Tag archive

Barcelenses Inspiradores

Barcelenses Inspiradores: Bruna Martins

Março 21, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Entrevistas, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

A modelo e manequim Bruna Martins é a convidada desta semana.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o email: barcelensesinspiradores@outlook.pt.



Bruna Martins nasceu a 28 de setembro de 1998 e é natural de Barcelos. Desde muito cedo, sabe o que é o mundo da Moda, começando por ter sido vencedora de um concurso, com apenas 10 meses de idade. Continuou a trabalhar como modelo, no qual fez catálogos para marcas prestigiadas nacionais e internacionais, como é o caso da Roberto Cavalli, Armani Junior, Zippy, Tiffosi, Zara, entre muitas outras.

Com 6 anos, desfilou no Moda Lisboa, pela primeira vez, sem saber que voltaria a pisar essa passerelle anos mais tarde. Tem formação em representação, mas nunca foi a sua maior paixão.

Em 2010, juntamente com Vítor Baía, foi o rosto da campanha publicitária “O Joãozinho”, no qual o objetivo principal era construir um novo hospital pediátrico no Porto.

Conta com um grande número de desfiles realizados, entre eles, o Portugal Fashion, a Moda Lisboa e o Porto Fashion Week. Também fez editoriais para vários estilistas e marcas, contando já com uma carreira longa e vasta, que continua a evoluir.

Atualmente, está a terminar a licenciatura em Turismo, em Viana do Castelo. Entre conciliar os estudos com o trabalho como modelo, Bruna ainda trabalha como relações públicas/hospedeira no clube Gil Vicente FC, e, há 4 anos, começou a gerir e organizar eventos, uma das áreas que a fascina. Para além de tudo isto, a Bruna faz parte do departamento de Relações Externas da UPrise Talent, uma associação juvenil que surgiu a partir da necessidade de melhoria do sistema educativo, sendo um complemento a este. Muito recentemente, começou a trabalhar como manager numa agência de modelos, a Allure Model Management.

Apaixonada por tudo o que está relacionado com a Moda, mas também pela Cultura, Música e por ajudar o próximo, a Bruna vive de sonhos, de determinação e do querer fazer mais e melhor, sem nunca passar por cima de ninguém. Gosta de viajar e adora estar com a família. Assume que é feliz e sente-se realizada.



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

Sou a Bruna Martins, uma jovem ambiciosa, apaixonada por várias áreas, sendo a Moda a que esteve mais presente desde que me lembro. Considero-me uma pessoa educada, humilde, amiga e sonhadora. Fascinada por Música, Artes e Cultura. Adoro viajar e acredito que poder conhecer o nosso mundo é a maior dádiva que podemos ter. Tento sempre ajudar o próximo e não aceito injustiças. Sou muito determinada em lutar pelos meus sonhos e entrego-me de coração a tudo o que faço.

O que fazes é uma extensão de quem és e do teu propósito de vida?

Sem dúvida que sim. Sinto que nasci com um propósito e todos os dias luto para tentar atingi-lo. Gosto de explorar as diversas áreas que me fascinam e sei que, desta forma, estou a construir o meu futuro.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Diria que o maior problema que o mundo tem é a falta de amor, respeito e sensibilidade. E que a solução é amarmo-nos a nós próprios, em primeiro lugar, para, assim, sermos capazes de amar o próximo. Somos todos iguais, apesar de sermos diferentes…

Acredito que chegará o dia em que as culturas se unirão e a guerra e a fome acabarão de vez, mas, até lá, muitas mentalidades têm de mudar.

Qual foi o acontecimento que mais te marcou até hoje?

Apesar de só ter 21 anos, consigo lembrar-me de bastantes acontecimentos que me marcaram. Mas quero salientar um acontecimento que sei que nunca vou esquecer e que me orgulho imenso. Em 2008, como parte da minha carreira profissional enquanto modelo (na altura, ainda com apenas 10 anos), fui convidada para ser o rosto da campanha publicitária “O Joãozinho”, que tinha como objetivo a angariação de fundos para a construção da nova ala pediátrica do Hospital São João. Ao lado do Sr. Vítor Baía, foi com orgulho que fiz parte desta campanha que, mais do que trabalho, significou muito para mim pelo valor solidário.

Realizámos um spot publicitário que passou em vários canais da televisão e a foto de campanha que apareceu em quase todos os jornais portugueses durante 5 anos. Infelizmente, até hoje, ainda não foi construído o hospital pediátrico, mas acredito que esta campanha mudou muitas vidas pelo impacto que teve. E marcou a minha vida, claro.

Curiosidades do Convidado  

Qual é o teu livro preferido? E o teu filme?

Gosto muito de ler, apesar de já não o fazer há demasiado tempo. Mas quero realçar o livro “Podes Ser Tudo”, do Rúben Rua, também modelo. E em relação a filmes, gostei muito dos filmes “Joker” e o “Parasita”, porque ambos retratam bastante bem algumas realidades que, por vezes, não temos perceção.

Qual foi a viagem que mais te marcou?

Gostei muito de visitar Milão. Foi a primeira vez que viajei de avião e este destino estava na minha lista há muito tempo, não só por ser a capital da Moda, mas também pela sua beleza e grandiosidade.

No entanto, no final do ano passado, concretizei um sonho que tive toda a minha vida: visitar Paris e, como não podia deixar de ser, a Disneyland. Sou apaixonada por esta cidade e pela Disney (quem não é?). Superou todas as minhas expectativas e mal posso esperar para lá voltar e viver tudo o que vivi outra vez! Mas qualquer viagem, num destino longe ou perto, pode ser uma experiência fantástica. O importante é manter o espírito aberto e aventureiro.

Que viagem de sonho ainda pretendes realizar?

Adoro destinos paradisíacos, por isso, tenho como sonho ir a Bali, às Maldivas, Tunísia, todos os lugares que sejam rodeados de natureza, história, águas cristalinas e cultura.

Também tenho muita curiosidade em visitar a Polónia, principalmente, o campo de concentração de Auschwitz, porque sempre me fascinou saber mais acerca deste período tão negro e triste que foi o Holocausto.

Qual é a tua atividade de tempo livre preferida?

Ouvir música é, sem dúvida, o que mais faço nos meus tempos livres. Adoro estar com a minha família e descobrir um bocadinho de Portugal sempre que tenho oportunidade.

Qual é a tua maior habilidade?

Penso que a minha maior habilidade é ser modelo, devido ao facto de já trabalhar na moda desde muito pequena e ter muitos anos de experiência.

No entanto, apesar de a Moda ser uma grande parte de mim, tenho como habilidades ser criativa, proativa, persistente e muito profissional. Vejo sempre o lado bom em tudo, quero sempre aprender mais um pouco sobre tudo e tento nunca estar “parada”.

O que seria para ti um dia perfeito?

Para mim, um dia perfeito começa por ser um dia de sol e com um pequeno-almoço pela manhã (sempre!!). Só isso já é o suficiente para ser um dia bom.

Mas, honestamente, basta ser passado com a minha família e que todos estejam bem e felizes para ser um dia perfeito.

Diz-nos um barcelense e um não barcelense que te inspirem e porquê.

Eu inspiro-me com todas as pessoas que vou conhecendo ao longo da minha vida. Sou capaz de tirar algum ensinamento das pessoas que conheço, seja esse positivo ou negativo. E, juntando isso ao facto de eu ser bastante observadora no meu quotidiano, fez com que eu me tornasse a pessoa que sou hoje e a ter noção do que não quero ser.

Porém, posso salientar que tenho como maior inspiração a minha mãe, uma guerreira.

Pergunta mistério do convidado da semana anterior, Raúl Peixoto.

Se o mundo terminasse agora, o que tinha ficado por fazer?

Penso que fiz tudo o que posso para cumprir os meus objetivos, a nível pessoal e profissional, ao mesmo tempo que tento estar sempre presente na vida da minha família e dos meus amigos. Explorei, criei, viajei, ri, amei. Há muita coisa que quero fazer ao longo da minha vida… Mas acho que se o mundo terminasse agora não sentiria que ficou algo por fazer, porque sei que lutei para atingir tudo o que atingi.

Uma mensagem* inspiradora…

Às vezes, os dias são cinzentos, como na vida. Mas, apesar de o sol nem sempre brilhar, ele acorda todos os dias. Por isso, vivam a vida e tirem partido dela, porque tem tanto para oferecer.

Sonhem.

Arrisquem.

Amem-se.

Sejam felizes.

A vida é tão bela.

* Nota: Mensagem em latim significa mens agitat molem, ou seja, “o espírito agita a matéria”.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Barcelenses Inspiradores: Raúl Peixoto

Março 15, 2020 em Atualidade, Concelho, Economia, Entrevistas, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Deixe-se inspirar pelas lições e histórias do empreendedor Raúl Peixoto.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o email: barcelensesinspiradores@outlook.pt.



Raúl Peixoto, com 24 anos, é natural de Tamel Santa Leocádia, Barcelos.

É Licenciado em Gestão pelo Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) e o seu percurso académico fica marcado pelo envolvimento no associativismo, criando várias iniciativas e eventos diferenciadores, ligados à aproximação dos alunos ao mercado de trabalho. Foi, também, fundador da Associação de Gestão IPVC, que foi a primeira associação de um curso do Instituto.

Atualmente, é cofundador e CFO da B&BI, uma agência de marketing de influência, fundador da Royal Network, consultor da marca I Have The Power e fundador de um grupo empresarial de jovens empreendedores chamado Ana.Vi Group.

Um jovem dinâmico e empreendedor, o Raúl é um apaixonado pela vida!



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

O meu nome é Raúl Peixoto, tenho 24 anos, e vivo numa pequena freguesia de Barcelos, chamada Tamel Santa Leocádia.

Com o passar dos anos, percebi que me sentia muito desconfortável quando não sabia conversar acerca de algum assunto sobre o qual era abordado. Essa intolerância à ignorância fez-me investir naquela que, hoje em dia, considero ser a minha maior paixão: o conhecimento.

Quando descobri o poder do conhecimento, uma das coisas que percebi é que os sonhos se tornam realidade e que eu também poderia sonhar.

Hoje, sou um sonhador, uma pessoa que não aceita menos do que aquilo que nasceu para ser. E todos nascemos para ter êxito na vida! Sou uma pessoa motivada, que gosta de ajudar a despertar o melhor que existe nas outras pessoas. Gosto de gerar oportunidades, adoro ação e detesto estagnação. Sou persistente, não desisto dos meus sonhos, nem dos que caminham a meu lado!

Gosto de estar com pessoas interessantes, de ouvir histórias de sucesso, conhecer pessoas que fazem coisas grandiosas e que não têm medo de arriscar! Sou muito positivo, focado em soluções para os desafios que surgem.

Sou católico, muito crente, com grande ligação a Deus.

O que fazes é uma extensão de quem és e do teu propósito de vida?

O que eu faço no meu dia a dia está completamente alinhado com o que pretendo atingir no meu futuro. Considero que sou uma pessoa abençoada, por a vida ter colocado as pessoas certas no meu caminho e eu ter tido a capacidade de aproveitar as oportunidades de me manter junto dessas pessoas. Sou um abençoado também por ter crescido com exemplos de persistência, que fazem com que tenha a força necessária para superar os desafios que a vida me coloca. Hoje, considero que o meu maior segredo é ter ao meu lado pessoas que estimulam a minha vontade de vencer e de sonhar cada vez mais.

Dedico a minha vida a projetos próprios, cada um com o seu propósito bem definido. Gostamos de adicionar valor e, por isso mesmo, todos os projetos em que estou incluído marcam pela sua diferença.

Sou diretor financeiro e comercial da B&BI, agência de marketing de influência que fundámos em 2019 e que evolui a cada semana que passa. Sou fundador da Royal Network, um projeto na indústria de Network Marketing, altamente diferenciador no mercado em que atua, em que estamos a implementar uma forma muito especial e disruptiva de estar nos negócios. Sou consultor numa empresa de excelência pessoal, chamada I Have The Power, onde treinamos pessoas para o êxito através de ferramentas que permitem que as pessoas descubram o melhor de si mesmas e, com isso, atinjam melhores resultados nas suas vidas. E estou a criar, em conjunto com um grupo de jovens empreendedores, o Ana.Vi Group, um grupo empresarial que tem como visão demonstrar que mentes jovens podem mudar o mundo.

Tudo o que faço tem uma coisa em comum: as pessoas. São projetos com valores fortes, com propósitos profundos e com um enorme sentido de missão incutido.

Acredito que temos a responsabilidade de deixar uma marca no mundo, para que o possamos deixar um pouco melhor e, por isso mesmo, o meu papel é deixar um legado para as pessoas que ficam, poderem ter o exemplo de alguém que sonhou e que tornou os seus sonhos realidade, contribuindo para o bem de todos.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Se tivesse a atenção do mundo, simultaneamente, durante 5 minutos, teria que estudar todas as palavras que iria dizer e a forma como diria para que cada milésimo de segundo pudesse ser aproveitado e a mensagem fosse passada em todos os momentos, porque quem comunica para o mundo em simultâneo tem responsabilidade naquilo que diz e faz, e as suas palavras têm consequências. E vendo as coisas da perspetiva que vou expor, é muito próximo daquilo que acontece hoje em dia, sem nos apercebermos. Nos dias de hoje, já comunicamos para todo o mundo, digitalmente. E, sem termos noção disso, somos exemplos para algumas pessoas que seguem aquilo que fazemos. Uma boa reflexão para percebermos aquilo que estamos a comunicar diariamente com quem se cruza connosco.

Por isso mesmo, a mensagem que passaria nesses 5 minutos seria um apelo a que as pessoas parassem para refletir na situação atual em que se encontram. Perceberem se estão realizadas com o que são, com o fazem e com o que têm. Se não estiverem, que reflitam no que estão a fazer, pois alguma coisa não estão a fazer certo para gerar os resultados que procuram. Quando perceberem o que estão a fazer errado na sua forma de pensar e de agir, alterem os seus comportamentos, em função dos seus sonhos e objetivos. E que sejam persistentes no caminho que definiram para si próprios.

Um limoeiro dará sempre limões por muito que retire o fruto da árvore. A menos que mude a semente, os frutos serão sempre os mesmos.

O que semeamos é aquilo que colhemos, portanto, se queremos resultados diferentes, devemos fazer coisas diferentes.

Qual foi o acontecimento que mais te marcou até hoje?

Pensei algum tempo sobre esta questão, e, muito francamente, não consigo especificar um único momento que tenha sido mais marcante no meu percurso. Olhando para tudo aquilo que me aconteceu até hoje, foram tantos os momentos que me marcaram, de tantas formas diferentes, que todos eles foram demasiadamente importantes para que possa especificar apenas um. Desde pessoas magníficas com quem partilhei grandes experiências, formações que frequentei que mudaram o rumo da minha vida, livros apaixonantes que fizeram com que alterasse a forma de me comportar, pessoas que conheci que são extremamente importantes no meu caminho, experiências absolutamente incríveis que tive, aventuras emocionantes, e continuaria…Sou muito grato por tudo aquilo que me acontece em todos os momentos.

Curiosidades do Convidado

Qual é o teu livro preferido? E o teu filme?

O meu livro favorito é o “Como fazer amigos e influenciar pessoas”, de Dale Carnegie, um livro que muda perspetivas sobre a forma como lidamos com os outros.

O meu filme favorito é o “Lobo de Wall Street”, uma história real de uma pessoa que não desiste do caminho do sucesso. Percorre maus caminhos, mas termina utilizando o conhecimento para o bem.

Qual foi a viagem que mais te marcou?

Ainda não sou uma pessoa que colecionou um grande leque de viagens, contudo, destacaria a que estou a fazer neste preciso momento. Estou a escrever a partir de Barcelona, onde estou a participar num seminário de T. Harv Eker, onde estou a aprender como as pessoas mais ricas do mundo lidam com o dinheiro e olham para o dinheiro. Está a ser fantástico!

Que viagem de sonho ainda pretendes realizar?

Irei fazer, em breve, a famosa viagem à Índia e vivenciar a cultura do país.

Qual é a tua atividade de tempo livre preferida?

A atividade que mais gosto de fazer nos meus tempos livres é aprender, seja em seminários ou livros.

Qual é a tua maior habilidade?

Considero que uma das minhas maiores habilidades é fazer boas perguntas.

O que seria para ti um dia perfeito?

Seria um dia em que conciliaria um local fantástico, de preferência, entre a natureza, com os meus amigos, a minha família, atividades em que nos divertimos em conjunto, e boa comida e bebida para todos ao mesmo tempo que partilhamos histórias entre nós.

Diz-nos um barcelense e um não barcelense que te inspirem e porquê.

Relativamente ao barcelense que me inspira, terei que mencionar duas pessoas, uma com quem convivo de perto e outra que acompanho nos “bastidores”. Uma das pessoas que mais me inspira é o meu pai. Trabalha muito e tem a capacidade de manter um espírito positivo e a força de incentivar a sua família a lutar pelo melhor, e concretizar os seus sonhos. Uma fonte de motivação e de confiança para a sua família!

O segundo barcelense que é, para mim, uma inspiração é o Jorginho “Turismo”, como é conhecido. Uma pessoa que pensa em grande, vai em busca dos seus sonhos e comunica ao mundo sem receio algum. Causa impacto pela sua criatividade e autenticidade. Uma referência para os sonhadores da nossa cidade!

Relativamente ao não barcelense, mencionaria alguns nomes que me deixam fascinado sempre que vejo algum vídeo deles, ou leio algo que escreveram: Steve Jobs, Bill Gates, Jim Rohn, Elon Musk, Mark Zuckerberg, Adelino Cunha, Nelson Mandela, Jack Ma, Jeff Bezos, Simon Sinek, Napoleon Hill, Dale Carnegie. São mentes que marcam o mundo, criaram algo diferente, são exemplos de sucesso, e que me inspiram diariamente.

Pergunta mistério do convidado da semana anterior, António Godinho.

Se pudesses inventar algo espetacular ou fazer uma descoberta incrível, que invento ou descoberta seriam?

Gostava de inventar algo que terminasse com a falta de acesso a água potável de alguns povos no mundo. Sensibiliza-me o facto de haver locais no mundo em que as crianças não têm acesso a água potável e, por isso mesmo, têm que percorrer quilómetros diariamente para recolherem a água para si e para as suas famílias. Para o fazerem, têm que abdicar de ir às aulas e, ao fazerem o percurso carregando os garrafões de água, ganham problemas nas costas. Ao consumirem a água que foram recolher, ganham várias doenças, porque a água não é potável. É um ciclo de morte assustador e que, se conseguisse ter um estalar de dedos mágico que fizesse com que esse problema acabasse, sentir-me-ia realizado ao utilizá-lo!

Uma mensagem* inspiradora…

Para o caro leitor do jornal e desta rubrica gostava de lhe dar os parabéns!! Leu a entrevista até ao fim, significa que concretiza as coisas que começa! Uma larga percentagem das pessoas que iniciam as coisas, desistem a meio ou não as leva até ao fim, por isso, significa que tem algo de especial em si!

Utilize essa sua capacidade em função dos seus sonhos e estou certo de que coisas muito boas irão acontecer para si e para as pessoas que gostam de si.

É nos momentos de decisão que o seu destino é traçado.

Tony Robbins

* Nota: Mensagem em latim significa mens agitat molem, ou seja, “o espírito agita a matéria”.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*. (* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Barcelenses Inspiradores: António Godinho

Março 7, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Entrevistas, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

António Godinho, pianista e artista barcelense, é o convidado desta semana.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o e-mail: barcelensesinspiradores@outlook.pt.



António Godinho nasceu em Oliveira de Azeméis, em 1955, numa família conservadora de classe média.

Fez o ensino primário e secundário nesta cidade e, posteriormente, na Universidade de Coimbra e Porto, onde frequentou o curso de Engenharia Mecânica, que não concluiu. Está radicado em Barcelos, desde agosto de 2013.

Iniciou os estudos de piano aos 5 anos de idade em S. João da Madeira, com a Profª Marília Rocha, docente do Conservatório de Música do Porto.

Fez o Curso Geral de Solfejo e 3º Ano de Piano e, aos 19 anos, formou a primeira banda. Foi nessa altura que conheceu o órgão Hammond, para si, o instrumento de teclas mais fantástico e exigente que conhece.

Experimentou a música eletrónica com o MiniMoog D e, por último, o piano elétrico Rhodes 73 Mk1, instrumento que manteve durante mais de 30 anos.

Entretanto, a vida familiar e profissional afastou-o da música durante várias décadas.

A partir da mudança para Barcelos, no verão de 2013, a música passou, de novo, para primeiro plano.

Participou em vários projetos musicais, tendo tocado na Feira do Livro de Barcelos, no Teatro Gil Vicente, na Casa das Artes de Arcos de Valdevez, entre outros locais. Como solista, tem tocado no auditório da Biblioteca Municipal de Barcelos e no Salão Nobre da Câmara Municipal, a convite da autarquia.

Mas, não é só a música que o move, tem também uma profunda ligação com a aviação.

Os aviões sempre despertaram em si um fascínio, o sonho enquanto jovem era ingressar na Academia da Força Aérea Portuguesa e tornar-se piloto de caça, o que acabou por não acontecer, devido à enorme pressão familiar. O desejo de pilotar concretizou-se em 2009, quando foi aprovado no exame de piloto de planador, após curso de pilotagem que decorreu em vários aeródromos do país.

Por fim, há algo transversal a tudo isso, outra paixão que tem na sua vida, a fotografia.

Aprendeu os rudimentos e os conceitos básicos da fotografia quando residiu no Rio de Janeiro (1975/76), com um fotógrafo profissional amigo dos tios. 45 anos volvidos e muitos cliques depois, essa informação continua presente e fundamental na forma como fotografa. Embora não considere um objetivo, um dia gostaria de fazer uma exposição.

Foi casado e tem duas filhas de 24 e 22 anos.



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

Basicamente, defino-me como um sonhador, alguém que encontrou sentido para a vida ajudando outros. Uma pessoa que encontrou em Deus e na Bíblia Sagrada uma esperança renovada. Vejo-me como um seguidor de Jesus Cristo. Há também algo muito importante que marca a minha vida: a música.

O que fazes é uma extensão de quem és e do teu propósito de vida?

Absolutamente, cada vez mais.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Não saberia o que dizer e muito menos o que fazer.

Qual foi o acontecimento que mais te marcou até hoje?

Indiscutivelmente, a Guerra dos Seis Dias, em 1967. Fui acompanhando os relatos deste conflito e a subsequente vitória dos israelitas sobre os seus vizinhos árabes.

O meu interesse por Israel começou nessa altura e nunca mais parou de crescer, sou amigo e defensor incondicional deste país/povo eleito por Deus.

Curiosidades do Convidado

Qual é o teu livro preferido? E o teu filme?

Livro preferido: Bíblia Sagrada. Leitura diária e único livro na mesa de cabeceira.

Filme preferido: Top Gun.

Qual foi a viagem que mais te marcou?

Participação nas Tall Ship Races, em 1980.

Que viagem de sonho ainda pretendes realizar?

Tenho duas:

Visitar Israel, conhecer os lugares santos e, eventualmente, fazer algum trabalho voluntário.

Viajar de carro pela Escócia, acompanhado por alguém muito especial.

Qual é a tua atividade de tempo livre preferida?

Ouvir música.

Qual é a tua maior habilidade?

Tocar piano.

Tocar Piano, Um Desafio Permanente

O que seria para ti um dia perfeito?

Não há dias perfeitos.

Diz-nos um barcelense e um não barcelense que te inspirem e porquê.

Um barcelense inspirador? Infelizmente, estou cá há pouco tempo, por isso, não sei se conseguiria apontar um nome que fosse, como dizes, inspirador para mim.

Não Barcelense: Vários! Mas há um que se destaca absolutamente de todos os outros, o Senhor Jesus Cristo.

Pergunta mistério do convidado da semana anterior, Armindo Cerqueira.

Imagine que lhe chega a notícia de que um grande meteorito vai chocar, irreversivelmente, com a Terra dentro de 5 minutos. Qual a primeira coisa que fará?

Continuaria a fazer o que estava até esse momento.

Uma mensagem* inspiradora…

Nunca desistas dos teus sonhos.

* Nota: Mensagem em latim significa mens agitat molem, ou seja, “o espírito agita a matéria”.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Barcelenses Inspiradores: Armindo Cerqueira

Fevereiro 28, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Entrevistas, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Esta semana inspire-se com a visão de mundo do artista Armindo Cerqueira.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o e-mail: barcelensesinspiradores@outlook.pt.



Armindo Cerqueira, ator, encenador, declamador, animador e formador em teatro, com especialidade na área da voz.

Nasceu na Vila de Prado, Vila Verde, em 1946. Com 5 anos, foi para Braga, cidade onde completou o curso do Liceu e recebeu formação dramática no Centro Académico. Com outros estudantes fundou, em 1964, a Organização Literária e Artística de Braga, na qual dirigiu o departamento de teatro. Encenou vários espetáculos e representou em muitas peças de teatro. Foi ator e encenador em “A Capoeira”, Companhia de Teatro de Barcelos. Recita poesia desde os 12 anos. Contabilista de profissão, decidiu, no ano 2000, dedicar-se apenas ao ofício de ator e encenador. Foi animador sociocultural na Biblioteca Municipal de Barcelos, onde desenvolveu projetos de teatro, poesia e animação para a infância e adultos. 

Atuou em três telenovelas e duas séries de televisão, e num filme de publicidade para a TV da Madeira e Açores. No que respeita ao cinema, atuou, desde 2002, em três filmes de curta-metragem e figurou no filme “Vanitas”, de Paulo Rocha.

Atualmente, trabalha em regime livre, quer como ator, declamador e encenador, quer como formador. Tem boa experiência em animação para crianças do 1º ciclo, para quem realiza horas do conto, declamações de poesia e representações que encena pessoalmente. Para adultos, tem disponíveis os monólogos “Os Malefícios do Tabaco”, de Anton Tchekhov, “O Ramo de Flores” e “O Sermão de Refoios”, ambos de sua autoria, qualquer deles com a duração aproximada de 25 minutos. Escreve teatro, até à presente data escreveu sete peças, sendo monólogos duas delas. Foram todas representadas.



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

Sou um produto do Universo. Sou realidade nascida de sonhos e ainda mantenho sonhos para criar novas realidades. Sou muito sensível, acredito que o nosso mundo terrestre terá, um qualquer dia, Paz, Harmonia, Amor, Liberdade e Igualdade. Tive a minha profissão, ligada à economia, mas a minha paixão são as artes. Por essa razão, AINDA sou ator de teatro, e não só; encenador, formador em voz falada, dramaturgo, poeta, declamador, e agora deu-me para cantar. Sou sincero, amigo, e gosto de sossego.

O que fazes é uma extensão de quem és e do teu propósito de vida?

Sim, é. Mesmo durante o tempo em que fui profissional dos números, tive sempre momentos devotados ao teatro e à poesia, seja declamada ou escrita. Quando estive em Moçambique, como oficial miliciano, durante a guerra colonial, encenei um espetáculo de variedades, que fez alguma digressão por companhias da zona de combates.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Pediria a Paz, mais Amor, mais respeito, mais liberdade, igualdade e exortaria a que fossem desativadas todas as armas de destruição, sobretudo, o arsenal nuclear.

Qual foi o acontecimento que mais te marcou até hoje?

O regresso, com vida, da guerra colonial. E o 25 de Abril de 1974.

Curiosidades do Convidado 

Qual é o teu livro preferido? E o teu filme?

A obra poética de Fernando Pessoa e de Luís de Camões.

O filme “A Vida é Bela”.

Qual foi a viagem que mais te marcou?

A viagem de barco, de regresso de Moçambique, em 1970.

Que viagem de sonho ainda pretendes realizar?

Um cruzeiro pelo Mediterrâneo.

Qual é a tua atividade de tempo livre preferida?

Ler, investigar sobre espiritualidade, cantar, ir sossegar-me junto ao mar.

Qual é a tua maior habilidade?

Ser ator.

O que seria para ti um dia perfeito?

Um dia de sol, temperatura amena, sossego, em boa companhia, ouvindo o mar, ou um rio, ou a brisa agitando brandamente as árvores no bosque.

Diz-nos um barcelense e um não barcelense que te inspirem e porquê.

Normalmente, a minha inspiração não advém de humanos, mas do Infinito.

Não reporto nenhum barcelense. Admiro vários, ligados às artes, mas nenhum me inspirou. Figuras mundiais que muito me marcaram foram Mahatma Gandhi e Nelson Mandela. Das artes, posso citar Cervantes, Pablo Neruda, Garcia Lorca, Fernando Pessoa, Camões, Vinícius de Morais, Sophia de Mello Breyner, Salvador Dali e outros.

Pergunta mistério do convidado da semana anterior, Fátima Miranda.

O que fizeste, até agora, para cumprir o teu sonho?

Transformei o sonho em realidade, com trabalho, dedicação, persistência, desviando do meu caminho todos os obstáculos que porventura me impedissem a concretização dos meus objetivos.

Uma mensagem* inspiradora…

Para amares alguém de verdade, ama-te primeiro a ti mesmo.

Antes de quereres mudar o Mundo, muda-te primeiro a ti.

Nunca estás só enquanto estiveres no teu próprio colo.

A realidade não é aquilo que vês, mas o que tu constróis.

* Nota: Mensagem em latim significa mens agitat molem, ou seja, “o espírito agita a matéria”.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Barcelenses Inspiradores: Fátima Miranda

Fevereiro 22, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Entrevistas, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

A artista barcelense Fátima Miranda dá-nos a conhecer a sua história.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o e-mail: barcelensesinspiradores@outlook.pt.

Nesta 2ª edição, temos várias novidades, entre elas, na entrevista, que conta com novas perguntas e secções, com uma pergunta mistério do convidado da semana anterior e, ainda, uma grande surpresa.

Esta rubrica foi um dos projetos pré-selecionados pelo Orçamento Participativo da Câmara Municipal de Barcelos com o título “Barcelenses Inspiradores – do papel para o palco”. Para saber mais detalhes, aceda a este link: https://participe.cm-barcelos.pt/projetos/opb-ref-06-2019/.



Fátima Miranda nasceu a 17 de fevereiro de 1957, em Barcelos.

Durante a sua vida teve somente dois empregos: trabalhou numa fábrica de malas de senhora e como modelista na Petit Patapon.

Após a sua saída da vida ativa profissional, finalmente, pôde dedicar-se à sua Arte.

A pintura e a escultura em pasta de papel são as suas manifestações artísticas de eleição e o que, ao mesmo tempo, lhe dão ânimo para seguir em frente.

Com várias exposições individuais e coletivas, recebeu o Prémio Inovação do Artesanato Barcelense 2018.



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

Sou uma pessoa sincera e muito sensível a tudo o que me rodeia, fazendo aquilo que gosto para ser feliz.

O que fazes é uma extensão de quem és e do teu propósito de vida?  

O meu propósito de vida foi sempre ir ao encontro da Arte. Na busca da Arte sempre procurei empregos que estivessem ligados à criação e ao desenho. Como tal, criei modelos de malas de senhora e também fui modelista da Petit Patapon, um trabalho com muita criatividade e responsabilidade, onde me sentia realizada.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Se pudesse mudar o mundo, gostaria que as pessoas fossem mais sensíveis umas com as outras e ver a riqueza mais bem distribuída. Em última instância, apelaria à Paz. Espero que a minha Arte seja inspiradora e traga boas emoções às pessoas.

Qual foi o acontecimento que mais te marcou até hoje?

O nascimento das minhas duas filhas foram os momentos mais marcantes da minha vida. Por outro lado, marcou-me muito a morte da minha avó, com cem anos, pessoa muito sábia e que muito contribuiu para a minha formação como pessoa.

Curiosidades do Convidado  

Qual é o teu livro preferido? E o teu filme?

Nunca tive muito tempo para ler, mas o filme que mais me marcou foi o “Titanic”.

Qual foi a viagem que mais te marcou?

A viagem que mais me marcou foi a Veneza.

Que viagem de sonho ainda pretendes realizar?

Queria muito ir às Maldivas. Penso que será a minha próxima viagem.

Qual é a tua atividade de tempo livre preferida?

A minha Arte.

Qual é a tua maior habilidade?

Tudo o que está relacionado com trabalhos manuais, bordar, crochê, tricô, pintura, escultura e artesanato.

O que seria para ti um dia perfeito?

Passado junto ao mar com os meus netos e o meu marido.

Diz-nos um barcelense e um não barcelense que te inspirem e porquê.

Barcelense –  Rosa Ramalho: gosto muito da arte dela.

Não barcelense – Amália: a minha diva do fado.

Pergunta mistério do convidado da semana anterior – Mariana Machado Ballester

Correria 24 horas?

Acho que 24 horas é demasiado. Como não posso correr, faço caminhadas.

Uma mensagem* inspiradora…

Nunca é tarde para realizarmos os nossos sonhos: o meu sonho de menina era ser pintora, e realizei-o aos cinquenta anos.

* Nota: Mensagem em latim significa mens agitat molem, ou seja, “o espírito agita a matéria”.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Fotos: DR.

Barcelenses Inspiradores – Mariana Machado Ballester

Fevereiro 15, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Entrevistas, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Esta semana é a vez de conhecermos a atleta barcelense Mariana Machado Ballester.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o e-mail: barcelensesinspiradores@outlook.pt.

Nesta 2ª edição, temos várias novidades, entre elas, na entrevista, que conta com novas perguntas e secções, com uma pergunta mistério do convidado da semana anterior e, ainda, uma grande surpresa.

Esta rubrica foi um dos projetos selecionados pelo Orçamento Participativo da Câmara Municipal de Barcelos com o título “Barcelenses Inspiradores – do papel para o palco”. Para saber mais detalhes, aceda a este link: https://participe.cm-barcelos.pt/projetos/opb-ref-06-2019/.

Este projeto será sujeito a votação, por isso, para nos apoiar, finda a fase de inscrições através da plataforma online (terminou a 31 de janeiro), segue-se agora o período de votação online de 7 a 21 de fevereiro. O seu voto conta, o seu voto torna real o nosso projeto. Entre na plataforma online do Orçamento para mais informações: https://participe.cm-barcelos.pt/.

Desde já, agradecemos a sua participação e divulgação!



Mariana Machado Ballester nasceu a 22 de maio de 1989, em Massarelos – Porto. Vive há 30 anos em Barcelinhos – Barcelos.

Nesta cidade, foi escuteira e estudou até ao 12º ano. Posteriormente, mudou-se para Barcelos, onde vive atualmente.

Licenciada em Serviço Social, especializada em Crime, Diferença e Desigualdade e em Doenças Degenerativas e Desmielinizantes.

Atualmente, trabalha como Assistente Social na Santa Casa da Misericórdia de Vila Verde.

Pertence ao Rotary Club de Barcelos.

Desde 2015, despertou o gosto pela corrida, fazendo corridas de montanha com preferência pelas longas distâncias.

É apaixonada pela natureza e pela cozinha. Não troca a sua família por nada.

Como diz o lema rotário: “Dar de si antes de pensar em si”.



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

Eu sou eu. 😉 Tenho um bom coração, gosto de ajudar, sou amiga do amigo. Em contrapartida, tenho mau feitio, 😉 Sou apaixonada pela minha família, adoro brincar com os tachos e panelas, e adoro fugir para a serra (onde encontrei o amor).

O que fazes é uma extensão de quem és e do teu propósito de vida?

Gosto daquilo que faço, foi a profissão que escolhi. Diariamente, quer profissionalmente, quer em alguns dos meus hobbies, faço o que me faz feliz. Tal como o lema rotário, cito: “Dar de si, antes de pensar em si”.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Gritava bem alto: “Sejam felizes”. Acho que as pessoas vivem muito focadas na vida alheia e esquecem-se de viver as suas próprias vidas.

Colocava também um sinal de STOP, bem grande, aos maus tratos (e não só às agressões físicas)!

Qual foi o acontecimento que mais te marcou até hoje?

O regresso a casa, “ao colinho da família”, depois de 6 meses a estudar no Brasil.

Curiosidades do Convidado

Qual é o teu livro preferido? E o teu filme?

Livro “Tatuador de Auschwitz”.

Filmes “Still Alice” e “Fuga das Galinhas”.

Qual foi a viagem que mais te marcou?

Marrocos.

Que viagem de sonho ainda pretendes realizar?

Índia.

Qual é a tua atividade de tempo livre preferida?

Correr no monte.

Qual é a tua maior habilidade?

Cozinhar e comer. 😉

O que seria para ti um dia perfeito?

Correr por montes e vales e terminar à mesa com a família reunida. 🙂

Diz-nos um barcelense e um não barcelense que te inspirem e porquê.

Barcelense: Renata Gomes, que levou o nome de Barcelos bem longe. Investiu o seu tempo em prol da saúde. E elevou o nível da Medicina!

Não Barcelense: Angelina Jolie, por todo o seu empenho e entrega em causas humanitárias!

Pergunta mistério do convidado da semana anterior – Joana Luísa Matos

Se pudesses ser Presidente da República por uma semana quais seriam as tuas prioridades?

Acabar com a pobreza;

Medidas de apoio à Natalidade e à 3ª Idade;

Oportunidades de trabalho e progressão na carreira para os jovens;

Maior e melhor aproveitamento das oportunidades que Portugal tem.

Uma mensagem* inspiradora…

Nunca desistam de tentar!

* Nota: Mensagem em latim significa mens agitat molem, ou seja, “o espírito agita a matéria”.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Fotos: DR.

Barcelenses Inspiradores: Joana Luísa Matos

Fevereiro 7, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Entrevistas, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Apresentamos a multifacetada Joana Luísa Matos. Desde a área da saúde, passando pelas letras e artes, a barcelense desta semana abre-nos algumas páginas do livro da sua vida.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o e-mail: barcelensesinspiradores@outlook.pt.

Nesta 2ª edição, temos várias novidades, entre elas, na entrevista, que conta com novas perguntas e secções, com uma pergunta mistério do convidado da semana anterior e, ainda, uma grande surpresa.

Esta rubrica foi um dos projetos selecionados pelo Orçamento Participativo da Câmara Municipal de Barcelos com o título “Barcelenses Inspiradores – do papel para o palco”. Para saber mais detalhes, aceda a este link: https://participe.cm-barcelos.pt/projetos/opb-ref-06-2019/.

Este projeto será sujeito a votação, por isso, para nos apoiar, finda a fase de inscrições através da plataforma online (terminou a 31 de janeiro), segue-se agora o período de votação online de 7 a 21 de fevereiro. O seu voto conta, o seu voto torna real o nosso projeto. Entre na plataforma online do Orçamento para mais informações: https://participe.cm-barcelos.pt/ .

Desde já, agradecemos a sua participação e divulgação!



Joana Luísa Matos nasceu a 25 de novembro de 1973 em Barcelos. Licenciou-se em Medicina Dentária, em 1997, na Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto, com pós-graduações nas áreas de Ortodontia, Oclusão e Ortopedia Funcional dos Maxilares.

Cedo despertou para o mundo das artes, com incursão pela poesia, tendo publicado, em 1993, o seu primeiro livro.

No ano 2000, participou na “Antologia dos Jovens Poetas do Baixo Minho”. No ano 2004, iniciou-se nas artes de dizer poesia, do teatro e do canto, tendo participado em várias peças de teatro e em espetáculos poético-musicais.

Foi Vice-Presidente e fundadora da “Associação D’Improviso – Artes do Espetáculo”.

Publicou, em 2015, o seu primeiro conto infantil, “As Cinco Ânforas de Ouro”, pela Editora OPERA OMNIA.

Também pela editora OPERA OMNIA, publicou o primeiro e o segundo volume da coleção “Raimundo canta Barcelos”, respetivamente, em 2018 e 2019. É uma coleção que pretende contar, em quatro volumes e através da personagem do Galo Raimundo, a história da cidade de Barcelos aos mais pequenos. Esta coleção conta com o apoio da Câmara Municipal de Barcelos.



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

Considero-me uma apaixonada pela vida. Apaixonada pelo meu trabalho, pelas minhas atividades extraprofissionais e, sobretudo, pelo conhecimento. Sou curiosa, os mistérios da vida são altamente sedutores. Daí gostar muito de estudar, de ler, de escrever…

Mas, acima de tudo, procuro muito o autoconhecimento. Acho o autoconhecimento uma chave preciosa para a resolução de muitos factos na nossa vida.

Procuro melhorar todos os dias e agradeço sempre o presente que é a vida.

O que fazes é uma extensão de quem és e do teu propósito de vida?

Sem dúvida que é! Felizmente.

Profissionalmente, faço o que gosto. Além disso, tenho uma atividade que me permite estar próxima das pessoas e ajudá-las a melhorarem as suas vidas.

Tenho o privilégio da escrita, do canto e da declamação poética preencherem a minha vida com a riqueza que só a arte traz.

Tudo isto me incentiva à busca incessante da minha identidade. Portanto, não tenho dúvidas de que o que faço é uma extensão do meu projeto de vida.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Como disse Helen Keller: “Prefiro ser cega, a ver não tendo visão.” Diria às pessoas para procurarem conhecer-se melhor. Conhecer as suas virtudes e os seus defeitos. Talvez assim possam ser mais sábias, mais tolerantes e mais humanas. Tudo ficaria mais limpo, mais justo. E, muito provavelmente, os líderes mundiais aprenderiam a gerir com a razão e a liderar com o coração.

Qual foi o acontecimento que mais te marcou até hoje?

O acontecimento que mais me marcou e que me permitiu ter a maior e a melhor mudança na minha vida é algo muito pessoal e que eu não posso revelar. Apenas posso dizer que o lema desse acontecimento está escrito numa das paredes da minha clínica e cito: “Ser livre é ser autêntico.”

Curiosidades do Convidado  

Qual é o teu livro preferido? E o teu filme?

Sou apaixonada por livros! São tantos e tão bons…

Mas há três aos quais eu regresso sempre:

O Livro do Desassossego”, de Fernando Pessoa;

A Sabedoria da Natureza”, de Roberto Otsu;

O Principezinho”, de Saint-Exupéry.

Filme? Também não consigo dizer apenas um:

A Lista de Schindler”; “Breakfast at Tifanny´s”; “A Vida de Brian”.

Qual foi a viagem que mais te marcou?

Açores – sempre que lá volto, trago algo de novo.

Roma – a cidade eterna, eternizada na minha memória.

Que viagem de sonho ainda pretendes realizar?

Japão – cultura que instiga a minha curiosidade.

Qual é a tua atividade de tempo livre preferida?

Ler, escrever, ouvir música, caminhar, viajar e namorar muito…

Qual é a tua maior habilidade?

A declamação poética e o canto.

O que seria para ti um dia perfeito?

Acho que nós temos a obrigação de fazer dos nossos dias, dias perfeitos. Seja no trabalho ou nas nossas relações pessoais, se formos honestos, leais e esforçados, temos meio caminho andado para que tudo corra bem.

Mas, para ser um dia perfeito, ter os meus entes queridos perto de mim, basta! Para ser mais do que perfeito, é ter um final de tarde com o meu amor e o mar!

Diz-nos um barcelense e um não barcelense que te inspirem e porquê.

Sem a menor sombra de dúvida, o barcelense que escolho é o meu querido tio, já desaparecido, o escritor Fernando Lopes. Abriu-me as portas para a arte, para os livros e, consequentemente, para esta sede de conhecimento que é a chama da minha vida.

Um não barcelense, escolho o Professor Hélio Venâncio, ortodontista, uma das pouquíssimas pessoas que sigo nas redes sociais. Um estímulo e um incentivo a esta minha paixão que é a Ortodontia e a Ortopedia Funcional dos Maxilares.

Pergunta mistério do convidado da semana anterior, Albino Miranda:

Tens algum sonho por realizar? Se sim, o que te falta fazer para o concretizar?

Citando Bernardo Soares: “Eu tenho uma espécie de dever, de dever de sonhar, sonhar sempre…”. Revejo-me neste pequeno texto do Livro do Desassossego. Enquanto a vida me chamar continuarei a venerá-la com a minha alegria, gratidão e amor por mim e pelo próximo. Sonho poder continuar a lutar por ser um ser humano melhor, ver a minha clínica crescer, fazer mais cursos, escrever mais livros, abraçar muito os meus pais, o meu amor, os meus amigos… enfim…

Olhar-me no espelho e poder dizer: –Valeu a pena!

Uma mensagem* inspiradora…

“Há que dar início a tudo o que podemos fazer ou sonhamos fazer. A audácia é genial, mágica e poderosa.”

Johann von Goethe

Não deixem para amanhã o que devem começar hoje. Os vossos sonhos começam agora. É acreditar e pôr mãos à obra.

* Nota: Mensagem em latim significa mens agitat molem, ou seja, “o espírito agita a matéria”.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Fotos: DR.

Barcelenses Inspiradores: Albino Miranda

Fevereiro 1, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Entrevistas, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

O convidado desta semana dispensa apresentações. O seu trabalho destaca-se, nacional e internacionalmente. Falamos do artista Albino Miranda.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o e-mail: barcelensesinspiradores@outlook.pt.

Nesta 2ª edição, temos várias novidades, entre elas, na entrevista, que conta com novas perguntas e secções, com uma pergunta mistério do convidado da semana anterior e, ainda, uma grande surpresa.

Esta rubrica foi um dos projetos selecionados pelo Orçamento Participativo da Câmara Municipal de Barcelos com o título “Barcelenses Inspiradores – do papel para o palco”. Para saber mais detalhes, aceda a este link: https://participe.cm-barcelos.pt/projetos/opb-ref-06-2019/.

Este projeto será sujeito a votação, por isso, para nos apoiar, finda a fase de inscrições através da plataforma online (terminou a 31 de janeiro), segue-se agora o período de votação online de 7 a 21 de fevereiro. Entre na plataforma online do Orçamento para mais informações: https://participe.cm-barcelos.pt/.

Desde já, agradecemos a sua participação e divulgação!



Nascido em 1967, Albino Miranda é um artista barcelense que, desde cedo, se fez destacar pela sua criatividade e aptidão para o mundo das artes. Vocacionado para a criação de esculturas, Albino acumulou experiência no ramo da cerâmica, e é na década de 90 que decide lançar-se por conta própria para assim ganhar asas na sua eterna aptidão.

Atualmente, Albino é o fundador da Albino Miranda Lda., empresa que se insere no setor decorativo, criando e desenvolvendo mobiliário personalizado e exclusivo, bem como esculturas da sua autoria. Conta já com quase 30 anos de experiência, escoltada por uma equipa de 36 profissionais responsáveis.

Consegue, neste momento, abraçar grandes projetos, tanto a nível nacional como internacional, e as suas marcas (KARPA e GANSK) estão já representadas em cerca de 25 países espalhados por todo mundo.



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

Diria que sou um privilegiado, porque faço exatamente o que mais gosto a nível profissional. Sou sensível às atitudes das pessoas e incapaz de trair em quem em mim confia. Sou também uma pessoa verdadeira e digo aquilo que penso com frontalidade.

O que fazes é uma extensão de quem és e do teu propósito de vida?

Sem dúvida, toda a minha vida foi dedicada à área criativa, que é o que sempre quis fazer. No entanto, hoje tenho a obrigação de gerir uma empresa, devido ao seu crescimento, trabalhando para profissionais de decoração por todo o mundo.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Diria que vale a pena sermos verdadeiros e lutar pelos nossos sonhos. Espero que as minhas obras tragam boas emoções a quem as vê.

Qual foi o acontecimento que mais te marcou até hoje?

Vários acontecimentos marcaram a minha vida, mas, nomeando apenas um, foi, claro, o nascimento dos meus filhos.

Curiosidades do Convidado

Qual é o teu livro preferido? E o teu filme?

Livro: “O monge que vendeu o seu Ferrari“, de Robin Sharma;

Filme: “Rambo”.

Qual foi a viagem que mais te marcou?

Viagem a Roma (Visita ao Vaticano).

Que viagem de sonho ainda pretendes realizar?

Uma viagem sem destino nem compromisso.

Qual é a tua atividade de tempo livre preferida?

Passeios de bicicleta pela Natureza.

Qual é a tua maior habilidade?

Artes manuais.

O que seria para ti um dia perfeito?

Um dia perfeito para mim é quando consigo cumprir todos os objetivos que tenho para esse dia.

Diz-nos um barcelense e um não barcelense que te inspirem e porquê.

Qualquer barcelense me inspira se for pessoa de bem, que lute pelos seus sonhos sem passar por cima de ninguém.

Não barcelense, Gaudí, foi na arquitetura um grande inspirador pelo seu trabalho arrojado, sendo a sua obra muito criticada na altura. Hoje é, no entanto, para ver o seu trabalho que milhares de pessoas se deslocam a Barcelona.

Pergunta mistério do convidado da semana anterior, João Macedo:

O que fizeste no teu passado para contornar as dificuldades que sentiste? O que te motivou e o que te levou a lutar sempre até ao fim?

O que fiz foi nunca desistir dos meus objetivos e uma vontade constante de criar algo único. Sabia que o caminho a percorrer seria longo, mas, ao mesmo tempo, estava a fazer algo que me dava imenso prazer.

Uma mensagem* inspiradora…

Nunca desistam dos vossos sonhos!

* Nota: Mensagem em latim significa mens agitat molem, ou seja, “o espírito agita a matéria”.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Barcelenses Inspiradores: João Macedo

Janeiro 25, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Entrevistas, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Esta semana, apresentamos João Macedo, um jovem barcelense com uma história de vida capaz de nos inspirar.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o e-mail: barcelensesinspiradores@outlook.pt.

Nesta 2ª edição, temos várias novidades, entre elas, na entrevista, que conta com novas perguntas e secções, com uma pergunta mistério do convidado da semana anterior e, ainda, uma grande surpresa.

Esta rubrica foi um dos projetos selecionados pelo Orçamento Participativo da Câmara Municipal de Barcelos com o título “Barcelenses Inspiradores – do papel para o palco”. Para saber mais detalhes, aceda a este link: https://participe.cm-barcelos.pt/projetos/opb-ref-06-2019/.

Este projeto será sujeito a votação, por isso, para nos apoiar, terá que se inscrever até 31 de janeiro na plataforma online, seguindo-se o período de votação online de 7 a 21 de fevereiro. Para esses procedimentos, entre e inscreva-se em https://participe.cm-barcelos.pt/inscricao-no-op-barcelos/.

Desde já, agradecemos a sua participação e divulgação!



João Macedo nasceu em Barcelos em 1994. Licenciado em Gestão Bancária e Seguros pelo Instituto Politécnico do Cávado e do Ave; recentemente, terminou o mestrado em Economia Monetária, Bancária e Financeira pela Universidade do Minho.

Em 2019, lançou o livro “Testa os teus limites”, que consiste numa autobiografia e numa espécie de Coaching motivacional.

Atualmente, trabalha como administrativo e auxiliar de Contabilidade numa empresa em Barcelos. Paralelamente, tem feito alguns eventos de promoção do livro, assim como presenças na FNAC de Braga, na Escola Secundária de Barcelos e num evento que houve na sua freguesia, Galegos Santa Maria.

Quando era jovem, foi escuteiro, pertenceu ao grupo de jovens, jogou futebol federado, durante 5 anos e meio, e foi árbitro de futebol, durante 9 anos.

Em 2011, quando frequentava o 12° ano, foi vítima de um acidente de moto, que culminou num traumatismo crânio encefálico grave, colocando-o em coma durante 3 semanas. Portanto, foi a partir daí que acabou por surgir a ideia do livro e o seu posterior lançamento, como forma de passar alguma motivação às pessoas, tendo em conta todo o seu processo de recuperação.



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

(Sorrisos)…

Bem, posso dizer que sou o João Macedo. Um jovem como tantos outros, ou talvez diferente… Mas fora de clichés, sou uma pessoa ambiciosa, que luta até ao fim pelos seus sonhos e sou amigo do meu amigo. Considero-me uma pessoa genuína, educada, e, essencialmente, uma pessoa persistente. Não sou capaz de passar por cima de ninguém para atingir os meus sonhos, preocupo-me e respeito muito o outro, mas quando tenho algum objetivo, faço tudo o que é possível para o atingir, afinal, impossíveis só existem na nossa cabeça. A prova disso é a minha história e aquilo que retrato no meu/no teu/no nosso “Testa os teus limites”.

Claro, além de todas estas características, convém ressalvar que também adoro sair e faço por aproveitar cada momento ao máximo.

O que fazes é uma extensão de quem és e do teu propósito de vida?

Sim, sem dúvida. Tudo o que faço é porque tenho em vista um futuro e sei onde estou hoje e onde quero estar daqui a alguns anos. Depois, sem ser a nível profissional, tudo o que faço na minha vida social é uma extensão da minha pessoa, quer seja com os amigos/as, quer seja numa outra situação qualquer.

Em suma, considero-me uma pessoa calma e educada, e, dessa forma, tento fazer as coisas da melhor maneira, tendo em vista o meu propósito de vida, quer na vida pessoal, quer na profissional.

E sei que se for uma extensão de mim mesmo, com sonhos, trabalho e uma certa delicadeza, acredito que tenho um futuro brilhante.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Em primeiro lugar, diria às pessoas para lerem o “Testa os teus limites”.

Mas, se pudesse transmitir por palavras a mensagem que o meu livro pretende passar, diria para as pessoas serem sonhadoras, porque, quando há sonhos, tudo é mais fácil. Depois, diria para que nunca deixassem os sonhos ficar a meio. Por fim, diria que fossem pessoas amigas do seu amigo, que fossem pessoas boas, sem inveja, e, acima de tudo, que fossem humildes, que é algo que falha em muitas pessoas.

Se cada um fizer um bocadinho, se cada um tentar respeitar a mensagem que escrevi, tenho a certeza que o mundo seria bem melhor. Mas, visto que não consigo ter a atenção do mundo, se pelo menos esta entrevista fizer sentido para quem a vier a ler, e se as pessoas tentarem seguir aquilo que disse, já fico satisfeito e, por pouco que seja, já teremos um mundo ou um país melhor. Se todos fizermos um bocadinho, o nosso mundo acaba por ser diferente e melhor.

Qual foi o acontecimento que mais te marcou até hoje?

Infelizmente, em 2011, com 17 anos, tive um acidente que me colocou em coma durante 3 semanas. Em alguns meios de comunicação, cheguei a ser dado em morte cerebral. De facto, foi um acontecimento que me marcou a todos os níveis, e, ultrapassar todas as dificuldades que se seguiram, foi algo marcante. Felizmente, por mais dificuldades que tenha tido, com sonhos, trabalho – muito trabalho – e com a família e amigos fantásticos, tudo foi acontecendo naturalmente e hoje posso dizer que estou na plenitude das minhas capacidades, quer físicas, quer sociais, quer intelectuais.

Mas, na minha vida, costumo dizer que houve uma espécie de antes e pós-acidente, ou seja, ainda que o acidente possa parecer um acontecimento negativo, convém salientar as coisas positivas.

Desse modo, os acontecimentos que mais me marcaram foram: Em primeiro lugar a licenciatura; depois, foi o lançamento do livro “Testa os teus limites”. Desde a sua edição que tem sido uma experiência incrível. Tenho recebido mensagens fantásticas de quem o tem lido, e sentir que consegui passar uma mensagem às pessoas é das coisas mais gratificantes que podem existir. Por fim, como forma de conclusão, recentemente, no dia 8 de janeiro deste ano, defendi a minha tese e terminei o mestrado, exatamente com a nota a que me propus no início. Ainda é algo recente e ainda estou em êxtase, mas também já é uma conquista que me marcou e que vai ditar um pouco o meu percurso.

Curiosidades do Convidado

Qual é o teu livro preferido? E o teu filme?

Bem, já li bons livros, mas, por não me estar a ocorrer nenhum e pelo facto de o meu livro ser um trabalho que acho que vale a pena ser lido, escolho o “Testa os teus limites” como o meu livro preferido.

Em relação a um filme, é uma questão um pouco pessoal, mas, por me estarem mais presentes na memória, destaco “A star is born” e “Joker”. Dois filmes muito bons.

Qual foi a viagem que mais te marcou?

Amei Paris a todos os níveis. Mas a viagem que mais me marcou foi, talvez, à Bósnia. Foi uma viagem muito intensa e com histórias muito marcantes, conforme retrato no livro.

Que viagem de sonho ainda pretendes realizar?

Ir ao Brasil e à Holanda. São países que sempre me despertaram interesse em conhecer.

Qual é a tua atividade de tempo livre preferida?

Nos tempos livres, adoro jogar futebol com os amigos. Também gosto de corrida. Em suma, tudo o que envolve desporto. Depois, também convém dizer que adoro escrever. É um refúgio que me faz bem.

Qual é a tua maior habilidade?

Talvez a persistência. Com trabalho, esforço, sem deixar de aproveitar os momentos de lazer, posso dizer que, no ano de 2019, consegui conciliar o trabalho, com o lançamento do livro e, ao mesmo tempo, entregar a tese de mestrado.

Penso que só o consegui com muita persistência e teimosia da minha parte. Queria mostrar a mim mesmo que conseguia.

O que seria para ti um dia perfeito?

Se esse dia for passado junto dos que amo, com boa disposição geral, penso que estão reunidos os requisitos para o dia ser perfeito.

Diz-nos um barcelense e um não barcelense que te inspirem e porquê.

Para ser sincero, faço por inspirar-me nos bons exemplos e há várias pessoas que tenho como referência e que me inspiram. Podia citar inúmeras pessoas, mas, com medo de me esquecer de alguém, prefiro não fazê-lo. Mas, no geral, quer em barcelenses, quer em não barcelenses, encontro características que são uma profunda fonte de inspiração.

Pergunta mistério do convidado da semana anterior, Bruno Lopes.

O que é para ti viver em Barcelos?

…Sinceramente, adoro viver em Barcelos. No geral, gosto das pessoas de Barcelos e a cidade acaba por estar muito bem localizada.

Mas, claro, gosto, porque tenho na cidade/periferia a grande maioria dos meus amigos e familiares, o que acaba por contribuir para que assim seja.

Uma mensagem* inspiradora…

A todos e todas que vierem a ler esta pequena entrevista, apelo a que as pessoas não vivam em vão. Acredito que a coisa que mais felicidade nos dá é o realizar dos nossos sonhos. Portanto, sejam eles quais forem, sejam eles difíceis ou não, gostava que as pessoas acreditassem neles e que fizessem sempre o máximo para os alcançarem.

Depois, também gostava que as pessoas não se esquecessem de viver o seu presente. Por fim, estejam com os/as amigos/as com quem se sentem bem, façam o bem, sejam pessoas humildes e acreditem que viver vai ser a melhor coisa do Mundo. Se tiverem essas características, mais cedo ou mais tarde, a vida vai acabar por compensar-vos.

* Nota: Mensagem em latim significa mens agitat molem, ou seja, “o espírito agita a matéria”.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Fotos: DR.

Barcelenses Inspiradores: Bruno Lopes

Janeiro 18, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Entrevistas, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

O segundo convidado da 2ª edição da rubrica é o músico e professor Bruno Lopes.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o e-mail: barcelensesinspiradores@outlook.pt.

Nesta 2ª edição, temos várias novidades, entre elas, na entrevista, que conta com novas perguntas e secções, com uma pergunta mistério do convidado da semana anterior e, ainda, uma grande surpresa.

Esta rubrica foi um dos projetos selecionados pelo Orçamento Participativo da Câmara Municipal de Barcelos com o título “Barcelenses Inspiradores – do papel para o palco”. Para saber mais detalhes, aceda a este link: https://participe.cm-barcelos.pt/projetos/opb-ref-06-2019/. Este projeto será sujeito a votação, por isso, para nos apoiar, terá que se inscrever até 31 de janeiro na plataforma online, seguindo-se o período de votação online de 7 a 21 de fevereiro. Para esses procedimentos, entre e inscreva-se em https://participe.cm-barcelos.pt/inscricao-no-op-barcelos/.



Bruno Lopes é um músico nascido em Lisboa no ano de 1978, tendo mudado, pouco tempo depois, para a cidade de Barcelos.

Desde cedo se começou a interessar pelas artes, principalmente, pela literatura. Estas fortes influências literárias acompanharam as musicais, na área do Folk, Rock e Blues.

Por volta de 1995, forma os “The Pisces”, grupo com o qual grava dois trabalhos: “Oceans”, editado em 1998, e “Inner Truth”, editado em 2001.

A banda permite a Bruno Lopes o primeiro contacto com o meio musical português. Em 2001, lança doze poemas numa obra intitulada “Escritos”, obra essa que será, mais tarde, gravada em disco no álbum “Escritos”, em 2007. Em 2003, inicia o projeto a solo High Flying Bird, tendo lançado a seguinte discografia: “Songs of freedom” (2003); “Autumn” (2004); “Backyard Desert” (2005); “Escritos” (2007); “Ruas” (2010); “O desassossego” (2013).

Em 10 anos dá cerca de 150 concertos por todo o país nas variadas tours de promoção dos respetivos discos.

Em 2010, com o apoio da Associação Desportiva e Cultural de Manhente e da Junta de Freguesia de Manhente, cria o projeto Guitarras de Manhente: Escola de Rock. Escola de Música localizada na freguesia de Manhente com o objetivo de promover o ensino da música na nossa região e junto das pessoas de todas as faixas etárias e de diferentes classes sociais. Ao tornar o ensino da música mais acessível, ajuda a uma melhor integração social e cultural. As suas aulas são dadas nas instalações da antiga Escola Primária de Manhente. Atualmente, conta com mais de 100 alunos das mais variadas freguesias do concelho de Barcelos, possibilitando a aprendizagem de vários instrumentos, entre os quais, o Canto, Guitarra, Bateria, Baixo, Piano, Violino, Cavaquinho e Ukelele.

A escola rapidamente se tornou uma referência em Barcelos, onde são efetuados concertos regulares, workshops e várias apresentações de cariz social nas escolas do conselho.

Em 2016, cria, com alunos formados nas Guitarras de Manhente, a banda L-Blues. O Folk, Country, Blues e Rock caminham lado a lado na ideologia desta banda. O seu nome faz uma homenagem à mitologia do pacto com o diabo, de Robert Johnson, e da encruzilhada (crossroads) dos Blues. O CD de estreia “L-Blues” foi editado em 2016, o que permitiu à banda percorrer o país durante dois anos.

Em 2018, a banda lançou o novo disco “Vol.2” que foi gravado no AMP Studio com a produção do Paulo Miranda. É um disco de puro Rock N’ Roll e Blues e tem distribuição digital mundial nas principais lojas online: Spotify, Amazon, Itunes, Hmv digital, Googleplay e Soundcloud. O CD físico poderá ser comprado nas lojas Fnac.

Os singles “Outono” e “Ódio de amor” tiveram honras de entrar em muitas playlists de várias rádios nacionais.

A banda vai lançar este ano o 3º disco.



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

Eu sou o Bruno. Casado e pai de dois filhos, músico e professor na Escola Guitarras de Manhente: Escola de Rock.

Uma pessoa que gosta de arte, principalmente, de música e de tudo o que a envolve, desde a criação, desenvolvimento e promoção da mesma. Gosto sempre de ter o tempo ocupado, seja a trabalhar, a criar, fazer música, a dar aulas e passar tempo com a minha família.

O que fazes é uma extensão de quem és e do teu propósito de vida?

Sim. O que nos define é aquilo que fazemos por nós e pelos outros.

Fazer música é deixar um legado aos meus filhos e a todos os que me rodeiam de que devem sempre até ao fim acreditar em nós mesmos, nos nossos sonhos e lutar pelos nossos objetivos. Vamos ter sempre, ao longo da nossa vida, pessoas que nos dizem que é difícil fazer algo, mas devemos pegar nessa adversidade e a tornar no nosso objetivo de vida.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Acho que compunha uma canção sobre a paz interior! Acredito plenamente que se não formos felizes com nós mesmos também não fazemos os outros felizes.

A vida é curta demais para não ser partilhada com o resto do mundo.

Qual foi o acontecimento que mais te marcou até hoje?

São muitos, porque o meu percurso de vida sempre foi uma luta e um caminho.

Que não foi feito sozinho, por isso, agradeço à minha esposa por acreditar em mim e por me dar o espaço necessário para ser eu mesmo.

Agradeço também a todas as pessoas que encontrei ao longo da minha vida e que contribuíram para eu ser o que sou hoje.

Mas há três momentos específicos que me marcaram e foram um ponto de viragem na minha vida! Passo a numerar:

– A primeira vez que tomei consciência do poder da música. Foi aos 6 anos, ao assistir na televisão, com a minha mãe, ao filme “Hard´s Day Night”, dos Beatles, e de lhe perguntar porque as pessoas gritavam tanto.

– O nascimento dos meus filhos!

– A criação e o desenvolvimento das Guitarras de Manhente: Escola de Rock.

Curiosidades do Convidado

Qual é o teu livro preferido? E o teu filme?

Livro: “No One Here Gets Out Alive”. A primeira biografia de Jim Morrison, vocalista e letrista da banda rock norte-americana The Doors.

Filme: “Forrest Gump”, um filme norte-americano de 1994, dirigido por Robert Zemeckis, com Tom Hanks.

Qual foi a viagem que mais te marcou?

A viagem de Lua de Mel à Madeira.

Que viagem de sonho ainda pretendes realizar?

Adorava ir aos Estados Unidos da América. “Home of the free and the brave”.

Qual é a tua atividade de tempo livre preferida?

Ler, escrever música e ver filmes.

Qual é a tua maior habilidade?

Tocar Guitarra!

O que seria para ti um dia perfeito?

Um dia perfeito seria fazer a minha família feliz e compor a música perfeita.

Diz-nos um barcelense e um não barcelense que te inspirem e porquê.

Na verdade, quem me inspirou e ainda me inspira em Barcelos são todos os músicos Barcelenses da minha geração e da nova geração. Porque é preciso força e coragem para fazer arte na nossa cidade, e, quanto mais os artistas forem apoiados, mais a nossa cidade enriquece e se desenvolve.

De igual modo e muito sinceramente, quando vejo alguém que luta em prol da arte essa pessoa me inspira, por isso, faço a minha homenagem aos poetas, músicos, agentes culturais, promotores artísticos e políticos que apoiam o desenvolvimento artístico no nosso país.

Pergunta mistério do convidado da semana anterior, Nuno Calçada Loureiro

Se tivesse a possibilidade de alterar as coisas, tendo em conta a cidade e/ou sociedade barcelense, o que alteraria de imediato e o que ficaria imutável no tempo?

Tentaria descentralizar culturalmente a nossa cidade. É um processo que acredito que está a ser feito e deve ser feito aos poucos, porque é preciso educar as pessoas a irem aos teatros, aos eventos musicais e culturais. Acredito que há muitas pessoas com vontade em fazer muitas coisas a nível artístico e cultural nas suas freguesias, mas que, por vezes, não são apoiadas, por falta de conhecimento ou vontade, tanto pelas suas entidades locais, quer pela população geral. Em Manhente, por exemplo, tive a sorte de ter um apoio incondicional da população, da Junta de Freguesia e da nossa Associação Cultural e Desportiva de Manhente.  Leva tempo e dedicação, mas os resultados aparecem. E é esse desenvolvimento que tornaria imutável. Uma sociedade rica culturalmente é uma sociedade desenvolvida.

Uma mensagem* inspiradora…

Deixo o poema da Florbela Espanca, “O Que Alguém Disse”, do livro “Livro de Soror Saudade“.

“Refugia-te na Arte”, diz-me Alguém

“Eleva-te num voo espiritual,

Esquece o teu amor, ri do teu mal,

Olhando-te a ti própria com desdém.

.

Só é grande e perfeito o que nos vem

Do que em nós é Divino e imortal!

Cega de luz e tonta de ideal

Busca em ti a Verdade e em mais ninguém!”

.

No poente doirado como a chama

Estas palavras morrem… E n’Aquele

Que é triste, como eu, fico a pensar…

.

O poente tem alma: sente e ama!

E, porque o Sol é cor dos olhos d’Ele,

Eu fico olhando o Sol, a soluçar…

.

* Nota: Mensagem em latim significa mens agitat molem, ou seja, “o espírito agita a matéria”.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

1 2 3 5
Ir Para Cima