Tag archive

Biorresíduos

Estudo Municipal para o Desenvolvimento de Sistemas de Recolha de Biorresíduos de Barcelos em consulta pública

Maio 24, 2021 em Ambiente, Atualidade, Concelho Por barcelosnahorabarcelosnahora

Encontra-se em consulta pública, durante 30 dias, o Estudo Municipal para o Desenvolvimento de Sistemas de Recolha de Biorresíduos do Município de Barcelos.

Até 31 de dezembro de 2023, é obrigatório que os Estados Membros da União Europeia procedam à separação e reciclagem dos Biorresíduos na origem, ou recolhidos seletivamente, evitando o seu envio para aterro.

Num paradigma de uma Bioeconomia circular, a reciclagem dos biorresíduos é uma estratégia crucial para otimizar o uso de biomassa existente, através, por um lado, dos processos eficientes de compostagem que produzem o composto que enriquece os solos com nutrientes e atua como um repositório de carbono e, por outro, a digestão anaeróbia que pode ser utilizada para a produção de energia. É, por isso, crucial a transição para uma recolha seletiva de biorresíduos, pois só desta forma será conseguida a recuperação dos produtos que resultam do seu tratamento.


Assim, os interessados podem consultar o resumo do relatório preliminar do Estudo para o Desenvolvimento de Sistemas de Recolha de Biorresíduos, acedendo ao suporte digital através do seguinte link:  https://www.cm-barcelos.pt/viver/ambiente/recolha-de-biorresiduos/.

Os cidadãos interessados em apresentar sugestões de alteração do atual documento podem remeter os contributos para o endereço de correio eletrónico do Município, através do email: geral@cm-barcelos.pt. O Estudo contribui para o cumprimento das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030, da ONU, nomeadamente no que se refere ao ODS 11 – Cidades e comunidades sustentáveis, ODS 12 – Produção e consumos sustentáveis, ODS 13 – Ação Climática e ao ODS 17 – Parcerias para o Desenvolvimento Sustentável.

Fonte: MB

Foto: @john_cameron|unsplash

Em 2023 cada habitante de Esposende vai produzir 251 quilos de biorresíduos

Maio 19, 2021 em Ambiente, Atualidade, Concelho Por barcelosnahorabarcelosnahora

Em 2023, cada habitante de Esposende vai produzir 251 quilos de biorresíduos por ano e o melhor método para “evitar o envio para aterro” será a recolha porta a porta, aponta um estudo posto hoje em consulta pública.

O documento refere que será preciso um investimento de 702 mil euros para implementar, até 2023, aquele método de recolha, aliado à compostagem.

O trabalho defende que a meta de recolher, até 2030, “quase 60%” dos biorresíduos (resíduos de matéria orgânica, como alimentos, que podem ser decompostos por completo) é um “objetivo tão ambicioso quanto necessário à evolução para uma economia mais circular”.

O Estudo Municipal para o Desenvolvimento de Sistemas de Recolha de Biorresíduos de Esposende, decorre da obrigatoriedade imposta pela União Europeia de, até dezembro de 2023, todos os estados membros assegurarem a separação e reciclagem na origem de biorresíduos.

A sensibilização é apontada como “uma peça importante da mudança necessária” nos hábitos de separação de lixo, pelo que o estudo prevê um investimento de 121 mil euros em ações de sensibilização.

“Após diálogo com técnicos e decisores do município e feita a simulação de vários cenários, a escolha recaiu no modelo de recolha seletiva porta a porta e compostagem”, lê-se no documento.

A mudança no método de recolha deverá ter “um elevado impacto”, passando a “população a ser mais responsabilizada”, o que vai permitir “alterar e consolidar comportamentos ambientalmente mais sustentáveis, mais conscientes, e mais importante ainda, será possível monitorizar e saber quem participa (separa os biorresíduos) de quem não separa”.

A recolha porta a porta permitirá “combater o desperdício pela maior consciencialização dos utilizadores do sistema”, combater o desperdício alimentar e a “utilização desenfreada dos contentores na via pública”.

O método de recolha porta a porta pressupõe “soluções mais eficientes de separação com mais adesão, maior quantidade e qualidade dos resíduos, uma integração mais fácil em zonas de moradias e consegue elevadas taxas de captura”.

A implementação passará pela distribuição de baldes e contentores pelas moradias e prédios, assim como nos estabelecimentos comerciais e “em caso de falta de espaço”, por força das circunstâncias, os contentores são colocados na via pública.

Deverá ser feito um reforço nos serviços de recolha seletiva de resíduos verdes e, “nas zonas dispersas, optar por soluções de recuperação e valorização na origem, como a compostagem doméstica e comunitária”.

O Estudo Municipal para o Desenvolvimento de Sistemas de Recolha de Biorresíduos de Esposende vai estar em consulta pública durante um período de 30 dias.

Fonte: Lusa

Município de Barcelos vai implementar recolha seletiva de biorresíduos

Fevereiro 24, 2021 em Ambiente, Atualidade, Concelho, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Município de Barcelos vai avançar com a recolha seletiva de biorresíduos. O programa tem um custo de 349.294,00€, com financiamento comunitário pelo Fundo de Coesão, através do POSEUR, no valor de 173.397,99€. 
O projeto será implementado maioritariamente na área urbana, especificamente na União de Freguesias de Barcelos, Vila Boa e Vila Frescainha (São Martinho e São Pedro), em Arcozelo, em Barcelinhos, em Tamel São Veríssimo e em Rio Covo Santa Eugénia, freguesias cujas famílias, devido à tipologia habitacional (boa parte constituída por apartamentos), têm maior dificuldade na realização de compostagem doméstica. Irá abranger mais de 30 mil barcelenses. 


Naquelas freguesias será feita, ainda, a recolha de resíduos verdes junto de cemitérios. Serão colocados contentores também junto de feiras e mercados. O objetivo será valorizar os resíduos e, simultaneamente, reduzir a produção e deposição em aterro. 


Os biorresíduos a recolher pelo Município serão depois encaminhados para a futura unidade de Tratamento Mecânico e Biológico (TMB), em fase de conclusão na freguesia de Paradela e cujo funcionamento se prevê que arranque no segundo semestre deste ano. Quanto aos resíduos verdes, estes serão triturados nas instalações do Município, sendo parte dos mesmos utilizados como material estruturante em futuras unidades de compostagem comunitária e o restante encaminhado para a unidade de Paradela para compostagem. 


O projeto implica a aquisição de 291 contentores para recolha seletiva porta a porta de biorresíduos alimentares, com capacidade aproximada de 140 litros cada; a aquisição de 100 contentores para deposição de biorresíduos alimentares, com capacidade aproximada de 50 litros para entrega em restaurantes e cantinas (nomeadamente escolares); a aquisição de 35 contentores para recolha seletiva de biorresíduos verdes, com capacidade aproximada de 1.100 litros; a aquisição de duas viaturas, uma para a recolha seletiva de biorresíduos alimentares e outra destinada a biorresíduos verdes; a aquisição de um biotriturador de resíduos verdes; e, por fim, a aquisição da instrumentação de duas viaturas de recolha seletiva.

 
O plano será implementado entre 1 de março e 31 de dezembro deste ano. 
Com este projeto, o Município de Barcelos antecipa-se às medidas já definidas a nível nacional e internacional. Refira-se que, na sequência das alterações legislativas, a nível nacional e europeu, a partir de 1 de janeiro de 2024, são estabelecidas novas regras para a gestão de resíduos, incluindo a obrigatoriedade de recolha seletiva de biorresíduos, numa lógica de transição do atual modelo baseado no tratamento de resíduos orgânicos recolhidos de forma indiferenciada, para um modelo assente na recolha seletiva.

Fonte: MB

Foto: DR

Câmara de Barcelos e Resulima colaboram na recolha de biorresíduos

Março 14, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

A Câmara Municipal de Barcelos aprovou um acordo de colaboração com a Resulima para a recolha, tratamento e valorização dos resíduos orgânicos, tendo em vista reduzir a deposição destes materiais nos aterros.



A Resulima, empresa concessionária da exploração e gestão do sistema multimunicipal de tratamento de resíduos sólidos urbanos dos concelhos de Arcos de Valdevez, Barcelos, Esposende, Ponte da Barca, Ponte de Lima e Viana do Castelo, apresentou uma candidatura ao Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR), tendo em vista o desenvolvimento de um projeto de valorização dos resíduos orgânicos que têm vindo a ser depositados em aterro.

A Estratégia Nacional de Redução de Resíduos Urbanos Biodegradáveis propõe a redução de 63% para 35% da deposição em aterro, seguindo as diretivas da União Europeia quanto à reciclagem de embalagens e aos aterros, sobressaindo a obrigação de recolha seletiva de biorresíduos a partir de 2023.

Para o sucesso da candidatura e do seu programa de execução, a Resulima está a criar as condições que assegurem a recolha seletiva de resíduos urbanos biodegradáveis nos municípios que integram a concessão e o consequente cumprimento das metas ambientais concelhias e nacionais.

O acordo de colaboração atribui à Resulima as responsabilidades de recolha e tratamento dos resíduos, a campanha de informação junto da população e a gestão das entregas dos materiais.

A Câmara Municipal tem como obrigações o apoio à candidatura e a promoção do programa de recolha dos resíduos.

A empresa vai adquirir duas viaturas de recolha para a remoção hermética dos materiais e uma viatura para lavar contentores; 327 contentores para colocação na rua, com capacidade aproximada de 800 litros, equipados com controlo de acesso e identificador; 33 contentores destinados ao pequeno comércio, com capacidade aproximada de 80 litros, equipados com controlo de acesso e identificador; 11.383 baldes com capacidade até cinco litros, com controlo de acesso ao contentor da rua, para separação dos resíduos orgânicos nas habitações.

Para efeitos de recolha e tratamento no âmbito deste programa são considerados os seguintes resíduos orgânicos: resíduos de agricultura, horticultura, aquacultura, caça e pesca e da preparação e processamento de produtos alimentares; resíduos da preparação e do processamento de frutos, legumes, cereais, óleos alimentares, cacau, café, chá e tabaco; resíduos da produção de conservas; resíduos da produção de levedura e da preparação e fermentação de melaços; resíduos da indústria de laticínios; resíduos da indústria de panificação, pastelaria e confeitaria; resíduos da produção de bebidas alcoólicas e não alcoólicas; resíduos urbanos e equiparados; resíduos biodegradáveis de cozinhas e cantinas; resíduos de mercado.

Fonte e foto: CMB.

Ir Para Cima