Tag archive

Lavagem de Alma

Tempo de virar o jogo

Outubro 5, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Que eu não perca a vontade

De Ser,

De Amar,

Só por medo de sofrer.

De dar

Sem nada esperar

Só por medo de cair.

De sorrir

Até de chorar.

Virar o jogo.

Do frio fazer fogo.

Da tristeza

E dos dias escuros

Fazer florir

Bem-me-queres.

E querer ir…

De joelhos,

Só para agradecer

O tudo,

O nada,

O que vier

Por bem.

Paz,

Amor,

Intensidade

E fazer valer a pena

Cada dia que pensei desistir

Cada palavra que calei

Cada hora que o silêncio dominou.

Voltar confiante

E mostrar à vida

Que quem manda nela,

Sou eu!!!

.

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Sussurrar

Setembro 18, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Quantas vezes,

Não vemos sentido

Nas palavras que o coração

Nos sussurra ao ouvido?

Mais parece um termo indefinido.

Mas há sempre uma razão!

No sim, e no não,

No bem querer, no rejeitar,

Há a imensidão,

Quando se conjuga no verbo lutar.

Numa roda gigante,

Vemos os minutos passar

O tempo segue adiante

E nós só o queremos travar…

No tic tac do olhar

O relógio sempre a rodar

Vemos coisas que não queremos,

Mostramos coisas que não dizemos,

Espelhamos o que o interior esconde.

Indo por aí…

E tantas, sem saber para onde!

Fugindo,

Soltando,

Deixando para trás…

Seguindo,

No tanto faz…

Vida fácil?

Não.

Sonhos impossíveis?

Jamais, para quem cai de pé…

.

Aprende a cair,

A cair em ti.

Faz!

Por ti…

.

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

A pandemia do medo

Junho 27, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Chegou!

Veio de longe

Veio pelo caminho a ceifar vidas

E continua

Sem dó, nem piedade.

Obrigou-nos a fechar as portas

À liberdade.

Criou fronteiras

Ao toque

Trouxe saudade.

O amor pelos nossos

Vai vencer

A pandemia do medo.

A preocupação

Guardamos em segredo.

Em casa fechados

Enclausurados

Aí,

Surgiram os nossos heróis.

Aqueles capazes de lutar pelos “dois”

Por eles e por nós.

Abraçando a luta

Como uma disputa

Entre um bicho e um mundo

Querendo respirar.

Um inimigo invisível

Um ladrão

Que perderá as forças,

Nas forças da nossa inclusão.

Queremos deitar a cabeça

Na nossa almofada

Entre a fé e a esperança

Não pedimos mais nada.

Senão que, uma aliança

Entre nós e o que tínhamos…

Lembraremos com gratidão

Os que nos deitaram a mão

Para nos manter vivos

Na guerra

Entre a “nossa terra”

E um estranho qualquer…

.

Muito obrigada a todos os nossos heróis, que se privaram dos seus, por ti, por mim, pelos nossos, pelos meus.

Por: Joana Martins*.



(* A redação do é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Não é medo

Abril 9, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Não é medo de viver

Não é medo de abraçar

Não é medo de ter

Não é medo de dar.

.

Não é medo de querer

Não é medo de amar

Não é medo de fazer

Não é medo de lutar.

.

Não medo de dizer

Não é medo de acariciar

Não é medo de envelhecer

Não é medo de ficar.

.

Ai…

É medo de perder!

.

Temos de “agarrar” com unhas e dentes, com amor e vontade, quem faz por nos merecer.

Sim, porque nós merecemos o melhor e somos muito mais do que pensamos!

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Nação unida

Março 18, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Vamos mostrar

A este vírus homicida

Que não pode entrar

Numa nação unida.

Nós não deixamos!!!

.

Para o conseguir vencer

Em casa vamos ficar

Sair, só por dever.

Entrar?

Nós não deixamos!!!

.

Beijinhos, abraços

Apertos de mão

Não!

É prevenção!

Nós não deixamos!!!

.

Já ouvimos

Que lavar as mãos

É essencial!

Entrar?

Nós não deixamos!!!

.

Ganhar distância

Mas ajudar os idosos

Despir-nos da ganância

Os bens essenciais

Têm de chegar para todos.

.

Há seres especiais

Na linha da frente.

A dar o corpo às balas

Não sejas inconsciente.

Nós não deixamos!!!

.

Vamos ver o filme que não vimos

Ler o livro que não lemos

Ligar aos Pais, irmãos,

Aos amigos, aos primos

Que há algum tempo não vemos.

.

Vamos lembrar o valor

Do que não podemos viver

E quando este tempo passar

Vamos querer abraçar

O beijo, o toque, o recomeçar…

.

Vamos mostrar

A este vírus homicida

Que não pode entrar

Numa nação unida.

Nós não deixamos!!!

.

Somos um só!

Um só povo!

Unidos e empenhados até ao fim!

Por: Joana Martins*



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Deixem-me ser!

Março 1, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Passeiam os dias

Em ruas de incertezas

Entre os sonhos que adias

Alegrias e tristezas.

Veste a vontade

De deixar o tempo responder

E num grito de liberdade

Diz:

Deixem-me ser!

Faz das imperfeições

Pegadas que ficam.

Lições,

Que marcam.

Cais

Levantas-te

E vais.

Ser tu!

Buscas aceitação

Amor

Compreensão

E abraças com sentimento

Quem te preenche por dentro.

Por fora

Deixas ir embora

Quem não te entende.

Prendes-te à razão

De ser.

E corres com paixão

Por entre trilhos íngremes

Porque nada é em vão

Não te subestimes.

Tu consegues!

E no fim?

No fim, vences!

.

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

O recomeço

Janeiro 9, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Pinto de rosa

As flores que encontro no caminho,

Escrevo em prosa

Vou devagarinho.

O recomeço

De uma nova caminhada,

Novos sonhos.

Sonho acordada

Com força

Determinada,

Estabeleço novos desafios

Objetivos que quero alcançar.

Perco-me em rios

De ideias.

Deixo-me levar

E vou!

Procuro o meu lugar

Dentro de mim,

Procuro-me.

Quero lá chegar,

Onde?

Onde me sinto mais feliz.

Não vou sozinha

Vou com quem quiser vir comigo,

Com quem me faz sentir bem.

Perdida em campos de trigo

Da fome de ir além

De ser melhor

De ser mais.

E vá para onde for

Esquecer jamais

Os que me dão amor.

Sim, porque sem isso,

Não há caminho que valha a pena.

Recomeçar é preciso

Para seguir

Sem nunca desistir

De nós mesmos.



Por: Joana Martins*.

(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Perdida em mim…

Novembro 14, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Vagueio na solidão

Sem saber para onde vou

Só, de mim,

Perdida na imensidão.

Sou tudo ou nada

Num só coração.

Contínuo perdida

Vagueio em vão.

Contínuo a procurar

Dentro de mim, o sentido

Tento me encontrar

Num suspiro contido.

Abro os braços ao mundo

Na ânsia do querer

E num segundo

Vejo a vida correr

Não a deixo fugir

Não a quero perder

Vim para sentir

A sorrir vou viver.

Perdida em mim…

.

Nunca se esqueçam de sorrir, por mais que a caminhada seja dura!

Vou tentar fazer o mesmo…

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Abre mão

Outubro 31, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Com o passar dos anos,

Aprendemos,

Que temos de deixar ir…

Escolhemos os que amamos

E não queremos vê-los partir.

A palavra gratidão

Ganha grande sentido

Quando não abrimos mão,

Da recordação

Que nos fala ao ouvido.

Quando perdemos alguém

Que era tão importante

Sentimo-nos aquém

E a dor é dilacerante.

Impera o silêncio

Faltam-nos as palavras

E sentimos um vazio

Que descrevo em metáforas.

A vida é uma flor

E na sua delicadeza

Deixa amor

Fraqueza

Dor

Mas também uma certeza

Por onde passas

Alguns não vão dar valor

Mas os que te amam,

Sim!!!

Abre mão

E deixa um rasto de ti…

Do que ficou gravado

Do que te fez sentir amado

Abre mão

Abre o coração

E agarra-te com um sorriso

A esses…

Que não abrem a mão de ti!

E aos que partem

Que levam uma parte de nós

Não é um adeus

É um até já…❤

.

Este poema é dedicado a todos que, tal como eu, viram partir alguém especial antes de nós.

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Na rua da vida…

Outubro 7, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Quantas vezes caminhei

Na rua da vida

Dando pequenas passadas

Desejei não me perder

Em becos sem saída.

Mergulhei em poças de água

Que pareciam o fundo do poço

Não eram mais nada

Do que um mero esboço.

Do rosto de uma guerreira

Que luta determinada

Que não baixa a guarda

Por tudo e por nada.

Aprendi a me defender

Das meras tempestades

E a deixar florescer

A minha força de vontade.

Na rua da vida…

Visto-me de cetim

Sigo decidida

Pelos que gostam de mim.

Os que me aceitam

Tal como sou

São diamantes que brilham

E levo-os para onde vou.

No toque,

A saudade

No cheiro

Maresia

No olhar

Poesia.

.

Na rua da vida…

Lado a lado

Os que sempre se importaram comigo ❤

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

1 2 3 6
Ir Para Cima