Tag archive

Crédito Pessoal

Alerta de Crédito fácil: “Empréstimo de Portugal” e “Empréstimo Urgente”

Junho 11, 2020 em Atualidade, Concelho, Economia, Mundo, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Banco de Portugal emitiu um alerta sobre uma entidade não habilitada a conceder, intermediar ou a efetuar consultoria de crédito.



Segundo o regulador, trata-se de uma entidade que atua com designação comercial “Empréstimo de Portugal” “Empréstimo Urgente” e particularmente através da rede social Facebook

https://www.facebook.com/Empr%C3%A9stimo-Urgente-103451651340224/

Alerta, ainda, que esta entidade não está habilitada a exercer, em Portugal, qualquer atividade financeira reservada às instituições sujeitas à supervisão do Banco de Portugal, nomeadamente, a concessão de crédito, a intermediação de crédito e a prestação de serviços de consultoria relativamente a contratos de crédito.

Numa situação de enorme vulnerabilidade e confinamento face à Pandemia do COVID-19, muitas famílias em situação económica difícil e com quebra no rendimento disponível, face às necessidades de encontrar soluções rápidas para o seu orçamento, caem muitas vezes em situações de oferta de crédito fácil, veiculadas através das redes sociais.

Será importante não cair em fraudes financeiras, nem em logros e ponderar bem antes de tomar qualquer decisão de crédito, não se deixando cair em tentações e ofertas nem sempre fiáveis e que prometem resposta rápida ou aprovação imediata. E o primeiro passo a dar será confirmar se a entidade está autorizada.

Poderá fazê-lo através da consulta da lista de entidades autorizadas a conceder crédito, a atuar como intermediários de crédito ou a prestar serviços de consultoria relativamente a contratos de crédito, disponibilizada pelo Banco de Portugal.

O Gabinete de Proteção Financeira da DECO poderá ainda ajudá-lo na orientação económica e/ou apoio ao sobre-endividamento que necessitar.

Para mais informações ou dúvidas, não hesite em contactar-nos, através de Videochamada (Skype),  telefonicamente, para os nºs  213 710 238 /  22 339 19 61 ou por e-mailgas@deco.pt ou gas.norte@deco.pt. *

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade da DECO)

DECO recebeu 3.600 pedidos de famílias a quem prestou aconselhamento financeiro entre março e maio

Maio 13, 2020 em Atualidade, Concelho, Economia, Mundo, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora

Desde 2000 a 2019, o desemprego foi a causa principal de sobre-endividamento das famílias portuguesas, seguida pela deterioração das condições laborais. Em 2019, a situação inverteu-se e as condições de trabalho empurraram mais portugueses para o sobre-endividamento. Este ano, preconizava-se a deterioração das condições laborais como a principal causa.



Porém, e de modo totalmente imprevisível, em meados de março tudo se alterou e a principal causa das dificuldades das famílias torna-se a perda de rendimentos (situações de layoff, perda de rendimentos informais, não pagamento de salários), que correspondem a 27,3%, seguindo-se o desemprego – 23,5%, a precariedade – 15,5% e os negócios mal sucedidos – 2,6%.

Todas estas causas somadas totalizam cerca de 70% das causas das situações de grandes dificuldades financeiras ou endividamento, sendo responsáveis pela diminuição dos rendimentos das 3.600 famílias que nos pediram ajuda, entre 18 de março e 11 de maio de 2020.

A estas famílias foi prestado aconselhamento e orientação financeira sobre algumas das medidas de proteção decretadas para atenuar os efeitos da pandemia do COVID-19 (42%), reestruturação de responsabilidade de crédito (25,1%), regime excecional da penhora das pensões e salários (6,3%), a cobrança e recuperação de crédito (2,6%), apoios sociais (1,2%).

Durante este período, deram entrada 234 processos de intervenção de famílias confrontadas com a perda de rendimentos (57,1%), mas que que ainda estão no mercado de trabalho (82%). São famílias que apresentam uma taxa de esfoço de 71,4%.

O Gabinete de Proteção Financeira está disponível para efetuar a análise e diagnóstico da situação financeira do agregado familiar e ajudar na construção de um plano de pagamentos, sempre que tal seja viável e prestar apoio na renegociação das dívidas, estabelecendo contactos com os credores.

Conte connosco.

Para mais informações ou dúvidas, não hesite em contactar-nos, através de Videochamada (Skype),  telefonicamente, para os nºs  213 710 238 /  22 339 19 61 ou por email: gas@deco.pt ou gas.norte@deco.pt.*

Imagens: DR.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade da DECO)

Ir Para Cima