Tag archive

Maria José Fernandes

Ministra da Cultura inaugura exposição do IPCA

Outubro 7, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Comemoração dos 25 anos da Instituição com exposição de Maria Keil

Amanhã, dia 9 de outubro, pelas 16h00, a Ministra da Cultura, Graça Fonseca, vai inaugurar a exposição de obras inéditas de Maria Keil, na Galeria Municipal de Arte em Barcelos.



No âmbito das comemorações dos 25 anos do IPCA, e em parceria com o Município de Barcelos, o Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) dinamiza a exposição “O Processo Criativo de Maria Keil”, que apresenta um conjunto de peças do espólio da artista focando o processo – desde os primeiros desenhos à obra final.

Maria Keil é reconhecida como um dos nomes mais emblemáticos da História da Arte contemporânea Portuguesa com uma vasta obra nas áreas da pintura, desenho, ilustração, azulejaria, design gráfico, artes decorativas, do teatro, figurinos e cenografia.

A Presidente do IPCA, Maria José Fernandes, realça a importância deste evento cultural na missão dos 25 anos do IPCA: “O IPCA é uma instituição que está ao serviço da região e esta parceria feliz entre a Escola Superior de Design e a Câmara Municipal de Barcelos é reflexo disso mesmo pois coloca o IPCA em Barcelos e na comunidade”, referiu.

Esta exposição foi pensada, sobretudo, como uma exposição para o público em geral, mas também para os estudantes do IPCA. “Queremos mostrar não só a obra final, mas o processo. Cumprindo a missão pedagógica da escola e permitindo o contacto com o erro, a tentativa e a hesitação, até ao resultado que é a obra”, explica Paula Tavares, diretora Escola de Design (ESD).

Expor estas obras inéditas foi devido ao relacionamento da docente da ESD, Cristiana Serejo, com os familiares de Maria Keil. A docente tem trabalhado na seleção dos trabalhos a expor “tentei fazer uma exposição inédita, inédita no sentido em como esta exposição está a ser preparada: como se fosse uma aula em que damos a conhecer o processo de criação multidisciplinar”, refere a docente.

A curadoria da exposição é da responsabilidade da docente Cristiana Serejo e do Arquiteto Francisco Keil do Amaral. A exposição decorre de 9 de outubro (inauguração) até 17 de novembro, na Galeria Municipal de Arte de Barcelos.

Fonte e imagem: IPCA.

Presidente da Câmara de Famalicão dá as boas-vindas aos estudantes do IPCA

Outubro 4, 2019 em Atualidade, Concelho, Educação, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Cerca de 200 estudantes do 1º ano dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais foram recebidos, esta quinta-feira, pelo Presidente da Câmara de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, nas novas instalações do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) nesta cidade.



Desde o início de setembro, o IPCA está instalado no CIIES – Centro e Inovação, Investigação e Ensino Superior – nas antigas instalações da escola Cooperativa Didáxis em S. Cosme – juntamente com outras instituições.

A fixação do IPCA em Famalicão estava já há muito prevista no Plano Estratégico da instituição de ensino superior barcelense, numa estratégia de alargar a presença desta Instituição ao quadrilátero e assim cumprir com a sua missão de servir a região do Cávado e do Ave.

Foi ainda no seguimento desta estratégia que foi criada, recentemente, a Escola Técnica Superior Profissional com o objetivo de se dedicar exclusivamente à formação dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP), pelo seu cariz técnico, vocacional e profissional, numa forte ligação com as empresas da região.

“O IPCA tinha interesse em cumprir a sua missão de levar o ensino superior público ao concelho de Vila Nova de Famalicão, contribuindo não só para permitir que mais estudantes possam aceder ao ensino superior, mas também para permitir às empresas terem pessoas mais qualificadas e, dessa forma, estarem melhor preparadas para aumentar o desenvolvimento regional e nacional”, referiu a Presidente do IPCA, Maria José Fernandes, durante a sua intervenção.

O Presidente da Câmara de Famalicão, Paulo Cunha, reforçou a importância do Ensino Superior e da chegada do IPCA com a formação dos CTeSP´s neste que é o conselho mais exportador do norte. “É, sem dúvida, uma mais valia para Famalicão a aposta no Ensino Superior e o IPCA vem, com os CTeSP´s, dar resposta às necessidades do mercado e potenciar o desenvolvimento local”.

Este ano letivo estão em funcionamento no Polo de Famalicão, oito CTeSP´s, sendo que as vagas disponibilizadas foram totalmente preenchidas.

Ao Campus do IPCA, em Barcelos, e aos Polos de Guimarães e Braga, junta-se agora o Polo de Famalicão.

Fonte e fotos: IPCA.

Secretário de Estado Adjunto e da Mobilidade marca presença no lançamento da U-Bike no IPCA

Setembro 23, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

O Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) entregou as primeiras bicicletas do projeto Cabi/U-Bike com a presença do Secretário de Estado Adjunto e da Mobilidade, José Mendes.



O projeto U-Bike Portugal tem o objetivo de “promoção de hábitos mais sustentáveis de mobilidade, incentivando-se a mobilidade ciclável, através da disponibilização de bicicletas elétricas e convencionais na academia”, refere a instituição.

Na passada sexta-feira, 20 de setembro, na abertura da cerimónia de lançamento das Cabi/U-Bike, a Presidente do IPCA, Maria José Fernandes, realçou a importância deste projeto na estratégia da Instituição ao nível do Campus verde, saudável e seguro, que assume o compromisso com a proteção do ambiente e a promoção de estilos de vida saudáveis.

Nesse âmbito, adiantou que há muito que o Campus está preparado para receber este projeto, com uma ciclovia criada que percorre todo o seu perímetro e instalação de locais para o parqueamento das bicicletas. Referiu, ainda, outras medidas que têm sido implementadas em prol do ambiente, nomeadamente, a instalação de postos de carregamento para veículos elétricos e a otimização da eficiência energética dos edifícios do Campus.

O Vereador da Mobilidade da Câmara Municipal de Barcelos, José Beleza, também esteve presente no lançamento e referiu que este projeto do IPCA “não só alavancou o projeto da criação de uma rede de ciclovias na cidade de Barcelos como também solidificou a nossa confiança no que a esta matéria da mobilidade diz respeito”. Foram divulgadas três imagens da rede de ciclovias a criar na cidade de Barcelos, mostrando que os percursos abrangem zonas de interesse aos estudantes do IPCA.

A sessão terminou com a intervenção do Secretário de Estado Adjunto e da Mobilidade, José Mendes, que enalteceu a iniciativa e chamou a atenção de todos os presentes: “Este lançamento acontece na véspera do relatório da Nações Unidas sobre as alterações climáticas. Um tema que diz respeito a todos e um desafio de todos”. O Secretário de Estado Adjunto referiu, ainda, algumas formas simples de, no nosso dia a dia, descarbonizar o planeta, como reduzir viagens desnecessárias e optar pela utilização de transportes públicos coletivos ou pela mobilidade suave, sendo que a percentagem de viagens de bicicleta em Portugal é de 1%, muito abaixo da média europeia, que se situa nos 7%, por isso a importância de projetos que promovam a utilização deste meio de transporte.

No final da sessão foram entregues as primeiras bicicletas a membros a comunidade académica do IPCA. Cada utilizador recebeu, ainda, um kit com equipamento de proteção e segurança (capacete, colete refletor, cadeado, entre outros), sendo que antes da sessão de lançamento foi realizada pela GNR uma ação de sensibilidade sobre Prevenção Rodoviária na Mobilidade Ciclável, onde foram transmitidas as regras e as boas práticas para circular em segurança em bicicleta.

O projeto contempla 65 bicicletas elétricas e 65 convencionais, 6 postos de carregamento de baterias, 96 estacionamentos e uma oficina self-service.

Fonte e fotos: IPCA.

Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior presente no “Welcome IPCA”

Setembro 13, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

3ª Edição do Programa decorre de 16 a 19 de setembro

O Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) promove, em colaboração com a sua Associação, entre 16 e 19 de setembro, a 3ª edição do “Welcome IPCA”, que contará com a presença do Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor.



Este programa de receção aos novos estudantes do IPCA tem como objetivo “integrar os estudantes recém-chegados dos cursos de licenciatura e dos cursos técnicos superiores profissionais no seu novo ambiente académico e dar-lhes a conhecer a cidade de Barcelos”.

O programa prevê a realização de atividades de índole académica, pedagógica, cultural e recreativa. Através das atividades, os novos estudantes, vão ser apresentados à Instituição e “desafiados” a participar ativamente nas diversas dimensões do contexto académico, potenciando-se os momentos de partilha com os seus novos colegas e com os estudantes mais antigos, que também vão ser convidados a participar, sempre numa perspetiva de integração.

O primeiro dia fica marcado pela apresentação institucional do IPCA aos novos estudantes do curso de licenciatura que vão ser recebidos pela Presidente do IPCA, Maria José Fernandes, pela Provedora do Estudante, Irene Portela, e pelo Presidente da Associação Académica do IPCA, João Pereira. Nesse dia, os estudantes vão ter, ainda, a oportunidade de passear pela cidade de Barcelos, com paragem nos principais pontos de interesse. Esta visita é especialmente útil para os estudantes deslocados, sendo, em muitos casos, o seu primeiro contacto com esta cidade.

No dia 18, os estudantes dos cursos técnicos superiores profissionais vão ser recebidos pelo Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, pela Presidente do IPCA, Maria José Fernandes, e pelo Presidente da Associação Académica do IPCA, João Pereira. De referir que, apesar de constar na imagem que se segue que esta cerimónia iniciaria pelas 15h00, esta foi adiada para as 16h00. Os novos estudantes, que frequentam estes cursos nos Polos de Braga, Guimarães e Famalicão, irão deslocar-se ao Campus do IPCA para participar nas atividades desse dia.

Do programa, destaque, ainda, para o Arraial Académico, a decorre ainda no dia 18, pelas 17h30, em frente ao Edifício da Cantina, que pretende ser uma festa e convívio para todos os estudantes, docentes e funcionários desta academia e onde vai haver muita animação, com a ajuda dos grupos académicos do IPCA.

Fonte e imagens: IPCA.

[Ndr: Notícia atualizada a 19.09.2019, pelas 22h40]

IPCA recebeu 3500 candidaturas para 636 vagas disponíveis

Setembro 12, 2019 em Atualidade, Concelho, Educação, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Mais de mil alunos escolheram o IPCA como primeira opção

Na primeira fase do Concurso Nacional de Acesso (CNA), o Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) recebeu mais de 3500 candidaturas para apenas 636 vagas existentes.



O crescimento consolidado do IPCA faz com que este seja, hoje, uma instituição de referência e procurado a nível nacional. Prova disso foi o facto de o IPCA ter sido a 1ª opção de ingresso no Ensino Superior para mais de mil candidatos com uma taxa de excelência de 97,6%.

De destacar, ainda, o facto de as médias de entrada no IPCA serem as melhores de sempre, o que faz desta uma instituição com melhor qualidade e mais exigente.

Ana Pereira, natural de Braga, foi a aluna com a média de entrada mais alta do IPCA, com a nota de 192,2%, no curso de Design Gráfico. A estudante escolheu este Instituto como a sua 1ª opção de ingresso no Ensino Superior: “Já tinha uma ideia forte do IPCA e boas referências também, do meu grupo de amigos os que optam por design vêm todos para o IPCA”, refere Ana Pereira, que ficou surpresa por ter a nota mais alta da instituição.

A estudante de Design Gráfico espera que este curso lhe abra mais horizontes e seja uma boa reta de lançamento no mundo empresarial: “Este curso passa por eu conseguir fazer o que quiser e não ficar agarrada a uma empresa ou uma só área”, relata a estudante que, neste momento, pensa enveredar pela Ilustração e Motion Design. Feliz por estar no IPCA, Ana Pereira refere ainda que “do curso espero que me abra muitas portas, da instituição não sei se posso esperar mais porque já me tem dado tudo e não tenho que pedir, só agradecer”.

Para Maria José Fernandes, Presidente do IPCA, estes resultados são o reconhecimento e sinal de orgulho e traz ao IPCA “um grande desafio para corresponder às expectativas que os novos estudantes trazem. Estão numa jovem instituição que tem o seu crescimento consolidado, aliado à excelência do nosso corpo docente”.

As notas de acesso aumentaram em todos os cursos de licenciatura do IPCA. A segunda nota mais alta registou-se no curso de Design Industrial (189,0%) seguido do curso de Contabilidade (176,0%).

Fonte e fotos: IPCA.

Presidente do IPCA dá posse aos novos diretores da ESG e ETESP

Setembro 5, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Fernando Rodrigues e Filipe Chaves tomam posse

A Presidente do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), Maria José Fernandes, deu posse, na passada segunda feira, dia 2 de setembro de 2019, aos novos diretores da Escola Superior de Gestão (ESG), Fernando Rodrigues, e da Escola Técnica Superior Profissional (ETESP), Filipe Chaves.



Na sessão de tomada de posse do novo diretor da ESG, a Presidente do IPCA, começou por agradecer o empenho e profissionalismo da anterior diretora, Cândida Machado, que desempenhou funções de janeiro de 2019 até à data. Agradeceu, ainda, ao novo Diretor da ESG, Fernando Rodrigues, por ter aceite o cargo e adiantou que, sendo muito positivo a consolidação do projeto educativo da Escola, há ainda um caminho a percorrer, nomeadamente ao nível da internacionalização e da investigação, onde há targets ainda a melhorar.

Doutorado desde 2008 em Ciências Económicas e Empresariais, pela Universidade de Santiago de Compostela, Fernando Rodrigues é professor no IPCA desde 1999 e professor coordenador desde 2015. O novo diretor agradeceu à Presidente do IPCA o voto de confiança e recordou o seu modelo de gestão enquanto diretor da Escola Superior de Tecnologia (EST), durante a presidência do Professor João Carvalho. “Tive um louvor assinado pelo Professor João Carvalho que foi recebido em prol da equipa que me acompanhou, porque não fiz nada sozinho e só assim sei trabalhar. Isto para vos dizer que esta é a minha forma de estar e é neste contexto que assumo esta responsabilidade”. Em relação à sua visão para a ESG, Fernando Rodrigues assume que os estudantes são a prioridade, assim como a envolvente tecnológica e a internacionalização.

Na sede da ETESP, em Braga, Maria José Fernandes deu posse ao primeiro diretor desta escola, Filipe Chaves. A sessão começou pelo reconhecimento do trabalho desenvolvido, desde 2014, aquando da abertura dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP´s) no IPCA, pela anterior Diretora Executiva desta Unidade, Rosário Fernandes, e pelo Presidente da Comissão Executiva, até à data, Agostinho Silva (vice-presidente do IPCA). A Presidente frisou, ainda, a importância destes cursos e a “importância que têm vindo a assumir desde a sua criação, reflexo dos números obtidos na primeira fase de candidaturas aos CTeSP´s”.

Doutorado em Engenharia Mecânica pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto desde 2013, Filipe Chaves é professor no IPCA desde 2009, tendo desempenhado um papel determinante nas áreas científicas da mecânica e da gestão industrial, onde assumiu a direção de diferentes cursos. Destaca-se o trabalho enquanto diretor do curso de mecânica automóvel, desenho técnico e maquinação e da nova licenciatura em Engenharia e Gestão Industrial, que entrou em funcionamento em 2018/2019, fruto de uma aposta da Instituição desta área. O diretor da ETESP referiu o peso da responsabilidade ao abraçar este desafio “não só pelas responsabilidades inerentes ao cargo em si, mas também, por esta Escola ter um perfil e âmbito próprio e distinto das outras escolas, sendo a primeira escola do país para a oferta de cursos técnicos superiores profissionais”. O novo diretor lembrou, ainda, o desafio que está pela frente, com a abertura do Polo de Vila Nova de Famalicão e com a aposta na aproximação com as empresas “dando aos estudantes do IPCA boas soluções empregadoras e a estas empresas recursos humanos qualificados”.

No ano em que a instituição celebra os seus 25 anos, Maria José Fernandes referiu que ainda existe muito a fazer em prol do projeto educativo e científico do IPCA, bem como na melhoria das infraestruturas. Até dezembro, o IPCA vai ter concluído o novo parque de estacionamento, no Campus, com capacidade para 140 lugares. Vai ser também construído no Campus, um novo bar e um restaurante aberto ao público. No Polo de Braga, iniciar-se-ão as obras de requalificação do edifício.

Ainda em relação aos projetos do IPCA, está para breve o início da construção da Escola-Hotel, na Quinta do Costeado, em Guimarães; da abertura do Polo em Esposende para o funcionamento da Escola de Verão e para os CTeSP´s; da passagem da Escola Superior de Design para o centro da cidade de Barcelos, para o edifício da antiga Escola Gonçalo Pereira.

Fonte e fotos: IPCA.

O balanço de 2 anos de mandato da Presidente do IPCA

Julho 17, 2019 em Atualidade, Concelho, Educação, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

No dia em que celebra 2 anos de mandato, a Presidente do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), Maria José Fernandes, faz um balanço positivo do caminho percorrido, das concretizações e das metas alcançadas. A Presidente salienta que ainda há muito a fazer e que tem vindo a dar continuidade ao “legado que o Professor João Carvalho nos deixou em dezembro último, sendo que temos mantido o crescimento, consolidação e objetivos estratégicos definidos para 2021”.



A dirigente elogia o trabalho desenvolvido no IPCA ao longo destes 25 anos, uma instituição que conta hoje com mais de 4600 estudantes, reconhecendo que este é “uma referência não só para o concelho, mas também para a própria região onde se insere através do incremento no número de diplomados, dos projetos de investigação aplicada e respetivo financiamento, das iniciativas e projetos de transferência de conhecimento e tecnologia”. Na área Investigação e Desenvolvimento (I&D) destaca a estratégia que tem vindo a ser consolidada, nomeadamente, com novos projetos apoiados e financiados e com a recentemente avaliação da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), que classificou com MUITO BOM o 2Ai – Laboratório de Inteligência Artificial do IPCA, e o ID+ – Instituto de Investigação em Design, Media e Cultura, uma unidade I&D da Universidade de Aveiro, em que a Escola Superior de Design (ESD) do IPCA é unidade de gestão juntamente com a Universidade do Porto. O crescimento do número de estudantes e de diplomados, o aumento da oferta formativa em áreas estratégicas para a região e a contínua melhoria da qualificação do corpo docente continuaram a determinar a estratégia da instituição.

Um dos marcos mais importantes deste mandato, foi sem dúvida, a passagem do IPCA a Fundação Pública, a 6 de agosto de 2018, sendo “o IPCA a primeira instituição do sistema politécnico a tornar-se fundação pública”. Maria José Fernandes assumiu este objetivo estratégico que vinha já do anterior Presidente, tendo apresentado a proposta ao Conselho Geral que a aprovou em novembro de 2017.

Outro marco nestes dois anos, foi a criação da quinta escola do IPCA: a Escola Técnica Superior Profissional, aprovada pelo Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, a 5 de maio do corrente ano. A presidente do IPCA refere que a criação desta escola é “fruto de uma forte articulação nas respostas às necessidades da região ao nível da oferta formativa qualificada de curta duração”.

Quanto ao futuro do IPCA, a aposta passa por enfrentar os desafios através do aumento da qualidade a todos os níveis: “A estratégia pressupõe, por um lado, união, cooperação e solidariedade ao nível interno e, por outro, capacidade para estabelecer pontes com todos os stakeholders, nomeadamente, instituições congéneres, empresas, associações e centros de decisão”.

Em termos de futuro mais próximo, o foco principal do IPCA vai centrar-se em aumentar a oferta formativa nas áreas da hotelaria e a consolidação da estratégia de I&D. Em paralelo, o IPCA vai continuar a melhorar as condições para os estudantes com a criação de infraestruturas desportivas, sociais, alimentares e de estacionamento no Campus e obras de readaptação do edifício do Polo de Braga (já este ano), de forma a melhorar as condições a todos os que frequentam e trabalham no IPCA. Pretende, ainda, dar continuidade à política de sustentabilidade e responsabilidade social, um trabalho que tem vindo a ganhar contornos quer ao nível da promoção do Campus verde, seguro e saudável, quer no âmbito da mobilidade e das boas práticas ambientais promovidas pelo projeto UBike.

Este é um ano especial para o IPCA, altura em que celebra 25 anos de atividade, acontecimento e história, sendo que até ao final do ano estão pensadas várias atividades em prol das celebrações que culminarão com a sessão solene do dia do IPCA em 19 de dezembro. Nas palavras da Presidente, “Celebrar 25 anos é uma sensação muito positiva, é o concretizar de uma etapa importante na vida jovem do IPCA, mas é assumir também, com muita responsabilidade, todos os desafios e as oportunidades que nos surgem em prol de uma região, de um país e de uma sociedade mais feliz”.

Fonte e fotos: IPCA.

Mais de 5 euros por cada euro de investimento público no IPCA

Abril 4, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Estudo sobre o impacto dos Institutos Politécnicos em Portugal

No estudo apresentado esta quinta-feira, 4 de abril, sobre “O impacto económico dos institutos superiores politécnicos em Portugal”, do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP), que analisa os impactos diretos e indiretos da presença de 12 institutos nas regiões onde se inserem, o Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) é o que apresenta melhores resultados no retorno do investimento público, que multiplica por 5 cada euro investido pelo Estado.



Foi possível apurar-se o impacto económico gerado pela localização do IPCA na região, verificando-se um impacto direto e indireto superior a 30 milhões de euros, o que corresponde a um retorno de mais de 5 euros por cada euro investido pelo Estado no financiamento do IPCA e a um peso de 2,02% no PIB de Barcelos. Este impacto económico está associado à criação de 1020 empregos, que representam 1,77% da população ativa no concelho em que o IPCA se localiza.

Este estudo pretende medir o impacto económico de um conjunto de Institutos Politécnicos, situados em diferentes regiões do país, com contextos socioeconómicos diversos e distinta capacidade de atracão de estudantes. Desta forma, este estudo procura contribuir, ainda que de forma modesta, para melhorar a compreensão sobre o impacto económico das Instituições de Ensino Superior (IES).

A medição do impacto económico aborda a avaliação de como os gastos da própria instituição, dos funcionários docentes, dos funcionários não docentes e dos estudantes afetam a região onde a Instituição está inserida, através de efeitos diretos e indiretos sobre o nível de atividade económica local.

Os gastos dos estudantes, sobretudo em alojamento, representam em média 80% do impacto económico direto dos institutos politécnicos nas regiões onde estão inseridos, de acordo com um estudo hoje divulgado pelo conselho coordenador destas instituições.

Para Maria José Fernandes, Presidente do IPCA, estes resultados “representam o impacto positivo dos politécnicos nas regiões onde se inserem e a forma como dinamizam a economia do local. No caso do IPCA, estes são resultados de que nos podemos orgulhar; o IPCA é a instituição politécnica com maior retorno do investimento público. Este retorno é determinado pelo reduzido financiamento do Orçamento de Estado, comparado com outras Instituições de Ensino Superior; o IPCA tem hoje mais de 4.500 estudantes, recebendo do Estado menos de 1400 euros por estudante (um valor inferior a 50% da média nacional). Apesar do impacto positivo em termos do retorno do investimento público esta situação tornar-se-á insustentável a médio e longo prazo, sendo que também sairá prejudicada a região. O IPCA precisa de mais investimento público para melhor servir os estudantes, as empresas e a sociedade em geral”.

Para além dos benefícios de cariz económico, deve ser reconhecido que existe, simultaneamente, uma ampla gama de impactos não monetários na economia local (por exemplo, melhor saúde, baixas taxas de criminalidade, maior estabilidade familiar e menor dependência de programas de assistência social) que devem ser levados em consideração quando se analisa o impacto do IPCA na região.

Fonte e fotos: IPCA.

Estudo avalia impacto do IPCA na região

Março 9, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

Institutos Superiores Politécnicos Portugueses avaliados no estudo

Decorreu, ontem, uma reunião para avaliar os impactos das atividades dos Institutos Politécnicos, nomeadamente do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), nas regiões.

O estudo está a ser efetuado através de uma colaboração com o Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP) e o Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa (IGOT-UL).



O objetivo central do estudo “consiste na avaliação integrada dos impactos económicos, sociais e culturais da atividade destas Instituições de Ensino Superior (IES) nas regiões, incluindo o estudo do alinhamento dos Institutos Superiores Politécnicos Portugueses (ISP) com as estratégias de especialização inteligente (EREI) das respetivas regiões”.

“Importa ter presente que o propósito deste estudo não é o de estabelecer uma comparação competitiva entre os vários ISP, mas sim, antes do mais, o de fazer um diagnóstico geral, com vista a identificar os pontos fortes e as oportunidades estratégicas de cada ISP em função das especificidades da região que serve e onde se insere”, salienta o IPCA em nota.

Na reunião marcaram presença Maria José Fernandes, Presidente do IPCA; José Teixeira, CEO da DST; Benjamin Pereira, Presidente Câmara de Esposende; Miguel Bandeira, Vereador da Câmara de Braga; Adelina Pinto, Vice-Presidente da Câmara de Guimarães; Sérgio Agrelos, Administrador e COO da F3m; Rui Alberto Martins Teixeira, Presidente do IPVC; Carlos Manuel da Silva Rodrigues, Vice-Presidente do IPVC; Florbela Maria Cruz Domingues Correia, Coordenadora do estudo do IGOT pelo IPVC; Jorge Salgueiro Mendes, Presidente da Câmara de Valença; José Luís da Rocha Ceia, Presidente da Associação Empresarial de Viana do Castelo; Francisco Rodrigues de Araújo, Diretor da In.Cubo – Incubadora de Iniciativas Empresariais Inovadoras; Carla Maria Palmeira Soares Barbosa, Comendadora da Ordem de Mérito e Diretora da Academia de Música de Viana do Castelo e da Escola Profissional Artística do Alto Minho; Mário Vale e Luís Carvalho, do IGOT; Laurentina Vareiro, Coordenadora do estudo do IGOT pelo IPCA, assim como outros elementos internos do IPCA.

Este estudo está a ser realizado noutras instituições e regiões do país, nomeadamente em 13 ISP localizados em quatro regiões NUTS III distintas:

Região Norte:        Bragança; Cávado e Ave; Viana do Castelo.

Região Centro:      Castelo Branco; Coimbra; Guarda; Leiria; Tomar; Viseu.

Região Alentejo:   Beja; Portalegre; Santarém.

Região AML:          Setúbal.

Dos resultados preliminares apresentados, bem como da discussão com os stakeholders convidados que se seguiu, realça-se o papel dos Institutos Politécnicos:

– Na democratização do acesso ao ensino superior, dado o efeito de proximidade às populações de territórios mais afastados dos grandes centros (cerca de 1/3 dos estudantes dos Politécnicos tem origem na região onde estão implantados e 55% ficam na região logo após a conclusão dos seus cursos);

– Na qualificação da população e valorização profissional ao longo da vida, onde o IPCA tem uma posição de destaque com a oferta formativa em regime pós-laboral;

– Na transferência de tecnologia (com a ligação às empresas), na colaboração com a Administração Pública e com o 3º setor, bem como na dinamização de atividades culturais (que dificilmente ocorreriam sem a intervenção dos agentes do Ensino Superior).

Na mesma nota, o IPCA agradeceu “a colaboração de todos os intervenientes, cujos contributos irão enriquecer este estudo, cuja análise e exposição mais detalhada dos resultados ficará acessível com a sua conclusão, que se prevê para breve”.

Fonte e fotos: IPCA.

Associação Académica do IPCA apresenta Cartaz da Queima do Galo numa cerimónia oficial

Março 7, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

A Associação Académica do IPCA (AAIPCA) apresenta, esta noite, pelas 22h00, o cartaz oficial da Queima do Galo 2019, no auditório da Câmara Municipal de Barcelos.



Vão estar presentes na cerimónia a Presidente do IPCA, Maria José Fernandes, o Presidente da Câmara Barcelos, Miguel Costa Gomes, representantes do IPDJ e do Santander.

A cerimónia de apresentação do Cartaz Oficial da Queima do Galo vai iniciar-se com uma apresentação sobre a cidade e o recinto onde vão decorrer as atividades académicas contando com pequenas atuações dos grupos académicos do IPCA.

Este ano a apresentação decorre em moldes diferentes, numa cerimónia oficial na Câmara Municipal de Barcelos, segundo Sara Ferreira, Presidente da AAIPCA “a ideia este ano era fazer algo para a cidade. Inicialmente pensamos fazer a apresentação no centro na cidade, mas devido às condições meteorológicas mudamos para o auditório da Câmara, mantendo o objetivo principal que é o da proximidade à cidade e às instituições que apoiam a AAIPCA ao longo do ano”. Desta forma, também desmistificar que a Queima não é só para os estudantes, mas para todos aqueles que se quiserem divertir.

A primeira confirmação do cartaz já saiu: Quim Barreiros marca presença em mais uma Queima do Galo.

A semana académica do IPCA decorre de 7 a 13 de abril. Esta semana conta com atividades académicas para todos os alunos, inicia com a missa académica e termina com o cortejo académico.

As noites académicas decorrem de 10 a 13 de abril, como é habitual, na Zona Ribeirinha de Barcelos.

Imagem: DR.

1 2 3 6
Ir Para Cima