Tag archive

Mente Sã

O que se passa fora é o que tu trazes dentro

Março 10, 2022 em Atualidade, Mundo, Saúde Por barcelosnahorabarcelosnahora

Cláudia Velez de Melo

Quantas vezes sentes que o mundo ao teu redor está o caos? Quantas vezes não suportas o ruido que está à tua volta? Quantas vezes sentes que não te enquadras no local onde estás?

A forma como vivemos e sentimos surge primeiramente dentro de nós, só depois será manifestado externamente.

O que está a acontecer dentro de ti, reflete-se no teu mundo exterior. Talvez possa ser difícil de compreender, porém a revelação do nosso ser interior é manifestada e colocada mesmo à nossa frente, através de experiências e momentos externos, reveladores de nós próprios.

Observa o que se passa à tua volta e compreenderás o que se passa dentro de ti.

Precisamos urgentemente de encontrar o caminho, aquele caminho que faz olhar para dentro de nós. Para isso é preciso deixarmos as distrações de lado e começar a dar atenção plena aos nossos pensamentos e emoções e essencialmente sermos verdadeiros connosco próprios, compreendendo que o único caminho é aceitarmos que também falhamos, não somos perfeitos, mas que estamos sempre a tempo de mudar.

Seguir a voz do coração, que muitos poderão chamar de intuição, para entrarmos em verdadeira sintonia connosco, este GPS interno que todos temos e pouco ou nenhuma importância lhe damos. É muito mais confortável continuarmos dentro da nossa bolha de conforto, mesmo continuando insatisfeitos e infelizes com a vida que levamos, continuamos e disfarçamos o que sentimos com as distrações que a vida nos proporciona. Distrações como nos focarmos no que está fora de nós, o que os nossos olhos vêm.

Vou-vos contar uma pequena história de uma cliente que eu acompanhei. Na primeira sessão mencionou que a sua vida estava o caos, caos no trabalho, em casa, caos dentro dela mesma, parecia que nada na sua vida estava a funcionar.  

Eu questionei, se tens o caos dentro de ti, como achas que vai estar o mundo à tua volta?  É importante descobrires qual o estado desejado, para assim entenderes o que precisas de mudar para obteres o que queres, pois já tens as respostas todas dentro de ti. Algo dentro dela se acendeu e compreendeu que tudo estava dentro dela e que a mudança teria de começar primeiro dentro dela.

Toda a sua energia estava concentrada na insatisfação, ao invés de encontrar um caminho para a saída

Enquanto continuarmos a direcionar a nossa visão apenas para o mundo exterior, iremos continuar insatisfeitos e depositamos toda a responsabilidade nos outros.

Afinal o que é o mundo interior?

Mundo interior é o mundo que só nós somos capazes de ver quem somos, sentimos e acreditamos. Ter consciência de quem somos, entender o que sentimos, levar-nos-á a aceder ao nosso software interno que possui todas as informações que nós já temos desde sempre, sobre a nossa verdadeira essência.

 Volta a atenção para ti mesma e sê honesta com o teu sentir, analisa as tuas atitudes, os teus pensamentos e coloca-os em ordem, com uma boa dose de positivismo, começa a vibrar nas emoções certas e verás o mundo ao teu redor começar a mudar e no final de contas, não foi o mundo que mudou, foste tu.

Especialista em Perfis Comportamentais, Enfermeira & Terapeuta em Saúde Integrativa Sistémica

O TRABALHO PELA PAZ É UM CAMINHO ESPIRITUAL EM TI MESMO

Fevereiro 27, 2022 em Atualidade, Concelho, Saúde Por barcelosnahorabarcelosnahora
Cláudia Velez de Melo

Nos tempos difíceis que decorrem senti um apelo interno em colocar no papel o que vai na minha alma. Escrevo-vos para preencher alguém em algum lugar.

Desejo que a paz toque em cada pessoa na terra e que seja promovida uma purificação interna, de quem a ignorância despoleta conflitos internos como raiva, orgulho, egocentrismo e sede de poder.

Muitos são os momentos em que já assistimos a episódios de confronto, com extrema convicção parecer ser o dono da verdade.

Quem é o dono da verdade?

Temos de olhar para tudo o que está à nossa volta, não podemos olhar somente para a nossa verdade. Tal como não podemos olhar apenas para o mundo sombrio, em que só vemos a sombra, também não podemos olhar meramente para o mundo luminoso, porque aí não teremos o equilíbrio e a nossa visão será muito limitada. Temos de ser capazes de ver os dois lados do mundo, o sofrimento e a dor, como também o que é encantador e maravilhoso.

“A paz começa no nosso coração e na nossa mente e ao vibrarmos nessa energia, transbordaremos para o que está à nossa volta”.

Imagina alguém que vem ter contigo cheio de raiva e provoca uma discussão. Se responderes do mesmo modo, qual achas que vai ser o resultado?

Respira fundo e interage com paz e harmonia e verás o resultado acontecer. Resultado esse que partiu da tua atitude de manter a tranquilidade.

Trabalha todos os dias a paz de espírito dentro de ti, assim estarás a contribuir para um bem maior, mais paz no mundo”.

 

Especialista em Perfis Comportamentais, Enfermeira & Terapeuta em Saúde Integrativa Sistémica

Sabes como treinar o teu cérebro a ser positivo?

Janeiro 3, 2022 em Atualidade, Concelho, Mundo, Saúde Por barcelosnahorabarcelosnahora
Cláudia Velez de Melo

É crucial não deixarmos de nos cuidar física e psicologicamente e arranjarmos estratégias para manter a mente sã.

Nos tempos que atravessamos, sabemos que temos de nos proteger do vírus que é bastante contagioso, que precisamos de estar afastados para não o propagarmos, que temos de lavar as mãos, para não o espalhar através do toque ou das nossas mucosas, mas também temos de prestar atenção ao nosso stress, mental e emocional, como a ansiedade, depressão, pânico…tudo o que envolve a nossa saúde mental e emocional.

 “A nossa higiene mental é tão importante como lavar as nossas mãos, temos de desinfetar os nossos pensamentos”.

Dr. Daniel Amen, psiquiatra

Os pensamentos negativos automáticos, atacam-nos de várias perspetivas diferentes e deixar que não nos dominem é uma capacidade que exige trabalho constante. Tal como temos de comer melhor ao longo do tempo para sermos saudáveis, não pode ser só uma vez, o mesmo acontece com a nossa higiene mental.

Temos de ter atenção ao que dizemos a nós mesmos, manter um bom diálogo interno, advém da forma como reagimos à realidade, da forma como percecionamos o que se passa à nossa volta.

Os pensamentos mentem muito, não temos de acreditar em cada pensamento que temos. E são, normalmente os pensamentos em que acreditamos que nos conduzem à ansiedade, ao medo e até ao pânico.

“As pessoas que têm uma linguagem catastrófica, um diálogo interno muito depreciativo consigo mesmo, terão um enorme impacto a nível fisiológico”.

O nosso corpo responde a cada pensamento que temos. Um pensamento ansioso, preocupado, zangado, raivoso, assustado e até de ódio, fará com que nos sintamos doentes, afetando o nosso sistema imunitário.

O impacto do stress no nosso sistema imunitário é muito significativo, torna-nos mais vulneráveis a ficarmos doentes. Contudo alguma ansiedade é benéfica para fazermos o que é certo. Porém o stress crónico danifica o cérebro. Para compreenderem um pouco melhor do que vos falo, o stress danifica uma área do cérebro chamada de hipocampo, envolvido na memória e disposição. Segundo o Dr. Daniel Amen, diariamente criamos 700 novas células no hipocampo, mas temos a função de as proteger e fazemo-lo a dormir. Por isso, a melhor forma de ter um sistema imunitário saudável é desligar a TV e os dispositivos eletrónicos e fazer algo relaxante à noite.

Como manter uma mente sã?

Biologicamente, temos de cuidar do nosso cérebro.

Psicologicamente, não acreditar em todos os pensamentos que temos.

Socialmente, ver com quem estamos ligados, outras pessoas seguirão o nosso exemplo.

Espiritualmente, porque estamos neste planeta? Qual é o nosso sentido mais profundo de significado e propósito?

Sabias que ajudar outras pessoas, fortalece o nosso sistema imunitário? Porque quando saímos da nossa “cabeça”, as coisas tornam-se menos difíceis.

 “Precisamos de ter hábitos certos”.

Foca-te em ter um pensamento “limpo”, quando o nosso cérebro está bom, a nossa mente segue-o. Treina o teu cérebro para o que está bem, em vez, de o treinar só para o que está errado.

Todos os dias ao acordar dizer” Hoje, vai ser um bom dia”, porquê? Porque o meu cérebro vai descobrir o porquê de hoje ser um bom dia.

Antes de ires para a cama à noite, dizer “o que correu bem hoje?  e é incrível o encontro com tantas coisas boas que correram bem, tudo porque procuraste o que correu bem, em vez, de estares focado no que correu mal.

Tem um bom dia!!!

Especialista em Perfis Comportamentais, Enfermeira & Terapeuta em Saúde Integrativa Sistémica

Eneagrama: uma ferramenta de auto conhecimento

Novembro 30, 2021 em Atualidade, Concelho, Saúde Por barcelosnahorabarcelosnahora

Cláudia Velez de Melo

Vivemos numa sociedade em que o nível de exigência nos impele a sermos “quase” perfeitos, “quase” firmes com as nossas convicções, “quase “somos quem gostaríamos de ser, como se não nos permitíssemos ser quem realmente somos.

A nossa personalidade é definida pela nossa essência, que se caracteriza e manifesta através dos nossos comportamentos.  Porém a personalidade pode ser moldável, adaptando-se ás circunstâncias da vida, mudando o funcionamento interno e a forma como gerimos as situações.

Quando lidamos com situações de stress, muitas vezes entramos num processo de regressão das características menos positivas da nossa personalidade, que sobressaem e se manifestam em comportamentos regressivos. Este processo ocorre quando entramos em contacto com as nossas partes “adormecidas” e que se manifestam em virtude de um estímulo.

A PERSONALIDADE SEGUNDO O ENEAGRAMA

O eneagrama é um instrumento milenar de autoconhecimento, que nos anos 70 foi adaptada ao estudo da personalidade no sentido de compreender os perfis do comportamento humano e as suas motivações base. É uma ferramenta sistémica, possibilitando-nos a nos tornarmos mais conscientes e presentes na nossa própria vida, desenvolvendo a capacidade de auto-observação e a resposta aos estímulos internos e externos. Funciona como um mapa da psique, em que cada ser humano tem a sua forma de ver o mundo (perfis psicológicos do eneagrama), consolidada na nossa personalidade.

O Eneagrama é composto por um círculo, um triangulo e por uma hexade. É uma figura geométrica de nove pontas que funciona como símbolo processual. Cada uma de suas pontas representa um tipo psicológico base, nove perfis de personalidade, nove formas de pensar, de sentir e agir.

 “Eneagrama é como mapa da consciência, reconhecendo o nosso perfil de personalidade, leva-nos a entrar em contacto com o nosso EU mais profundo”.

A personalidade é o nosso maior filtro inconsciente, que é manifestado na forma como nos expomos na sociedade, a forma como percecionamos a realidade, como comunicamos e como somos interpretados.

Muitas vezes observamos pessoas a esconder o que sentem. Por medo do que os outros possam pensar, por insegurança e principalmente porque precisam de ser aceites em algo mais do que elas próprias. Escondem-se por vezes atrás de comportamentos de compleição negativa e sem saberem como mudar.

Inconscientemente, acreditamos que para sermos amados, respeitados e aceites por nós próprios e pelos outros, precisamos acreditar em algo, para sermos merecedores desse amor.

Essa motivação impacta os nossos comportamentos diários, reproduzindo-se numa autoimagem de perfeição, o que nos leva a criar uma máscara quenos defende de entrar em contacto com aquilo que somos verdadeiramente na nossa essência.

Através do Eneagrama irás descobrir o teu perfil de personalidade, identificarás os teus padrões comportamentais, elementos que te motivam e desmotivam e possibilitará que te tornes consciente das tuas emoções, elemento fundamental que influencia diretamente as tuas ações e decisões.  Nada mais é do que descobrirmos o nosso tipo de personalidade e aprendermos a lidar com nós próprios e com os outros.  Ao ter esta consciência, passamos a olhar para nós próprios com um sentido de crescimento e melhoria a cada dia

Por:

Especialista em Perfis Comportamentais, Enfermeira & Terapeuta em Saúde Integrativa Sistémica

A JORNADA DO CAMINHO ESPIRITUAL

Outubro 2, 2021 em Atualidade, Concelho, Saúde Por barcelosnahorabarcelosnahora
Cláudia Velez de Melo

“Espiritualidade é tornares-te mais conectado contigo mesmo e com tudo o que existe”.

Como nos tornamos mais espirituais?

Como é a jornada do caminho espiritual?

Não vos vou mentir, entrar no caminho espiritual vem acompanhado com alguma dor, entras numa estrada cheia de obstáculos, pedras e pedregulhos, em que terás de ultrapassar lamaçais imensos e montanhas rochosas, por vezes quase impossíveis de alcançar. Mas uma coisa também te posso assegurar, não há crescimento e superação sem dor. Sem enfrentares os teus medos tanto físicos, como mentais, emocionais e até espirituais.

Eu não sou iluminada, nem nada que se pareça, nem tenho uma vida perfeita.

A jornada é o que tu fazes, as tuas escolhas, o que tu fazes com as experiências e a forma como geres o que te acontece e principalmente aceitares-te a ti mesmo e ás outras pessoas, retirando toda a aprendizagem do momento, sem revolta. É perdoar e amar quem te magoou, é ver as lições de cada ferida.

Porquê que temos de passar por um evento traumático ou uma perda para mudarmos?

Porquê que muitas vezes achamos que a vida está a ser injusta?

Se conseguires olhar para a vida com uma nova perspetiva, começas a buscar respostas para o que está a acontecer na tua vida. É crucial Ver, Ouvir e Sentir (VOS), para dar voz aos nossos sentidos e não fugirmos disso. É importante nos silenciarmos e buscarmos o silêncio. Quando conseguimos fazer este exercício abrem-se novas portas e conseguimos ver novas realidades e percebemos que o que aparentava ser, afinal era só aparência e não realidade. E finalmente conseguimos ver a realidade tal e qual como ela é, com toda a verdade.

Esta tomada de consciência, muitas vezes nos leva a nos sentirmos desconetados com quem nos rodeia e faz-nos sentir que já não nos identificamos com algumas pessoas, mas está tudo bem.

“Olha para dentro de ti”.

Passei praticamente toda a minha vida adulta, em busca de mim mesma, queria descobrir:  Quem sou eu? O que faço aqui?

Desenterrei as minhas sombras, confrontei-me com as minhas fragilidades, medos e limites. Desenterrei feridas passadas, para as poder curar.

Olhei profundamente para dentro de mim, olhei profundamente para dentro da minha alma, olhei profundamente para o que estava a acontecer na minha vida e foi nesse olhar profundo e silencioso, que se deu o despertar para uma nova vida.

“Olhar para a vida de forma positiva e ter pensamentos positivos não chega para mudar”.

A mudança só irá ocorrer quando estiveres disposta a te enfrentares, para curares as tuas feridas.

A mudança só irá acontecer quando finalmente perceberes que não és feliz e assumires para ti mesma, já não tens mais tempo a perder.

Especialista em Perfis Comportamentais, Enfermeira
& Terapeuta em Saúde Integrativa Sistémica

                                    

Toda a mudança é baseada apenas em uma decisão

Agosto 27, 2021 em Atualidade, Concelho, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora
Cláudia Velez

Passamos grande parte do tempo, reclamando e protestando contra a vida e contra o que dela faz parte. Queremos que algo mude como por magia, mas nada fazemos para que tal aconteça.
Colocamos em causa, as experiências pelas quais passamos e achamos muitas vezes que temos pouca sorte ou que o mundo está contra nós.

A maior parte das vezes, tomamos “aquela decisão” que foi adiada por muitos meses, talvez anos e chegamos ao nosso limite. Porquê que para tomarmos uma decisão, temos que ir além limites? O que tanto nos limita e não nos deixa tomar uma decisão, que sabemos ser crucial para que a nossa vida mude e prospere.

O preço da mudança não é de todo fácil. Tens de largar o que não te serve mais, o que não acrescenta mais nada à tua vida. É olhar para o desconhecido e não saber o que está mais além, mas é ter a certeza que o que eu tenho hoje não é mais para mim.

“Embora não saiba o que aí vem, eu prefiro o que vem, do que o que tenho hoje. Nada muda na tua vida até tomares a decisão”.
“A mudança que muitas vezes buscamos, está na decisão que não conseguimos tomar”.

Será que somos ousados o suficiente para mudarmos a nossa vida, para sermos quem realmente queremos ser?

Certamente que não, muitas pessoas chegam até mim tristes e angustiadas, porque não têm a vida que ambicionam ter. Não são o que queriam ser e não mostram o que realmente são.

Observo muitas vezes, pessoas que escondem o que sentem, por receio do que os outros pensam, pelas inseguranças, medos e receios e porque necessitam de ser aceites por algo que as transcende a elas próprias. Sempre vai haver alguém insistindo para tu seres quem não és, por isso não percas tempo esperando seres quem o outro espera.

“A vida não muda, enquanto tiveres desculpas constantes”.

É preciso ser ousado o suficiente para dar um primeiro passo, para fazer somente uma escolha. A escolha de mudar e enfrentar o desconhecido, acreditando que tudo vai correr bem. E quando a vida te dá outra oportunidade de recomeçar, estarás a honrar a vida que queres ter e sabes porquê? Por teres tentado mudar para melhor, por estares a lapidar o teu caminho.

Quando tomas a decisão, nasces de novo, libertas-te de um EU que idealizaste, para passar a ser o EU que tanto desejas e anseias ser. Ao fazeres a tua vida valer a pena, já estás a cumprir com o teu propósito. Não percas mais tempo…

“A intensidade do teu caminho é igual ao valor do teu propósito”.

Por:

Especialista em Perfis Comportamentais, Enfermeira & Terapeuta em Saúde Integrativa Sistémica

Sabias que o corpo também fala?

Julho 25, 2021 em Atualidade, Concelho, Opinião, Saúde Por barcelosnahorabarcelosnahora
Cláudia Velez

Acredito vivamente que as doenças nascem de emoções mal geridas.

Para quem tem a crença de que as doenças são meramente ao nível físico, passo a explicar a minha visão desta temática, que atinge todos em uma altura da nossa vida.

  • O corpo fala por si:
  • Quando engoles o choro;
  • Quando uma discussão te incomoda de tal maneira que só pensas em fugir;
  • Quando sentes aquele aperto no coração;
  • Quando sentes um nó na garganta;
  • Quando te doi a cabeça e nem sabes porquê;
  • Quando as insónias te assombram durante a noite;
  • Quando a ansiedade te leva ao serviço de urgência e sais de lá, sem qualquer diagnóstico;
  • Quando sentes uma culpa avassaladora e ao fim de uns anos aparece um cancro;
  • Quando tens 40 anos e aparentas ter 50 anos;
  • Quando a angústia te consome e desculpas-te dizendo “está tudo bem”;
  • Quando dizes todos os dias “amanhã é que vai ser”;
  • Quando queres mudar algo há anos e ao fim de 10 anos, parece estar tudo na mesma;
  • Quando sentes que estás a viver uma vida sem propósito;
  • Quando te revoltas contra a tua própria vida…


Então ainda duvidas de onde vêm as doenças?

São originárias do cultivo da semente e da plantação de emoções mal geridas.

Como aliviar esta dor e expressá-la dando-lhe voz?

Lê um livro, escreve um poema ou até um livro. Expressa-te através da dança, do yoga ou da meditação. Dá uns mergulhos no mar, faz umas caminhadas ou umas corridas.

Liberta a dor que sentes dentro de ti.

Olha o horizonte, contempla a natureza e observa as estrelas. Cheira uma flor, sente o seu olfato, abraça uma árvore e transforma este momento de dor, num momento em que fechas os olhos e “olhas para dentro de ti” e dizes internamente “está tudo bem” e se não estiver, chegou o momento em que tenho de pedir ajuda.

“Muda a tua mente, muda o teu corpo”.

Especialista em Perfis Comportamentais, Enfermeira & Terapeuta em Saúde Integrativa Sistémica

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Afinal o que é que possuímos?

Junho 28, 2021 em Atualidade, Concelho, Mundo, Opinião, Saúde Por barcelosnahorabarcelosnahora
Cláudia Velez

Verdadeiramente, só possuímos como nosso aquilo que podemos levar deste mundo, tomei esta consciência ao mudar de cidade, ao ter escolhido abandonar tudo o que aparentemente achava que possuía.

Afinal o que é que possuímos?

“Tudo o que se resume ao uso da nossa alma. Os nossos valores, conhecimento e inteligência”

Isto é o que levamos, estejamos onde estivermos e acredito que o que levamos, nos servirá em outro mundo.

Após 5 anos em que deixei a minha cidade natal, me sinto mais rica em valores morais do que quando cheguei. Sinto que a minha bagagem emocional me transformou como ser humano. Sei que a sua utilidade não servirá somente a mim, mas também quem fizer parte do meu caminho.

Acredito que o nosso propósito, passa pela nossa evolução em nos tornarmos melhores seres humanos. Em cada passo dado, em cada experiência vivida, nos tornamos mais ricos, da forma como tudo é pago com as nossas qualidades da alma e assim seremos tratados consoante as nossas “posses”, consoante as nossas qualidades da alma.

Se ainda não sabes qual o teu propósito, uma coisa eu te garanto, um dos propósitos é a tua evolução, o outro propósito será certamente qual o caminho que escolhes para a tua evolução.

Constrói a riqueza por ti mesmo, com esforço, coragem e perseverança e utiliza a tua riqueza em prol de um bem maior e terás todo o mérito do caminho que fizeste e serás recompensado pelo trabalho que desenvolveste.

“O lugar a que pertencemos não depende do que temos ou do lugar que ocupamos, mas depende da soma das nossas virtudes”.

Especialista em Perfis Comportamentais, Enfermeira & Terapeuta em Saúde Integrativa Sistémica

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Imagem: António Mora | George Redhawk Motion Effects

O que nunca te disseram…

Maio 24, 2021 em Atualidade, Concelho, Mundo, Opinião, Saúde Por barcelosnahorabarcelosnahora
Cláudia Velez

Na constante busca pela perfeição, vivemos num mundo que não se aceitam falhas. Esforçamo-nos em cada momento em mostrar que somos capazes e esperamos o reconhecimento por cada passo dado. Dia após dia esta ambição se torna a nossa prisão, como se a nossa vida dependesse disso. Ouvimos inúmeras vezes que é com os erros que se aprende, porém, o erro não é tolerável.

Acredito que esta busca pela perfeição se resume na ambição de querermos ser perfeitos connosco e com o mundo, na expectativa de ser aceite, amado e respeitado, ocultando as nossas sombras e fraquezas, para somente mostrar ao mundo as nossas virtudes, não nos permitindo sermos como somos. Mostramos apenas algumas partes de nós, aquelas que consideramos ser aceites aos olhos da sociedade. Sim, porque existe o padrão da sociedade, que é somente a opinião em que todos se baseiam. Contudo, se por acaso fores aquele que não segue o padrão da sociedade, possivelmente serás seguido, porque criaste o teu próprio caminho e não porque seguiste o caminho que não era o teu.

O grande propósito é tomarmos consciência das nossas partes rejeitadas ou reprimidas, que simbolizam a linguagem não reconhecida da personalidade, o que nos leva a passarmos grande parte do nosso tempo a corrigir experiências, criando assim um ideal do ser humano e do mundo, baseado no nosso ego.

Muitas são as pessoas que temem olhar para dentro de si mesmas e o medo levanta muros tão espessos que perdemos a noção de quem realmente somos. É como se andássemos em círculo em busca da perfeição e entrássemos num labirinto procurando a aprovação. Numa tentativa interminável de agradar, o resultado vai ser sempre “quase consegui” e porquê? Porque “quase fui quem não sou”.

Somos feitos de dualidade. Somos seres imperfeitos que vive em busca da perfeição e da aceitação.

É possível sermos perfeitos sem sermos imperfeitos?

É possível ver a luz sem reconhecer a escuridão?

É possível eu reconhecer o que é o bom, sem saber o que é o mau?

Somos humanos e ser humano é ser perfeito com as nossas imperfeições, aceitando e reconhecendo cada parte de nós.

Tendo a coragem de eu ser imperfeita pergunto-vos:

Aceitas as tuas imperfeições ou vives escondendo as tuas “sombras” e a tua máscara da perfeição, tornou-se a tua maior prisão?

“Muda a tua mente, muda o teu corpo”

Especialista em perfis comportamentais, Enfermeira & Terapeuta em saúde integrativa e sistémica

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Imagem: DR

Sabias que existe uma dinâmica para adoecermos?

Abril 29, 2021 em Atualidade, Concelho, Opinião, Saúde Por barcelosnahorabarcelosnahora
Cláudia Velez

O sistema SIS, Saúde integrativa Sistémica defende que: “Quando a saúde está ausente, a sabedoria não consegue se manifestar, a força não consegue se revelar, a riqueza se torna inútil e a inteligência não pode ser aplicada”.

Como Enfermeira, Coach e Terapeuta em Saúde integrativa sistémica, tenho vindo a constatar ao longo da minha experiência profissional, que para se conseguir uma transformação global das nossas vidas, temos de trabalhar o corpo, mente e emoções. Esta é a forma de cuidarmos da nossa saúde integral e não da nossa doença, pois muitas vezes ficamos restritos ao histórico da doença.

A qualidade das nossa vidas está relacionada à qualidade da nossa saúde mental, saúde emocional e saúde física.

E se houvesse um modo para identificar e tratar as doenças antes mesmo delas aparecerem nos exames laboratoriais e no corpo físico?

Saúde integrativa sistémica é alinhar os 4 pilares do ser humano: espírito, mente, emoções e corpo.

Tudo começa a nível energético…

 De acordo com os estudos de Gladia Bernardi, pioneira do Método Saúde Integrativa Sistémica, quando é diagnosticada uma doença no corpo físico, a doença já está no corpo há 10, 20, talvez até há 30 anos no nível energético. Este é o 1º estádio na dinâmica de adoecermos. Tudo se inicia a nível energético, desde a mitocôndria, no átomo, a nível atómico. Se atuarmos neste nível, através da mudança de pensamentos, sentimentos, emoções, resignificação de um trauma, mudança de perspetiva da nossa história de vida, tratamos a célula a nível energético, através da Medicina Vibracional. Este é o caminho que pode levar à remissão de uma doença.

Quando passamos para o 2º estádio a nível sensorial, aqui já manifestamos sintomas, como dores de cabeça, picadas no coração, cansaço, alterações do padrão do sono e realizas exames e estes não têm qualquer alteração. A doença já está instalada, mas não foi diagnosticada.

No 3º estádio no nível funcional, os exames já revelam alterações. Este estádio pode demorar anos até se ver evidência nos exames laboratoriais.

No 4º estádio, no nível estrutural é quando a doença já tem forma estrutural, como a manifestação de tumores, metástases, quistos, cálculos renais, etc.  Muitas vezes mesmo depois da pessoa ser operada a doença reaparece e porquê? Porque não se tratou a origem da doença.

Quando manifestado fisicamente, já se passaram muitos anos.

Então qual é o segredo?

Tratar a doença no 1º estádio, ao nível energético, quando tudo ainda está na fase inicial, quando ainda vamos a tempo de travar uma futura doença.

Cuida dos teus pensamentos e emoções, muda as crenças que te limitam, dá um novo significado ás situações dolorosas da tua vida, que te causam angústia, raiva e amargura e acredita que a tua vida se transformará.

Como é que eu sei isso?

Eu fiz este trabalho interior, se eu consegui, tu também consegues.

Espero por ti carinhosamente.

“Muda a tua mente, muda o teu corpo”.

Por:

Especialista em Perfis Comportamentais, Enfermeira & Terapeuta em Saúde Integrativa Sistémica

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Ir Para Cima