Tag archive

Marinho

Marinho abre o ano do triciclo

Janeiro 7, 2021 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Marinho atua a solo na próxima sexta-feira, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, em Barcelos.

O espetáculo da artista lisboeta abre a programação para o primeiro trimestre do ano no ciclo de concertos triciclo.

O espetáculo arranca às 20h30 e os bilhetes estão disponíveis nos locais habituais. 

À guitarra, Marinho apresenta o seu disco de estreia “~”, que é uma coleção de canções indie folk que escreveu longo dos anos. “Ghost Notes”, “Window Pain” ou “I Give Up and It’s Ok” são algumas das músicas que celebrizaram Marinho como uma das mais dotadas compositoras de canções da nova música portuguesa.

A artista foi a selecionada recentemente pela rádio Antena 3 para representar Portugal na edição de 2021 do prestigiado festival Eurosonic, focado em apresentar os novos valores da música do continente europeu. 

O triciclo segue a 22 de janeiro com o concerto de Ghost Hunt e toda a restante programação pode ser consultada em www.triciclobcl.pt 

Fonte|Foto: triciclo

Óquei de Barcelos goleia Infante Sagres em casa destes

Maio 19, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

A contar para a 23ª jornada do Campeonato Nacional de Hóquei em Patins, o jogo opôs o 13º classificado – Infante Sagres – e o 8º – Óquei Clube de Barcelos (OCB), que ditou a goleada dos homens de Barcelos, por 2-8, com Marinho a destacar-se nos golos marcados.



O Pavilhão do Infante Sagres (Porto) recebeu Orlando Panza e Porfírio Fernandes (AP Porto) como árbitros e teve o seguinte alinhamento das equipas:

Infante Sagres: Joka, Tiago Ferraz, Celso Silva, Carlos Rodrigues e Bruno Fernandes (cinco inicial). Pedro Maia, Nuno Barata, Bernardo Marques, Pedro Cardoso e João Campelo iniciaram no banco, treinados por Fernando Almeida.

OCB: Ricardo Silva, Zé Pedro, João Almeida, Rúben Sousa e Marinho (cinco inicial). André Almeida, Juanjo López, Joca Guimarães, Pedro Silva e Afonso Lima iniciaram no banco, treinados por Paulo Pereira.

O OCB entrou a “todo o gás”, marcando dois golos em dois minutos. Primeiro por Marinho (8´) e, depois, por Rúben Sousa (9’). Aos 18 minutos o OCB teve uma grande penalidade a favor mas Joka acabou por defender o lance de Rúben Sousa. Nesse mesmo minuto, Bernardo Marques reduziu para os da casa. Aos 24 minutos, Joka foi admoestado com a cartolina azul, com o jogo parado, tendo sido esta a última incidência de destaque na primeira parte, que terminou com a vitória do OCB, por 1-2.

No reatamento, o OCB voltou a entrar forte e Rúben Sousa bisou na partida, aos 4 minutos, dando início a uma autêntica “avalanche” de golos barcelenses. Seguiram-se Marinho (7’), Juanjo López (12’) e, de novo, Marinho (13’), a colocarem o OCB a vencer por 1-6. Aos 18 minutos, Ricardo Silva deu o lugar a André Almeida. Dois minutos depois, Marinho – a figura do jogo – marcou novamente, colocando o OCB a vencer por 1-7. No entanto, nesse mesmo minuto, Bruno Fernandes reduziu para 2-7. Ainda antes do término do jogo, aos 23 minutos, o capitão Zé Pedro estabeleceu o resultado final em 2-8 para o Óquei Clube de Barcelos.

Na próxima jornada, dia 26 de maio, pelas 21h30, o OCB recebe o Grândola.

 

Óquei de Barcelos começa nacional na “Catedral”

Outubro 20, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Após a participação na Taça Continental, onde foi eliminado da final pela Oliveirense, no prolongamento, por 4-2, a equipa do OC Barcelos (OCB) arranca, este sábado, com a receção ao HC Turquel, para o campeonato nacional da primeira divisão, em jogo que se disputa no Pavilhão Municipal de Barcelos.



O jogo tem início às 21h30 e para quase meia equipa é a primeira vez que vestem a camisola do OCB.

Recorde-se que da época passada saíram cinco jogadores: Luís Querido (Lodi), Reinaldo Ventura (Viareggio), Álvaro Morais (FC Porto), Miguel Vieira (SL Benfica) e João Pereira, que abandonou a modalidade.

Para os seus lugares foram contratados Mário Rodriguez “Marinho” (ex-Follonica), Juan López (ex-Cremona), João Almeida (ex-Valongo), Afonso Lima (ex-júnior) e Pedro Silva (ainda júnior).

Começa, assim, para o treinador Paulo Pereira, uma longa temporada, onde os objetivos passam por tentar fazer melhor que o quinto lugar, repetir a presença na final da Taça CERS e ir o mais longe na Taça de Portugal.

Por: Miguel Bastos.

Barcelenses Hélder Nunes e Rafa são vice-campeões do Mundo em final “imprópria para cardíacos”

Setembro 9, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Realizou-se hoje, em Nanjing – China, a final do Campeonato do Mundo de Hóquei em Patins, colocando frente a frente a seleção portuguesa e a espanhola. O jogo iniciou às 11h30 da manhã, hora portuguesa. E, como diz o título da notícia, foi uma final “imprópria para cardíacos”.



Os dois hoquistas de Barcelos, que jogam no FC Porto, Hélder Nunes e Rafa, integraram a convocatória do seleccionador nacional Luís Sénica, conjuntamente com Ângelo Girão, Pedro Henriques, Nélson Filipe (GR), Diogo Rafael, João Rodrigues, Luís Querido, Reinaldo Ventura, Gonçalo Alves, Henrique Magalhães, João Souto e Ricardo Barreiros.

De salientar que Luís Querido e Reinaldo Ventura foram, até há pouco tempo, jogadores do Óquei Clube de Barcelos (OCB).

O Campeonato do Mundo, disputado na longínqua e sem tradição na modalidade, China, não começou da melhor forma para os selecionados nacionais. Aliás, até o sorteio foi “madrasto” para a seleção portuguesa, ficando esta no chamado “grupo da morte”, com a campeã do Mundo em título, Argentina, a sempre muito forte Itália e uma França cada vez mais competitiva e competente.

Infelizmente, Portugal não arrancou mesmo bem, perdendo com a Argentina por 2-5. Na jornada seguinte, nova derrota, desta feita por 4-2, frente a Itália. Hélder Nunes marcou um golo. Na última jornada, e obrigada a, pelo menos, empatar, para seguir em frente, a nossa seleção venceu a França por 6-5, mas num jogo extremamente difícil, com o golo da vitória a surgir pelo inevitável Hélder Nunes, nos últimos segundos do jogo, já com a França sem guarda-redes na baliza, porque para os franceses apenas a vitória interessava. O barcelense apontou um hat-trick.

Dessa forma, Portugal terminou o grupo em 3º lugar, com 3 pontos em 3 jogos. Fazendo uma pequena analogia, este percurso fazia lembrar o da seleção campeã da Europa de futebol, em França.

Nos quartos de final, Portugal encontrou a seleção do país irmão, Moçambique, seleção de Marinho, jogador do OCB. Desta feita, o resultado foi melhor e mais desnivelado, com uma vitória das cores nacionais por 2-6. Rafa marcou um golo por Portugal e Marinho marcou os dois dos moçambicanos.

Eis, então, que nas meias-finais defrontam-se, novamente, Portugal e Argentina, esta última com um apuramento extremamente difícil frente a Angola, vencendo por 3-4 após prolongamento. Mas o jogo correu imensamente de feição para os portugueses, que venceram por 5-0. O guarda-redes Ângelo Girão esteve em evidência mas o barcelense Hélder Nunes tornou a apontar um hat-trick.

A tão ansiada final chegou, com o “duelo dos duelos” com nuestros hermanos de Espanha. O jogo não correu de feição na primeira metade, com os espanhóis a saírem para os balneários a vencer por 2-0, com golos de Raúl Marin e Jordi Adroher. Mas Portugal voltou do descanso com vontade de inverter as coisas e bem cedo, pelo “habitual” barcelense Hélder Nunes, reduziu para 2-1. O seu companheiro de equipa, Gonçalo Alves, restabeleceu a igualdade. A partir daqui, o jogo entra em contornos épicos e impróprios para cardíacos e “roedores de unhas”.

Assim, Eduard Lamas recoloca os espanhóis a vencer, por 3-2. O tempo foi passando, com os portugueses a tentarem o empate e os espanhóis a gerirem a vantagem, até que Ângelo Girão “perde a calma” e vê o cartão azul. Em consequência, vai 2 minutos para o banco, é substituído por Pedro Henriques e Espanha fica em situação de power-play. Faltavam 10 segundos. Pedia-se um milagre para as cores nacionais evitarem a derrota. Raúl Marin falhou o livre direto e, de seguida, faz falta violenta sobre Diogo Rafael, sendo admoestado com cartão azul. Portugal ganha novo livre direto. As equipas ficam iguais em número de jogadores.

O homem “do costume” é chamado para o momento mais importante do jogo. A 4 segundos (sim, leu bem!) do final do jogo, Hélder Nunes é incumbido de “salvar” Portugal da eminente derrota. Sticka uma vez, duas…e só à terceira consegue marcar o golo do empate, do 3-3, a 1 segundo do fim. O milagre acontecia. O jogo ia para prolongamento.



Mas as dificuldades continuaram. Por ter sofrido golo, Espanha volta a ter a equipa completa, ficando, novamente, em situação de power-play, com Portugal ainda a “pagar” pelo cartão azul a Girão. As duas metades do prolongamento foram enfadonhas, apesar de tensas, pois as duas equipas, mais concentradas em não sofrer golos do que em marcá-los, iam deixando passar o tempo. No entanto, os “corações” de portugueses e espanhóis não se livraram de mais um momento de “alta tensão”, quando Diogo Rafael, a 1 segundo do final (sim, tornou a ler bem!) atirou uma “bomba” de longa distância, levando a bola a embater no poste da baliza espanhola.

Tudo seria decidido nas grandes penalidades. Reinaldo Ventura, Raúl Marin, Hélder Nunes, Pau Bargalló falham as suas. João Rodrigues coloca Portugal a vencer por 0-1. Jordi Adroher falha, tal como Gonçalo Alves. Eduard Lamas restabelece a igualdade a 1. Ricardo Barreiros falha e, mesmo na última grande penalidade, Albert Casanovas consegue desfeitear Pedro Henriques e, para nosso descontentamento, entregar o título aos espanhóis.

Fotos: DR.

Óquei de Barcelos com o plantel completo

Julho 3, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Apesar das cinco saídas – Luís Querido para o Lodi e Reinaldo Ventura para o Viareggio, de Itália; Miguel Vieira para o Benfica; Álvaro Morais para o FC Porto, e o abandono da modalidade do guarda-redes João Pereira “ Ginho “ – a equipa barcelense conseguiu compor o grupo para a próxima época.

Foi em Itália, destino de Querido e Ventura, que a direção do Barcelos encontrou reforços.

Destaque para a aquisição do goleador português, Mário Rodriguez “ Marinho “, ex-Follonica, e para o espanhol, defesa, Juan López, ex-Cremona.

A nível interno, contratou João Almeida, ex-Valongo, e promoveu Afonso Lima, que completou o último ano de júnior, e Pedro Silva, este último, ainda júnior.

O grupo para a próxima temporada terá onze jogadores, juntando-se a continuidade de Ricardo Silva, André Almeida, Hugo Costa, Zé Pedro, Joca Guimarães e Rúben Sousa.

Com a classificação obtida na época passada, quinto lugar, o OC Barcelos vai disputar a II edição da “Elite Cup”, em Coimbra, nos dias 5, 6 e 7 de outubro, defrontando, no primeiro dia, o quarto classificado, o Sporting CP.

Neste evento, que coloca em pista os oito primeiro classificados, o FC Porto defronta o Valença, o Benfica a AD Valongo e a Juventude de Viana joga com a Oliveirense.




Plantel do OC Barcelos:

Guarda-redes: Ricardo Silva e André Almeida;

Jogadores de pista: Zé Pedro, Juan López (ex-Cremona), Rúben Sousa, Afonso Lima (ex-júnior), Hugo Costa, Mário Rodriguez “Marinho“ (ex-Follonica), Joca Guimarães, Pedro Silva (júnior) e João Almeida (ex-Valongo);

Treinador: Paulo Pereira.

Em foto de destaque, os reforços, Pedro Silva (1), Afonso Lima (2), Juan López (3), João Almeida (4) e Mário Rodriguez “Marinho” (5).

Texto e foto: Miguel Bastos.

Óquei de Barcelos defronta Paço d’Arcos em jogo de despedidas

Junho 8, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Restam apenas duas jornadas para o fim do campeonato nacional da 1ª divisão de hóquei em patins.

Numa dessas rondas, o OC Barcelos joga, pela última vez na presente época, diante o seu público, sábado, às 21h30, com o Paço d’Arcos.

Com o quinto lugar garantido depois do triunfo nos Açores na anterior jornada, o jogo deste fim de semana servirá para a despedida de alguns jogadores que envergam a camisola do clube de Barcelos.

Entre eles, estão o capitão Luís Querido que, tal como Reinaldo Ventura, irão jogar para o campeonato italiano, para Lodi e Viareggio, respetivamente.

Reinaldo-ventura+luís-querido
Luís Querido e Reinaldo Ventura

Quem também deixa o OC Barcelos é Miguel Vieira, que ruma ao Benfica, e Álvaro Morais, de regresso ao FC Porto.

Em relação ao guarda-redes João Pereira, “ Ginho “, tudo indica que termina a sua carreira desportiva.

Face a estas saídas, o clube já garantiu, esta semana, o avançado Mário Rodriguez “Marinho”, ex-Follonica.

Marinho
Marinho

O internacional moçambicano, que foi o melhor marcador do campeonato de Itália, estará mesmo, no sábado, em Barcelos, para começar a sentir a sua nova casa.

Para as outras duas vagas, vários nomes têm vindo a público, mas a direção barcelense ainda não confirmou oficialmente, entre elas, a de João Almeida, ex-AD Valongo.

Assim, no sábado, será um misto de alegria/tristeza para os jogadores que deixam o clube.

Naturalmente que deixam o OCB com o dever cumprido, onde conquistaram, entre vários pontos positivos, duas Taça CERS.

O público barcelense saberá reconhecer a entrega dos atletas durante o período em que vestiram a camisola do clube barcelense.

A partida começa às 21h30 e será apitada por Orlando Panza e Sílvia Coelho.




Texto: Miguel Bastos.

Fotos: Miguel Bastos e Vincenzo Biagini.

Ir Para Cima