Tag archive

Estádio Cidade de Barcelos - page 3

Gil Vicente: Pedro Ribeiro garante que “vamos lutar, com tudo, para ganhar os jogos”

Março 23, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

No próximo domingo, dia 25 de março, o Gil Vicente recebe o Arouca, pelas 16h00, em jogo a contar para a 29ª jornada. Em conferência de imprensa, o treinador gilista, Pedro Ribeiro, abordou, não só, esse jogo, como a atualidade do clube e da equipa.



Depois de uma importante vitória, no Seixal, frente ao Benfica B, a semana de trabalho decorreu de melhor forma. “Trabalhar em cima de vitórias é sempre melhor do que trabalhar em cima de qualquer outro tipo de resultados. Mas isso não quer dizer que a rotina semanal e a boa disposição não tenham acontecido na semana anterior, que começou com uma derrota em Guimarães. Não foi o resultado que queríamos mas foi na mesma uma semana alegre, que teve boa disposição, compromisso no trabalho. É evidente que nesta semana, depois de uma vitória, o grupo está bem-disposto, está alegre, está a sentir-se muito bem. É uma semana que está a decorrer de forma muito boa”, afirmou Pedro Ribeiro.

Depois de melhorar os resultados, a perceção sobre a equipa e os jogadores parece estar a mudar mas Pedro Ribeiro salientou que a qualidade da equipa é mesma. “O que faltava, na minha opinião, era os jogadores sentirem-se confortáveis, confiantes, acreditarem na ideia de jogo, onde se sentem mais cómodos a jogar. Eles estão a fazer tudo o que podem fazer para, rapidamente, mudarem a situação da classificação. A motivação intrínseca é determinante e eles sentem-se motivados para reagirem. Quando assim acontece, é normal que os resultados comecem a aparecer, que as boas exibições aconteçam e como têm acontecido”, ressalvou.

Nos próximos jogos, o Gil Vicente recebe dois candidatos ao título e à subida: Arouca e Penafiel. A equipa gilista vem de resultados mais positivos e, por tal, o treinador foi questionado sobre se este seria o melhor momento para defrontar essas equipas. “Nós temos que nos preocupar connosco. Não temos que nos preocupar com os adversários. Temos que os respeitar, perceber claramente que o Arouca e o Penafiel são, neste momento, equipas que ambicionam subir à Primeira Liga. São equipas que têm qualidade, que estão bem trabalhadas, que têm todo o mérito. Mas temos que nos preocupar connosco e em continuarmos com o mesmo tipo de comportamento enquanto equipa, união de grupo e humildade. Vamos continuar a acreditar que estamos a fazer bem o nosso trabalho e respeitar os nossos adversários. Vamos jogar contra boas equipas. Cabe-nos ser mais competentes. Independentemente de ser o Arouca, ou o Penafiel, ou o Famalicão, nós queremos, em casa ou fora, impor o nosso jogo, sermos uma equipa com personalidade, impor as nossas ideias. É nisso que acreditamos e o grupo está alegre porque se sente confortável com isto tudo. O grupo quer ser protagonista, quer honrar o clube histórico que estamos a representar. Queremos que os jogadores sejam protagonistas individualmente. Isso só resulta se, coletivamente, formos uma equipa forte. Estamos a caminhar para nos tornarmos uma equipa com estes traços de personalidade”, respondeu.

Mais particularmente sobre o adversário de domingo, Pedro Ribeiro salientou que “o Arouca está recheado de bons jogadores. É um clube que nos últimos anos esteve na Primeira Liga e está bem estruturado. Tem um padrão de jogo bem definido. Temos estudado muito bem o Arouca e eles, possivelmente, também o fazem em relação a nós. Conhecemos claramente os pontos em que eles são mais fortes e os pontos que podemos tentar explorar. Mas nós temos é que acreditar na nossa ideia de jogo e impô-la no jogo. Temos que ser nós a controlar o presente e o futuro. Nós não temos que reagir a nenhuma equipa. Temos que as conhecer, que perceber como é que nos podemos ajustar estrategicamente a uma ou outra situação mas temos que impor o nosso jogo”.

O treinador tem alternado entre jogadores ofensivos e esquemas de jogo. Instado a analisar essa forma de atuar, Pedro Ribeiro foi claro: “não vou expor muito daquilo que é a nossa ideia de jogo porque estaria a dar trunfos a todas as equipas que poderão jogar contra nós. Sei que somos alvo de análise como nós analisamos as outras equipas. É pelas dinâmicas, associadas às estruturas de jogo, que as equipas jogam. Tem jogado o Camara na direita e o André [ndr: André Fontes] na esquerda mas isso é um ponto de partida. Depois, a dinâmica ofensiva da equipa resulta de muitas outras movimentações, muitas outras situações que acontecem no jogo. O André tem características diferentes do Camara. O Fred [ndr: Frédéric Maciel] tem características diferentes das do Aldair, do Gonçalo Abreu, dos jogadores que poderão jogar pelas alas. Neste momento, as opções têm sido essas. Não sei se domingo serão as mesmas”, sendo que em relação à estratégia de jogo, Pedro Ribeiro “já disse aos jogadores que eles não jogam o jogo do treinador, jogam o jogo do treinador e o deles”. De uma forma convicta, afirmou que “até ao final da época, queremos corrigir a imagem que ficou da primeira parte da temporada”.



Por falar nesse momento da temporada, o treinador gilista foi questionado sobre o que pensava do trabalho dos técnicos anteriores e o que poderão esperar os adeptos do futuro mais próximo. No entanto, Pedro Ribeiro salientou que tem muito respeito pelos seus colegas de profissão e pelos treinadores que estiveram no Gil Vicente anteriormente. “Nunca viria aqui criticar nada, nem ninguém. Não vou entrar nas suposições. Vou abordar aquilo que posso e devo, que é o meu percurso desde que cá estou. Aquilo que podemos fazer até ao final da época é disputar os três pontos em todos os jogos. Temos essa ambição, essa responsabilidade e sentimo-nos cómodos com essa responsabilidade. Queremos abordar o jogo do Arouca conforme abordámos o do Vitória ou o do Benfica. Com intenção clara de ganhar os três pontos. Onde vamos chegar? Não sei precisar a cem por cento mas tenho a certeza que, mantendo o comportamento, a atitude, a entreajuda, a humildade, vamos conseguir estar em condições de disputar os três pontos nos jogos todos e tentar ganhar, ser mais competentes que os adversários, respeitando-os sempre porque do outro lado está sempre uma equipa e a Segunda Liga é uma competição muito característica, em que jogar contra os primeiros e jogar contra os últimos, são sempre jogos muito difíceis, muito competitivos. É isso que eu sei que vai acontecer nos jogos que faltam”.

E que equipa tem o técnico agora? Pedro Ribeiro afirmou ter uma equipa “que confia em si, que se sente motivada” para que os jogos sejam o quanto antes. “Quem joga, quer competir. Eu sou competitivo. Os jogadores só reagem bem na competição. Nós queremos competir. Queremos jogar contra toda a gente. Não vou desrespeitar e dizer que vamos ganhar todos os jogos porque não sei, depende de muitas coisas. O que garanto é que vamos lutar, com tudo, para ganhar os jogos. Isso posso prometer, o grupo de trabalho pode prometer”, fazendo questão de salientar a importância dos adeptos e apelando à sua presença no jogo de domingo. “Contamos, porque é muito importante, com os nossos adeptos, que domingo venham ao estádio, que nos apoiem, que acreditem na equipa. A equipa está a lutar muito, diariamente, para lhes dar alegrias. Se puderem, venham ao estádio ajudar-nos a ter mais condições para disputar os três pontos”.

Outro assunto que tem estado na “ordem do dia” dos adeptos gilistas, e do futebol português em geral, é como se resolverá o imbróglio jurídico resultante do “Caso Mateus” e que competição irá o Gil Vicente disputar no próximo ano. Pedro Ribeiro ressalvou que pensa o menos possível ou quase não pensa nisso. “Habituei-me a preocupar-me com aquilo que controlo ou que posso controlar. O que não controlo, não me desgasto. Não é à equipa técnica, não é aos jogadores que cabe intervir nesse aspeto. Acredito que será tomada uma decisão justa para o Gil Vicente e para o futebol português. Mais do que isso, não interfiro, não me meto. Preocupo-me, porque já tenho muitas preocupações, é com aquilo que posso controlar e posso ajudar, que é ajudar os jogadores a serem, cada dia, mais fortes, a estarem cada dia mais preparados, treinarem bem, jogarem bem e é essa a minha preocupação. Em relação a questões burocráticas, administrativas, decisões do futebol português, tenho a minha opinião mas nem sequer me desgasto com isso”.

Por fim, Pedro Ribeiro foi questionado sobre se vencendo o Arouca a equipa poderia criar condições para estar ao seu alcance sair da zona de despromoção. “Claramente. Queremos sair rapidamente da zona de despromoção. O primeiro objetivo foi voltar a marcar golos, que não conseguíamos. O segundo foi voltar a ganhar em casa, que já não conseguíamos há quatro meses. O terceiro foi voltar a ganhar fora, que já não ganhávamos há sensivelmente seis meses. O próximo objetivo é sair da zona de despromoção. É evidente que se estiver ao nosso alcance no próximo jogo, ótimo. É isso que nós queremos, rapidamente. É degrau a degrau, chegar aos objetivos mais altos que conseguirmos. É evidente que sabemos que o que resta para jogar desta época não nos permite lutar pela subida de divisão mas permite-nos sair da zona de despromoção e tentar alcançar a melhor posição possível na tabela classificativa”, sendo que “queremos sair da zona de despromoção e, saindo, não queremos voltar a entrar lá. Queremos é progredir na tabela”. Para terminar, reafirmou, “com o máximo de respeito pelo Arouca, por todas as equipas, e eu sei que eles também têm por nós, mas queremos atingir os nossos objetivos e vamos lutar por isso. O jogo de domingo é importante para os nossos objetivos e vamos encará-lo dessa forma”.

Gil Vicente volta às vitórias e vence Leixões por 2-1

Março 4, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

A contar para a 27ª jornada da Ledman LigaPro, o Gil Vicente FC recebeu esta tarde, no Estádio Cidade de Barcelos, o Leixões, tendo conseguido uma importante vitória, por 2-1.



Este foi um jogo muito intenso, com o árbitro Fábio Veríssimo, da AF Leiria, a ser, como infelizmente vem sendo normal, “protagonista” do jogo. Ele que foi coadjuvado por Pedro Felisberto e Paulo Brás, tendo como 4º árbitro Pedro Fernandes (AF Braga).

A equipa gilista, agora treinada por Pedro Ribeiro, jogou com João Costa, Ricardinho, Luiz Eduardo, Sandro, Gabriel, Alphonse, Reko, Jonathan Toro (Rui Miguel, 88’), Camara (Rui Faria, 60’), André Fontes e João Vasco (Fall, 68’). No banco ficaram Rui Sacramento, Miguel Abreu, Henrique e Frédéric Maciel.

Já Francisco Chaló, treinador do Leixões, fez alinhar André Ferreira, Jorge Silva (Ricardo Barros, 75’), Jaime Simões, Oudrhiri (Vá, 75’), Derick Poloni, Belima (Haman, 58’), Breitner, Luís Silva, Ricardo Alves, Evandro Brandão e Medarious. No banco ficaram Tony Batista, Bruno China, João Lucas e Sérgio Semedo.

Iniciou melhor o jogo o Leixões, que chegou ao golo aos 6 minutos. No entanto, o golo foi anulado por falta sobre o defesa do Gil Vicente. Logo de seguida, e na primeira vez que se aproximou da área do Leixões com perigo, o Gil Vicente fez o primeiro golo. Aos 9 minutos, há uma combinação no flanco direito entre Alphonse e Camara, que ganha a linha de fundo, mete na área, onde aparece Ricardinho a fazer o 1-0. Reage de seguida, o Leixões, aos 10 minutos, criando perigo num canto.

Mas nesta fase do jogo estava melhor o Gil Vicente e Jonathan Toro, aos 15’, aparece na área, descaído sobre a esquerda, e proporciona uma boa defesa ao guarda-redes do Leixões. Aos 24’, novo golo invalidado aos leixonenses. Desta feita, o jogador domina a bola com a mão antes de marcar. Foi a melhor fase do Leixões, na procura do empate. No minuto seguinte, proporciona boa defesa a João Costa, guardião gilista. Depois, aos 28’, cria nova oportunidade após um canto. Os homens de Matosinhos continuam com mais iniciativa, a proporcionarem boas defesas ao guarda-redes gilista (39’) e criarem novas oportunidades (41’ e 45’). Ao intervalo, vencia o Gil Vicente por 1-0, golo de Ricardinho.

Logo no reinício, aos 46’, há mais um golo anulado, desta vez aos gilistas. Num livre, há cruzamento para a área e o árbitro considera falta, nas costas do defesa, por parte do marcador do golo do Gil.

Após este lance, o Leixões pega novamente no jogo, na procura do tento do empate. Que surge aos 54’, por Luís Silva. Como “um mal nunca vem só”, o capitão gilista Ricardinho é admoestado, aos 57’, com segundo amarelo e consequente vermelho. A situação complica-se ainda mais para os gilistas, que dão a iniciativa de jogo aos leixonenses e ficam à espera do que os contra-ataques poderão inserir no jogo. E é exatamente num desses contra-ataques que, aos 71’, André Fontes concretiza com sucesso um lance muito bem delineado pelos gilistas, recolocando a equipa da casa na frente do marcador.

O Gil Vicente soube “sofrer” até final, lutando com todas as forças pela vitória. Até ao final do jogo, o Leixões tentou o empate em vários lances (84’, 87’ e mesmo já depois da hora). O árbitro alongou o jogo e deu 6’ compensação.

Por falar em árbitro, este “conseguiu” admoestar com a cartolina amarela oito (!) jogadores gilistas: Ricardinho (34’), Jonathan Toro (36’), João Vasco (51’), Ricardinho (56’ e consequente vermelho por acumulação de amarelos), Sandro (64’), Alphonse (67’), Fall (69’) e João Costa (96’). Já do lado dos leixonenses foram três os contemplados: Breitner (21’), Luís Silva (66’) e Ricardo Alves (82’).



As estatísticas mostram que os gilistas fizeram menos remates (5-9) e conquistaram menos cantos (3-6). No entanto, tiveram mais posse de bola (51%-49%), mais faltas cometidas (28-19) e, como referido anteriormente, mais cartões: amarelos (8-3) e vermelhos (1-0).

Com esta vitória, o Gil Vicente mantém-se no 19º, e penúltimo, lugar mas encurta a distância para as equipas que se encontram imediatamente acima na tabela: Braga B e União da Madeira. Fica, agora, a 2 pontos da primeira e a 3 da segunda, com 27 pontos (contra 29 e 30). Consegue, também, ficar a 4 pontos do Sporting B, a primeira equipa acima da “linha de água”.

Na próxima jornada, a 10 de março, pelas 16h00, o Gil Vicente desloca-se ao terreno do Guimarães B.

Fotos: Ricardo Moreira.

VI Feira Internacional de Clássicos no Estádio Cidade de Barcelos

Março 3, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Desporto Por barcelosnahorabarcelosnahora

A Associação Cultural MotoCavaquinhos, com o apoio da Câmara Municipal de Barcelos, organiza a VI Feira Internacional de Clássicos de Barcelos, que decorre no Estádio Cidade de Barcelos a 10 e 11 de março.



A Feira servirá para exposição, compra e venda de motas antigas, automóveis e peças. Sábado (10 de março) estará aberta ao público entre 10h00 e as 22h00. Já no dia seguinte, estará entre as 10h00 e as 20h00.

Para mais informações, consulte www.motocavaquinhos.pt (basta clicar no link para aceder directamente) ou utilize os contactos motocavaquinhosbcl@gmail.com ou 96 834 3103/93 261 2444.

Imagem: ACMC.

Gil Vicente empata a zero com Sporting B

Fevereiro 17, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Jogou-se, hoje de manhã, no Estádio Cidade de Barcelos, mais um encontro do Gil Vicente FC a contar para a LEDMAN LigaPro. No caso, para a 25ª jornada.



Arbitrado por Manuel Mota (AF Braga), coadjuvado por Jorge Oliveira e Nélson Cunha, sendo Jorge Fernandes (AF Braga) o 4º árbitro, o jogo contou com os seguintes onzes inciais:

Gil Vicente FC: Rui Sacramento, Luís Tinoco, Luiz Eduardo, Vítor Tormena, Ricardinho, Alphonse, Jonathan Rubio, Aldair (Camara, 59’), Jumisse (Gonçalo Abreu, 70’), Frédéric Maciel (Fall, 86’) e Rui Miguel. Paulo Alves deixou no banco Rafa Pires, Sandro, Miguel Abreu e James Arthur.

Sporting B: Stojkovic, Mauro Riquicho, Ivanildo Fernandes, Demiral, David Sualehe, Filipe Ribeiro (Pedro Delgado, 56’), Paulinho, Ary Papel (Ricardo Almeida, 83’), Rafael Barbosa, Pedro Marques (Ronaldo Tavares, 66’) e Miguel Luís. Luís Martins deixou no banco Diogo Sousa, Guilherme Ramos, Tiago Djaló e Bruno Paz.

O jogo começou com intensidade baixa de ambas as equipas, com o Gil a tomar a iniciativa de jogo, com bastante posse, e o Sporting a optar por uma estratégia de transição rápida. Aos 20 minutos, surge uma grande oportunidade para o Gil. Canto batido da direita, bola sobra para entrada da área e Frédéric isola Aldair, que “tremeu” na cara de Stojkovic, permitindo a defesa deste. No minuto seguinte, na sequência do canto, a bola entrou mesmo na baliza sportinguista mas o lance foi invalidado por fora de jogo. A primeira parte foi passiva e de baixa intensidade, ajustando-se o nulo ao intervalo.

A segunda parte iniciou como a primeira, com o Gil a tomar a iniciativa de jogo e o Sporting a explorar contra-ataques. Aos 65’, a bola volta a entrar na baliza do Sporting mas Rui Miguel estava em posição Irregular. O jogo chegou aos 70 minutos sem grandes ocasiões  de golo para ambas as equipas. Nos últimos 15’, o Gil pressionou mais o Sporting nas saídas de bola e conseguiu chegar com mais perigo junto da baliza de Stojkovic. Aos 90+2’ surge uma grande oportunidade para o Sporting, pelos pés de Sualehe, com um remate perigoso que Rui Sacramento sacudiu por cima da barra.

Pouco depois deu-se o final do jogo, com poucas oportunidades de ambas as equipas, sendo que a melhor oportunidade pertenceu ao Sporting já no período de descontos.

Estatisticamente, o Gil Vicente ficou por cima em todos os aspetos: 12-9 (remates), 52%-48% (posse de bola), 14-9 (faltas cometidas), 11-6 (cantos) e 1-0 (cartões amarelos). O único “amarelado” da partida foi Gonçalo Abreu, aos 86 minutos.

Gil Vicente goleado em casa pela Académica por 0-4

Fevereiro 11, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Jogou-se hoje de manhã, no Estádio Cidade de Barcelos, mais uma partida a contar para a 24ª jornada da LEDMAN LigaPro.



Arbitrado por Hélder Malheiro (AF Lisboa), coadjuvado por Bruno Jesus e Tiago Rocha, sendo Ângelo Carneiro (AF Vila Real) o 4º árbitro, Paulo Alves, treinador do Gil Vicente, fez alinhar Rui Sacramento, Luiz Eduardo, Sandro, Gabriel, Jonathan Rubio, Aldair (Camara, 67’), João Vasco (Reko, INT), Alphonse, James Arthur (Rui Miguel, 32’), Frédéric Maciel e Gonçalo Abreu. No banco ficaram João Costa, Ricardinho, Vítor Tormena e Miguel Abreu.

Já Ricardo Soares, treinador da Académica, apresentou Ricardo Ribeiro, Pedro Empis (Ki, 81’), João Real, Mike, Brendon, Ricardo Dias, Zé Tiago, Balogun (Fernando Alexandre, 63’), Guima, Djoussé (Alan Júnior, 70’) e Luisinho. No banco ficaram Guilherme Oliveira, Chiquinho, Diogo Ribeiro e Piqueti.

Este foi um jogo em que os gilistas procuraram vencer mas era sempre a Académica de Coimbra a marcar. Logo aos 23 minutos, Guima abriu o marcador para os estudantes. Ainda antes do intervalo, aos 40 minutos, Luisinho ampliou a vantagem. Pouco depois do reinício da partida, aos 55 minutos, Djoussé apontou o terceiro e Ricardo Dias, aos 85 minutos, fechou a contagem para os forasteiros, castigando o Gil Vicente com um resultado demasiado pesado para o que se passou durante o jogo.

Os gilistas fizeram mais remates (12-9), tiveram mais posse de bola (57%-43%), cometeram mais faltas (21-19), tiveram mais cantos (8-1) e mais cartões amarelos (3-2). Mesmo assim, o resultado final ditou uma goleada conimbricense por 0-4.

Rui Miguel (45+3’), Gabriel (47’) e Reko (75’) foram os “contemplados” com a cartolina amarela pelos da casa; Brendon (30’) e Balogun (47’) foram pela Académica.

Com este resultado, o Gil Vicente queda-se pelo 18º lugar, com 23 pontos, já a 4 da linha de água. Na próxima jornada, sábado, dia 17 de fevereiro, pelas 11h15, recebe a equipa B do Sporting, em mais um jogo que se afigura muito difícil.

Gil Vicente continua em maré de azar e é derrotado em casa pelo Varzim

Janeiro 29, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Em jogo a contar para a 22ª jornada da LEDMAN LigaPro, o Gil Vicente Futebol Clube recebeu, no Estádio Cidade de Barcelos, o Varzim SC, a uma hora (16h00) e dia (segunda-feira) “fora do normal”.



Paulo Alves, técnico gilista, fez entrar no relvado Rui Sacramento, Gabriel, Luiz Eduardo (Vítor Tormena), Sandro, Luís Tinoco, Alphonse, James Arthur (James Igbekeme, 75’), Jonathan Rubio (Aldaír, 59’), Frédéric e Gonçalo Abreu. No banco ficaram João Costa, Reko, Ricardinho e Fall.

Já o barcelense Capucho, técnico varzinista, apresentou Paulo Vítor, Sandro, Tiago Valente, Nelsinho, Nélson Agra, Pintassilgo (Diogo Ramos, INT), Jean Felipe, Stanley (Fábio, 85’), Malele (Seck, 78’), Rúben Macedo e Rui Coentrão. No banco ficaram Paulo Cunha, Zeka, Mário Sérgio e Ruan.

O árbitro foi Sérgio Piscarreta (AF Algarve), coadjuvado por Hugo Ribeiro e Nuno Ferreira, com Rui Licínio (AF Porto) como 4º árbitro.

De destacar, na equipa gilista, a estreia de Gonçalo Abreu e James Arthur no onze inicial, se bem que este último já tinha sido utilizado na última jornada. Também Aldaír, novo reforço, estreou-se, com o guarda-redes barcelense João Costa, igualmente recém-contratado, a ficar no banco.

Os gilistas entraram a “todo o gás”, com o hondurenho Jonathan Rubio a cabecear à barra, após centro do esposendense Frédéric, logo aos 2 minutos. Como se não bastasse esta, eis que o Gil Vicente consegue outra oportunidade, com o mesmo jogador a centrar mas Gonçalo Abreu a cabecear, novamente, ao ferro, aos 9 minutos. O azar começava logo a fazer-se sentir neste jogo para o lados dos da casa.

Ao intervalo o marcador registava um nulo, com os gilistas a iniciarem melhor, lamentando o azar e as bolas ao ferro, e os varzinistas a equilibrarem a contenda.

No reinício, e após grande perdida gilista, o ex-FC Porto B, Rúben Macedo, aos 48 minutos, faz uma diagonal da esquerda para o meio e, em zona frontal, defere um remate colocado, abrindo o marcador e para os forasteiros.

O Gil Vicente demorou a reagir e apenas aos 60 minutos, Gonçalo Abreu, após cruzamento do estreante Aldaír, cabeceou a rasar o poste. Continuava o azar para os gilistas, que tentaram responder ao golo sofrido mas faltava-lhes discernimento no último terço do terreno de jogo. Os visitantes ainda desferiram alguns contra-ataques mas só por uma vez levaram perigo à baliza gilista.

A estatística final mostra um Gil Vicente mais rematador (9-4), com mais posse de bola (54%-46%), mais faltas cometidas (14-13) e mais cantos (8-3). Na disciplina, Luiz Eduardo (18’) e Gonçalo Abreu (36’) foram admoestados com amarelo pelo lado dos gilistas; já pelo dos varzinistas, Sandro (34’), Tiago Valente (66’) e Nélson Agra (69’) foram os “contemplados”.



Por: Gonçalo Santos.

Fotos: Gonçalo Santos e Fernando Rodrigues.

Gil Vicente perde com o líder FC Porto B em dia de estreia de dois reforços

Janeiro 14, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Em jogo realizado esta manhã, no Estádio Cidade de Barcelos, o Gil Vicente Futebol Clube foi derrotado pelo líder FC Porto B por uma bola a zero, a contar para a 20ª jornada da LEDMAN LigaPro.



Paulo Alves fez alinhar de início Rui Sacramento, Ricardinho (Camara, 84’), Luiz Eduardo, Vítor Tormena, Gabriel, Luís Tinoco, Alphonse (Jonathan Rubio, 64’), James Igbekeme, Frédéric Maciel, Fall (Dimba, 71’) e João Vasco. No banco ficaram Júlio Neiva, Sandro, Reko e André Fontes.

Já António Folha, técnico do FC Porto B, fez alinhar de início Diogo Costa, Luís Mata (Chikhaoui, 94’), Jorge Fernandes, Diogo Queirós, Rui Moreira, Luizão (Moreto, 72’), Yahaya, Bruno Costa, Fede Varela (Irala, 91’), Galeno e André Pereira. No banco ficaram Mbaye, Bidi, Rui Pires e Madi Queta.

O jogo foi arbitrado por Cláudio Pereira (AF Aveiro), coadjuvado por Carlos Campos e Marco Vieira. O 4º árbitro foi Inácio Pereira (AF Braga).

Este foi um jogo repartido, com as estatísticas a demonstrarem isso mesmo. Os gilistas tiveram mais remates (15-9) e mais cantos (5-3). Os portistas tiveram mais posse de bola (56%-44%) e mais faltas cometidas (21-11). Ambas as equipas tiveram um jogador admoestado com a cartolina amarela. Gabriel (28’), pelo Gil Vicente, e Luizão (56’), pela equipa B portista.

Paulo Alves estreou o reforço Frédéric Maciel (ex-Moreirense) no onze inicial, tendo estreado o brasileiro Dimba (ex-Penapolense), também ele contratado recentemente. Alphonse e João Vasco, reforços igualmente deste “mercado de inverno” também foram utilizados pelo técnico gilista.

Na segunda-parte, o Gil mudou algumas peças para se balancear mais para o ataque, principalmente após o golo dos portistas, apontado por André Pereira, aos 71 minutos. De imediato, Paulo Alves fez entrar o novo avançado brasileiro Dimba para o lugar de Fall e a 4 minutos dos 90, trocou Ricardinho por Camara. Aos 64 minutos já tinha trocado Alphonse por Rubio. Ou seja, um jogador mais balanceado para o ataque e organização ofensiva; um jogador mais fresco para o ataque; e, por mim, trocou um jogador mais ofensivo por um da defensiva. O técnico portista operou as duas últimas substituições já em tempo de descontos, claramente para “queimar tempo”.

Mesmo ao “cair do pano”, o Gil teve direito a uma grande-penalidade. No entanto, Igbekeme permitiu a defesa do jovem guardião Diogo Costa, “fechando” o resultado final.

Desta forma, e com esta vitória, beneficiando dos empates de Académica e Académico de Viseu, a equipa B do FC Porto ganhou pontos aos mais diretos adversários. Já o Gil Vicente manteve-se na 15ª posição, com 22 pontos.

Na próxima jornada, os gilistas deslocam-se ao sul para defrontar o Cova da Piedade, em jogo a disputar no dia 20 de janeiro, sábado, pelas 15h00.

Imagem: GVFC (alterada).

Gil Vicente: Paulo Alves antevê jogo deste domingo frente ao FC Porto B

Janeiro 12, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Em declarações à Gil Vicente TV, Paulo Alves fez o lançamento deste grande jogo do próximo domingo, no Estádio Cidade de Barcelos, pelas 11h15, com transmissão na Sport TV. Analisou, igualmente, o atual momento da equipa gilista.



Começou por realçar a aceitação que o grupo teve à chegada da nova equipa técnica. Sobre o trabalho que está a ser desenvolvido, Paulo Alves referiu que “os jogadores e a equipa têm trabalhado nos limites. A equipa tem trabalhado muito bem, tem tentado, dentro daquilo que é possível, nestes primeiros dias, assimilar alguns conceitos, algumas ideias. E, portanto, nesse sentido estamos no bom caminho. Estamos num processo de integração de alguns elementos novos, que leva o seu tempo também, mas que esperamos, tão rápido quanto possível, possa ‘dar os seus frutos’ e ter uma equipa homogénea, sólida e que possa corresponder às dificuldades. E são muitas, nesta prova, nesta segunda liga”.

Em relação ao jogo de domingo, Paulo Alves deixou uma análise do adversário, abordando aquilo que espera para a sua equipa, não só para este confronto com os portistas, como para o resto da temporada. “Neste momento, o Porto B é o líder do campeonato, é sobejamente uma equipa conhecida pela sua qualidade, pelos seus elementos. Muito fortes em termos técnicos, em termos individuais e coletivos. Portanto, sem dúvida nenhuma, estamos à espera de muitas dificuldades. Seja como for, nós temos que estar preparados para isso e temos que ter a motivação necessária para poder fazer frente a isso e poder chegar à vitória. Vai ser difícil, com certeza. Mas há algo que nós não podemos esquecer e que temos que rapidamente incutir nestes jogadores. Este é um estádio [o Cidade de Barcelos] que, tradicionalmente, é difícil para os adversários e isso vai ter que ser uma palavra de ordem muito forte. Quem vier cá, obviamente tem que sentir que está uma equipa aqui que vai trabalhar, que vai lutar, que fazer tudo pela vitória. Esse vai ser o grande objetivo. Obviamente que sabendo que do outro lado está um adversário com muito valor e que em qualquer altura, individualmente, vão criar muitos problemas. Mas nós queremos contrapor com aquilo que são as nossas qualidades, as nossas competências, a nossa organização, à qual temos que ser muito fortes”, salientou.



Tendo abordado o momento atual e o trabalho que está a ser levado a cabo pela equipa técnica e jogadores, Paulo Alves não deixou de expressar aquilo que pretendem para o futuro. “Nós estamos num processo inicial e queremos construir um ano melhor. Sabemos das dificuldades que nos esperam, sabemos das expectativas que as pessoas têm. Mas nada vai acontecer por acaso. Vai ter que haver muito trabalho, uma entrega muito grande de todos, uma ligação muito forte em termos daquilo que é um grupo saudável, que vai sofrer em conjunto por cada vitória que seja. E quando tivermos esses comportamentos todos alinhavados, com certeza, seremos mais fortes. É isso que pretendemos e queremos todos dar muitas alegrias aos sócios num futuro próximo. Tão próximo quanto possível porque este clube merece. Este clube tem que ser um clube que as pessoas se habituem a ver como um clube sólido, consistente e que as equipas lutem sempre para ganhar, em casa ou fora.”

Gil Vicente: Paulo Alves, novo treinador, estreia-se com empate sem golos

Janeiro 6, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Em jogo a contar para a 19ª jornada da LEDMAN LigaPro (2ª Liga), o Gil Vicente Futebol Clube (15º) não foi além de um empate caseiro, a zero, frente ao Real (20º e último classificado).



Realizado no Estádio Cidade de Barcelos, com iniciado às 15h00, a turma orientada por Paulo Alves alinhou com Rui Sacramento, Gabriel, Vítor Tormena, Luiz Eduardo, Luís Tinoco, André Fontes, Alphonse, Reko (Jonathan Rubio, 45’), Camara (Fall, 61’), James Igbekeme e João Vasco (João Pedro, 85’). Júlio Neiva, Sandro, Miguel Abreu e Ricardinho ficaram no banco.

Já a equipa vinda de Massamá, e orientada por Filipe Martins, atuou com Tom, Paulinho, Vasco Coelho, Paulo Monteiro (Basso, 78´), Leal, Cazonatti, Fokobo, Cele (Marcos Barbeiro, 85’), Vinícius, Abou Touré e Gildo (Marcelo Lopes, 68’). No banco ficaram Patrick Costinha, Diogo Coelho, Abdoulaye Diallo e Brash.

A equipa de arbitragem foi liderada por Daniel Cardoso (AF Aveiro), coadjuvado por Tiago Mota e Vítor Manuel Silva e tendo como 4º árbitro Pedro Fernandes (AF Braga).

Equipa essa que admoestou com cartão amarelo Paulo Monteiro (36m), Cazonatti (65m), Vítor Tormena (66m) e Paulinho (87m).



A primeira parte teve os visitantes mais por cima do jogo, com mais remates e cantos. A posse de bola, ao intervalo, estava dividida em metades iguais por ambas as equipas. Na segunda parte, os gilistas equilibraram a partida, beneficiando das substituições operadas por Paulo Alves. No final do jogo, as estatísticas apontavam para o Gil Vicente a ter mais posse de bola (51% contra 49%). No entanto, em todos os outros dados, os gilistas ficaram atrás dos homens de Massamá. Assim, ficou 4-6 (remates), 9-21 (faltas cometidas), 4-6 (cantos) e 1-3 (cartões amarelos). Não houve vermelhos. De salientar que, ao intervalo, estes números eram mais desnivelados para o lado dos visitantes.

O novo técnico gilista optou por apresentar no onze inicial os reforços Alphonse (ex-Feirense) e João Vasco (ex-Tondela). O primeiro completou o jogo mas o avançado, de Darque, foi substituído por João Pedro já muito perto do final do jogo.

Com este empate, o Gil Vicente soma o seu 22º ponto, continuando muito próximo da “linha de água”. Já o Real soma o seu 14º ponto e continua como “lanterna vermelha”.

Na próxima jornada, a 20ª, os gilistas jogam de novo em casa, no dia 14 de janeiro, domingo, pelas 11h15, contra o líder FC Porto B, em jogo que será transmitido pela SPORT TV.

Imagem: GVFC (alterada).

Formação gratuita “Multiplicação de Plantas – Enxertia e Alporquia”

Dezembro 28, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Município de Barcelos, através do Pelouro do Ambiente, organiza, no próximo dia 19 de janeiro de 2018, entre as 10h00 e as 18h00, uma formação com o tema “Multiplicação de Plantas – Enxertia e Alporquia”.



A formação será orientada pelo Eng.º. José Pedro Fernandes, no Estádio Cidade de Barcelos e é dirigida à população em geral, com participação gratuita.

Serão abordados diversos tipos de enxertias, as épocas de realização (inverno e verão), as espécies em que se pode aplicar e os principais cuidados fitossanitários, bem como a produção de alporques. Também serão conduzidas experiências práticas com os participantes, a título de exemplificação.

Tal como referido, a participação é gratuita, embora com inscrição obrigatória e limitada a 40 formandos (por ordem de inscrição). Para efetuar a inscrição, os interessados deverão enviar e-mail com nome, morada e contacto telefónico para o seguinte endereço eletrónico: gambiente@cm-barcelos.pt.

Fonte e imagem: AB.

Ir Para Cima