Tag archive

Gil Vicente FC - page 5

Gil Vicente FC confirma chegada de Kanya Fujimoto

Agosto 6, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Em nota tornada pública esta manhã, o Gil Vicente FC confirmou a contratação do japonês Kanya Fujimoto, vindo do Tokyo Verdy (Japão). Esta contratação já estava a ser veiculado nalguns órgãos de comunicação social.



Este é um médio de 21 anos, natural de Yamanashi (Japão), com 1,76m e 67kg.

Até agora, o Tokyo Verdy era a sua única equipa. Disputou, pelos Sub-20 japoneses, o Campeonato do Mundo, na Polónia, onde participou em 2 jogos.

Imagem: GVFC (alterada).

Gil Vicente FC confirma Rui Almeida no comando técnico para a próxima época

Agosto 3, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Em nota divulgada nas suas redes sociais, o Gil Vicente FC confirmou, hoje, a contratação de Rui Almeida para treinador da equipa que disputará a Liga NOS 2020-2021. Foi a confirmação do nome que já se vinha falando há semanas, ainda a Liga anterior não tinha sido concluída.



Rui Almeida é natural de Lisboa e tem 50 anos.

Como percurso profissional, treinou as camadas jovens do CAC, Atlético CP, SL Benfica. Foi Coordenador Técnico na Associação de Futebol de Lisboa. Como treinador adjunto, trabalhou no Estoril, Trofense, Panathinaikos (Grécia), Sporting CP, SC Braga e Zamalek (Egito). Como treinador principal, trabalhou na Seleção da Síria (Sub-23), Red Star (França), Bastia (França), Troyes (França) e Caen (França).

Tem, agora, a oportunidade de treinar, enquanto técnico principal, na Liga Portuguesa.

Foto: GVFC (alterada).

Equipa sensação deste ano

Julho 30, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora
Lucy Santos

Olá a todos os leitores do BnH!

O objetivo desta época está concluído e jogámos estes 2 últimos jogos, não só para cumprir calendário, como também, deixar a última impressão, que é bastante importante.



Faltava jogar com o Belenenses, fora, e com o Paços de Ferreira, em casa.

Não iam ser jogos fáceis e a manutenção para o Belenenses ainda não estava garantida. Não foi um jogo “por aí além”, podíamos ter feito mais e melhor, criámos algumas oportunidades de golo, principalmente na primeira parte. No entanto, o Belenenses foi o contemplado a chegar à baliza do Gil Vicente e marcou, aos 88 minutos, o golo da vitória.

O jogo com o Paços de Ferreira foi o último, e bastante intenso. Duas equipas que jogavam sem objetivo, porque a manutenção estava garantida para ambas, e deram tudo nos 90 minutos de jogo. Num total de 6 golos, 3 para cada lado. O Gil Vicente acabou a época empatado com o Paços no último jogo da Liga NOS, no estádio Cidade de Barcelos.

O Paços de Ferreira adiantou-se no marcador aos 10 minutos, mas o Gil Vicente correu atrás e Rodrigo fez o golo da igualdade, aos 16m, e Kraev, logo a seguir, aos 20m, colocou os Galos em igualdade.

A resposta do Paços de Ferreira não tardou e Douglas Tanque fez o tiro certeiro para o empate. Íamos para o intervalo empatados a 2-2.

Os pacenses entraram melhor na segunda parte e apontaram o golo em contra-ataque, por Matchoi, que colocava o Paços em vantagem. O Gil não baixou os braços e continuava, ainda, com dificuldade a querer chegar à baliza adversária. Lourency entrou e marcou um belo golo que dividiu os pontos para as duas equipas. Ficaram, assim, na igualdade, com a promessa de se voltarem a reencontrar na I Liga na próxima época.

Foi uma época diferente do habitual, intensa, sem adeptos, mas que mostrou que esta equipa chegou, não se limitou a ficar a ver, jogou e alcançou uns 43 pontos, em que muitos poderiam apostar que seríamos a primeira equipa condenada a descer.

Um plantel, todos diferentes uns dos outros, ninguém se conhecia, mas com o maestro Vítor Oliveira a comandar (e que bem) a equipa que, por mim, é a equipa sensação deste ano.

O Mérito é vosso, o orgulho é nosso.

Obrigado 🙏!

Por: Lucy Santos*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Gil Vicente FC fecha a época com empate a 3 frente ao FC Paços de Ferreira

Julho 25, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Jogo marca a despedida de Vítor Oliveira e de alguns jogadores

Disputou-se ontem o último jogo desta Liga NOS para o Gil Vicente FC e FC Paços de Ferreira, no Estádio Cidade de Barcelos, com o empate a 3 golos a constar no marcador após o término da partida



Com arbitragem de Iancu Vasilica (AF Vila Real), auxiliado por Bruno Trindade e Tiago Mota, com Fábio Melo (AF Porto), o jogo contou com os seguintes alinhamentos:

Gil Vicente FC – Denis, Alex Pinto (Fernando Fonseca, 81’), Rodrigo, Ygor Nogueira e Rúben Fernandes (Edwin Vente, 83’), Soares (João Afonso, 64’), Kraev (Vítor Carvalho, 81’), Claude Gonçalves e Rúben Ribeiro, Samuel Lino (Lourency, 64’) e Hugo Vieira. No banco ficaram Bruno e Ahmed Isaiah.

FC Paços de Ferreira – Marco Ribeiro (José Oliveira, 89’), Bruno Santos, Marco Baixinho, Maracás e Reabciuk, João Amaral (Luiz Carlos, 89’), Stephen Eustáquio, Pedrinho (Diaby, 66’) e Adriano (Uilton, 74’), Matchoi (Hélder Ferreira, 66’) e Douglas Tanque. No banco ficaram André Micael, Bruno Teles, Welthon e Vasco Rocha.

Este jogo marcou a despedida do treinador Vítor Oliveira do comando técnico do Gil Vicente FC. O técnico matosinhense, que esta época regressou aos gilistas, pela terceira vez, para o regresso do Gil Vicente à Primeira Liga pela via administrativa devido à decisão judicial do “caso Mateus”. Vítor Oliveira tinha a espinhosa missão de construir uma nova equipa para os gilistas, que teve de se readaptar dos distritais para a realidade da principal competição do futebol nacional, com o plantel praticamente construído do zero.

O jogo começou calmo e com as duas equipas as estudarem-se mutuamente. A primeira oportunidade de golo foi para os forasteiros. O Paços de Ferreira, por intermédio de Pedrinho, num livre direto, a obrigar Denis a uma grande defesa para canto. Na sequência do lance, o Paços chega ao golo, aos 10 minutos de jogo. Canto batido por João Amaral, da direita, e o cabeceamento de Maracás para o primeiro golo do jogo.

O Gil respondeu aos 15 minutos com o golo do empate. Livre batido da direita, por Rúben Ribeiro, e Rodrigo, também de cabeça, a colocar a bola no fundo da baliza pacense, sem qualquer hipótese para o guarda-redes Marco Ribeiro.

E aos 21 minutos, o Gil chega mesmo à vantagem. Contra-ataque rápido, com Rúben Ribeiro a conduzir a bola da esquerda para o meio, a driblar um adversário e rematar para defesa do guardião Marco, mas na recarga, Kraev cabeceou para o 2-1.

Pouco depois, o Paços chega novamente ao empate, aos 28 minutos, por Douglas Tanque, que aproveitou um passe vindo da direita para “fuzilar” a baliza de Denis.

Até ao intervalo, o jogo foi divido, mas bastante disputado por ambas as equipas e o resultado ajustava-se.

O Paços entrou forte no segundo tempo e, aos 48 minutos, marcou numa jogada rápida sobre a esquerda, Tanque cruza a meia-altura para João Amaral, que falha a finalização à boca da baliza, mas no ressalto, a bola sobra para Matchoi, que rematou forte e colocou o Paços de Ferreira na frente do marcador.

O Gil respondeu com uma jogada de insistência de Lourency, acabadinho de entrar. Este rematou ao poste da baliza do Paços de Ferreira.

Aos 68 minutos, o Gil chega mesmo ao empate. Canto batido da esquerda por Rúben Ribeiro, Rodrigo cabeceia ao primeiro poste e Lourency, que entrou na partida a todo o vapor, emendou, “à boca da baliza” restabelecendo o empate a 3 bolas.

O jogo voltou a estar dividido, com o Gil a ter uma ligeira vantagem nas despesas de jogo, mas o resultado não mais se alterou até final.

Final de época para o Gil Vicente FC que, não será descabido dizer, ultrapassou todas as melhores – e reais – expectativas, batendo mesmo o seu recorde de pontos: 43, fechando o top-10 da classificação final.

Agradecemos a todos os nossos leitores por acompanharem estas nossas reportagens sobre a prestação do Gil Vicente FC na Liga NOS 2019/2020.

Gil Vicente FC derrotado pelo Belenenses SAD, em Lisboa

Julho 19, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Já tranquilos, os “Galos” perderam por 1-0

Belenenses SAD vs. Gil Vicente FC, jogo a contar para a 33ª – e penúltima – jornada da Liga NOS 2019-2020. Estádio da Cidade do Futebol, em Lisboa. Resultado final: 1-0.



Sob arbitragem de Manuel Oliveira (AF Porto), coadjuvado por Pedro Ribeiro e Tiago Leandro, com Iancu Vasilica (AF Vila Real) como 4º árbitro, o jogo contou com os seguintes alinhamentos:

Belenenses SAD – Koffi, Rúben Lima, Ricardo Ferreira, Phete, Tiago Esgaio, Nilton Varela (Danny, 94’), Show (Varela, 78’), Nuno Coelho, Pina, Licá (Marco Matias, 70’) e Cassierra (Keita, 78’). No banco ficaram André Moreira, André Santos, Sithole, Robinho e Edi Semedo.

Gil Vicente FC – Denis, Alex Pinto, Rodrigo, Ygor Nogueira, Rúben Fernandes, João Afonso, Soares, Kraev (Lourency, 61’), Samuel Lino (Baraye, 79’), Rúben Ribeiro e Hugo Vieira (Sandro Lima, 61’). No banco ficaram Bruno, Claude Gonçalves, Fernando Fonseca, Vítor Carvalho, Edwin Vente e Ahmed Isaiah.

Jogo cínico aquele a que se assistiu no relvado da Cidade do Futebol, onde os gilistas já estavam descansados, “à sombra” da permanência garantida e os belenenses estavam “com a corda na garganta” para conseguirem garantir essa mesma ansiada permanência. Cínico porque o Gil Vicente FC esteve em maior destaque, mas aos 88’, Marco Matias marcou o único golo da partida. Passe longo, ainda do meio-campo belenense com a bola a sobrevoar a defesa gilista. Marco Matias foge à marcação, leva a bola e, já dentro da área, desfere um remate, que Denis defende para a linha final. Para sorte do atacante, a bola vai ter consigo – ele que, com o movimento que estava a efetuar, foi para a mesma zona da bola – e desfere um remate potente, quase sem ângulo, abrindo e fechando o marcador em 1-0 para os da casa.

O Gil Vicente FC mantém a 9ª posição, com 42 pontos. Os gilistas fecham o campeonato com a receção ao Paços de Ferreira, no próximo dia 26 de julho, pelas 21h15.

[Ndr: notícia atualizada a 20.07.2020, pelas 21h45]

Parabéns pela manutenção!

Julho 17, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora
Lucy Santos

Olá a todos os leitores do BnH!

Juntei os dois jogos, com o Vitória, em Guimarães, e com o Tondela, em casa. Ganhámos os dois! Surpresos? Pois…Que equipa, que clube! Sabem aquele amor sem explicação? É o que eu sinto pelo meu clube.



Fomos a Guimarães defrontar o Vitória e ganhámos. Além da vitória, trouxemos a permanência na bagagem. Duas equipas que lutavam para ganhar: o Gil Vicente para garantir a permanência e o Vitória para igualar o Famalicão no 5° lugar.

O jogo começou a uma hora bastante cedo (17h). Pelo calor que se fazia sentir, e talvez por isso, o ritmo do jogo também não foi muito alto. Tivemos um jogo equilibrado na primeira parte, com oportunidades de golo para ambas as equipas.

Na segunda parte, o Vitória foi o primeiro a marcar, aos 60 minutos, mas a resiliência do Gil Vicente e a atitude dos jogadores fizeram-nos chegar ao empate já na altura dos descontos. Aos 93 minutos, Rúben Ribeiro empatava a partida, merecidamente. Quando já estávamos com um ponto na bagagem para Barcelos, aparece Kraev, num remate cruzado, e faz o golo da vitória. Foi merecido, não baixámos os braços e, mesmo estando a perder até quase ao final, mostrámos a equipa organizada, disciplinada que estávamos habituados a ver antes desta pandemia.

Na terça-feira passada, recebemos o Tondela, num jogo nada fácil.

Mas como a permanência já estava garantida, fomos a jogo tranquilos, ao contrário do Tondela, que precisava de pontuar. Fomos quase sempre superiores.

Aos 29 minutos, num grande golo apontado por Rúben Ribeiro, fora da área, estava aberto o marcador, com o Gil Vicente em vantagem.

Na segunda parte, e com a equipa da casa a ter as melhores oportunidades, o capitão Rúben Fernandes aproveitou o canto para fazer o 2-0. Pouco depois, aos 64 minutos, foi a vez de Kraev apontar para o 3-0, numa jogada coletiva.

Estava tudo controlado, achávamos nós, do lado de fora. Víamos um Gil Vicente a controlar o jogo, mas o Tondela aproveitou canto para reduzir a vantagem para o 3-1. Não satisfeitos, os visitantes estavam então mais em cima do Gil Vicente que, a seis minutos, viam a vantagem a ser diminuída com o golo de Philipe Sampaio.

Emocionante este jogo, que terminou com a vitória, justíssima, do Gil Vicente.

Pessoal, a manutenção está garantida, esta equipa está de parabéns, o mister teve todo o mérito porque foi ele quem comandou estes jogadores e acho que estamos todos de parabéns. Parabéns pela manutenção!

O próximo encontro é domingo com…o Belenenses!

Continuem a apoiar a equipa.

Rumo aos 10000 sócios.

Até domingo!

Por: Lucy Santos*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Gil Vicente FC leva de vencida o CD Tondela por 3-2

Julho 15, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Jogo a contar para a 32ª jornada da Liga NOS

Em jogo arbitrado por Jorge Sousa (AF Porto), acompanhado por Nuno Manso e Sérgio Jesus, sendo Luís Máximo (AF Castelo Branco) o 4º árbitro, o Gil Vicente FC recebeu o CD Tondela e venceu por



As equipas alinharam da seguinte forma:

Gil Vicente FC – Denis, Edwin Vente, Rúben Fernandes, Ygor Nogueira, Alex Pinto, Soares, Kraev (Vítor Carvalho, 77’), Claude Gonçalves (João Afonso, 91’), Rúben Ribeiro (Baraye, 77’), Samuel Lino (Hugo Vieira, 67’) e Sandro Lima (Lourency, 67’). No banco ficaram Bruno, Rodrigo, Fernando Fonseca e Ahmed Isaiah.

CD Tondela – Niasse, Moufi (Ricardo Valente, 67’), Philipe Sampaio, Yohan Tavares (Jota, 75’), Filipe Ferreira, Murillo, João Pedro (Arcanjo, 75’), Pepelu, Richard (Strkalj, 67’), Jonathan Rubio (Rúben Fonseca, 84’) e Ronan. No banco ficaram Diogo Silva, Jaquité, Pedro Augusto e Tiago Almeida.

O Gil Vicente FC, ao início da presente jornada já havia conseguido, matematicamente, o principal objetivo da temporada: a manutenção. Desta feita, o adversário, que está na luta por se manter no principal escalão do futebol nacional, foi o CD Tondela.

O jogo começou frouxo, com a equipa da casa a assumir as despesas do jogo. Mas a primeira grande oportunidade até foi mesmo para o Tondela. Aos 23 minutos, cruzamento da direita, Alex Pinto corta de forma incompreensível e deixa a bola à mercê de Philipe Sampaio, no coração da área, que rematou ligeiramente ao lado da baliza defendida por Denis.

O Gil Vicente FC respondeu com um “GOLAÇO” de Rúben Ribeiro, que recebeu a bola na esquerda, driblou dois adversários em diagonal, para o interior do terreno, e desferiu uma “bomba” que colocou o Gil Vicente em vantagem no marcador.

Os gilistas voltam a estar em destaque aos 32 minutos, com uma nova grande oportunidade de golo. Jogada de insistência, Claude Gonçalves, no interior da área, faz um passe para Sandro Lima, já dentro da pequena área, mas este foi pressionado por Yohan Tavares e não chegou à bola para finalizar.

Ao intervalo, o resultado marcava 1-0 a favor dos “Galos”.

No reinício do jogo, o Tondela entrou a todo o gás, com Jonathan Rubio a fazer um “slalom” na área gilista e só um grande corte de Rúben Fernandes impediu o empate.

Dois minutos volvidos, o mesmo jogador hondurenho, que estava de regresso a Barcelos, desta vez na pele de adversário, a ganhar um ressalto na pequena-área, proveniente de um canto batido da esquerda, em que o domínio de bola saiu longo e uma grande defesa em antecipação do guardião Denis evitou, novamente, aquele que seria o golo do empate.

O Gil Vicente respondeu por Rúben Ribeiro, aos 56 minutos, a tentar repetir o golo que já tinha marcado, mas o remate, desta vez, embateu na defensiva do Tondela e deu canto. Este foi batido por Rúben Ribeiro ao segundo poste, Ygor Nogueira amorteceu de cabeça para o outro Rúben, desta vez o Fernandes, que cabeceou para o segundo golo gilista.

Os homens da casa fizeram o terceiro golo aos 63 minutos, novamente com Rúben Ribeiro na jogada, desta vez a fazer a assistência para Kraev, que deu seguimento a uma jogada da esquerda do ataque gilista, dominando a bola no interior da área do Tondela e rematando rente ao poste mais próximo da baliza do Tondela.

Aos 73 minutos, o Tondela reduziu. Canto batido da esquerda e o capitão Yohan Tavares a rematar, a dois tempos, para o fundo da baliza gilista.

Aos 84 minutos, os beirões voltaram a reduzir. Após jogada de insistência do Tondela, Philipe Sampaio, na recarga, e após defesa incompleta de Denis, a rematar para o 3-2.

O Tondela continuou a carregar sobre o Gil Vicente, em busca do empate, e provocou alguns calafrios na área gilista.

Foram adicionados 5 minutos de tempo extra, mas o resultado não se alterou e o Gil Vicente confirmou a grande época que está a fazer, mantendo o 9º lugar na tabela classificativa.

Rúben Ribeiro marcou um grande golo no primeiro do Gil Vicente, bateu o canto que originou o segundo golo e assistiu Kraev para o terceiro. Foi considerado, justamente, o “homem do jogo” pelo canal televisivo que transmitiu o jogo.

No próximo domingo, dia 19 de julho, pelas 19h00, o Gil Vicente FC desloca-se à “Cidade do Futebol” (Lisboa) para defrontar o Belenenses SAD.

Gil Vicente FC “conquista” Guimarães e a manutenção

Julho 10, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Vitória por 1-2 com golos gilistas nos descontos

Os Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, recebeu a partida Vitória SC – Gil Vicente FC, a contar para a 31ª jornada da Liga NOS.



Com arbitragem de Vítor Ferreira (AF Braga), coadjuvado por Pedro Fernandes e Paulo Miranda, com Manuel Mota (AF Braga), o jogo contou com os seguintes alinhamentos:

Vitória SC – Douglas, Hanin, Suliman, Frederico Venâncio, Sacko, Poha (PêPê, 85’), Mikel Agu, André André (André Almeida, 85’), Ola John (Davidson, 67’), Edwards (Ouattara, 78’) e Bruno Duarte (João Pedro, 78’). No banco ficaram Jhonatan, Pedro Henrique, Víctor García e Abouchakaba.

Gil Vicente FC – Denis, Alex Pinto (Vítor Carvalho, 76’), Rodrigo, Ygor Nogueira, Edwin Vente, João Afonso (Kraev, 76’), Soares, Rúben Ribeiro, Baraye (Ahmed Isaiah, 64’), Lourency (Samuel Lino, 64’) e Hugo Vieira (Claude Gonçalves, 97’). No banco ficaram Bruno e Fernando Fonseca.

Jogo de sensações fortes, com vimaranenses na luta pela Europa e com gilistas pela permanência. Saíram os “Galos” a ganhar.

O intervalo chegou com 0-0 e só a segunda parte trouxe sumo para o jogo. Aos 63’, os da casa abriram o marcador, por Bruno Duarte. Boa penetração de Edwards à linha, cruzamento para a pequena área e brasileiro a limitar-se a empurrar para a baliza.

Vítor Oliveira mexeu na equipa, refrescou unidades, primeiro, e, depois, apostou no ataque, tirando jogadores de teor mais defensivo e trocando-os por mais ofensivos. Quando se pensava que o 1-0 iria ser o resultado final, os gilistas marcaram. Aos 93’, recuperação de bola na defensiva, metida em Soares que faz um grande passe longo, de rutura. De início, parecia que a defensiva vimaranense iria controlar o lance, mas Sacko facilitou, Rúben Ribeiro acreditou e, ainda de longe, rematou para a baliza, fazendo o 1-1. Aos 97’, o treinador gilista troca Hugo Vieira por Claude Gonçalves, para “queimar” tempo e dar solidez ao meio-campo, dando a entender que o empate já servia para os intentos. Mas as redes ainda mexeriam e seria as da baliza dos da casa. Aos 99’ (?), recuperação de bola ainda no meio-campo defensivo, com apenas dois gilistas a levarem a bola. Entra um terceiro na joga para o passe de rutura para a linha, de onde sai cruzamento recuado para a área. Mais uma vez, a defensiva da casa parecia ter a bola controlada, mas Kraev não acredito nisso, apertou e roubou a bola, virou-se para a baliza e, ainda de ângulo apertado, marcou o golo da vitória gilista e da confirmação da tão ansiada permanência.

Com a vitória, o Gil Vicente FC alcança os 39 pontos. Na próxima jornada, dia 14, pelas 21h30, recebe o CD Tondela.

Estamos com 36 pontos e quase a garantir a manutenção

Julho 10, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora
Lucy Santos

Olá a todos os leitores do BnH.

Domingo, recebemos o Rio Ave e ficaram cá os 3 pontos merecidos, perante um adversário bastante difícil.



O Rio Ave foi a primeira equipa a criar perigo aos 13 minutos, mas logo a seguir, o Gil Vicente respondeu com uma jogada de Lourency para Rúben Ribeiro. Este remate foi afastado para canto.

Algumas situações de perigo do Rio Ave, mas, aos 37 minutos, foi a vez de Sandro Lima tentar o remate, mas sem sucesso.

Aos 39 minutos, foi o cabeceamento de Rodrigo que deu origem ao único golo da partida, num canto batido por Rúben Ribeiro.

Quase em cima do intervalo, numa boa jogada de Lourency, finalizou para Sandro Lima, mas este não chegou a tempo de rematar, indo para intervalo a vencer por 1-0.

Aos 54 minutos, o capitão Rúben Fernandes viu ser-lhe mostrado o segundo amarelo por falta sobre Taremi e ficámos reduzidos a dez unidades.

Com isto, tivemos que recuar para tentar organizar o jogo e defender o resultado.

Nesta segunda parte, o árbitro assinalou grande penalidade a favor do Rio Ave por suposta falta de Lourency sobre Gelson Dala. Após indicação do VAR, e depois do árbitro ter ido ver as imagens, anulou o penalty e o consequente cartão amarelo que tinha sido mostrado ao nosso jogador.

O Rio Ave continuou a tentar o empate, mas o Gil Vicente, aos 90 minutos, quase que matava o jogo, através de um remate de Lino, na área, cruzado, com a bola a sair perto do poste.

Foi um jogo difícil, perante um adversário difícil, mas deste lado estava um Gil Vicente organizado, com atitude, a pressionar o adversário.

Neste momento, estamos com 36 pontos e quase a garantir a manutenção.

Hoje, vamos a Guimarães defrontar o Vitória para mais uma final.

Antes do jogo com o Rio Ave, várias dezenas de adeptos receberam os jogadores quase à chegada do Estádio com aplausos e gritos de apoio.

Talvez tivesse sido este o momento extra que levou a equipa à vitória? Não sabemos. Sei, sim, que os adeptos são a peça fundamental num estádio e se não podemos lá estar, podemos, pelo menos, fazer chegar o nosso apoio à equipa.

Como? Com mensagens.

Somos Barcelos 💖

Por: Lucy Santos*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Próximo jogo em Tondela é importante e difícil

Julho 6, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora
Vítor Sá Pereira

Olá, caríssimos leitores do BnH!

Espero que se encontrem bem e com saúde. Não facilitem e protejam-se.



É isso que o FCP tem feito, não tem facilitado.

O jogo frente ao Paços de Ferreira foi “sofridinho”, mas o que interessava era mesmo a vitória. Gosto quando o Porto marca cedo pois a equipa solta-se e o discernimento é outro.

O Paços teve momentos em que encostou o Porto, mas depois da derrota do SLB na Madeira, era imperioso vencer, nem que fosse com os 18 em cima da linha de golo!

No regresso ao Dragão, frente ao Belenenses SAD, a equipa entrou confiante e com moral. Nem sempre a jogar bem, mas a ter bola, a jogar no último terço, a marcar, a falhar, a ter golos anulados, situações de possível penalty, etc.

Soares, com um golo à ponta de lança, mandava o Porto mais tranquilo para o descanso.

A segunda parte foi “à FCP dos antigos”. Dominador, esclarecido, criterioso e com “golo”. Trabalhar sobre vitórias é bem mais fácil e melhor.

Sente-se a harmonia e a felicidade no jogo e na relação entre todos.

Fiquei orgulhoso de ver que no banco do FCP mora muito do futuro desta equipa, jovens como Diogo Costa, Tomás Esteves, Vitinha, Fábio Vieira e Fábio Silva são frutos de uma grande escola que é a do Seixal…ups…do Olival! Para quem dizia que o FCP não apostava na formação, aí está a prova!

Na última crónica salientei que Luis Díaz não apresentava consistência. Parece que me ouviu e ficou enfurecido e nos brindou com um golo, não de levantar o estádio, porque não há adeptos, mas com um golo de levantar-me do sofá!

Queria, também, destacar a solidez defensiva da equipa.

O próximo jogo em Tondela é importante e difícil, já que os tondelenses estão aflitos.

O título está perto, mas continuo a ser muito realista, Porto e Benfica já foram capazes do melhor e do pior.

Era ótimo que o FCP fosse campeão, não só pelo “caneco”, mas para uma limpeza profunda no plantel, etc.

Por falar em Benfica, querem ver que o Nélson Veríssimo é o novo Mourinho e que vai ser brindado com renovação e cláusula de rescisão de 50 milhões?? Pensei que ia ser este o título do “A Bola” no domingo!…LOL

Para terminar, queria dar os parabéns ao Gil pela vitória frente ao Rio Ave e pelos 89% do objetivo atingido.

Abraços e cuidem-se.

Por: Vítor Sá Pereira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

1 3 4 5 6 7 40
Ir Para Cima