Tag archive

Fernando Rodrigues

Presidente do IPCA dá posse aos novos diretores da ESG e ETESP

Setembro 5, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Fernando Rodrigues e Filipe Chaves tomam posse

A Presidente do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), Maria José Fernandes, deu posse, na passada segunda feira, dia 2 de setembro de 2019, aos novos diretores da Escola Superior de Gestão (ESG), Fernando Rodrigues, e da Escola Técnica Superior Profissional (ETESP), Filipe Chaves.



Na sessão de tomada de posse do novo diretor da ESG, a Presidente do IPCA, começou por agradecer o empenho e profissionalismo da anterior diretora, Cândida Machado, que desempenhou funções de janeiro de 2019 até à data. Agradeceu, ainda, ao novo Diretor da ESG, Fernando Rodrigues, por ter aceite o cargo e adiantou que, sendo muito positivo a consolidação do projeto educativo da Escola, há ainda um caminho a percorrer, nomeadamente ao nível da internacionalização e da investigação, onde há targets ainda a melhorar.

Doutorado desde 2008 em Ciências Económicas e Empresariais, pela Universidade de Santiago de Compostela, Fernando Rodrigues é professor no IPCA desde 1999 e professor coordenador desde 2015. O novo diretor agradeceu à Presidente do IPCA o voto de confiança e recordou o seu modelo de gestão enquanto diretor da Escola Superior de Tecnologia (EST), durante a presidência do Professor João Carvalho. “Tive um louvor assinado pelo Professor João Carvalho que foi recebido em prol da equipa que me acompanhou, porque não fiz nada sozinho e só assim sei trabalhar. Isto para vos dizer que esta é a minha forma de estar e é neste contexto que assumo esta responsabilidade”. Em relação à sua visão para a ESG, Fernando Rodrigues assume que os estudantes são a prioridade, assim como a envolvente tecnológica e a internacionalização.

Na sede da ETESP, em Braga, Maria José Fernandes deu posse ao primeiro diretor desta escola, Filipe Chaves. A sessão começou pelo reconhecimento do trabalho desenvolvido, desde 2014, aquando da abertura dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP´s) no IPCA, pela anterior Diretora Executiva desta Unidade, Rosário Fernandes, e pelo Presidente da Comissão Executiva, até à data, Agostinho Silva (vice-presidente do IPCA). A Presidente frisou, ainda, a importância destes cursos e a “importância que têm vindo a assumir desde a sua criação, reflexo dos números obtidos na primeira fase de candidaturas aos CTeSP´s”.

Doutorado em Engenharia Mecânica pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto desde 2013, Filipe Chaves é professor no IPCA desde 2009, tendo desempenhado um papel determinante nas áreas científicas da mecânica e da gestão industrial, onde assumiu a direção de diferentes cursos. Destaca-se o trabalho enquanto diretor do curso de mecânica automóvel, desenho técnico e maquinação e da nova licenciatura em Engenharia e Gestão Industrial, que entrou em funcionamento em 2018/2019, fruto de uma aposta da Instituição desta área. O diretor da ETESP referiu o peso da responsabilidade ao abraçar este desafio “não só pelas responsabilidades inerentes ao cargo em si, mas também, por esta Escola ter um perfil e âmbito próprio e distinto das outras escolas, sendo a primeira escola do país para a oferta de cursos técnicos superiores profissionais”. O novo diretor lembrou, ainda, o desafio que está pela frente, com a abertura do Polo de Vila Nova de Famalicão e com a aposta na aproximação com as empresas “dando aos estudantes do IPCA boas soluções empregadoras e a estas empresas recursos humanos qualificados”.

No ano em que a instituição celebra os seus 25 anos, Maria José Fernandes referiu que ainda existe muito a fazer em prol do projeto educativo e científico do IPCA, bem como na melhoria das infraestruturas. Até dezembro, o IPCA vai ter concluído o novo parque de estacionamento, no Campus, com capacidade para 140 lugares. Vai ser também construído no Campus, um novo bar e um restaurante aberto ao público. No Polo de Braga, iniciar-se-ão as obras de requalificação do edifício.

Ainda em relação aos projetos do IPCA, está para breve o início da construção da Escola-Hotel, na Quinta do Costeado, em Guimarães; da abertura do Polo em Esposende para o funcionamento da Escola de Verão e para os CTeSP´s; da passagem da Escola Superior de Design para o centro da cidade de Barcelos, para o edifício da antiga Escola Gonçalo Pereira.

Fonte e fotos: IPCA.

Barcelenses Inspiradores: Fernando Rodrigues

Julho 4, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Entrevistas, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Eu sou a Sandra Santos, uma jovem barcelense inquieta, que tem como paixões a poesia, a arte, a cultura, a natureza, a espiritualidade e a vida. O meu maior objetivo é evoluir como consciência humana e espiritual, de forma a poder influenciar positivamente o mundo.

O meu nome é Iara Brito, sou barcelense e apaixonada por viagens e desvendar novos locais e culturas. Aprecio a leitura e gosto de observar e aprender sobre o comportamento humano. Como criminóloga, sou um irremediável questionadora.

O último “Barcelenses Inspiradores” deu a conhecer Cátia Oliveira. Desta vez, o jovem dinâmico Fernando Rodrigues irá contagiar-nos com o seu lema de vida.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o email: barcelensesinspiradores@outlook.pt.



Fernando Rodrigues, amante do desporto, vê na atividade física a forma de se atingir a tranquilidade e felicidade que o ser humano precisa.

A sua vontade de aprender e evoluir, como profissional e pessoa, faz com que procure, constantemente, o conhecimento. E disso é prova o seu Curriculum. Fez licenciatura e mestrado no ISMAI; concluiu o Curso REP da Escola de formação “REP Exercise Institute”; o curso de musculação e cardiofitness e de Personal Trainer no CEFAD.

Nos tempos livres, adora jogar futebol. Profissionalmente, o que mais agrado lhe dá fazer é o treino personalizado, trabalho esse que tem desempenhado no ginásio barcelense “Máximo”.



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

Bem, visto que a sociedade está em constante mudança, eu não fujo à regra e olho para o meu passado e para o que sou hoje e vejo uma mudança enorme na minha maneira de viver e de sentir as coisas. Sinto que sou uma pessoa bem-disposta, de fácil comunicação pois gosto de interagir e conviver com as pessoas. Daí gostar do que faço, já que a minha profissão me leva a que tenha que conviver com as pessoas. Sou um apaixonado pelo Desporto e pelo Exercício Físico e tento sempre evoluir e ir aprendendo novos assuntos, de maneira a que possa transmitir da melhor maneira o meu conhecimento a todas as pessoas que me rodeiam para que as possa ajudar.

O que fazes é uma extensão de quem és?

Sim, como já referi, eu gosto de ajudar as pessoas e a melhor forma que consigo fazer isso é através do exercício físico pois é a área a que me dediquei e dedico mais a aprender.

Sinto-me realizado quando uma pessoa pede a minha ajuda ou compra os meus serviços e consigo fazer com que essa pessoa consiga alcançar os objetivos propostos. Para mim, é sentimento de missão cumprida quando consigo melhorar o estado de saúde das pessoas, quer fisicamente, ou mesmo, até ao nível de bem-estar.

Não me imagino a viver sem o exercício físico na minha vida.

De que forma impactas a vida do próximo?

Só as pessoas que “trabalharam” comigo ou quem priva comigo é que poderá responder melhor a essa questão. Mas penso que, de praticamente todas as pessoas com que tive o privilégio de poder trabalhar, consegui, de alguma maneira, mudar para melhor o seu estilo de vida, levando a que isso melhorasse o seu bem-estar físico e mental.

Sinto que, na maioria dos casos, das pessoas que precisavam de ajuda, que consegui ter realmente impacto na vida das mesmas e é por isso que sou apaixonado pelo que faço.

Procuro mesmo causar impacto na vida do outro através do exercício físico porque acredito que só o incluindo se pode ter um estilo de vida satisfatório e saudável.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Para além de todas as questões ambientais que estão em voga no momento que merecem o nosso estado de alerta, gostaria e tentaria fazer com que as pessoas percebessem realmente o benefício que o exercício físico e a alimentação tem para a saúde. Que dessem realmente atenção a isso e que dedicassem mais um pouco de carinho ao nosso corpo e mente pois é isso que irá fazer com que nos sintamos felizes e completos.

Ao longo da tua vida, quem foram algumas das pessoas que mais te influenciaram?

Ao longo da minha vida, tive a oportunidade de conhecer pessoas realmente fantásticas e a maior parte delas professores. Por isso é que reconheço o papel importantíssimo dos professores nas sociedades…sem eles não éramos ninguém mesmo. E o que sou hoje devo-o muito à professora Joana Rios e ao professor Fernando Pereira, que lecionaram no Colégio Didálvi. Eles, sim, foram os impulsionadores do que sou hoje. Devo-lhes um agradecimento profundo.

Atualmente, que figuras de influência tomas como exemplo?

Atualmente, a pessoa por quem tenho mais admiração, não só por partilharmos a mesma profissão, mas sim, por todo o conhecimento que possui e por ser uma excelente pessoa é o meu amigo João Moscão, professor e fundador da escola de exercício “REP Exercise Institute”. Para mim, é a melhor escola do país nesta área. O João Moscão é a pessoa que conheço com maior conhecimento acerca de exercício físico e tudo o que a ele envolve e, para além de possuir bastante conhecimento, tem ainda um coração enorme. A minha vontade de ajudar as pessoas, no que toca a exercício, deve-se a ele e à filosofia de vida dele.

Diz-nos um barcelense que te inspire e porquê.

Um barcelense por quem sinto admiração é o ultramaratonista Carlos Sá. As provas que realiza são verdadeiros exemplos de superação.

Como gostarias de ser recordado?

Gostaria de ser recordado pela pessoa que ajudou a melhorar a qualidade de vida das pessoas através do exercício, ou de outra coisa qualquer, e por ser uma pessoa prestável e contagiante.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Ir Para Cima