Tag archive

Gil Vicente FC

Gil Vicente triunfa em casa do Tondela e segue na Taça da Liga

Julho 24, 2021 em Atualidade, Concelho, Desporto Por barcelosnahorabarcelosnahora

Vítor Carvalho marcou o único golo da partida e assegurou a continuidade do Gil Vicente na Taça da Liga de futebol, ao vencer em casa do Tondela por 1-0.

O único golo do encontro surgiu já aos 87 minutos, numa recarga do defesa-central, depois de uma defesa incompleta de Babacar Niasse a um remate de Matheus Bueno.

O jogo começou com equilíbrio entre as duas equipas, com o Tondela a tentar ser superior, frente a um Gil Vicente bem posicionado e a não permitir a pressão da equipa da casa.

Sem grandes oportunidades de golo nem jogadas de perigo, foi nos últimos dois minutos da primeira parte que aconteceram os lances mais perigosos, primeiro por Jhon Murillo, aos 43, que rematou direto às mãos de Kritciuk, indo a bola ainda embater no poste esquerdo, para, dois minutos depois, o Gil Vicente responder igualmente com uma bola ao poste por Francisco Navarro.

A segunda parte foi mais intensa, com João Pedro a provocar o primeiro momento perigoso, com um remate frente à grande área e que o guarda-redes Kritciuk segurou.

Aos 64 minutos, na sequência de um canto marcado por Pedrinho, Rúben Fonseca desviou, mas Babacar Niasse, que substituiu Pedro Trigueira na segunda parte, defendeu e desviou a bola por cima da barra.

Nos últimos 15 minutos, o cansaço, em especial na equipa da casa, fez-se sentir e o golo do Gil Vicente surgiu (87) através de Vítor Gonçalves.

Foto: gvfcoficial

Gil Vicente volta a ostentar emblema anterior a 2005

Junho 9, 2021 em Atualidade, Concelho, Desporto Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Gil Vicente, da I Liga portuguesa de futebol, vai ostentar de novo o emblema anterior a 2005, depois de aprovada por unanimidade a mudança na assembleia-geral realizada na terça-feira, confirmou o clube de Barcelos.

Ao fim de 16 anos a envergarem um símbolo com um galo sobre fundo vermelho, branco e azul, os minhotos vão regressar ao emblema com o brasão do município de Barcelos e as iniciais do seu nome (GVFC) sobre um fundo vermelho, branco e azul, com que subiu pela primeira vez à elite do futebol nacional, na temporada 1989/90.

“O distintivo deve, portanto, transparecer história e identidade. Com o brasão da cidade de Barcelos no centro do emblema, as cores vermelho, branco e azul em formato listado no interior do mesmo e as iniciais do clube em grande destaque, a proposta de mudança do logótipo rege-se por linhas simples, mas que identificam o Gil Vicente FC”, justifica o clube, numa publicação na rede social Facebook, acompanhada de um vídeo.

O Gil Vicente acrescenta que o símbolo aprovado pelos sócios “carrega nele todo o caminho” até o clube se ter tornado num “clube de referência nacional” e no “maior símbolo do concelho de Barcelos”.

Em 2021/22, os barcelenses vão participar pela 21.ª vez no principal campeonato nacional, depois de terem concluído a edição de 2020/21 na 11.ª posição.

Fonte: Lusa

Treinador Ricardo Soares prolonga contrato com Gil Vicente até 2023

Maio 23, 2021 em Atualidade, Concelho, Desporto Por barcelosnahorabarcelosnahora

O treinador Ricardo Soares vai continuar a orientar o Gil Vicente, após ter prolongado o contrato com os barcelenses até ao final da época 2022/23, anunciou ontem o clube da I Liga portuguesa de futebol.

Os gilistas confirmaram a renovação com o técnico de 46 anos, através de um vídeo divulgado na página oficial na rede social Facebook.

O treinador natural de Felgueiras assumiu a liderança do Gil Vicente em novembro de 2020, quando estavam decorridas sete jornadas e a equipa era 17.ª e penúltima classificada, com cinco pontos, e conduziu os ‘galos’ ao 11.º lugar, após um percurso com 10 vitórias, quatro empates e 13 derrotas.

Ricardo Soares vai continuar a trabalhar no escalão maior, depois de experiências no Desportivo de Chaves, na época 2016/17, no Desportivo das Aves, em 2017/18, e no Moreirense, emblema pelo qual logrou a sua melhor classificação – oitavo lugar, em 2019/20 – e que representou até à sexta jornada de 2020/21.

O técnico também já competiu na II Liga, ao serviço de Vizela (2016/17), Académica (2017/18) e Sporting da Covilhã (primeiro terço de 2019/20), depois de passagens, na fase inicial da carreira, por Caçadores das Taipas, Lixa, Felgueiras e Ribeirão.

Fonte: Lusa

Foto: GVFC

Balanço I Liga: Melhoria no ‘último terço’ garante permanência ao Gil Vicente

Maio 20, 2021 em Atualidade, Concelho, Desporto Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Gil Vicente manteve-se na I Liga portuguesa de futebol, após ter somado mais pontos nas últimas 12 jornadas do que nas primeiras 22, atingindo a 11.ª posição, uma abaixo do 10.º lugar da época passada.

Após a 22.ª jornada, o Gil ocupava o 16.º lugar, com 19 pontos, mas o triunfo em Guimarães na ronda seguinte, sobre o Vitória (4-2), ‘embalou’ a equipa para um registo de seis triunfos, dois empates e quatro derrotas no ‘último terço’ do campeonato, que lhe permitiu garantir a segunda permanência consecutiva à 33.ª jornada, com a vitória por 2-0 no reduto do Paços de Ferreira.

Os ‘galos’ de Barcelos atingiram o objetivo definido para a temporada, após um início atribulado, face à morte do diretor-geral Dito, em 03 de setembro, fruto de um mal-estar súbito, e aos 15 casos de covid-19 que condicionaram jogadores, equipa técnica e outros elementos da estrutura de futebol, ditando o adiamento da primeira jornada, frente ao Sporting, de setembro para 28 de outubro (derrota perante os ‘leões’ por 3-1).

Após a saída de Vítor Oliveira, treinador que viria a morrer em 28 de novembro de 2020, também subitamente, o Gil Vicente começou a época com Rui Almeida no comando técnico, mas contratou o ex-Moreirense Ricardo Soares para esse lugar ao cabo de sete jornadas, quando estava na 17.ª e penúltima posição, com sete pontos.

Com o novo ‘timoneiro’, o Gil Vicente alternou uma fase inicial positiva, com oito pontos que valeram a subida ao 10.º lugar após a 12.ª ronda, e um período intermédio do campeonato com duas vitórias e oito derrotas, que ‘empurrou’ os barcelenses para o lugar de acesso ao ‘play-off’ de manutenção, após a 22.ª jornada.

A partir daí, a formação orientada por Ricardo Soares somou 20 pontos, apresentando o quinto melhor registo das 12 derradeiras jornadas, atrás de FC Porto (32 pontos), Benfica (31), Sporting (27) e Famalicão (21).

Habitualmente organizada num sistema tático 4x3x3, a equipa minhota somou 16 pontos no Estádio Cidade de Barcelos e 23 a jogar fora, tendo mesmo batido o recorde de vitórias a jogar nessa condição – sete -, entre as 20 participações no escalão maior.

Os avançados Samuel Lino, com nove golos marcados, Lourency, com cinco, e Pedro Marques, autor de outros cinco depois de contratado no ‘mercado do inverno’ por empréstimo do Sporting, foram os melhores marcadores gilistas, enquanto Lucas Mineiro foi o atleta mais utilizado no meio-campo (2.489 minutos) e aquele que mais se evidenciou no setor, tendo marcado por duas vezes.

Fonte: Lusa

Foto: GVFC

Boavista vence Gil Vicente e garante manutenção na I Liga

Maio 20, 2021 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Boavista venceu por 2-1 na visita ao ‘tranquilo’ Gil Vicente, em jogo da 34.ª e última jornada da I Liga de futebol, e garantiu a permanência no escalão máximo do futebol português.

Em Barcelos, a equipa da casa adiantou-se no marcador aos 36 minutos, com Samuel Lino a aproveitar uma grande penalidade, mas o Boavista conseguiu chegar ao empate aos 56, através do avançado Yusupha.

Na segunda parte, Samuel Lino desperdiçou um novo castigo máximo a favor da equipa gilista, os 72 minutos, com Yusupha, avançado da Gâmbia, a dar a vantagem à equipa ‘axadrezada’ aos 88, também de grande penalidade, e a garantir a manutenção.

Com esta vitória, o Boavista está no 13.º lugar, com 36 pontos, e garante a permanência, enquanto o Gil Vicente é 11.º, com 39.

Declarações após o jogo da 34.ª e última jornada da I Liga de futebol entre Gil Vicente e Boavista (1-2), que decorreu em Barcelos:

Ricardo Soares (treinador Gil Vicente): “Sim, sinto-me orgulhoso, completamente, é certo que queríamos acabar com uma vitória porque isso transportaria a equipa para um lugar da primeira metade da tabela, que seria mais condizente com o que produzimos, principalmente no último terço do campeonato.

Quando chegámos cá, o Gil Vicente estava em segundo lugar, a contar do fim, com baixa autoestima e demorou a implementar os nossos processos, mas os jogadores foram de uma grande abnegação e a equipa cresceu e só posso estar orgulhoso, passou com distinção e valorizámos muito os jogadores do Gil Vicente, esse era um dos meus objetivos, depois, claro, da manutenção.

Durante a época, o Gil Vicente teve bons resultados e grandes exibições, o Gil Vicente fez jogos de altíssimo nível, de grande dinâmica. O grande desafio que tive foi tentar convencer os jogadores, queríamos muito ir à final da Taça de Portugal, foi um sonho que tentei ‘vender’ aos meus jogadores, mas isso deu uma densidade de jogos fruto também da covid-19, que reduziu o calendário da época. Sei os riscos que corri, que podia ser despedido a qualquer momento, mas não abdiquei porque sabia da qualidade dos jogadores. A equipa não estava a evoluir da forma que eu entendia, mas depois de começarmos a treinar em campo em vez de mostrar tantos vídeos, houve uma libertação, um ‘click’, os jogadores acreditaram e a estrutura também e a equipa deu um salto muito rápido, uma coisa anormal, foi a primeira vez que me aconteceu. Tenho pena que o campeonato não tivesse mais 10 jornadas.

Claramente o penálti falhado é o momento do jogo, entrámos muito bem, com um jogo positivo e podíamos ter feito mais golos e até resolvido o jogo na primeira parte. Iniciámos a segunda na mesma toada, podíamos ter feito o 2-0, o Boavista depois fez um golo numa transição, voltámos ao jogo e podíamos ter feito o 2-1 [no penálti falhado]. Depois, aconteceu o que não quero para as minhas equipas: quando o jogo fica partido e caótico, o Gil Vicente não lucra nada com isso, o nosso adversário marcou, foi eficaz, mas nós fomos sérios e dignos”.

Fonte: Lusa

Foto: GVFC

* Atualização 9h15m 20/05/2021

Gil assegura matematicamente a permanência na I Liga de Futebol

Maio 15, 2021 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Gil Vicente venceu hoje no reduto do Paços de Ferreira, por 2-0, com um golo em cada parte, e assegurou matematicamente a permanência na I Liga de futebol, no jogo de abertura da 33.ª e penúltima jornada.

Lourency deu vantagem aos gilistas, aos 11 minutos, e Pedro Marques fechou a contagem, aos 52, confirmando um triunfo justo do Gil Vicente, que até pecou por escasso, face a um Paços de Ferreira irreconhecível, em função do seu quinto lugar e consequente regresso às competições europeias na próxima temporada.

Na tabela, o Gil Vicente subiu ao 10.º lugar, com 39 pontos, já a salvo da descida, enquanto o Paços de Ferreira, que sofreu a quarta derrota como visitado, é quinto, com os mesmos 50, sem possibilidades de bater o recorde de pontos (54) no campeonato, feito conseguido na temporada 2012/13.

A despedida dos pacenses do seu estádio não deixou saudades e este cenário começou a desenhar-se cedo no jogo, com a equipa a denotar falta de ligação entre setores, dificuldade em ter e roubar a bola e incapacidade de ‘agredir’ o adversário.

O guarda-redes brasileiro Michael estreou-se no campeonato, tirando o estatuto de totalista ao seu compatriota Jordi, e Matchoi foi titular pela primeira vez, num ‘onze’ que voltou a contar com Jorge Silva, Maracás, Uilton e Tanque.

O técnico pacense fez um total de seis mexidas, contra apenas três do seu homólogo de Barcelos, equipa que entrou a todo o gás e soube pressionar o adversário, retirando-lhe espaço e tempo para sair a jogar, conseguindo acrescentar velocidade ao seu jogo, o que criou várias situações de superioridade no último terço do campo.

Joel Pereira, Pedrinho, de regresso à ‘Capital do Móvel’, e Pedro Marques foram as novidades na equipa inicial do Gil e este último, em especial, acabou mesmo por estar envolvido nos melhores lances da equipa.

O melhor exemplo surgiu aos 11 minutos, quando trocou a bola e isolou Lourency, pela esquerda, com o brasileiro a finalizar o lance com um remate que Michael não defendeu, não tendo ficado sequer isento de responsabilidades no golo gilista.

O Paços reagiu de forma atabalhoada à desvantagem e até podia ter sofrido o segundo aos 38 minutos, novamente por Lourency, num duelo desta feita perdido para Michael. Dois minutos depois, os pacenses, na primeira e única vez que conseguiram acercar-se da área gilista, podiam ter empatado, mas Tanque chegou atrasado ao cruzamento de Eustáquio.

O segundo tempo foi uma cópia do primeiro, com o Gil até a conseguir acentuar a sua superioridade no número de oportunidades criadas.

Léautey deixou o primeiro aviso, aos 48 minutos, antes de Pedro Marques marcar e aumentar a vantagem do Gil Vicente, aos 52, numa finalização em jeito frente a Michael, depois de intercetar um passe errado de Eustáquio, no meio-campo defensivo do Paços.

O avançado cedido aos gilistas pelo Sporting podia ter voltado a marcar mais um par de vezes, aos 56 e 68 minutos, o mesmo tendo acontecido, depois, com Claude Gonçalves e Talocha, no mesmo lance.

O Paços, já com Luiz Carlos, Hélder Ferreira e Luther Singh em campo, aos quais se juntariam ainda João Pedro e Marcelo, continuou uma sombra da equipa que jogou e chegou a encantar em muitos momentos do campeonato, o que lhe valeu o quinto lugar final.

Fonte: Lusa

Foto: GVFC

Gil Vicente quer “impor jogo” e vencer na Madeira

Maio 3, 2021 em Atualidade, Concelho, Desporto Por barcelosnahorabarcelosnahora

O treinador Ricardo Soares disse hoje que o Gil Vicente quer “impor” o seu futebol e vencer na deslocação de quarta-feira à Madeira, para defrontar o Marítimo, na abertura da 31.ª jornada da I Liga portuguesa.

Apesar de ter perdido o último jogo fora de casa, diante do Belenenses SAD (2-1), a formação de Barcelos venceu os três anteriores, Vitória de Guimarães (4-2), Rio Ave (2-0) e Benfica (2-1), querendo dar continuidade a essa tendência recente na Madeira.

“Nos quatro últimos jogos fora, ganhámos três, marcámos em quatro. Sinto a equipa bem e vamos à Madeira para conquistar pontos. Queremos impor o nosso jogo. Ao impormos o nosso jogo, estamos mais próximos do nosso objetivo, que é vencer”, realçou o técnico gilista, na antevisão ao jogo agendado para as 19:00, no Funchal.

Apesar dos números recentes serem melhores fora do que em casa, condição na qual os ‘galos’ somaram quatro pontos nos últimos quatro desafios, Ricardo Soares considerou que a “qualidade de jogo” do seu grupo é idêntica “independentemente do adversário” e do local onde se desenrola o jogo.

Com dois conjuntos na luta pela manutenção, já que os insulares ocupam o 12.º lugar, com 33 pontos, e os minhotos o 13.º, com 32, o duelo é, na perspetiva do ‘timoneiro’ gilista, “decisivo” para as aspirações da sua equipa neste campeonato.

“Todo o próximo jogo é decisivo para nós. Já era assim há cinco ou seis jogos. À medida que vamos caminhando para o final, há um conjunto de várias equipas separadas por poucos pontos [na luta pela manutenção]. O jogo é decisivo, porque queremos conquistar pontos”, esclareceu.

O treinador reconheceu ainda que o Gil Vicente, na quarta-feira, vai encontrar uma “equipa moralizada” pela “recuperação dos últimos jogos”, consumada com três vitórias consecutivas pela “margem mímima”, o que, a seu ver, demonstra um opositor “eficaz a defender”.

Mesmo com os sucessos em reduto alheio, o Gil Vicente tem um ponto conquistado nas últimas três partidas e um golo marcado, precisamente com o Belenenses SAD, mas Ricardo Soares frisou que, por vezes, é difícil explicar a ineficácia, valorizando as bolas aos ferros nos últimos jogos e a “capacidade para se criarem situações de finalização”.

Sem esclarecer se o avançado Pedro Marques está apto para o duelo com os ‘verde-rubros’, após se ter lesionado na receção ao Farense (0-0), o treinador justificou ainda a aposta recente de Vítor Carvalho na posição mais recuada do meio campo, com o que oferece na capacidade de “preenchimento dos espaços”, na “intensidade” e até na estatura, para a disputa de bolas aéreas.

O treinador aproveitou também a ocasião para felicitar o Gil Vicente, emblema fundado a 03 de maio de 1924, pelo 97.º aniversário.

“Que continue com esta força e com esta saúde por muitos e longos anos. É um clube que faz falta ao futebol, que privilegia os valores humanos. Que continue com esta forma de estar”, disse.

O Gil Vicente, 13.º classificado da I Liga, com 32 pontos, defronta o Marítimo, 12.º, com 33, em jogo da 31.ª jornada, agendado para as 19:00 de quarta-feira, no Estádio do Marítimo, no Funchal.

Fonte: Lusa

Belenenses SAD vence Gil Vicente com golo obtido já nos descontos

Abril 26, 2021 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Belenenses SAD deu hoje um passo decisivo quanto à manutenção na I Liga de futebol, ao vencer na receção ao Gil Vicente 2-1, beneficiando de um golo ao ‘cair do pano’ de Francisco Teixeira, aos 90+1.

O Gil Vicente ainda esteve na frente do marcador, depois de um golo de Pedro Marques na fase final da primeira parte, aos 43 minutos, tendo o Belenenses SAD dado a volta ao marcador na etapa complementar, com tentos de Afonso Sousa, aos 51, e de Francisco Teixeira, aos 90+1.

Com esta vitória, o Belenenses SAD sobe ao nono lugar, com 34 pontos, ficando cada vez mais próximo de assegurar a manutenção na I Liga, enquanto os gilistas, embora ainda com alguma margem, continuam na zona perigosa, ocupando o 12.º posto, com 31, mais três do que o Boavista, que está no 16.º lugar, que dá acesso ao ‘play-off’ com o terceiro da II Liga, e mais seis do que o Farense, penúltimo e primeira equipa situada na zona de despromoção.

Petit (treinador do Belenenses SAD): “Há uns dias, encontrei o balneário triste pelo golo [do Sporting] a acabar e hoje encontro o balneário feliz. O futebol é imprevisível. O Gil Vicente esteve bem, foi superior a nós. A primeira parte teve poucas oportunidades.

Na segunda parte, mudámos um pouco e conseguimos fazer o golo numa bola parada. Reagimos bem e baixámos um bocadinho as linhas, o Gil Vicente teve várias oportunidades e nós fomos felizes. Tivemos nove dias fantásticos. Estamos perto do nosso objetivo e dos lugares de cima.

No futebol, é normal a ansiedade. No jogo com o Marítimo e hoje, contra duas equipas a lutar para sair do desconforto da tabela, fizemos o golo, sentimos que não tínhamos o jogo controlado, obrigámos o adversário a errar e procurar aproveitar transições para fazer o golo, que foi o que aconteceu. O Gil Vicente teve várias oportunidades para fazer o 2-1, foi muito superior em termos de oportunidade, mas o futebol é assim.

Trabalhamos jogo a jogo. Temos sempre esta ambição, temos 34 pontos e queremos chegar mais acima. Vamos continuar a trabalhar, mas temos de estar focados. Hoje, demos um passo importante e estamos atentos ao que podemos melhorar.

O Francisco Teixeira é um jogador de bairro, irreverente, que não tem medo de assumir o 1×1 e traz coisas diferentes à equipa. Não teve ainda oportunidade de jogar a titular, mas fico feliz, porque é um jogador diferente do que temos aqui e está a trabalhar para isso. Hoje faz anos, foi feliz por fazer o golo. É um miúdo fantástico.”

Ricardo Soares: “Não conseguimos o mais importante e o que faz as equipas crescer, que é o resultado final. Na primeira parte, o jogo foi dividido nos primeiros 30 minutos e, a seguir, fomos superiores. Fizemos o golo e podíamos ter feito o 2-0, numa excelente oportunidade do Pedro Marques.

Na segunda parte, sofremos um golo de bola parada, num excelente golo do Afonso Sousa. Podíamos ter feito o 2-1, mas não fizemos e pagámos caro a nossa ineficácia. Numa bola totalmente controlada, acabámos por perdê-la, estávamos mal posicionados e o Belenenses SAD, como boa equipa que é, aproveitou.”

Fonte: Lusa

Foto: Facebook GVFC

Ricardo Soares quer equilíbrio no Gil Vicente depois da vitória na Luz

Abril 21, 2021 em Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

O treinador Ricardo Soares disse hoje que o Gil Vicente não se vai iludir “pelo mediatismo” da vitória em casa do Benfica na receção ao Famalicão, na quinta-feira, da 28.ª jornada da I Liga de futebol.

O Gil Vicente vem de uma surpreendente vitória por 2-1 no Estádio da Luz, diante do Benfica, na jornada anterior, mas o treinador dos minhotos alertou para a necessidade dos jogadores mostrarem equilíbrio na hora de ganhar.

“Sabemos o mediatismo que é jogar com um ‘grande’ e ter sucesso. Há um trabalho que foi feito nestes dias de equilíbrio e alertámos os jogadores para isso, porque nada muda. Da mesma forma que tivemos três ou quatro derrotas seguidas e não ficámos depressivos, há uma forma de trabalhar e de estar diária e uma vontade de crescer enquanto equipa”, afirmou na conferência de imprensa de antevisão da receção aos também minhotos de Famalicão.

Segundo Ricardo Soares, “a equipa mostrou equilíbrio na hora de perder e vai mostrar também na hora de ganhar”.

“Foi bom porque foram três pontos, mas nada mais do que isso e, no dia em que perdermos isso, vamos ter problemas no futuro, não nos vamos iludir pelo mediatismo”, disse.

Já o Famalicão registou uma derrota caseira, também ela com surpresa, frente ao Portimonense (1-0), depois de quatro jogos seguidos a pontuar (dois empates e duas vitórias), mas Ricardo Soares disse estar à espera de dificuldades.

“O Famalicão precisa de pontos, mas nós também. Tem qualidade e vai fazer pela vida, como nós. É um bom desafio para percebermos se continuamos a crescer. Temos máximo respeito pelo Famalicão, mas queremos fazer um excelente jogo e vencer para ficarmos mais perto do objetivo, que é a manutenção”, disse.

Ricardo Soares considerou ainda que as equipas que lutam por ficar na I Liga “têm grande qualidade e, cada uma à sua maneira, são muito parecidas no que é a sua qualidade no seu todo”.

O treinador dos gilistas elogiou o Famalicão, uma equipa “com muita qualidade, com jogadores individualmente muito fortes, como Gil Dias, o Gustavo Assunção, o Ugarte, e outros, com jogadores jovens e outros mais experientes que aportam à equipa talento”.

“A partir do momento em que o Ivo Vieira entrou a equipa deu um salto qualitativo defensivamente e também nas suas dinâmicas ofensivas, é uma equipa diferente para melhor”, disse.

O treinador disse ainda que o Gil Vicente está “num bom momento”, mas já na derrota caseira com o Moreirense, na jornada anterior, tinha feito “um excelente jogo”.

“Ainda falta muito e é extremamente difícil na I Liga, ainda ontem [terça-feira] vimos uma equipa que faz um excelente trabalho a vencer justamente [Farense, 2-0 ao Paços de Ferreira]. Não nos sentimos superiores a ninguém, o que vai ditar a diferença é a competitividade que as equipas mostrarem dentro de campo”, disse.

Ricardo Soares manifestou-se ainda contrário à ideia da redução da I Liga para 16 clubes, discordando que isso signifique um ganho de competitividade.

“Acho que devíamos aprender com o passado. Querem um campeonato mais competitivo do que tem sido até agora? Já tivemos campeonatos com 16 equipas e a competitividade não foi nada disto. Estão cerca de 10 equipas embrulhadas pela manutenção, pela Europa outras três ou quatro. Para ser campeão, houve uma equipa que fez um campeonato extraordinário, que ainda não perdeu uma única vez e merece os elogios de todos, está bem lançada para ser campeã, mas ainda tem o FC Porto que ainda tem todas as condições para lá chegar. O Benfica e o Sporting de Braga estão mais atrás, quebraram um pouco, o que é normal”, disse.

O técnico do Gil Vicente criticou ainda a criação da Superliga Europeia, considerando que “o futebol só faz sentido se for de todos” e deve ser um “canalizador de uma sociedade melhor e mais justa”.

Gil Vicente, 11.º classificado, com 31 pontos, e Famalicão, 15.º, com 27, defrontam-se a partir das 18:00 de sábado, no Estádio Cidade de Barcelos, jogo que será arbitrado por António Nobre, da associação de Leiria.

Fonte: Lusa

Foto: Facebook GVFC

I Liga – Gil Vicente vence Benfica por 2-1

Abril 17, 2021 em Atualidade, Concelho, Desporto, Portugal Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Benfica perdeu hoje por 2-1 na receção ao Gil Vicente, na 27.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, terminando uma série de seis vitórias seguidas na prova e distanciando-se ainda mais do líder Sporting.

Os visitantes chegaram a dispor de uma vantagem de dois golos, marcados por Léautey, aos 35 minutos, e Lourency, aos 81, de pouco valendo aos anfitriões – que não perdiam no campeonato há 10 jogos – o autogolo de Vítor Carvalho, aos 87, que fixou o resultado final.

O Benfica manteve-se com 57 pontos, menos três do que o FC Porto, segundo colocado, que apenas joga no domingo, no estádio do Nacional, e menos 12 relativamente ao líder Sporting, enquanto o Gil Vicente passou a somar 31.

Com este desaire, o Benfica vê chegar ao fim um ciclo de seis vitórias consecutivas na I Liga e pode atrasar-se na luta pelo segundo lugar, ficando ainda mais longe do líder Sporting, que passou a dispor de 12 pontos de vantagem.

Os ‘encarnados’, que mantêm os 57 pontos com que entraram esta tarde na Luz, podem ver fugir o FC Porto, que, com 60 pontos, joga no domingo, na Madeira, frente ao Nacional, e ser apanhados pelo Sporting de Braga, que, com 54 pontos, visita ainda este sábado o Rio Ave.

Já o Gil Vicente regressa às vitórias no campeonato, depois do desaire da última ronda, frente ao Moreirense, e soma agora 31 pontos.

Sem mexer no ‘onze’ que goleou na última jornada, em Paços de Ferreira, por 5-0, o Benfica, orientado por Jorge Jesus, entrou na Luz a controlar as operações, mas com pouca acutilância na hora de atacar a baliza defendida por Denis, com Seferovic muito bem controlado pelos centrais gilistas.

À passagem do minuto 15, o Gil Vicente deixou um primeiro aviso, num contra-ataque ‘oferecido’ por um mau passe de Adel Taarabt, e, aos 35, materializou mesmo a ameaça e fez ‘mexer’ o marcador.

Numa jogada individual, o extremo francês Leautey arrancou para área benfiquista, ‘dançou’ frente a Vertonghen e colocou a bola entre o poste e Helton Leite, com o brasileiro a voar tarde e a ser batido.

Sem conseguir responder, o Benfica demonstrou grandes dificuldades em ligar o jogo entre defesa e o ataque e o melhor que conseguiu foi um cabeceamento de Waldschmidt, com a bola a perder-se pela linha de fundo, num exemplo contundente do desacerto das ‘águias’ na primeira parte.

O Benfica reentrou para a segunda parte sem Lucas Veríssimo na defesa e com Everton no ataque, e o Gil aproveitou as mudanças para criar a primeira oportunidade após o reatamento, com Lourency a chegar ligeiramente atrasado ao cruzamento milimétrico de Joel e a já só apanhar a bola de raspão.

Depois foi a vez de Seferovic desperdiçar o golo, por duas vezes: o suíço, melhor marcador do Benfica na liga, com 16 golos, protagonizou a melhor oportunidade do Benfica, num remate que ‘tirou tinta’ do poste de Denis e, pouco depois, num remate acrobático, enviou a bola por cima da baliza gilista.

Em tarde completamente desinspirada, em contraponto com a exibição da última jornada, o avançado helvético voltou a deixar Jorge Jesus desesperado com novo falhanço: Rafa ludibriou Talocha no flanco direito, cruzou para o coração da área, Darwin deixou passar para Seferovic, mas o suíço não acertou convenientemente na bola e esta passou ao lado do poste.

O Benfica não marcou e foram os visitantes que o conseguiram, por Lourency, ao minuto 81. Numa brecha aberta na defesa do Benfica, com Otamendi a falhar a marcação, o brasileiro do Gil Vicente arrancou que nem uma flecha para a baliza de Helton Leite e, já dentro da grande área, disparou forte e a meia altura, fazendo o 2-0.

O melhor que o Benfica conseguiu foi reduzir para 2-1, embora tenha sido, mais uma vez, o Gil Vicente a marcar, num autogolo de Vítor Carvalho, os 87 minutos.

Desde a defesa, Vertonghen, com um passe em profundidade, isolou Rafa, o extremo ‘disparou’ para defesa de Denis, mas a bola acabou por embater no médio gilista e encaminhar-se para o fundo da baliza.

Equipas:

– Benfica: Helton Leite, Vertonghen, Lucas Veríssimo (Everton, 46), Otamendi, Diogo Gonçalves, Grimaldo (Pedrinho, 85), Weigl (Cervi, 85), Taarabt (Pizzi, 61), Rafa, Waldschmidt (Darwin, 61) e Seferovic.

(Suplentes: Vlachodimos, Gilberto, Gabriel, Pizzi, Cervi, Everton, Pedrinho, Darwin e Gonçalo Ramos).

Treinador: Jorge Jesus.

– Gil Vicente: Denis, Joel, Rodrigo, Ruben Fernandes, Talocha (Henrique Gomes, 90+1), Vítor Carvalho, Lucas Mineiro, Pedro (Gonçalves, 66), Leautey (Kanya Fujimoto, 77), Lourency (Diogo Silva, 90+1) e Marques (Samuel Lino, 77).

(Suplentes: Beunardeau, Diogo Silva, Gonçalves, Kanya Fujimoto, Baraye, Samuel Lino, Henrique Gomes, Paulinho e Mantuan).

Treinador: Ricardo Soares.

Árbitro: Fábio Veríssimo (AF Leiria).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Lucas Veríssimo (31) e Denis (90+1).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

Fonte: Lusa

Foto: Facebook GVFC

* Atualização 17/04/2021 às 20:30

1 2 3 42
Ir Para Cima