Tag archive

Maria José Fernandes

Sessão de Abertura dos Mestrados do IPCA conta com José Teixeira (CEO da DST Group)

Outubro 23, 2020 em Atualidade, Concelho, Economia, Educação Por barcelosnahorabarcelosnahora

Evento decorre amanhã, dia 24 de outubro

“O valor da cultura e do talento na competitividade” é o tema da conversa com José Teixeira, CEO da DST Group, no próximo dia 24 de outubro, no âmbito da Sessão de Abertura dos cursos de Mestrado do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA).



A sessão conta com uma mensagem de boas-vindas da Presidente do IPCA, Professora Maria José Fernandes, seguindo-se a conversa com José Teixeira, dando a oportunidade aos estudantes de colocarem as suas questões num momento de debate.

“O IPCA procura manter a sua política de bem receber os seus estudantes, apesar das contingências atuais de combate à pandemia da COVID-19, todas as normas e regras de segurança”, refere a instituição em nota.

Em 2020/2021, o IPCA recebe mais de 400 novos estudantes de mestrado, “o que representa um sinal muito claro da importância deste nível de oferta formativa para a formação avançada e especializada dos quadros superiores das empresas e organizações.  O IPCA continua, assim, a cumprir a sua missão e a contribuir para o desenvolvimento da região e do país”, conclui.

Fonte e imagem: IPCA.

IPCA recebe os novos estudantes dos cursos de Licenciatura e CTeSP´s

Outubro 8, 2020 em Atualidade, Concelho, Educação, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

A Presidente do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), Maria José Fernandes, deu as boas-vindas aos novos estudantes dos cursos de Licenciatura e Cursos Técnicos Superiores Profissionais em sessões de apresentação independentes para cada turma.



As sessões iniciaram-se nos dias 6 e 7 de outubro nos cursos que decorrem no Campus, em Barcelos, estando previstas, nos próximos dias, as mesmas sessões nos Polos de Guimarães e Famalicão. “Estas sessões marcam a abertura do ano académico e têm por objetivo contribuir para uma melhor integração dos estudantes, dando-lhes a conhecer a instituição onde irão fazer o seu percurso académico”, refere a instituição em nota.

A Presidente do IPCA faz-se acompanhar por Sofia Coelho, diretora dos Serviços de Ação Social do IPCA, pela Provedora do Estudante, Irene Portela, e pelo Presidente da Associação Académica, João Pereira. Todos dirigiram umas breves palavras aos novos estudantes, informando-os de alguns apoios, serviços e projetos a que podem ter acesso, e incentivando-os a uma plena vivência académica. Nestas sessões estão sempre presentes os respetivos diretores(as) da escola e diretores(as) de curso a quem cabe transmitir informações importantes sobre o funcionamento do curso e comunicar os cuidados de higiene e segurança a que devem obedecer na Instituição.

Sobre o modelo encontrado para as sessões de apresentação do início deste ano letivo, Maria José Fernandes lembrou que “em anos anteriores, concentravam-se todos os novos estudantes e estas apresentações decorriam com um auditório cheio, inclusive com a presença de convidados externos como foi o caso do no ano passado, em que esteve presente o Sr. Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, o Professor Manuel Heitor. Este ano, não obstante a situação de pandemia, não deixámos de acolher institucionalmente os novos estudantes e esta foi a forma encontrada para, em total segurança, os receber e dar a conhecer os rostos que os podem ajudar na caminhada pelo IPCA”.

Fonte e foto: IPCA.

JS Barcelos promove debate online sobre Ensino

Setembro 29, 2020 em Atualidade, Concelho, Educação, Mundo, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

A Juventude Socialista de Barcelos, dá início, amanhã, dia 30 de setembro, pelas 21h30, à rubrica “Palavras que contam”. O primeiro tema será: “Ensino: Novos Desafios em Tempos de Pandemia”.



A primeira edição contará com a presença de João Costa, Secretário de Estado Adjunto e da Educação; Miguel Costa Gomes, Presidente do PS Barcelos; e Maria José Fernandes, Presidente do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), que conversarão sobre o Ensino e os novos desafios em tempo de pandemia. A sessão será moderada pelo jovem Diogo Faria.

Fonte e imagem: JS-B.

Presidente do IPCA dá as boas-vindas à comunidade académica

Setembro 17, 2020 em Atualidade, Concelho, Educação, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

A Presidente do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), Maria José Fernandes, emitiu um comunicado onde dá as boas-vindas à comunidade académica para o ano letivo 2020-2021, assegurando que o IPCA está a preparar, “de forma muito cuidada e planeada”, o arranque do ano letivo, tendo em conta todas as condicionantes e necessidades advindas do momento atual da pandemia COVID-19.



Leia, na íntegra, o referido comunicado:

«Cara comunidade académica,

O ano letivo 2020/2021 está prestes a começar!

Este será um ano letivo com novos desafios, marcado pelo regresso às aulas com normas e regras de segurança, num contexto que é ainda de grande preocupação pelo controlo e mitigação da pandemia da COVID-19! Os tempos que vivemos são complexos, à escala global, e de muita responsabilidade, exigindo de todos e de cada um de nós um papel determinante no cumprimento das normas e regras de segurança aprovadas. Mas o contexto é também de novas oportunidades que devemos ser capazes de explorar e agarrar no sentido de conseguirmos evoluir e melhorar no futuro. É este o lema que partilho para o novo ano letivo! Responsabilidade e oportunidade!

O IPCA está a preparar, de forma muito cuidada e planeada, o arranque do ano letivo em estreita articulação, quer com as estruturas locais de saúde pública, quer com a sua comunidade interna, no sentido ajustar o modelo de funcionamento das atividades letivas, de investigação e dos serviços administrativos, técnicos e de suporte aos alunos, aos desafios colocados pela evolução da pandemia COVID-19 e, desta forma, mitigar os riscos de alastramento da pandemia, protegendo os alunos e toda a sua comunidade académica. Estamos a trabalhar no sentido de criar as condições necessárias para o regresso em segurança dos nossos estudantes.

No âmbito do planeamento das atividades letivas e não letivas destaca-se a preferência pelo regime presencial como modelo de ensino e aprendizagem no ano letivo de 2020/2021, sendo este complementado com o regime híbrido e o regime não presencial como forma de reduzir o número de pessoas nas instalações do IPCA em respeito pelas regras de segurança e de distanciamento físico. O Despacho PR nº 88/2020 apresenta as normas orientadoras para o funcionamento do ano letivo 2020/2021.

Consideramos que o regime presencial assume uma dimensão essencial da educação superior, na medida em que promove a equidade entre estudantes em termos de participação e avaliação e proporciona a educação integral dos estudantes. Por outro lado, aproveitaremos a oportunidade do contexto global em que vivemos para estimular a aplicação de novas práticas de inovação pedagógica através da experimentação, trabalho autónomo e uso das tecnologias digitais no apoio aos processos de ensino e aprendizagem.

Decorrente das normas de higiene e segurança determinadas pelas autoridades de saúde competentes no regresso às aulas, o IPCA planeou o ano letivo com novas regras das quais se destacam o alargamento e desfasamento dos horários das atividades letivas, permitindo assegurar uma ocupação mais equilibrada dos espaços físicos e assegurar o distanciamento físico, a diminuição do tempo livre no campus para evitar partilha de espaços comuns, a definição de novos circuitos e regras de acesso aos espaços, tendo sido melhorada a comunicação visual e sinalética. Foram ainda atualizadas as regras e procedimentos de higienização e limpeza, sendo obrigatório o uso de máscara nos espaços interiores e recomendado o seu uso no exterior.

Maria José Fernandes – Presidente do IPCA (Foto: DR)

Paralelamente, foi realizado um forte investimento na melhoria dos recursos de apoio pedagógico nas salas de aula, nomeadamente, através da instalação de “smartboards” e sistemas de captura de som e vídeo que facilitem a realização das aulas no regime híbrido (em modo espelho). Está assegurada a formação aos docentes do IPCA para a utilização destas novas ferramentas. Este investimento foi impulsionado pelo contexto em que vivemos, mas é sem dúvida uma oportunidade de melhoria para o futuro.

O sucesso do IPCA no combate à pandemia no campus depende muito do comportamento global e individual da comunidade académica. Apelamos por isso a um comportamento cívico e responsável no cumprimento pelas normas e regras definidas, quer pelas autoridades de saúde, quer pelo IPCA, para que este ano letivo possa decorrer com normalidade e segurança.

Todos os documentos relevantes sobre o funcionamento do novo ano letivo e as normas e regras de higiene e segurança encontram-se divulgados na página do IPCA podendo ser consultados aqui:

– Despacho PR-88/2020 – define as normas orientadoras para o funcionamento do ano letivo 2020/2021;

– O Plano de Contingência Interno – revisto e atualizado em setembro de 2020;

– O plano operacional para o funcionamento das atividades letivas e não letivas.

Em articulação direta com as autoridades de saúde pública e órgãos internos do IPCA, e de forma a garantir uma rápida resolução de eventuais problemas que possam surgir em resultado da evolução desta pandemia, os documentos agora elaborados e aprovados serão ajustados e atualizados de forma contínua.

Funcionamento do ano letivo 2020/2021 – consulte aqui a informação.

Desejo a todos um excelente ano letivo!»

Fonte e foto: IPCA.

IPCA entrega prémios aos vencedores do Concurso Regional Poliempreende 2020

Setembro 8, 2020 em Atualidade, Concelho, Economia, Educação, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

GameCult, do alumnus Reinier Vens, arrecadou o primeiro prémio 

O Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) entregou os prémios aos vencedores da fase regional do concurso Poliempreende 2020. A cerimónia pública teve lugar na Biblioteca José Mariano Gago e contou com a presença da Presidente do IPCA, Maria José Fernandes, da Coordenadora do Concurso Poliempreende do IPCA, Adriana Lago de Carvalho, do representante do Banco Santander Universidades, Nuno Vieira, dos premiados desta 17ª edição, da administração, diretores de escolas e unidades e docentes da área do empreendedorismo. 



Na sua intervenção, a Presidente do IPCA realçou as circunstâncias atípicas em que esta edição decorreu, enaltecendo a resposta do IPCA e dos estudantes às contingências sociais e académicas. “Conscientes da importância da atitude empreendedora, e para levar este projeto a ‘bom porto’, tivemos de agir e de nos reinventar. É nossa responsabilidade social e missão despertar nos nossos estudantes um mindset empreendedor com a realização de concursos como o Poliempreende e com atividades externas e extracurriculares alinhadas na nossa estratégia de inovação”, refere a Presidente. 

Maria José Fernandes (Foto: IPCA)

As três equipas vencedoras receberam um valor pecuniário oferecido pelo parceiro institucional, o Banco Santander, na qualidade de patrocinador oficial do concurso, valor este que poderá ser reforçado se a concretização empresarial da ideia for implementada. Nuno Vieira, em representação do Santander Universidades, felicitou e parabenizou os vencedores pela “coragem em participar no Poliempreende e pelo percurso que fizeram até aqui. São, sem dúvida, três projetos vencedores”. 

O Poliempreende existe há 17 anos e é a maior rede, a nível nacional, de empreendedorismo, envolvendo todo o ensino superior politécnico. Para a Coordenadora do Concurso Regional, Adriana Lago de Carvalho, “o Poliempreende tem sido determinante para o IPCA, potenciando a oportunidade e vantagens associadas a este enquadramento estruturado de desenvolvimento de ações conjuntas e capacitação institucional ao nível do Empreendedorismo”. O IPCA participa no concurso Poliempreende desde a sua 7ª edição (2009). Como balanço da sua participação, o IPCA já conquistou a nível nacional uma vitória (10ª edição), dois segundos lugares (8ª e 14ª edição) e uma Menção Honrosa (12ª edição). 

Adriana Lago de Carvalho (Foto: IPCA)

Na totalidade, o IPCA recebeu 16 propostas de ideias na primeira fase do concurso, tendo sete equipas passado à fase final, com a submissão do plano de negócios. 

Reinier Vens [Ndr: na foto de destaque], foi o vencedor desta edição com o projeto “GameCult”. O recém-licenciado em Engenharia em Desenvolvimento de Jogos Digitais desenhou um jogo online de ficção científica de forma aberta à comunidade, visando um maior envolvimento entre os utilizadores. Este projeto propõe um modelo de negócio único e visionário, sem hierarquias, onde todos os utilizadores têm a oportunidade de criar conteúdo e fomentar o sucesso do plano de forma integrada, inovadora e unitária. 

O vencedor afirmou ter alcançado a vitória graças à “estrutura e mentoria fornecidas pelo Poliempreende, que proporcionou os meios necessários e a oportunidade de refinar e concretizar as minhas ideias para o negócio que, anteriormente, era apenas um sonho indefinido”. 

Em segundo lugar ficou o projeto “Safety Car”, do recém-licenciado em Gestão de Empresas Roberto Rocha. Um projeto que promete revolucionar a segurança dos veículos automóveis, pensado para deixar os utilizadores mais confortáveis e protegidos no que aos furtos diz respeito. A ideia é a instalação de quatro câmaras no interior do veículo que detetam movimentos ofensivos e alertam o proprietário. Roberto adiantou a importância deste concurso: “Tem a vantagem de nos fazer perceber até onde uma ideia pode chegar e o que é necessário para a desenvolver. Com o apoio da equipa do Poliemprende e das conferências proporcionadas por estes, foi possível apresentar um projeto completo. Depois deste concurso sinto que me posso tornar um empreendedor e desenvolver o meu negócio.” 

Em terceiro lugar, ficou a equipa da Smarket, constituída por quatro elementos, todos recém-licenciados em Gestão de Empresas: Mário Campos (promotor principal da ideia), João Silva, Serafim Máximo e Tatiana Salgado. O conceito surgiu em sala de aula e a aplicação pretende inovar, através da fusão entre tecnologia e as rotinas diárias dos cidadãos, otimizando o tempo, a gestão orçamental e o combate ao desperdício alimentar. Mário mostrou a sua satisfação com a classificação e relata que “como participantes, e sendo que todos os elementos do projeto são recém-graduados da Licenciatura em Gestão de Empresas, regime Pós-Laboral, pelo IPCA, foi um culminar de um ciclo de estudos onde pusemos em prática todos os conhecimentos adquiridos ao longo do curso”. 

A fase final do concurso Poliempreende, que resultaria num encontro a nível nacional, foi adiada para o próximo ano, devido à situação causada pela COVID-19. A próxima edição, prevista para setembro de 2021, irá decorrer na Madeira, onde se irão juntar os finalistas deste e do próximo ano. 

Fonte e fotos: IPCA.

IPCA integra Universidade Europeia RUN-EU

Julho 11, 2020 em Atualidade, Concelho, Educação, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) é uma das sete instituições portuguesas que fazem parte dos 24 consórcios aprovados pela Comissão Europeia como Universidades Europeias.



As Universidades Europeias são alianças transnacionais de instituições de ensino superior de toda a União Europeia que se unem em benefício dos estudantes, da comunidade académica e das sociedades. As Universidades Europeias são dotadas de apoio financeiro, no âmbito dos Programas Erasmus+ e Horizonte 2020.  Trata-se de uma iniciativa que reforça a qualidade, a inclusão, a digitalização e a atratividade do ensino superior europeu.

A Aliança Inter-regional de Universidades (RUN-EU) visa a concretização de programas formativos que contemplem a promoção de competências futuras e avançadas para a transformação social nas regiões da União Europeia. As Instituições de Ensino Superior irão desenvolver conjuntamente um leque diversificado de ações de ensino e aprendizagem, disponibilizando aos estudantes diferentes programas internacionais (curta duração e e-learning), sendo igualmente implementados projetos de cooperação internacional no âmbito da investigação e desenvolvimento. No futuro, os estudantes terão ainda a oportunidade de obter duplas/múltiplas titulações europeias, no âmbito de programas conjuntos de formação.

A RUN-EU terá, ainda, como missão a promoção do desenvolvimento económico, social, cultural e sustentável das regiões abrangidas pela rede, fornecendo as competências necessárias para que estudantes, investigadores e agentes regionais possam enfrentar com sucesso os desafios do futuro. Este novo consórcio pretende ser um agente ativo na transformação social das regiões, promovendo a cidadania ativa e liderando a criação de uma nova aliança inter-regional multinacional (Zona Europeia de Desenvolvimento Inter-regional).

A presidente do IPCA, Maria José Fernandes, enaltece o esforço de todos os envolvidos neste processo e refere que “este resultado posiciona o IPCA num patamar privilegiado, capacitando-nos para dar uma resposta ainda mais adequada e inovadora aos inúmeros desafios impostos pela agenda de modernização e internacionalização do ensino superior europeu”.

Balanço da 2ª Convocatória das Universidades Europeias

A RUN-EU é uma das 24 Universidades Europeias selecionadas entre 62 candidaturas. Participam 165 instituições de ensino superior (IES) de 26 Estados-Membros e de outros países participantes no programa Erasmus+.

Portugal está representado por 7 instituições de ensino superior: Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), Instituto Politécnico de Leiria (IPL), Instituto Politécnico do Porto (IPP), Instituto Politécnico de Setúbal (IPS), Universidade da Beira Interior (UBI), Universidade de Coimbra (UC) e a Universidade Lusófona.

Dois dos Consórcios são coordenados por IES portuguesas: IPL e IPP.

Os projetos agora aprovados juntam-se às 17 Universidades Europeias selecionadas na primeira convocatória.

Mais Informações sobre a RUN-EU

Sob a coordenação do Instituto Politécnico de Leiria, a RUN-EU envolve as seguintes instituições parceiras, para além do IPCA: Limerick Institute of Technology (Irlanda), Athlone Institute of Technology (Irlanda), Széchenyi István University (SZE) (Hungria), Häme University of Applied Sciences HAMK (Finlândia), NHL Stenden University of Applied Sciences (Holanda) e FH Vorarlberg University of Applied Sciences (Áustria). Para a prossecução dos seus objetivos, a aliança contará, ainda, com a colaboração da CCDR-N, da InvestBraga e do INL, como parceiros associados da região Norte de Portugal. Saiba mais em:https://run-eu.eu/ .

Fonte e foto: IPCA.

Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior visita o IPCA

Maio 27, 2020 em Atualidade, Concelho, Educação, Mundo, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

Análise dos desafios que se colocam às IES na retoma da atividade económico e social foi o mote desta visita

O Ministro da Ciência da Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, visitou, ontem, as instalações e os laboratórios do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), em Barcelos.



Analisar o plano de retoma gradual das atividades letivas presenciais no IPCA, bem como discutir oportunidades e desafios que se colocam às Instituições de Ensino Superior (IES) no contexto de recuperação da economia e da sociedade foram os principais temas em debate.

O Ministro Manuel Heitor frisou o papel determinante das IES, e do IPCA em particular, no processo de recuperação económica, nomeadamente através da oferta especializada e de curta duração que deve ser colocada à disposição da população desempregada ou sem ocupação por força da pandemia provocada pela COVID-19.

Durante a visita, o Ministro teve ainda oportunidade de visitar o Applied Artificial Intelligence Laboratory, onde foram apresentados alguns dos projetos de I&D em curso, bem como os laboratórios de Design, desenvolvimento de produto e de audiovisuais onde presenciou a realização de algumas aulas laboratoriais em contexto presencial.

O professor Manuel Heitor aproveitou o momento, na presença de estudantes, para apelar a que continuem a estudar, sempre em segurança para que “adquiram competências de forma mais sólida através do contacto físico do que apenas na modalidade à distância”.

A Presidente do IPCA, Maria José Fernandes, ressalvou, durante a visita, que o IPCA está preparado para receber os estudantes de forma gradual. “Todas as divisões estão devidamente identificadas, as circulações condicionadas, implementamos o uso obrigatório de máscara e dispensamos as soluções desinfetantes pelas várias divisões”, referiu.

O IPCA retomou, gradualmente, as atividades presenciais desde o dia 18 de maio, e tem para consulta o Plano Operacional para Retorno às Atividades Presenciais no IPCA.

Poderá ver esse plano aqui:

Fonte e fotos: IPCA.

IPCA com regresso gradual das atividades letivas a partir de 18 de maio

Maio 15, 2020 em Atualidade, Concelho, Educação, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Instituto Politécnico aprova o Plano de Retorno Gradual

O Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) vai manter em funcionamento, até ao final do presente ano letivo, as atividades letivas em regime de ensino a distância, à exceção de aulas práticas e laboratoriais que regressam gradualmente ao regime presencial a partir do dia 18 de maio, respeitando as adequadas regras de segurança e com a proteção individual e o distanciamento entre as pessoas. Mantendo-se a avaliação contínua pela via digital, o despacho da Presidente do IPCA que aprova o Plano de Retorno Gradual das atividades presenciais do IPCA, prevê que a avaliação na época de exames decorrerá em regime presencial, à semelhança das provas académicas.



A Presidente do IPCA, Maria José Fernandes, considera que este regresso deve “ser ponderado e bem articulado”, sempre de acordo com as recomendações das autoridades competentes. “Temos a responsabilidade de zelar pela segurança da comunidade académica, do bem-estar e saúde de todos. E isso é o mais importante para nós neste momento”, adianta a presidente.

Também a biblioteca José Mariano Gago vai reabrir a partir de 18 de maio, com ocupação reduzida, sendo ainda disponibilizadas duas salas adjacentes que funcionarão como espaços de apoio à biblioteca, especialmente destinadas à consulta e ao estudo, as quais só podem ser utilizadas pelos estudantes desde que utilizem máscaras e luvas.

O plano de retorno gradual do IPCA implica o reforço das regras de segurança e de cuidados de higienização e de saúde, tais como o uso obrigatório de máscara (de acordo com as orientações da DGS) que serão disponibilizadas gratuitamente a toda a comunidade académica; serão colocadas barreiras de proteção na receção das Escolas; serão reforçadas as ações de limpeza e higienização dos espaços utilizados; será disponibilizado gel desinfetante e de outros produtos de limpeza e higienização em todos os espaços do IPCA.

Nos espaços exteriores, a circulação vai ser feita de forma articulada e devidamente sinalizada de forma a evitar cruzamentos.  Maria José Fernandes adianta que “estas medidas e orientações serão continuamente monitorizadas e avaliadas em articulação com as autoridades de saúde e de proteção civil, podendo ser comunicadas novas orientações e implementadas novas medidas, face à evolução da pandemia e a situações excecionais que assim o possam exigir”.

Em articulação com as entidades oficiais de saúde e de proteção civil, prevê-se que a partir de junho o funcionamento dos serviços do IPCA decorra, maioritariamente, presencialmente, incluindo o atendimento presencial.

Para um melhor conhecimento das medidas aprovadas para o retorno gradual das atividades presenciais, recomenda-se a leitura do Plano Operacional para o Retorno Gradual às Atividades Presenciais no IPCA que se encontra disponível para consulta neste link: https://ipca.pt/covid-19/plano-operacional-para-retorno-as-atividades-presenciais-no-ipca/.

Foi ainda construída uma página de perguntas e respostas, no seguinte endereço: https://ipca.pt/covid-19/plano-retorno-perguntas-respostas/. Aqui pode obter resposta às suas dúvidas e ainda enviar-nos as suas questões ou sugestões para atualizar continuamente estas FAQs.

Fonte e foto: IPCA.

Estudantes do IPCA ajudam quem está em isolamento a comunicar à distância

Abril 17, 2020 em Atualidade, Concelho, Educação, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Iniciativa insere-se no programa Somos Todos Digitais através de linha telefónica gratuita

Desde o dia 7 de abril que os estudantes do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), em regime de voluntariado, estão a prestar apoio online a todos os que quiserem aprender a utilizar as redes sociais e serviços de mensagens online, através de uma linha de apoio gratuita, todos os dias, entre as 12h00 e as 20h00.



“O objetivo desta linha de apoio com voluntários do IPCA é ajudar a população vulnerável a comunicar à distância e passa por dotar, jovens ou idosos, de competências digitais com apoio técnico gratuito para que possam falar com familiares e amigos nesta altura de isolamento social”, refere a instituição em nota.

“Numa época tão sensível como a que vivemos, imposta pelo novo Coronavírus, e os seus constrangimentos pessoais e profissionais, a mensagem é simples: Fique em casa. Mas a verdade é que as pessoas têm que se comunicar, querem saber umas das outras e uma grande parte da população tem acesso facilitado à utilização de soluções tecnológicas.  No entanto, existe ainda um número bastante significativo de pessoas que nunca tiveram oportunidade de adquirir competências digitais”, salienta o IPCA. Foi para estes que foi criado o projeto “Somos Tod@s Digitais”, onde, através de uma linha telefónica gratuita (800 100 555), podem solicitar ajuda e ser esclarecidos sobre todas as suas dúvidas, todos os dias, entre as 12h00 e as 20h00.

A colaboração do IPCA, envolve, para além de estudantes, docentes das áreas das tecnologias, que, também em regime de voluntariado, coordenam tecnicamente o grupo dos voluntários e esclarecem as dúvidas que estes possam ter.

Para Maria José Fernandes, Presidente do IPCA, este é mais um bom exemplo de ações onde o IPCA se insere: “O IPCA tem-se ajustado a esta nova realidade. É uma situação nova para todos e estamos todos a aprender a lidar com ela”.  Refere, ainda, que o projeto está a ser coordenado pelos serviços de ação social do IPCA, com Sofia Coelho, diretora dos Serviços de Ação Social (SAS), a assumir a sua responsabilidade, sendo que desde a primeira hora tem mobilizado e organizado toda a linha, alunos e docentes voluntários, e assumindo que, fundamentalmente, esta iniciativa vem vincar ainda, de forma clara, o papel de responsabilidade social que o IPCA assume permanentemente.

Silvana Chagas, é docente no IPCA na área da informática e sempre ansiou fazer parte de um projeto de voluntariado dentro da sua área, vendo aqui a oportunidade que esperava, estando, neste momento, no apoio à plataforma e aos voluntários. “Este projeto, além da partilha do conhecimento, permite aos voluntários ter a perceção dos passos necessários para colocar uma operação destas, ativa, a logística que envolve até poderem estar na linha da frente e este know-how que o IPCA está a proporcionar não tem preço”, considera a docente, que já adiantou querer conhecer pessoalmente estes voluntários depois do isolamento social.

“Atendi um senhor com 81 anos, de Lisboa, que já tinha algum conhecimento relativo à utilização da Internet pois já utilizava o e-mail”, começa por referir a voluntária e estudante de Solicitadoria, Susana Coelho (representada na fotografia). “O senhor queria mandar o ficheiro word do Somos Digitais pelo WhatsApp para os amigos e algumas fotografias dos seus dias de quarentena. Ligou mesmo do telefone fixo para ter o telemóvel livre para receber a explicação”, adianta a voluntária que tem gostado da experiência de ajudar o próximo.

Também Catarina Malheiro, estudante de Design Gráfico, candidatou-se a voluntária neste projeto por fazer parte de um grupo de jovens muito ativo e que com a chegada da COVID-19 estão mais parados. “Senti necessidade de dar continuidade aos meus valores e ter o meu testemunho para passar a outras pessoas, seja nesta onda digital, seja a escrever um bilhete ao vizinho e deixar na caixa de correio”, adiantou a estudante do IPCA.

Jéssica Santos é estudante do Mestrado em Ilustração e Animação e ajudou um senhor de 82 anos a fazer videochamadas para a família. ”É uma situação complicada esta que estamos a viver. Muita gente ainda não tem o hábito de lidar com as novas tecnologias, para mim é algo muito natural e, neste momento, é o mínimo que podemos fazer a quem precisa de ligar para os filhos, para os netos, para os amigos…já é tão difícil estarmos longe…pelo menos que nos possamos ver”, refere a estudante, que está a ver esta experiência com muito bons olhos e que, na sua opinião, deveria continuar após a passagem desta Pandemia.

A linha “Somos Tod@s Digitais” é uma iniciativa do programa INCoDe.2030 – Iniciativa Nacional para as Competências Digitais – e reúne esforços de várias entidades nacionais para ajudar a população portuguesa com menos competências digitais a lidar melhor com a situação de isolamento social a que está sujeita.

Fonte e foto: IPCA.

IPCA permite pagamento das propinas até setembro sem cobrança de juros

Abril 8, 2020 em Atualidade, Concelho, Educação, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Medida pretende aliviar pressão financeira nas famílias dos estudantes

No âmbito da pandemia proporcionada pela COVID-19 e das medidas excecionais que o Governo e esta instituição têm vindo a adotar no contexto de emergência em que o país se encontra, o Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) decidiu suspender a cobrança de juros de mora pela falta de pagamento das propinas até setembro.



Ou seja, as prestações de março a junho de 2020, que habitualmente deveriam ficar regularizadas até junho, podem ser pagas pelos estudantes até setembro sem pagamento de juros de mora.

“Com esta medida, pretende-se apoiar os estudantes e as suas famílias, numa situação económica e social difícil pela qual o país atravessa neste momento, evitando situações de abandono escolar provocadas por este contexto”, refere o IPCA em nota.

A Presidente do IPCA, Maria José Fernandes, considera esta medida de extrema importância, pois “sempre nos pautamos por adotar medidas de combate ao abandono escolar. E neste sentido, consideramos necessário aliviar a pressão financeira das famílias, neste momento mais crítico, para fazer face às suas obrigações num contexto de redução de rendimentos e abrandamento acelerado da economia”.

O valor da propina é devido pela matrícula/inscrição no curso e fixada por cada ano letivo. Em período normal, é definido um esquema de pagamento mensal, num total de 10 mensalidades, a pagar de setembro a junho de cada ano letivo, sendo cobrados juros de mora às dívidas ao Estado e outras entidades públicas à taxa de juros em vigor.

“O IPCA tem vindo a tomar várias medidas com vista à redução da propagação da doença COVID-19, nomeadamente com a substituição das atividades letivas presenciais pelo ensino e avaliação a distância, desde o dia 10 de março, bem como o funcionamento dos serviços do IPCA em regime de teletrabalho desde que foi declarado o Estado de Emergência, no dia 18 de março”, conclui.

Imagem: IPCA.

1 2 3 7
Ir Para Cima