Tag archive

Jeracina Gonçalves

Lionismo e diabetes

Novembro 29, 2020 em Atualidade, Concelho, Mundo, Opinião, Saúde Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Lionismo é um Movimento de Serviço Internacional, que está em mais de 200 países, com um leque de serviços amplo, desenvolvido através dos mais de 48 000 Clubes Lions no mundo, com ações que englobam a promoção da saúde na diabetes, na cegueira, no cancro infantil e em outras doenças que afligem a humanidade, a promoção da cultura, da saúde ambiental, o combate à fome, a prevenção da delinquência infantil e juvenil com programas orientados para essas idades, etc.



E, através da Fundação Lions Internacional, (LCIF), o movimento lionístico está sempre presente onde a catástrofe e a necessidade acontece como, atualmente, na pandemia do COVID-19.

Os clubes seguem os programas orientadores de Lions Internacional e da Governadoria do Distrito Lion a que pertencem, com ações de iniciativa própria, consoante as necessidades das comunidades em que assentam: organizam-se eventos de angariação de fundos, rastreios, colheitas de sangue, entrega de bolsas de estudo, bolsas de alimentação e outras, concursos literários, concursos de música, de fotografia, ações de apoio à velhice, e muitas outras.

O mês de novembro é dedicado à Diabetes, essa doença crónica que atinge 463 milhões de pessoas no mundo e se carateriza por demasiado açúcar (glicose) em circulação, consequência da não (ou pouca) produção de insulina pelo pâncreas, que não sendo diagnosticada atempadamente e controlada, pode provocar lesões graves no coração, nos olhos, nos rins, nos vasos sanguíneos, nos nervos, causando pouco a pouco a falência de todo o organismo.

O diabético precisa de aprender a manter a sua doença controlada. Dependerá disso o ter uma vida feliz, normal, ou uma vida de sofrimento. Ele deverá ser doente e médico no controlo da sua doença.

A Diabetes manifesta-se sob dois tipos: diabetes tipo1, que atinge especialmente jovens e crianças, mas pode atingir todas as idades. Os seus portadores terão de tomar, diariamente, a insulina, que o seu pâncreas não produz, e controlar a glicose em circulação; e a diabetes tipo 2, que atinge, preferencialmente, pessoas de meia-idade, mais ou menos obesas e sedentárias. Mas também, e cada vez mais (pensa-se que devido ao tipo de alimentação e à vida sedentária das crianças e jovens de hoje), jovens e crianças. Todavia, diagnosticada, seguindo disciplinadamente o tratamento e tendo uma alimentação saudável e exercício moderado, quer os diabéticos Tipo1, quer os do Tipo2 poderão levar uma vida ativa e feliz.

Durante o mês de novembro, cujo dia 14 é o Dia Mundial da Diabetes, os clubes Lions desenvolvem nas suas comunidades atividades decontrolo e promoção da saúde do diabético, com a organização de palestras sobre alimentação saudável, caminhadas, rastreios de glicose, colesterol, tensão arterial, índice de massa corporal, distribuição de panfletos alertando para as consequências de uma Diabetes descontrolada, etc.

E o Lions Clube de Barcelos, desde há anos, juntamente com os seus parceiros, organiza no dia 14 de novembro “As Jornadas da Saúde”, que englobam rastreios a esses valores diversos, importantes na saúde de todos nós, mas ainda mais na saúde do diabético.

Este ano foram adiadas, há dias, para quando o COVID-19 permitir a sua concretização.

Por: CL Jeracina Gonçalves*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Foto: DR.

Nós Servimos!

Janeiro 22, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Serviço desinteressado ao outro, que de algum modo, está necessitado de apoio, é a verdadeira essência do lionismo. “Servir e não servir-se” é uma das linhas orientadoras da conduta lionística: integra o nosso código de ética.



E esse Serviço manifesta-se de diversas maneiras, atravessa todas as áreas e cruza todos os estádios etários. Da saúde à cultura, da educação ao meio ambiente, do combate à fome, à orientação e intercâmbio juvenil, ao apoio e proteção na velhice, etc. Cada clube desenvolve-o segundo as características e as necessidades da sua comunidade, mas também, segundo o fio orientador do grande Movimento Internacional de Serviço, que é o Lionismo.

Promovem-se rastreios de prevenção da diabetes e outros; apoia-se a investigação do cancro infantil; organizam-se colheitas de sangue e palestras; promovem-se ações de luta contra a cegueira, de preservação do meio ambiente e de combate à fome; constroem-se creches e lares; acode-se em situações de catástrofes, etc.

Através da sua Fundação, os Lions estão em todo o lado, onde o sofrimento humano acontece, para com o seu serviço, minimizarem o sofrimento e promoverem o bem-estar.

Janeiro é o mês da consciencialização sobre a fome. Esse flagelo, que afeta uma fatia muito grande da humanidade e atravessa os cinco continentes, cria as condições ideais para o aparecimento da doença e a subsistência da morte, e gera a debilidade do ser humano, logo à nascença.

Façamos o exercício mental de nos colocarmos no lugar de alguém que morre de fome. Deve ser horrível, não acham? E, no mundo atual, no qual a riqueza está tão mal distribuída, há ainda muitos milhões de seres humanos (crianças, mulheres e homens) a morrerem de fome todos os dias. Ou devido às guerras, ou às secas e outras intempéries climatéricas, ou simplesmente por penúria. E não acontece apenas nos países subdesenvolvidos. Há fome também nos países ricos. E muitos são os recursos desperdiçados que, se bem orientados, e se pudessem circular livremente sem as burocracias que os impedem de chegar rapidamente aos lugares onde salvariam vidas, acabariam com o flagelo da fome a nível mundial.

Os clubes Lions também estão presentes no combate à fome nas suas comunidades, nos seus países e no mundo. E são muitas as ações realizadas para colmatar esse flagelo. Participam na angariação e distribuição de alimentos, fazendo parcerias com outros organismos vocacionados para esse fim; organizam e distribuem cabazes alimentares a nível das suas comunidades; atribuem bolsas alimentares a famílias mais carentes; criam refeitórios, etc. Mas também por meio da sua Fundação, e com a ajuda monetária desta, que patrocina projetos de clubes, desde que bem fundamentados, são desenvolvidas ações no sentido de acabar (ou, pelo menos, diminuir) a fome que grassa pelo mundo. E, atualmente, está a decorrer um programa piloto de subsídios contra a fome, criado pela Fundação Lions Internacional, que subsidia projetos de clubes que sejam dirigidos ao combate contra a fome. Nomeadamente, plantação de hortas comunitárias, distribuição de frigoríficos, construção de refeitórios, etc.

O Lions Clube de Barcelos sempre expressou a sua preocupação nesta área, quer através da feitura de cabazes (especialmente na época natalícia), distribuindo-os por famílias previamente selecionadas ou entregando-os a associações da cidade com essa vocação e que têm a seu cargo esse serviço humanitário. Nomeadamente, o GASC. Mas também a Associação da Paramiloidose beneficiou já dessa ação do Lions Clube de Barcelos. E, desde há três anos, tem um projeto de entrega de bolsas alimentares, divididas em duodécimos mensais, a famílias carenciadas, selecionadas com a ajuda da Junta de Freguesia de Barcelos.

Nos dois últimos anos, entregaram-se dez bolsas alimentares em cada ano.

Este ano caminha-se no mesmo sentido.

Por: CL Jeracina Gonçalves*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Ir Para Cima