Tag archive

FC Penafiel

Gil Vicente derrota um dos líderes e sai da zona de despromoção

Março 31, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Este foi um jogo a contar para a 31ª jornada da LEDMAN LigaPro, que opôs o Gil Vicente FC ao FC Penafiel, um dos líderes da classificação, terminando na vitória gilista, por 2-1.



Foi arbitrado por Bruno Paixão (AF Setúbal), coadjuvado por Venâncio Tomé e Rodrigo Pereira, tendo Luciano Maia (AF Braga) como 4º árbitro.

Pedro Ribeiro, técnico gilista, fez alinhar João Costa, Luís Tinoco, Vítor Tormena, Sandro, Ricardinho, Alphonse, James Igbekeme (Fall, 64’), Reko (Camara, 78’), Jonathan Rubio, Frédéric Maciel (Jumisse, 74’) e João Vasco. No banco ficaram Rui Sacramento, Rui Faria, Gabriel e Dimba.

Já Armando Evangelista, técnico penafidelense, fez alinhar Ivo Gonçalves, Kalindi, João Paulo, Luís Pedro, Daniel Martins (Ludovic, 66’), Romeu Rocha (Hélio Cruz, 77’), Vasco Braga, Fábio Fortes, Gustavo, Gleison (Márcio Machado, 86’) e Fábio Abreu. No banco ficaram Tiago Rocha, Luís Dias, César Gomes e Diouf.

O Gil Vicente entrou a “todo o gás” e marcou dois golos na primeira meia hora de jogo. Aliás, foi de 15 em 15 minutos que os gilistas marcaram. Primeiro, aos 15’, por Jonathan Rubio. Depois, aos 30’, por Reko. No minuto seguinte, Fábio Fortes, do Penafiel, é expulso com cartão vermelho. Mas 10 minutos depois, o central Luís Pedro reduziu o marcador para 2-1, resultado com que se chegou ao intervalo.

Com menos um jogador, o técnico penafidelense apostou mais no ataque, trocando o defesa Daniel Martins por um homem de pendor mais atacante, Ludovic. Pedro Ribeiro, técnico gilista, fez as três trocas num espaço de 15 minutos, entre os 64’ e os 78’, fazendo duas trocas com jogadores de características parecidas e uma (troca de Frédéric Maciel por Jumisse) em que o jogador que entrou tinha características de maior posse e controlo da bola.

Até ao final, o resultado não se alterou e o Gil Vicente alcançou a terceira vitória da era Pedro Ribeiro, desta feita, contra um dos líderes da Ledman LigaPro. Com esta vitória e com a conjugação de outros resultados, o Gil Vicente sai, finalmente, da zona de despromoção, sendo a primeira equipa acima da linha de água, com 33 pontos, mais 1 que União da Madeira e Sporting B, mais diretos perseguidores. No entanto, ainda está a 4 pontos do Cova da Piedade, que se encontra imediatamente acima na tabela.

Na disciplina, os jogadores gilistas foram admoestados com o cartão amarelo por quatro vezes (Jonathan Rubio, 47’, Reko, 68’, Fall, 81’, e Camara, 96’). Já os de Penafiel receberam dois amarelos (Luís Pedro, 41’, e João Paulo, 95’). Fábio Fortes (Penafiel) recebeu vermelho direto e Fall (Gil Vicente) recebeu vermelho por acumulação de amarelos.

Na próxima jornada, a 7 de abril, pelas 16h00, o Gil Vicente desloca-se aos vizinhos do Famalicão, num jogo que se adivinha muito difícil.

 

Jonathan Rubio (Gil Vicente) fala sobre jogo contra o Penafiel: “Queremos ganhar os três pontos”

Março 31, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

O hondurenho Jonathan Rubio foi o porta-voz da equipa do Gil Vicente na análise e no lançamento do jogo de hoje à tarde, no Estádio Cidade de Barcelos, pelas 16h00, frente ao Penafiel, a contar para a 31ª jornada.



Desde 2014-2015 a representar o Gil Vicente FC, vindo para os juniores, com apenas uma interrupção de meia época, quando representou por empréstimo os espanhóis do Arandina, Jonathan Rubio salientou que esta tem sido uma época muito importante e de afirmação para si, “porque tem sido a época de me estabelecer na equipa principal, no onze titular. Tenho passado por muitas fases mas, graças a Deus, tenho conseguido impor o meu futebol e tenho conseguido jogar, que era meu objetivo no início da época, poder consolidar-me na equipa. Sabemos que tem sido um ano difícil para todos. Temos estado nos lugares de baixo, o que não é o que o clube quer”, concluiu.

Durante a semana, na ótica do hondurenho, o trabalho tem sido bom e a equipa tem trabalhado bem. “Acho que mesmo com os resultados a não serem o que queríamos, a equipa trabalha sempre muito bem e nós, no balneário, sentimos que as coisas têm mudado muito, para melhor, e estamos confiantes. Contra o Arouca, infelizmente, as coisas não correram bem mas a equipa está a trabalhar muito bem. Acho que, se continuarmos assim, vamos atingir o objetivo da manutenção e, além disso, podemos dar algumas surpresas”, salientou.

Sobre o adversário de logo à tarde, Rubio afirmou que os jogadores querem que o jogo chegue rápido porque querem “dar outra imagem”. “Queremos ganhar e, acima de tudo, queremos dar uma boa imagem. Continuar a jogar bem, como temos vindo a jogar. Acho que isso é o mais importante. Continuar a jogar bem e somar pontos, que é o que nos falta agora, somar pontos. Contra o Arouca ficámos sem pontos mas sabemos que não foi um jogo todo mau. Então, contra o Penafiel queremos continuar a jogar bem e os três pontos”, garantiu o médio gilista.

Ainda sobre a equipa penafidelense, Rubio referiu que já jogaram contra ela na primeira volta. “É uma equipa muito experiente, fisicamente forte. É muito boa, por isso está no primeiro lugar. Achamos que vai ser um jogo difícil mas na segunda liga todos os jogos são iguais. É uma equipa que joga bem em transições e temos que ter cuidado com isso”, ressalvou.

A equipa gilista vai no terceiro treinador esta época mas Jonathan Rubio tem conseguido manter-se pelo onze titular. Para ele, esta época é de afirmação, que resulta do seu trabalho. “Acho que nos treinos e nos jogos tenho demonstrado a minha qualidade e acho que é por isso que tenho permanecido no onze titular”.

Quando instado a explicar o porquê de afirmar que a equipa ainda pode dar umas surpresas, Rubio referiu que podem fazer umas surpresas “porque toda a gente espera que possamos sair da zona de despromoção mas nós não queremos só garantir a manutenção. Queremos, além disso, chegar o mais alto possível na tabela”, algo que Rubio esperava, estar muito mais acima, nos lugares cimeiros. “Conforme começámos a época também podemos tentar terminar assim a época. Da forma que estamos a jogar e o clube a evoluir, o Gil Vicente estará ainda numa condição muito melhor”, afiançou.

Por fim, ainda sobre o último jogo, em que os gilistas foram derrotados em casa pelo Arouca, por 0-3, Jonathan Rubio sabe que não podem cometer alguns erros frente ao Penafiel que cometeram frente aos arouquenses. “É difícil dizer que a equipa esteve bem e perdeu 3-0. Parece que não tem coerência. Mas nós vimos o vídeo e analisámos o jogo. Sabemos que não fizemos tudo mal. Mas contra o Penafiel não podemos cometer alguns erros, algumas desconcentrações que tivemos contra o Arouca”, salientou.

Gil Vicente: Pedro Ribeiro lança jogo frente ao Penafiel

Março 30, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Ontem, em conferência de imprensa, o treinador do Gil Vicente FC analisou o momento da equipa gilista, o último jogo frente ao Arouca e lançou o próximo, no Estádio Cidade de Barcelos, amanhã, pelas 16h00.



Primeiramente, e sobre o último jogo frente ao candidato à subida Arouca, Pedro Ribeiro salientou que, na sua opinião, a equipa está numa fase em que está a jogar contra equipas muito competitivas, ressalvando que todas da 2ª Liga o são. “O Arouca é uma boa equipa, que nos causou dificuldades. Contudo, este jogo tem diversas fases. Entrámos no jogo muito bem, tivemos sensivelmente 30 minutos de jogo com o domínio total do mesmo. A jogar no meio campo ofensivo, agressivos quando não tínhamos a bola, com personalidade com bola, tudo aquilo que eu lhes peço e eles têm tentado cumprir”. No entanto, na ótica do treinador gilista, o resultado fica marcado por um erro da arbitragem, em prejuízo dos gilistas. “O jogo fica claramente marcado por uma decisão infeliz da equipa de arbitragem, que condiciona tudo o resto que se seguiu. Se isso não tivesse acontecido, se iríamos ganhar o jogo, se iríamos empatar, de perderíamos na mesma, estamos a entrar nas suposições, como é óbvio. O que eu sei é que até aos trinta e poucos minutos, até essa decisão, que condicionou claramente o resultado, a equipa estava muito bem, estava a disputar o jogo. É verdade que não estavam a existir grandes oportunidades de golo de parte a parte, sinal de que existiam em campo duas equipas competentes, que estavam a fazer bem o seu trabalho. Eu admito que existam erros, nós também os cometemos, mas uma situação clara de jogo perigoso de um jogador do Arouca é transformada em lançamento lateral a favor e a minha equipa, porque é uma situação tão clara, reagiu tardiamente à situação e fomos penalizados por isso. A seguir, é verdade que a estratégia do Arouca funcionou muito bem, conseguiram intranquilizar a nossa equipa em determinados momentos. Penso que o resultado é claramente desajustado ao que aconteceu em jogo, fundamentalmente até este momento que eu estou a referir, que, na minha opinião, tem muita importância no desfecho do jogo”.

Com a chegada de Pedro Ribeiro e sua equipa técnica, o Gil Vicente voltou a marcar, voltou às vitórias e fez crescer as expectativas dos adeptos em relação à equipa. Questionado sobre esse facto, o treinador gilista fez questão de referir que já abordou esse assunto com os jogadores mas alertou os adeptos para o facto de que o Gil Vicente não joga sozinho em campo e do outro lado há sempre outra equipa competente. “Quando chegámos cá, o clube estava numa situação ainda pior do que a que está neste momento. Já não ganhava há quatro meses em casa, há seis meses fora e já não marcava golos há nove jogos. Relembro isto porquê? É muito importante que os adeptos entendam isto e apoiem a equipa, que está a reagir a uma grande parte da época que não correu bem. Acho que isso se nota em campo, nos jogos”, compreendendo que as expectativas sejam mais altas “e ainda bem porque significa que a equipa está a reagir. Temos que entender que não jogamos sozinhos e que do outro lado existe uma equipa, existe uma estratégia competente contra nós”, concluiu.



Se tivesse vencido o Arouca, a equipa gilista talvez tivesse conseguido sair da zona de despromoção, um objetivo deste grupo de trabalho. No entanto, segundo Pedro Ribeiro, os objetivos continuam intactos. “O objetivo, neste momento, é o mesmo que era antes do jogo com o Arouca: é ganhar o próximo jogo. É disputar os três pontos nos jogos todos. É, evidentemente, tentar sair da zona de despromoção o mais rápido possível. É o objectivo onde podemos chegar no imediato, o mais rapidamente possível. Mas não se esgotam aí os nossos objetivos. Nós queremos isso e, a seguir, com certeza que vamos querer algo mais porque, felizmente, tenho um grupo de trabalho que me dá essas garantias, um clube que dá todas as condições aos jogadores para disputarmos os três pontos nos jogos todos. E tendo isso, como líder da equipa, tenho que me sentir bem com isso”, terminou.

O próximo adversário, o Penafiel, está muito bem no campeonato e com os mesmos objetivos e argumentos do Arouca, subir de divisão. Sobre este adversário de sábado, Pedro Ribeiro salientou ser uma boa equipa, organizada, com uma ideia de jogo clara e que está numa fase muito positiva da época. “É um adversário difícil, não tenho a mínima dúvida. Para nós e para toda a gente que jogar com o Penafiel, será um adversário extremamente difícil. Aquilo que acredito, e que o grupo acredita, é que, se fizermos o nosso trabalho, não temos que reagir a ninguém. Temos que tentar impor o nosso jogo, jogar bem, ser fiéis à nossa identidade, que temos criado enquanto equipa e temos que respeitar o adversário, como sempre o fazemos, considerando aquilo em que eles são mais fortes e aquilo que podemos explorar. Conhecemos bem o adversário. Temos trabalhado bem durante a semana para preparar o jogo e passa por acreditarmos na nossa identidade enquanto equipa, sermos mais competentes que o adversário, respeitando-o. Essa é a ideia que eu quero e que sei que o grupo de trabalho está no mesmo ‘comprimento de onda’ desta ideia”, considerou Pedro Ribeiro.

A equipa gilista tem sofrido mais golos do que marcado. Ou seja, quer o setor defensivo não está a conseguir impedir os adversários de marcar, quer o ofensivo não está a conseguir concretizar as oportunidades alcançadas. Pedro Ribeiro está ciente disso. “O objetivo de todos os clubes é marcar golos e não os sofrer. Se me preocupa os golos sofridos? Preocupa. Como me preocupa as oportunidades de os fazermos e não fazemos, que não conseguimos concretizar. Enquanto treinador, o que tenho que diagnosticar é o que está a acontecer de forma menos positiva e tentar corrigir. E potenciar aquilo que quero que a equipa faça em termos positivos e que aconteçam ainda mais vezes. É evidente que a ambição é não sofrer golos e marcar o máximo de golos possível. Ainda não tem sido possível equilibrarmos isso mas estamos a caminhar” nesse sentido, referiu o treinador gilista, sendo que a “confiança é importante numa equipa e em termos individuais”, para que as situação de golo comecem a serem concretizadas.

Gil Vicente derrotado em casa pelo candidato à subida Arouca

Março 25, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Estádio Cidade de Barcelos foi hoje palco de mais uma partida da Ledman LigaPro, no caso, do Gil Vicente-Arouca, a contar para a 29ª jornada.



Antes de mais, de salientar que o jogo da 30ª jornada já se realizou e que o da 31ª também será em Barcelos e, igualmente, frente a outro candidato à subida, o Penafiel.

O jogo foi arbitrado por Fábio Piló (AF Leiria), auxiliado por José Mira e Rui Freire, com Tiago Pinto como 4º árbitro.

Pedro Ribeiro fez alinhar de início João Costa, Ricardinho, Sandro, Vítor Tormena, Gabriel, Reko (James Igbekeme, 57’), Jonathan Rubio, Alphonse, André Fontes (Frédéric Maciel, 70’), Camara e João Vasco (Fall, 73’). No banco ficaram Rui Sacramento, Dimba, Rui Faria e Luís Tinoco.

Já Miguel Leal optou por Bracali, João Amorim, Benny, Victor Massaia, Vítor Costa, Bruno Alves, Ericson (Moses, 86’), Palocevic (Nuno Valente, 60’), Bukia, Erick Salles (Barnes, 70’) e Roberto. No banco ficaram Gasparotto, Vargas, Ohemeng e Areias.

O Gil Vicente, a jogar no seu estádio e perante o seu público, tentou “pegar” no jogo logo após o apito inicial da partida. Mas o ritmo de jogo estava com muito pouca intensidade. Tudo muito devagar e o perigo não acontecia, nem numa baliza, nem noutra.

Aos 4’, Jonathan Rubio num livre descaído para a esquerda, obriga o guarda-redes do Arouca, Bracali, a uma boa defesa, desviando a bola para canto.

Nos primeiros 10’, o Arouca não foi à baliza do Gil Vicente. Aos 12’, surge o primeiro remate, muito perigoso, por parte do Arouca à baliza do Gil, por intermédio de Bruno Alves. Depois deste primeiro “sinal” de perigo, o Arouca, a jogar fora, assume o jogo e começa a ser a melhor equipa em campo.

Aos 19’, Roberto domina a bola, já dentro da área, e obriga João Costa a uma boa defesa. Na recarga, Vítor Costa atira por cima. Tenta responder de imediato o Gil Vicente, aos 20’, mas não sai bem a tentativa de “chapéu” de Jonathan Rubio. Já aos 25’, volta a criar perigo o Arouca.

Por esta altura, os forasteiros já dominavam o jogo e o golo do Arouca surgiu com naturalidade. Aos 31’, a defesa gilista, pressionada, tenta aliviar bola. Resulta em lançamento para o Arouca, que coloca a bola na área, onde surge Palocevic a dominar e rematar de pronto, com a bola a passar por baixo do corpo de João Costa. Estava aberto o marcador, no Cidade de Barcelos, e para o Arouca.

Os gilistas, aos 40’, ainda tentam a reação ao golo do Arouca, mas foi uma tentativa muito “tímida”, num cruzamento-remate “sem querer” de Ricardinho, que acaba num remate com algum perigo. O Gil Vicente fazia tudo a um ritmo baixo, tudo muito previsível.

O perigo, da parte do Gil Vicente, na primeira parte, foi muito pouco, ou mesmo quase nenhum. Foi uma primeira parte muito fraca, com futebol muito lento e previsível por parte dos da casa. Ao intervalo, vencia, justamente, o Arouca, por 0-1.



Ao intervalo, o treinador do Gil Vicente, Pedro Ribeiro, certamente que “pediu” mais ritmo, mais intensidade, mais querer aos seus jogadores para a segunda parte.

Voltou a tentar entrar melhor o Gil Vicente na segunda parte. Mas sem profundidade no seu jogo. A primeira oportunidade de golo da segunda parte volta a ser do Arouca. Bukia surge “isolado” mas João Costa, atento e perspicaz, sai rápido da baliza, faz bem a mancha, e evita o segundo do Arouca. O Gil tem a sua melhor oportunidade do jogo aos 57’, num remate forte de João Vasco e boa defesa de Bracali.

Aos 60’ é a vez de Frédéric Maciel, acabado de entrar na partida, chegar ligeiramente atrasado a um cruzamento tenso do lado direito do ataque gilista. Parecia melhor o Gil nesta fase e a querer aumentar o ritmo do seu jogo. O Arouca estava na expectativa.

Aos 76’, o Arouca, numa combinação do lado esquerdo do seu ataque, faz o 0-2. Roberto não desiste do lance, dá de calcanhar para Bukia, que entra na área com a bola controlada, coloca na pequena área, onde Barnes só teve de encostar. Estava feito o 0-2 para o Arouca. Ainda faltavam 15 minutos, mais descontos. Mas o Gil Vicente deu o jogo por entregue com este segundo golo do Arouca. Não criou mais perigo até final. Já o Arouca, depois do seu segundo golo, geriu o jogo a seu bel-prazer.

E aos 83’, com toda a naturalidade, Bukia surge, mais uma vez, na cara de João Costa, mas desta feita, faz o terceiro do Arouca.

Até ao apito final foi deixar correr o tempo. O jogo ficou completamente decidido após o segundo golo do Arouca. Foi uma vitória justa dos visitantes, por 0-3.

Por outro lado, foi um jogo fraco do Gil Vicente. Não foi conseguido, desta feita. Mas melhores dias virão certamente.

Na disciplina, Ricardinho (84’) – pelo Gil Vicente – e Palocevic (55’), Bruno Alves (61’) e Bukia (70’) – pelo Arouca – foram admoestados com a cartolina amarela.

Com esta derrota, o Gil Vicente mantém-se na 18ª posição, com 30 pontos, a 2 da primeira equipa acima da “linha de água”, o Sporting B. O próximo jogo realiza-se no próximo sábado, igualmente no Estádio Cidade de Barcelos, pelas 16h00, frente ao Penafiel.

Fotos e vídeos: Ricardo Moreira.

Gil Vicente empata em Penafiel para a 12ª jornada

Novembro 18, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Em partida em atraso da 12ª jornada da LEDMAN Liga Pro, o Gil Vicente FC deslocou-se ao terreno do Penafiel e trouxe para Barcelos um empate a 0 e, com isso, a divisão de pontos.



O jogo iniciou-se pelas 15h00 e foi arbitrado por Jorge Sousa (AF Porto), coadjuvado por Álvaro Mesquita e Nuno Manso, sendo Valdemar Maia o 4º árbitro.

As duas equipas subiram ao relvado do Estádio 25 de Abril, para iniciarem o jogo, com Armando Evangelista, treinador dos durienses a apostar em Ivo Gonçalves, Kalindi, Luís Pedro, João Paulo, José Gomes, Tiago Ronaldo, Ludovic (Romeu Ribeiro, 45’), Fábio Abreu (Fábio Fortes, 58’), Rafa Sousa, Vasco Braga e Gustavo (Gleison, 75’). No banco ficaram José Costa, Luís Dias, Caetano e Diouf.

Já os gilistas, orientados por Jorge Casquilha, alinharam de início com Rui Sacramento, Luiz Eduardo, Vítor Tormena, Luís Tinoco, Miguel Abreu (João Pedro, 72’), Jonathan Rubio, James Igbekeme, André Fontes, Gabriel, Fall (Camara, 58’) e Rui Miguel. No banco ficaram Júlio Neiva, Ricardinho, Henrique, Sandro e Reko.

Num jogo dividido, com os da casa a terem um pouco mais de posse de bola (52% – 48%), o Gil Vicente não conseguiu aproveitar a vantagem numérica que teve a partir do minuto 35 da primeira parte, quando o defesa José Gomes foi expulso com vermelho direto. E por falar em disciplina, do Penafiel, Vasco Braga (25’) e Romeu Ribeiro (51’) foram admoestados com amarelo enquanto Fall (41’), do Gil Vicente, também recebeu uma cartolina da mesma cor. Um elemento do banco penafidelense também foi expulso com vermelho direto, aos 87 minutos.

Na segunda parte, Jorge Casquilha ainda tentou balancear a equipa mais para frente, trocando um médio defensivo por um homem (João Pedro) mais ofensivo mas sem resultados práticos, terminando a partida como começou, ou seja, com tudo a zero.

Sendo assim, os gilistas ficam no 10º lugar da classificação, com 18 pontos em 13 jogos.

Imagens: GVFC (alterada) e DR.

Gil Vicente contrata André Fontes para o meio-campo

Julho 5, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Gil Vicente Futebol Clube apresentou, esta quarta-feira, mais um reforço para a sua equipa principal. Trata-se de André Fontes, médio de 32 anos, natural de Tábua e proveniente do FC Penafiel.

André Fontes (na foto de destaque com o vice-presidente do Gil Vicente, Francisco Senra da Silva), que assinou por uma temporada, fez a sua formação no Oliveira do Hospital, clube que ainda representou enquanto sénior. Seguiram-se Tourizense, Académica de Coimbra, Feirense, Naval, Penafiel, Moreirense, Chaves e, novamente, Penafiel, de onde se transferiu para o clube gilista.




Foto: GVFC.

Ir Para Cima