Tag archive

Liga Portuguesa de Futebol Profissional - page 2

Desportivo das Aves empresta Valdeir ao Gil Vicente

Setembro 1, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora




No último dia do mercado de transferências, 31 de agosto, e mesmo na última atualização, o Gil Vicente informou a Liga Portuguesa da cedência do atleta Valdeir Batista de Souza, cedido pelo Desportivo das Aves, da 1ª Liga, conforme se constata na imagem seguinte.

Valdeir é um médio brasileiro de 24 anos, proveniente do Aves. Foi contratado neste defeso pela equipa avense, ao Salgueiro, do Brasil, mas ainda não se tinha estreado. Antes da turma avense e da referida equipa brasileira, este brasileiro, nascido em Sapeaçu, alinhou pelo Feirense, uma primeira passagem pelo Salgueiro, Campinense, Madureira, voltando ao Salgueiro, antes de se transferir para o Aves. Todos os clubes são brasileiros.

O médio, de 1,71m, chega por empréstimo de uma época.

No mesmo dia, o clube gilista informou a Liga da revalidação do contrato do nigeriano Ebuka Peter.

Foto: DR.

Gil Vicente está contra a decisão da Liga de Clubes

Fevereiro 9, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto Por barcelosnahorabarcelosnahora

Após se ficar a saber que o Gil Vicente terá que aguardar, primeiro, pelo trânsito em julgado do “Caso Mateus” e, depois, ainda aguardar uma época futebolística para poder ser reintegrado, o clube já reagiu a essa decisão, em comunicado, contestando-a e referindo que a impugnará, interpondo um recurso para o Conselho de Justiça.
Eis o comunicado, na íntegra:

«COMUNICADO

A Gil Vicente Futebol Clube – Futebol SDUQ, Lda., vem por este meio comunicar aos associados, adeptos, simpatizantes, opinião pública em geral e comunicação social o seguinte:

1. Como é do conhecimento público, os clubes de futebol profissional, reunidos no dia de ontem, 7 de Fevereiro de 2017, em Assembleia-Geral extraordinária na sede da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, decidiram, por maioria, a aplicação de uma norma, alegadamente abstrata, que impõe uma época de premeio entre qualquer decisão judicial sobre a reintegração de um clube nas competições profissionais e a sua aplicação prática.

2. Ora, a sociedade desportiva Gil Vicente Futebol Clube, Futebol, SDUQ, Lda., discorda, como discordou, frontalmente de tal decisão, de tal forma que, no exercício dos seus direitos, votou contra a aprovação dos artigos 21-A e 23º-A do Regulamento de Competições da L.P.F.P.

3. Ao contrário do que a Liga quis fazer crer, a alteração em causa não representa a aprovação de uma norma geral e abstracta, mas sim a aplicação de uma medida de carácter individual e concreta, uma vez que sobre a integração de um clube por decisão judicial, a LPFP referiu que estava em causa o Gil Vicente, não havendo até qualquer outro caso com processo em Tribunal referente a competições profissionais da LPFP.

4. A solução apontada pela Gil Vicente Futebol, Futebol, SDUQ, Lda., e que defendeu no seu voto de vencido, e que aqui reproduz integralmente, passava pelo aumento do número de participantes na época desportiva posterior à que se encontrava em curso na data em que tenha transitado em julgado decisão judicial ou que até já tivesse findado antes daquele momento, sendo que esta solução era inclusivamente a solução preconizada pelo precedente criado através dos mecanismos aprovados pela AG da LPFP e da sua eficácia para concretizar a integração de clube/sociedade desportiva numa competição organizada pela LPFP, que foi posteriormente objeto de acordo com a FPF, nos termos do contrato celebrado entre as duas entidades, sendo também a solução que resulta do Parecer que havia sido pedido ao Tribunal Arbitral do Desporto.

5. Mais uma vez, a Gil Vicente Futebol Clube, Futebol, SDUQ, Lda. encontra-se lesada, pois assistiu à aprovação de normas que se revelam prejudiciais para os direitos, interesses e expetativas que viu reconhecidos por decisão judicial.

6. Para além de tudo isso não entende esta sociedade desportiva de que forma pode a Liga Portuguesa de Futebol Profissional atentar contra o valor e a força jurídica de uma Sentença Judicial, alvitrando, a seu gosto, quando é que a mesma deve ou não ser cumprida.

7. À Direção da L.P.F.P. foram indiferentes os princípios estruturantes do Estado de Direito e do Desporto, os princípios da confiança e certezas jurídicas, e bem assim a força imperativa da decisão judicial decorrente do caso julgado material.

8. Em princípio, a execução de uma Sentença seria a fase em que aquilo que foi estabelecido pelo Tribunal é executado no mundo real; para a Direção da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, no mundo do futebol, a execução de uma Sentença ocorre quando ela o determina, e não quando o Tribunal o determina.

9. Por todas estas razões, a Gil Vicente Futebol Clube – Futebol, SDUQ, Lda. votou contra a aprovação dos artigos 21º – A e 23º – A do Regulamento de Competições da LPFP, juntando ao presente comunicado o Voto de Vencido que apresentou oportunamente e em sede própria, reproduzindo os respetivos fundamentos de facto e de direito.

10. Por fim, porque não pode pactuar com a defesa de interesses alheios ao futebol, em detrimento da defesa dos interesses de um associado da L.P.F.P., a Gil Vicente Futebol Clube – Futebol, SDUQ, Lda., informa que irá impugnar a deliberação da Assembleia-Geral da Liga através da interposição de recurso para o Conselho de Justiça da F.P.F.

Barcelos, 8 de Fevereiro de 2017»

Fonte e Foto: Facebook do Gil Vicente FC.

Gil Vicente só pode vir a reintegrar a I Liga na época 2018/2019

Fevereiro 8, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto Por barcelosnahorabarcelosnahora

O clube barcelense só poderá reintegrar a I Liga (“Liga NOS”) na época 2018/2019 e, para isso, necessita que a decisão do “Caso Mateus” transite em julgado ainda esta época.

Por outras palavras, terá que haver uma época de premeio entre o transitar em julgado de um “caso” e a integração de um clube, quer na I Liga, quer na II Liga (“Liga Ledman Pro”).

Quando o Gil Vicente for reintegrado, a forma como se procederá o ajuste da Liga passará, ao que tudo indica, pela descida dos últimos três classificados. Toda esta informação consta do documento, fornecido pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional e a que este jornal teve acesso, que define o “critério de integração das sociedades desportivas por via de decisão judicial” e que foi aprovado pela maioria dos clubes.

Cai, assim, por terra a aspiração gilista de já na próxima época voltar a disputar a Liga principal e ficará sempre dependente, como referido, do trânsito em julgado do “Caso Mateus”.

Num outro plano, também ficou decidido que ambas as Ligas passarão a ser disputadas por 18 clubes. Atualmente, a Liga NOS é disputada por 18 e a Ledman Pro por 22.

 

Imagem: Facebook do Gil Vicente FC.

Gil Vicente pode estar a caminho da I Liga

Fevereiro 6, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto Por barcelosnahorabarcelosnahora

[sg_popup id=”3″ event=”onload”][/sg_popup]Numa notícia avançada hoje pelo jornal “O Jogo”, a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) poderá discutir na Assembleia-Geral extraordinária de amanhã, dia 07 de fevereiro, uma alteração ao Regulamento de Competições por forma a reintegrar o clube barcelense na Liga principal do futebol profissional português.

Os gilistas viram, em maio de 2016, o Tribunal Administrativo de Lisboa considerar nulo o acórdão de agosto de 2006 do Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), que condenava o Gil Vicente a descer à II Liga. No entanto, o clube de Barcelos não chegou a ser reintegrado no escalão principal pela Liga.

Já na última temporada, a Liga não reintegrou o Gil Vicente na I Liga depois de o Belenenses, uma das partes envolvidas no “caso Mateus” ter recorrido da decisão, alegando “a defesa da honra de antigos dirigentes do Belenenses, vilipendiada a pretexto deste caso”.

Dessa forma, a Liga adiou a decisão de reintegração e solicitou um parecer ao Tribunal Arbitral do Desporto (TAD), cujas conclusões apontam para a possibilidade de reintegração do clube de Barcelos no campeonato principal. No mesmo parecer, o TAD expõe as várias opções a seguir após o Gil Vicente ser reintegrado, por forma a definir quais os clubes que descem à II Liga e quais os que sobem à Liga principal.

Imagem: Facebook do Gil Vicente FC.

Ir Para Cima