Tag archive

FC Arouca

Gil Vicente derrotado em casa pelo candidato à subida Arouca

Março 25, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Estádio Cidade de Barcelos foi hoje palco de mais uma partida da Ledman LigaPro, no caso, do Gil Vicente-Arouca, a contar para a 29ª jornada.



Antes de mais, de salientar que o jogo da 30ª jornada já se realizou e que o da 31ª também será em Barcelos e, igualmente, frente a outro candidato à subida, o Penafiel.

O jogo foi arbitrado por Fábio Piló (AF Leiria), auxiliado por José Mira e Rui Freire, com Tiago Pinto como 4º árbitro.

Pedro Ribeiro fez alinhar de início João Costa, Ricardinho, Sandro, Vítor Tormena, Gabriel, Reko (James Igbekeme, 57’), Jonathan Rubio, Alphonse, André Fontes (Frédéric Maciel, 70’), Camara e João Vasco (Fall, 73’). No banco ficaram Rui Sacramento, Dimba, Rui Faria e Luís Tinoco.

Já Miguel Leal optou por Bracali, João Amorim, Benny, Victor Massaia, Vítor Costa, Bruno Alves, Ericson (Moses, 86’), Palocevic (Nuno Valente, 60’), Bukia, Erick Salles (Barnes, 70’) e Roberto. No banco ficaram Gasparotto, Vargas, Ohemeng e Areias.

O Gil Vicente, a jogar no seu estádio e perante o seu público, tentou “pegar” no jogo logo após o apito inicial da partida. Mas o ritmo de jogo estava com muito pouca intensidade. Tudo muito devagar e o perigo não acontecia, nem numa baliza, nem noutra.

Aos 4’, Jonathan Rubio num livre descaído para a esquerda, obriga o guarda-redes do Arouca, Bracali, a uma boa defesa, desviando a bola para canto.

Nos primeiros 10’, o Arouca não foi à baliza do Gil Vicente. Aos 12’, surge o primeiro remate, muito perigoso, por parte do Arouca à baliza do Gil, por intermédio de Bruno Alves. Depois deste primeiro “sinal” de perigo, o Arouca, a jogar fora, assume o jogo e começa a ser a melhor equipa em campo.

Aos 19’, Roberto domina a bola, já dentro da área, e obriga João Costa a uma boa defesa. Na recarga, Vítor Costa atira por cima. Tenta responder de imediato o Gil Vicente, aos 20’, mas não sai bem a tentativa de “chapéu” de Jonathan Rubio. Já aos 25’, volta a criar perigo o Arouca.

Por esta altura, os forasteiros já dominavam o jogo e o golo do Arouca surgiu com naturalidade. Aos 31’, a defesa gilista, pressionada, tenta aliviar bola. Resulta em lançamento para o Arouca, que coloca a bola na área, onde surge Palocevic a dominar e rematar de pronto, com a bola a passar por baixo do corpo de João Costa. Estava aberto o marcador, no Cidade de Barcelos, e para o Arouca.

Os gilistas, aos 40’, ainda tentam a reação ao golo do Arouca, mas foi uma tentativa muito “tímida”, num cruzamento-remate “sem querer” de Ricardinho, que acaba num remate com algum perigo. O Gil Vicente fazia tudo a um ritmo baixo, tudo muito previsível.

O perigo, da parte do Gil Vicente, na primeira parte, foi muito pouco, ou mesmo quase nenhum. Foi uma primeira parte muito fraca, com futebol muito lento e previsível por parte dos da casa. Ao intervalo, vencia, justamente, o Arouca, por 0-1.



Ao intervalo, o treinador do Gil Vicente, Pedro Ribeiro, certamente que “pediu” mais ritmo, mais intensidade, mais querer aos seus jogadores para a segunda parte.

Voltou a tentar entrar melhor o Gil Vicente na segunda parte. Mas sem profundidade no seu jogo. A primeira oportunidade de golo da segunda parte volta a ser do Arouca. Bukia surge “isolado” mas João Costa, atento e perspicaz, sai rápido da baliza, faz bem a mancha, e evita o segundo do Arouca. O Gil tem a sua melhor oportunidade do jogo aos 57’, num remate forte de João Vasco e boa defesa de Bracali.

Aos 60’ é a vez de Frédéric Maciel, acabado de entrar na partida, chegar ligeiramente atrasado a um cruzamento tenso do lado direito do ataque gilista. Parecia melhor o Gil nesta fase e a querer aumentar o ritmo do seu jogo. O Arouca estava na expectativa.

Aos 76’, o Arouca, numa combinação do lado esquerdo do seu ataque, faz o 0-2. Roberto não desiste do lance, dá de calcanhar para Bukia, que entra na área com a bola controlada, coloca na pequena área, onde Barnes só teve de encostar. Estava feito o 0-2 para o Arouca. Ainda faltavam 15 minutos, mais descontos. Mas o Gil Vicente deu o jogo por entregue com este segundo golo do Arouca. Não criou mais perigo até final. Já o Arouca, depois do seu segundo golo, geriu o jogo a seu bel-prazer.

E aos 83’, com toda a naturalidade, Bukia surge, mais uma vez, na cara de João Costa, mas desta feita, faz o terceiro do Arouca.

Até ao apito final foi deixar correr o tempo. O jogo ficou completamente decidido após o segundo golo do Arouca. Foi uma vitória justa dos visitantes, por 0-3.

Por outro lado, foi um jogo fraco do Gil Vicente. Não foi conseguido, desta feita. Mas melhores dias virão certamente.

Na disciplina, Ricardinho (84’) – pelo Gil Vicente – e Palocevic (55’), Bruno Alves (61’) e Bukia (70’) – pelo Arouca – foram admoestados com a cartolina amarela.

Com esta derrota, o Gil Vicente mantém-se na 18ª posição, com 30 pontos, a 2 da primeira equipa acima da “linha de água”, o Sporting B. O próximo jogo realiza-se no próximo sábado, igualmente no Estádio Cidade de Barcelos, pelas 16h00, frente ao Penafiel.

Fotos e vídeos: Ricardo Moreira.

Gil Vicente: Pedro Ribeiro garante que “vamos lutar, com tudo, para ganhar os jogos”

Março 23, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

No próximo domingo, dia 25 de março, o Gil Vicente recebe o Arouca, pelas 16h00, em jogo a contar para a 29ª jornada. Em conferência de imprensa, o treinador gilista, Pedro Ribeiro, abordou, não só, esse jogo, como a atualidade do clube e da equipa.



Depois de uma importante vitória, no Seixal, frente ao Benfica B, a semana de trabalho decorreu de melhor forma. “Trabalhar em cima de vitórias é sempre melhor do que trabalhar em cima de qualquer outro tipo de resultados. Mas isso não quer dizer que a rotina semanal e a boa disposição não tenham acontecido na semana anterior, que começou com uma derrota em Guimarães. Não foi o resultado que queríamos mas foi na mesma uma semana alegre, que teve boa disposição, compromisso no trabalho. É evidente que nesta semana, depois de uma vitória, o grupo está bem-disposto, está alegre, está a sentir-se muito bem. É uma semana que está a decorrer de forma muito boa”, afirmou Pedro Ribeiro.

Depois de melhorar os resultados, a perceção sobre a equipa e os jogadores parece estar a mudar mas Pedro Ribeiro salientou que a qualidade da equipa é mesma. “O que faltava, na minha opinião, era os jogadores sentirem-se confortáveis, confiantes, acreditarem na ideia de jogo, onde se sentem mais cómodos a jogar. Eles estão a fazer tudo o que podem fazer para, rapidamente, mudarem a situação da classificação. A motivação intrínseca é determinante e eles sentem-se motivados para reagirem. Quando assim acontece, é normal que os resultados comecem a aparecer, que as boas exibições aconteçam e como têm acontecido”, ressalvou.

Nos próximos jogos, o Gil Vicente recebe dois candidatos ao título e à subida: Arouca e Penafiel. A equipa gilista vem de resultados mais positivos e, por tal, o treinador foi questionado sobre se este seria o melhor momento para defrontar essas equipas. “Nós temos que nos preocupar connosco. Não temos que nos preocupar com os adversários. Temos que os respeitar, perceber claramente que o Arouca e o Penafiel são, neste momento, equipas que ambicionam subir à Primeira Liga. São equipas que têm qualidade, que estão bem trabalhadas, que têm todo o mérito. Mas temos que nos preocupar connosco e em continuarmos com o mesmo tipo de comportamento enquanto equipa, união de grupo e humildade. Vamos continuar a acreditar que estamos a fazer bem o nosso trabalho e respeitar os nossos adversários. Vamos jogar contra boas equipas. Cabe-nos ser mais competentes. Independentemente de ser o Arouca, ou o Penafiel, ou o Famalicão, nós queremos, em casa ou fora, impor o nosso jogo, sermos uma equipa com personalidade, impor as nossas ideias. É nisso que acreditamos e o grupo está alegre porque se sente confortável com isto tudo. O grupo quer ser protagonista, quer honrar o clube histórico que estamos a representar. Queremos que os jogadores sejam protagonistas individualmente. Isso só resulta se, coletivamente, formos uma equipa forte. Estamos a caminhar para nos tornarmos uma equipa com estes traços de personalidade”, respondeu.

Mais particularmente sobre o adversário de domingo, Pedro Ribeiro salientou que “o Arouca está recheado de bons jogadores. É um clube que nos últimos anos esteve na Primeira Liga e está bem estruturado. Tem um padrão de jogo bem definido. Temos estudado muito bem o Arouca e eles, possivelmente, também o fazem em relação a nós. Conhecemos claramente os pontos em que eles são mais fortes e os pontos que podemos tentar explorar. Mas nós temos é que acreditar na nossa ideia de jogo e impô-la no jogo. Temos que ser nós a controlar o presente e o futuro. Nós não temos que reagir a nenhuma equipa. Temos que as conhecer, que perceber como é que nos podemos ajustar estrategicamente a uma ou outra situação mas temos que impor o nosso jogo”.

O treinador tem alternado entre jogadores ofensivos e esquemas de jogo. Instado a analisar essa forma de atuar, Pedro Ribeiro foi claro: “não vou expor muito daquilo que é a nossa ideia de jogo porque estaria a dar trunfos a todas as equipas que poderão jogar contra nós. Sei que somos alvo de análise como nós analisamos as outras equipas. É pelas dinâmicas, associadas às estruturas de jogo, que as equipas jogam. Tem jogado o Camara na direita e o André [ndr: André Fontes] na esquerda mas isso é um ponto de partida. Depois, a dinâmica ofensiva da equipa resulta de muitas outras movimentações, muitas outras situações que acontecem no jogo. O André tem características diferentes do Camara. O Fred [ndr: Frédéric Maciel] tem características diferentes das do Aldair, do Gonçalo Abreu, dos jogadores que poderão jogar pelas alas. Neste momento, as opções têm sido essas. Não sei se domingo serão as mesmas”, sendo que em relação à estratégia de jogo, Pedro Ribeiro “já disse aos jogadores que eles não jogam o jogo do treinador, jogam o jogo do treinador e o deles”. De uma forma convicta, afirmou que “até ao final da época, queremos corrigir a imagem que ficou da primeira parte da temporada”.



Por falar nesse momento da temporada, o treinador gilista foi questionado sobre o que pensava do trabalho dos técnicos anteriores e o que poderão esperar os adeptos do futuro mais próximo. No entanto, Pedro Ribeiro salientou que tem muito respeito pelos seus colegas de profissão e pelos treinadores que estiveram no Gil Vicente anteriormente. “Nunca viria aqui criticar nada, nem ninguém. Não vou entrar nas suposições. Vou abordar aquilo que posso e devo, que é o meu percurso desde que cá estou. Aquilo que podemos fazer até ao final da época é disputar os três pontos em todos os jogos. Temos essa ambição, essa responsabilidade e sentimo-nos cómodos com essa responsabilidade. Queremos abordar o jogo do Arouca conforme abordámos o do Vitória ou o do Benfica. Com intenção clara de ganhar os três pontos. Onde vamos chegar? Não sei precisar a cem por cento mas tenho a certeza que, mantendo o comportamento, a atitude, a entreajuda, a humildade, vamos conseguir estar em condições de disputar os três pontos nos jogos todos e tentar ganhar, ser mais competentes que os adversários, respeitando-os sempre porque do outro lado está sempre uma equipa e a Segunda Liga é uma competição muito característica, em que jogar contra os primeiros e jogar contra os últimos, são sempre jogos muito difíceis, muito competitivos. É isso que eu sei que vai acontecer nos jogos que faltam”.

E que equipa tem o técnico agora? Pedro Ribeiro afirmou ter uma equipa “que confia em si, que se sente motivada” para que os jogos sejam o quanto antes. “Quem joga, quer competir. Eu sou competitivo. Os jogadores só reagem bem na competição. Nós queremos competir. Queremos jogar contra toda a gente. Não vou desrespeitar e dizer que vamos ganhar todos os jogos porque não sei, depende de muitas coisas. O que garanto é que vamos lutar, com tudo, para ganhar os jogos. Isso posso prometer, o grupo de trabalho pode prometer”, fazendo questão de salientar a importância dos adeptos e apelando à sua presença no jogo de domingo. “Contamos, porque é muito importante, com os nossos adeptos, que domingo venham ao estádio, que nos apoiem, que acreditem na equipa. A equipa está a lutar muito, diariamente, para lhes dar alegrias. Se puderem, venham ao estádio ajudar-nos a ter mais condições para disputar os três pontos”.

Outro assunto que tem estado na “ordem do dia” dos adeptos gilistas, e do futebol português em geral, é como se resolverá o imbróglio jurídico resultante do “Caso Mateus” e que competição irá o Gil Vicente disputar no próximo ano. Pedro Ribeiro ressalvou que pensa o menos possível ou quase não pensa nisso. “Habituei-me a preocupar-me com aquilo que controlo ou que posso controlar. O que não controlo, não me desgasto. Não é à equipa técnica, não é aos jogadores que cabe intervir nesse aspeto. Acredito que será tomada uma decisão justa para o Gil Vicente e para o futebol português. Mais do que isso, não interfiro, não me meto. Preocupo-me, porque já tenho muitas preocupações, é com aquilo que posso controlar e posso ajudar, que é ajudar os jogadores a serem, cada dia, mais fortes, a estarem cada dia mais preparados, treinarem bem, jogarem bem e é essa a minha preocupação. Em relação a questões burocráticas, administrativas, decisões do futebol português, tenho a minha opinião mas nem sequer me desgasto com isso”.

Por fim, Pedro Ribeiro foi questionado sobre se vencendo o Arouca a equipa poderia criar condições para estar ao seu alcance sair da zona de despromoção. “Claramente. Queremos sair rapidamente da zona de despromoção. O primeiro objetivo foi voltar a marcar golos, que não conseguíamos. O segundo foi voltar a ganhar em casa, que já não conseguíamos há quatro meses. O terceiro foi voltar a ganhar fora, que já não ganhávamos há sensivelmente seis meses. O próximo objetivo é sair da zona de despromoção. É evidente que se estiver ao nosso alcance no próximo jogo, ótimo. É isso que nós queremos, rapidamente. É degrau a degrau, chegar aos objetivos mais altos que conseguirmos. É evidente que sabemos que o que resta para jogar desta época não nos permite lutar pela subida de divisão mas permite-nos sair da zona de despromoção e tentar alcançar a melhor posição possível na tabela classificativa”, sendo que “queremos sair da zona de despromoção e, saindo, não queremos voltar a entrar lá. Queremos é progredir na tabela”. Para terminar, reafirmou, “com o máximo de respeito pelo Arouca, por todas as equipas, e eu sei que eles também têm por nós, mas queremos atingir os nossos objetivos e vamos lutar por isso. O jogo de domingo é importante para os nossos objetivos e vamos encará-lo dessa forma”.

Gil Vicente perde em Arouca com autogolo aos 85 minutos

Outubro 22, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Em jogo realizado esta manhã, no Estádio Municipal de Arouca, o Gil Vicente perdeu frente à equipa local, por 1-0, com o golo a surgir nos últimos minutos do jogo, apontado na própria baliza por Ricardinho.



Em jogo arbitrado por Bruno Rebocho (AF Lisboa), coadjuvado por António Franco e Luís Diogo, sendo Miguel Libório o 4º árbitro, o Arouca alinhou com Bracali, João Amorim, Hugo Basto (Areias, INT), Nuno Coelho, Bruno Alves, Vítor Costa, André Santos (Ericson, 87’), Barnes Osei, Bukia (Bertaccini, 71’), Roberto e Deyvison. No banco da equipa orientada por Miguel Leal ficaram Igor Rocha, Nuno Valente, Palocevic e Vargas.

Já a equipa gilista, orientada por Jorge Casquilha, alinhou com Rui Sacramento, Ricardinho, Luiz Eduardo (André Fonte, 89’), Vítor Tormena, Henrique Brito, Reko, Miguel Abreu, Jonathan Rubio, Camara (João Pedro, 81’), James Igbekeme e Rui Miguel. No banco ficaram Júlio Neiva, Rui Faria, Gonçalo Duarte e Tiger.

Este jogo ficou marcado com a expulsão direta de Rui Miguel, do Gil Vicente, logo aos 15 minutos de jogo, sendo que Roberto, do Arouca, também recebeu ordem de expulsão direta, mas aos 55 minutos. Da parte dos Arouquenses Hugo Basto (15’), Barnes Osei (89’) e Deyvison (91’) receberam cartão amarelo. Do lado dos gilistas, Henrique Brito (81’) e Vítor Tormena (93’) foram os “contemplados” com a cartolina da mesma cor.

Nos dados do jogo, os da casa ficaram à frente dos barcelenses em todos os capítulos. Nos remates (13-6), na posse de bola (59%-41%), nas faltas cometidas (22-18), nos cantos (6-1), nos cartões amarelos (3-2), registando-se a igualdade nos vermelhos (1-1).

Para além da expulsão “madrugadora”, o Gil Vicente também teve problemas com as lesões, sendo que no banco estavam 6 jogadores, menos um dos que estavam no do Arouca. Isso pode ter limitado o trabalho da equipa técnica, levando a que apenas efetuasse duas substituições.

À entrada para os últimos 5 minutos, e quando muitos gilistas já pensavam num “saboroso” empate, eis que o Arouca marca, tendo o autogolo sido atribuído ao capitão gilista Ricardinho.

Com este resultado, o Gil Vicente desce para a 7ª posição, com 14 pontos em 10 jornadas.

Imagem: GVFC (alt.)

Arouca vs. Gil Vicente: “Honrar o emblema que trazemos ao peito” (Jorge Casquilha)

Outubro 19, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Jorge Casquilha, treinador do Gil Vicente, fez ontem a antevisão do próximo jogo da turma gilista, no caso, a contar para a 10ª jornada da LEDMAN LIGA PRO (Segunda Liga), em Arouca, frente à equipa local, no próximo domingo de manhã, pelas 11h15.



Questionado sobre se a paragem do campeonato, por causa dos compromissos da Seleção Nacional e da eliminatória da Taça de Portugal – onde o Gil Vicente já não participou pois já foi eliminado –, foi benéfica, o treinador gilista referiu que ficaram com “mais tempo para preparar o jogo com o Arouca e também serviu para tentarmos recuperar alguns jogadores, que infelizmente, nas últimas semanas, abateram-se sobre nós algumas lesões e este tempo também serviu para tentar recuperar alguns deles. Vamos ver se até ao próximo domingo isso é efetivamente conseguido”.

Já sobre o percurso e o comportamento da equipa nestas primeiras jornadas da Liga, assim como sobre o campeonato em si, Casquilha salientou que “em relação ao campeonato, penso que está dentro das perspetivas que nós já temos da Segunda Liga. Um campeonato muito competitivo, em que as equipas são muito iguais, um futebol muito físico, muito direto e isso tem acontecido na maior parte dos jogos, e dos casos, deste campeonato. A igualdade reflete-se em qualquer jogo e isso reflete-se, também, na classificação geral. Em relação a nós, penso que estamos a fazer uma primeira parte de campeonato muito boa. Claramente dentro ou, mesmo, excedendo as expectativas iniciais. Estamos no grupo dos quintos classificados. Em nove jornadas nunca estivemos abaixo do 8º lugar, portanto, a equipa está claramente dentro dos objetivos que foram propostos para esta época, a andar na primeira metade da tabela. Não nos podemos esquecer que esta equipa é uma equipa muito jovem, com uma média de idades abaixo dos 24 anos, com pouca experiência de segunda liga e isso paga-se caro. A equipa está a evoluir, tem apresentado boa qualidade de jogo e penso que, neste momento, está claramente dentro das perspetivas de toda a gente e dentro dos meus objetivos para esta época”.

Para o treinador gilista “os adeptos devem estar orgulhosos com a equipa que têm. É uma equipa com grande caráter, de coragem e que aborda todos os jogos para ganhar, sabendo que não os pode ganhar todos. Mas temos deixado sempre uma imagem muito positiva”.

Já sobre o próximo jogo e adversário, Jorge Casquilha ressalvou que “vai ser um jogo extremamente complicado, pelo adversário, que apostou imenso neste campeonato e tem o maior orçamento desta divisão. Não só pelo orçamento mas, acima de tudo, pelo plantel que tem e pelas muitas soluções que tem dentro do plantel. É sempre um adversário muito difícil. Depois, nós também não estamos a cem por cento, temos vários lesionados. Se os nossos recursos já não eram muitos, as últimas lesões têm-nos deixado mais limitados. Mas essas condicionantes não nos tiram qualquer ambição para o próximo jogo. A nossa ambição é sempre a mesma. É fazer um bom jogo, honrar o emblema que trazemos ao peito e lutar pelos pontos. É essa a nossa intenção em Arouca. É somar pontos no jogo de domingo”.

Imagem: GVFC.

Ir Para Cima