficialmente as Jornadas Culturais. Na mesma noite, os visitantes poderão assistir a teatro, pelo Grupo Vozes Outonais, a cerimónias de homenagem e inauguração, momentos musicais, apresentação de uma revista e Porto de Honra.

No dia seguinte, o programa disponibiliza um torneio de sueca, momento musical com a Ronda da Ponte das Tábuas, mostra gastronómica e uma peça de teatro pelo grupo Teatro de Balugas.

Finalmente, no último dia destas Jornadas, é a vez do futebol juvenil e de veteranos, seguindo-se de um novo momento musical com a Ronda da Ponte das Tábuas e de sardinha assada acompanhada a caldo verde.

Foto: TB.

Imagem: JFB.

Teatro de Balugas leva o teatro ao Terreiro, em Balugães

Julho 30, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

A 4 de agosto próximo, pelas 22h00, o Teatro de Balugas leva a cena mais uma peça de teatro, que decorrerá no adro da Igreja România de São Martinho de Balugães.



Intitulado de “TERREIRO – teatro comunitário”, este evento realiza-se de dois em dois anos, na primeira semana de agosto, sendo um espetáculo de teatro comunitário e de forte identidade local, assente na cultura de valorização do espaço e na materialização artística da memória coletiva da aldeia.

Inserido nas Jornadas Culturais de Balugães, o TERREIRO apresenta, nesta edição, a comédia “Abaixo o Aeroporto em São Martinho de Balugães”, uma produção do Teatro de Balugas, com a participação da Ronda Típica da Ponte das Tábuas e da aldeia de Balugães.

Imagem: TB.

Ir Para Cima