Tag archive

Cultura

Museu de Olaria recebe exposição “Bonecreiro”

Outubro 12, 2021 em Atualidade, Concelho, Cultura Por barcelosnahorabarcelosnahora

A Sala da Capela do Museu de Olaria recebe, até 31 de dezembro de 2021, a exposição “Bonecreiro” resultante do trabalho desenvolvido pelos artistas Alberto Berruto, Auréline Caltagirone, Carolina Garfo, Fábio Araújo, Francesco Caruso, Laura Monteiro, José Sottomayor e Maria Luísa Ramires numa residência artística organizada pela POUSIO – Arte e Cultura em parceria com o Museu de Olaria, decorrida entre maio e junho deste ano, em Barcelos.

Fomentando a criação e a experimentação interdisciplinar destes artistas emergentes em contacto com os artesãos locais do município, a residência artística procurou fortalecer, assim como dinamizar, a pesquisa e a produção em torno do artesanato e das práticas artísticas de Barcelos, em diálogo com a sua comunidade.

Com curadoria de Ana Bacelar Begonha, “Bonecreiro”, que estará patente até ao final do ano, na Sala da Capela do Museu, conta com trabalhos multidisciplinares que vão desde a cerâmica, à serigrafia, à pintura, ao vídeo ou ainda à performance e que se preocupam com reinventar e recontextualizar práticas tradicionais, assim como questionar as dicotomias entre velho e novo, digital e material ou real e ficcional.

A exposição contará também com uma projeção do documentário Bonecreiros (2021), de Alberto Berruto e Francesco Caruso, sobre o processo da residência, na Sala Multiusos do Museu no dia 20 de novembro, às 16h00, para assinalar a semana em que se comemora o Dia Mundial da Criatividade.

A exposição “Bonecreiro” é organizada pela POUSIO -Arte e Cultura em parceria com o Museu de Olaria de Barcelos.

A POUSIO – Arte e Cultura é uma associação que surgiu em 2019 para dar resposta à necessidade de criação de novos contextos de produção artística. Tem como objetivo ligar produtores culturais nacionais – artistas, curadores, museólogos e investigadores – a comunidades social ou culturalmente isoladas no país. Propondo várias formas de contacto, a POUSIO tem como objetivo: evidenciar a importância da arte e da cultura como instrumentos de novas soluções sociais; incentivar a produção artística desafiando-a a conhecer novas realidades, a abrir diálogo com novas comunidades e artistas, a expor a sua experiência; promover a troca de conhecimento e criar uma cultura de serviço – uma cultura que crie novos acessos.

Na cidade de Barcelos, ergue-se o Museu de Olaria, equipamento cultural na área da cerâmica com notoriedade internacional. A contínua missão (estudar, documentar, conservar, e divulgar o património cerâmico) materializou-se num acervo com mais de 10000 itens, e em diversas publicações. Nele podemos encontrar várias tipologias cerâmicas e artefactos dos principais centros oláricos portugueses (passado e presente), países de expressão portuguesa, entre outros. Estas atraem investigadores de vários campos do conhecimento, e ainda, possibilitam uma ampla e periódica oferta expositiva ao público.

A exposição pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 10h00 às 17h00 e, aos sábados, domingos e feriados, das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30.

Fonte: MB

Teatro de Balugas no Festival de Teatro de Machico

Setembro 29, 2021 em Atualidade, Concelho, Cultura Por barcelosnahorabarcelosnahora

Este sábado, pelas 21h00, o Fórum Machico (Madeira) recebe, no âmbito do Festival de Teatro de Machico, a peça “Pão Nosso”, o espetáculo que representou Portugal este ano no Mónaco, no Mondial du Théâtre, o maior e mais importante festival de teatro amador do mundo.

Foi também o trabalho vencedor do CONTE – Concurso Nacional de Teatro com o Prémio Ruy de Carvalho para Melhor Espetáculo em 2020, e um dos três espetáculos finalistas nomeados para Melhor Espetáculo Internacional nos prémios ESCENAMATEUR da Confederação de Teatro Amador em Espanha.

O “Pão Nosso” já tinha sido premiado, no ano passado, no Concorso Teatrale Internazionale “Città di Chivasso”, para Melhor Espetáculo e Melhor Encenação, em Itália.

A peça de teatro, com texto e encenação de Cândido Sobreiro, fala-nos da aldeia de Balugães (Minho), terra onde já se amassou muito pão e onde se talharam muitas gamelas de pinho. O pão era o sustento, as gamelas também. Uma relação de pequenas histórias que contam mais do que o artefacto, o alimento, o labor. Uma recolha de memórias, ladainhas, cantigas e ofícios, recuperando utensílios e articulando artisticamente com a comunidade a criação do espetáculo. A partir daqui, o Teatro de Balugas aborda de uma forma teatral e poética o ciclo do pão na aldeia, reconstruindo-o a partir de princípios diferentes não tradicionais e quase oníricos.


Veja aqui o vídeo promocional do espetáculo: https://www.youtube.com/watch?v=YR-33jNBzcc
Ficha artística do espetáculo: https://osamadoresdebalugas.wordpress.com/portfolio/em-cena-4/

Músicos celebram Figurado de Barcelos em palco

Setembro 22, 2021 em Atualidade, Concelho, Cultura Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Theatro Gil Vicente recebe, no próximo sábado, a apresentação da residência artística “Transfigurado”. É um espetáculo original concebido em residência artística na sala de espetáculos barcelense por quatro músicos convidados e que vai refletir sobre o Figurado de Barcelos. O concerto tem início às 22:00 e a entrada é livre (mediante reserva).


José Roberto Gomes (cordas), Fábio Loureiro (sopros), Pedro Augusto (eletrónica) e José Marrucho (percussão) encontram-se a realizar uma residência artística no Theatro Gil Vicente para preparar um espetáculo inspirado na tradição barcelense na área do artesanato, nomeadamente, no Figurado de Barcelos. O “Transfigurado” assume-se como uma plataforma de pesquisa, de partilha cultural e de produção artística.

Este projeto coloca dois músicos barcelenses em diálogo com um par de instrumentistas de outros pontos do país. Sob a curadoria do triciclo e do Jazz ao Largo, os músicos barcelenses foram selecionados na base de dados “Mapeamento Cultural e Artístico de Barcelos”, lançada pelo Município de Barcelos como medida de apoio à cultura no âmbito da Covid-19. Estes artistas com diversas sensibilidades vão refletir sobre uma tradição que se mantém viva e em constante mutação.

O Figurado de Barcelos é uma produção artesanal que se reveste de características únicas, quer nas formas, quer nas cores. Destacam-se as peças de cariz religioso, festivo, vida quotidiana, o bestiário e, claro, o famoso galo de Barcelos. A cidade minhota é primeira cidade na Península Ibérica a integrar a Rede Mundial de Cidades Criativas, na categoria do Artesanato e Arte Popular, num reconhecimento atribuído pela UNESCO.

Os espetáculos inserem-se na programação do triciclo, ciclo de concertos itinerante promovido pelo Município de Barcelos.

Fonte: triciclo

Peça artística do Quadrilátero Cultural em Barcelos

Agosto 31, 2021 em Atualidade, Concelho, Cultura Por barcelosnahorabarcelosnahora

Já está em Barcelos, na parte exterior do Museu de Olaria, a escultura do Quadrilátero, que apresenta o projeto de uma forma artística.

Inspirada pela história das quatro cidades que integram o Quadrilátero Cultural (Barcelos, Braga, Famalicão e Guimarães), a artista Aheneah selecionou quatro espaços patrimoniais como ponto de partida para a narrativa desta peça que tem estado exposta em locais de destaque em cada uma das cidades, acompanhando a restante programação Quadrilátero Cultural 2021.

Com a paleta de cores do Quadrilátero Cultural, a artista fez uma seleção de várias tonalidades de lã que lhe permitiu criar um jogo de luz e sombra, com altos contrastes e cores vibrantes.


Quando vista de perto, a peça faz com que o olhar se perca na abstração das cruzes; à distância, desvenda o grafismo.

Depois de uma primeira paragem em Guimarães, cidade onde começou a programação, a peça viajou entre os municípios de Famalicão, Braga e, por fim, Barcelos, onde ficará até 19 de setembro.

Fonte: MB

Jazz ao Largo está de regresso a Barcelos

Agosto 20, 2021 em Atualidade, Concelho, Cultura Por barcelosnahorabarcelosnahora

De 9 a 12 de setembro, alguns dos locais mais icónicos da cidade acolhem a sexta edição do Jazz ao Largo, um festival que leva a cena alguns dos mais conceituados artistas de renome internacional, numa simbiose perfeita com o jazz que se toca em Portugal e as experiências feitas por músicos de Barcelos.
Os espetáculos dividem-se entre o Largo Dr. Martins Lima, o Theatro Gil Vicente, o claustro da Câmara Municipal de Barcelos e o Salão Nobre, ao longo de quatro dias.

O Festival começa a 9 de setembro com um concerto protagonizado por Rita Marcotulli, uma das principais artistas de jazz italiano. Compositora, pianista e dotada de um timbre melódico e uma voz instrumental única, Rita Marcotulli traz até Barcelos a sonoridade italiana e as experiências de longos anos de carreira dividindo o palco com vários músicos. O concerto está marcado para as 22h00, no Largo Dr. Martins Lima.


O caráter internacional do Jazz ao Largo fica também marcado pela presença de Andy Sheppard, um dos principais saxofonistas europeus e um dos raros músicos britânicos que tiveram impacto significativo no panorama internacional de jazz. Para a sua passagem por Barcelos, Andy Sheppard convida três dos mais inovadores instrumentistas portugueses – Mário Delgado, na guitarra, Hugo Carvalhais, no contrabaixo, e Mário Costa, na bateria, – e apresenta o projeto Costa Oeste. O concerto acontece dia 10 de setembro, às 22h00, também no Largo Dr. Martins Lima.

Depois de uma viagem até Itália e de uma passagem por Inglaterra, o Festival Jazz ao Largo passa, em definitivo, para vozes nacionais. Bestiário é o projeto que se segue, dia 11 de setembro, à mesma hora e no mesmo local. Ao abrigo do projeto Caleidoscópio, o guitarrista Mário Delgado lidera a Residência Artística que envolve músicos oriundos da cidade de Barcelos e a apresentação pública de vários dias de partilha e de construção musical acontece no Festival Jazz ao Largo.

No mesmo dia, às 15h, no Salão Nobre, o multi-instrumentista Paulo Mesquita assume os comandos de um workshop de improvisação, inspirado nos vários projetos a que o músico está associado, desde dança, teatro, cinema e música ao vivo. O resultado será apresentado num concerto, às 17h00.

O Jazz ao Largo é também um festival de estreias. No último dia, às 17h00, apresenta-se, no claustro do edifício da Câmara Municipal de Barcelos, Luís Vicente Trio, com “Chanting in the name of…”, disco de estreia do grupo formado por Luís Vicente, no trompete, Gonçalo Almeida, no contrabaixo, e Pedro Melo Alves, na bateria. Será um concerto de música espiritual e aguerrida.

Dos oito aos 80 anos, o Jazz ao Largo não esquece os ainda mais pequenos e apresenta, no dia 12, às 10h00, no Theatro Gil Vicente, jazz para bebés, com jazzyababum, um projeto para a primeira infância, com uma grande componente musical, através da qual será desenvolvido um primeiro contacto com o jazz.

Ao longo de todo o evento estará patente, no Theatro Gil Vicente, a exposição “Interlúdios”, um olhar do fotógrafo João Sousa sobre o próprio Festival.

Todas as atividades são de entrada gratuita, limitada à lotação dos espaços e em conformidade com as regras de segurança e higiene, decorrentes da pandemia pela Covid-19. Pode reservar o bilhete para os espetáculos no Theatro Gil Vicente.

Fonte: MB

Camané e Mário Laginha nas comemorações do Dia da Cidade

Agosto 19, 2021 em Atualidade, Concelho, Cultura Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Município de Barcelos comemora, no próximo dia 31 de agosto, o Dia da Cidade, uma data histórica ao celebrar 93 anos de elevação à categoria de cidade.

Em comunicado, a Câmara Municipal de Barcelos, disse que se inicia as comemorações, no dia 30 de agosto, às 21h00, com um espetáculo pelo Coro de Câmara de Barcelos, seguido de Daniel Cristo “Cavaquinho Cantado”. Para terminar, há uma desgarrada com Augusto Canário e Loureiro de Barcelos.

No dia 31, o Dia da Cidade fica marcado pelo hastear da bandeira, às 9h00, nos Paços do Concelho.

Às 21h00, é a vez dos Hybris Ensemble, seguido de Camané e Mário Laginha, com “Aqui está-se sossegando”, subirem ao palco da Frente Ribeirinha.

Os espetáculos mencionados inserem-se no âmbito da candidatura “Canto Luso”, programa financiado através de Fundos FEDER . “Canto Luso”, tal como o próprio nome indica, refere-se ao canto, que é uma referência incontornável neste programa, inspirado na tradição nacional. Por este facto, se propõe estéticas como o fado, o canto coral e os tradicionais cantares ao desafio, tão característicos e presentes no Minho.

Os espetáculos são de entrada gratuita, mas com reserva antecipada através da bilheteira no Theatro Gil Vicente, o espaço tem lotação limitada e cumpre todas as regras da DGS.

Foto:CamaneOficial

Festival SoundVille de regresso às margens do rio Neiva

Agosto 17, 2021 em Atualidade, Concelho Por barcelosnahorabarcelosnahora

O festival SoundVille, iniciado há cinco anos nas margens do rio Neiva, em Viana do Castelo e Barcelos, regressa entre os dias 27 e 29, com pouco público e aposta nas transmissões ‘online’ dos concertos, foi hoje divulgado.

Filipe Castro da organização do festival, que decorre desde a criação, há cinco anos, na Azenha das Pesqueiras, nas freguesias de Barroselas, concelho de Viana do Castelo, e Durrães, Barcelos, adiantou que a participação presencial vai ser limitada a cerca de uma centena de pessoas, quando em edições anteriores o evento juntava perto de um milhar de festivaleiros.

O SoundVille, retomado após “um interregno forçado” devido à pandemia de covid-19, “vai assumir um formato essencialmente virtual com a transmissão dos concertos através de ‘streaming’”, estando já confirmados Noiserv, JP Simões e HHY & The Macumbas.

Filipe Castro explicou o objetivo da organização “é promover o rio Neiva e conservar o património existente”.

“A principal motivação para retomar o festival não se prende com o evento festival em si, mas sobretudo para não deixar que o local caia no abandono, como se encontrava antes de o termos iniciado”, sustentou.

Há cinco anos, segundo Filipe Castro, para o lançamento do festival, a organização “teve de conquistar o espaço ao mato que o envolvia, limpar as margens do rio, recuperar algum património edificado”.

“Estamos a realizar a quarta edição mais numa perspetiva de conservar, promover e valorizar o espaço e o rio Neiva porque o festival, nestes moldes, não é a mesma coisa”, sustentou.

O programa do SoundVille prevê no dia 27, a apresentação de “Onde ser é estar”, trabalho de som e vídeo da autoria de Frederico Dinis.

A noite inclui os concertos de Lisa Wanloo e HYY & The Macumbas. No sábado, dia 28, atuam ainda Ghost Hunt e JP Simões, e, no dia seguinte, José Valente e Noiserv fecham o festival.

O SoundVille “dispõe de vários espaços orgânicos em harmonia com a e biodiversidade do rio Neiva”.

Há “água potável gratuita, as louças são reutilizáveis, a iluminação tem máxima eficiência energética, as casas de banho são ecológicas e todos os resíduos são separados, reciclados e valorizados”.

“A ideia é a reversão da pegada ambiental do evento”, refere a organização.

Organizado pelo Núcleo de Apoio às Artes Musicais (NAAM) e pelo Futebol Clube Lírio de Neiva, o festival ecológico pretende “chamar a atenção para o rio Neiva, reunindo o apoio das Câmaras de Viana do Castelo e Barcelos, da União de Freguesias de Durrães e Tregosa, da União de Freguesias de Barroselas e Carvoeiro, do Instituto Português do Desporto e Juventude, do Ministério do Ambiente e do Fundo Ambiental”.

Comunidade artística barcelense já se pode inscrever na plataforma “Mapeamento do Setor Artístico-Cultural”

Julho 16, 2021 em Atualidade, Concelho, Cultura Por barcelosnahorabarcelosnahora

A plataforma “Mapeamento do Setor Artístico-Cultural”, já está disponível para os artistas barcelenses se inscreverem de 14 de julho a 6 de setembro. Esta ação permite a recolha de dados da comunidade artística barcelense, que deve ser efetuada no site do município.

Esta iniciativa tem como principais objetivos, recolher informação sobre os intervenientes nas diversas áreas da cultura, tratar os dados recolhidos para potenciais apoios e/ou contratações e candidaturas, conhecer de forma aprofundada a composição do tecido cultural e artístico barcelense, incentivar os artistas apoiando-os no seu processo criativo e encorajando-os à permanência no tecido cultural do concelho e reconhecer o trabalho desenvolvido em diferentes áreas culturais.

Fonte: MB

Foto:@sherman101

Artistas barcelenses juntos na iniciativa “20 e um”

Julho 6, 2021 em Atualidade, Concelho, Cultura Por barcelosnahorabarcelosnahora

O festival inicia no dia 14 de julho, às 18h, com uma exposição coletiva de todos os artistas plásticos que se inscreveram, sendo eles: Eduardo Faria, Cristiana Sá, Ana Torres e Catarina Real, acompanhados pelo saxofonista Pedro Pereira.


Nos restantes dias, 15, 16 e 17 de julho, são apresentados quatro projetos musicais a solo com a estreia de Ece Canli, com “Vox Flora, Vox Fauna”, no dia 15, às 22h, programado pelo barcelense José Roberto, da editora Lovers & Lolypops.

Os demais espetáculos são apresentados pelos barcelenses Pedro Oliveira, à bateria com “Krake”, no dia 16, às 22h; Helena Silva, ao violino, no dia 17, às 19h; e com Ricardino Lomba, no mesmo dia, às 22h, ao som da eletrónica.

Alguns dos espetáculos têm entrada paga.

Fonte: MB

Viagem histórica “Do Ferro ao Ouro” vai passar por Barcelos, Braga e Esposende

Maio 28, 2021 em Atualidade, Concelho, Cultura Por barcelosnahorabarcelosnahora

As cidades de Barcelos, Braga e Esposende vão acolher a partir de sexta-feira e até 26 de setembro, 139 espetáculos inseridos na Viagem histórico-cultural “Do ferro ao Ouro”, foi hoje divulgado.

Em comunicado de imprensa, a autarquia de Esposende explica que os espetáculos visam a “divulgação e integração territorial” através de “criações, recriações, performances, experiências imersivas e reinterpretações”, numa simbiose entre o “contemporâneo, a história e o património do território”.

As atividades pretendem ainda potenciar a atração de fluxos turísticos crescentes”, assim como “a participação direta das comunidades locais”.

Para tal, a organização prevê uma “extensa rede de parceiros” e privilegia a “mediação criativa e interação direta com o público”, sem esquecer a perspetiva de viagem pelo tempo e território.

O arranque do projeto acontece na sexta-feira, no Salão Medieval da Reitoria da Universidade do Minho, em Braga, com o Coro de Câmara de Barcelos e termina a 26 de setembro com a Nova Comédia Bracarense, no Espaço Vita também em Braga.

“Todos os eventos do programa são de acesso gratuito, estando todas as atividades sujeitas às normas da Direção-Geral da Saúde em vigor na altura da sua realização”, salienta a organização.

Os eventos vão estender-se por 21 locais “associados a espaços distintivos que valorizam o património cultural”, nomeadamente sítios arqueológicos, monumentos, jardins históricos, museus e palácios.

Tendo em conta os períodos históricos, a viagem histórico-cultural vai ter três ações principais: O Galaico-Romano (organizada pelo concelho de Esposende), O Legado Medieval (organizada pelo concelho de Barcelos) e O Esplendor Áureo (organizada pelo concelho de Braga).

A iniciativa é co-financiada pelo programa NORTE 2020 – Programa Operacional Regional do Norte, Portugal 2020 e pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), sob o “Domínio da Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.

“A programação cultural em rede é promovida em parceria pelo município de Esposende (que assume a condição de parceiro líder) e pelos municípios de Barcelos e Braga, e pela Esposende 2000, estas na qualidade de entidades copromotoras”, descreve a autarquia de Esposende.

O total do investimento “ascende a 313.246,30€, sendo investimento elegível 296.269,49€, comparticipado a 100% pelo FEDER”, acrescenta.

A viagem histórica pretende contribuir ainda para atingir as metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), incluídos na Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU).

Fonte: Lusa

Ir Para Cima