Tag archive

Pedro Oliveira

Músicos e escola de dança de Barcelos apresentam espetáculo cheio de ritmo no “triciclo”

Junho 7, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Sábado, dia 08 de junho, pelas 22h00, no Teatro Gil Vicente, sobe a palco o espetáculo “Rhythmen”, incluído no ciclo “triciclo”.



O serviço educativo do “triciclo” está de regresso, com este espetáculo que vai juntar músicos locais e a Escola de Dança de Barcelos. Coordenado pelo músico barcelense Pedro Oliveira (Dear Telephone, peixe:avião e Krake), “Rhythmen” insere-se no programa de serviço educativo do “triciclo”, tem uma forte componente rítmica e vai juntar comunidade musical com a da dança. A entrada é livre.

Rhythmen” é baseado na exploração sonora e na manipulação de sons que nos transmitem cadencias comuns do dia à dia, com sons maquinais, biológicos, subaquáticos, cerebrais e contemplativos. Neste espetáculo, a comunidade artística barcelense junta-se em torno do movimento regulado e de tudo o que implica a sua entoação, intensidade e cadência. Com uma forte componente visual e cinética, “Rhythmen” pretende explorar todas as intensidades e subtilezas.

Rhythmen” surge após o sucesso das ações de serviço educativo do “triciclo” realizadas até ao momento, como foram os espetáculos “Vou-te contar uma história sobre Barcelos” e “Identidade”. Estas ações decorrem no cumprimento do objetivo do “triciclo” em fomentar o intercâmbio de saberes e de expressões artísticas entre comunidades. 

Após este espetáculo, o ciclo de concertos “triciclo” chega ao fim. O terceiro trimestre encerra com Sensible Soccers e Otrotorto, no Círculo Católico dos Operários de Barcelos (CCOB), a 29 de junho. Os bilhetes podem ser adquiridos nos locais habituais.

O “triciclo” é um ciclo “made in” Barcelos e é feito em parceria com o Município de Barcelos.

Imagens: DR.

“Jazz ao Largo“ está de volta

Setembro 11, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora




No final do verão, Barcelos volta a ser ponto de passagem obrigatório para os amantes de Jazz. Depois do sucesso da primeira edição em 2016, o “Jazz ao Largo” tem regresso marcado para os dias 13 a 17 de setembro.

O evento, que assinala o regresso do Jazz ao espaço público da cidade, é organizado pelo Município de Barcelos em parceria com a Associação Burgo Divertido, destacando-se “como um dos eventos que marca a atual política de oferta cultural do Município”, conforme este refere em nota enviada a este jornal.

Para o Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, o “Jazz ao Largo” corresponde às ambições da autarquia em ter um concelho que se orgulhe da sua dinâmica e oferta cultural variada. “É a segunda vez que promovemos o ‘Jazz ao Largo’ e, novamente, mantendo a entrada livre para todas as atividades. Em 2016, o evento terminou com um balanço extremamente positivo, contabilizando uma assistência de cerca de 800 pessoas. Com o cartaz de elevada qualidade que apresentamos, estão reunidas as condições para que esta edição seja um sucesso. O importante é que o evento seja um fator de atração de diferentes públicos à cidade”, salienta Miguel Costa Gomes.

O Festival “Jazz ao Largo”, cuja direção artística está a cargo do músico Pedro Oliveira, apresenta este ano um grande cartaz, que conta com grupos nacionais de renome, reunindo as tendências atuais do jazz nacional.

Este ano, para além dos habituais concertos no exterior do Teatro Gil Vicente, o evento conta com sessões de free jazz na Frente Ribeirinha da Azenha, com os duos Susana Santos Silva + Jorge Queijo e Gabriel Ferrandini + Pedro Sousa. Outra novidade em destaque é a parceria com a ZOOM, que resulta na apresentação do filme “Bird – Fim do Sonho”, de Clint Eastwood, que retrata a vida do ícone do jazz, Charlie Parker.

O concerto de abertura, no dia 14, está a cargo do grupo TIM TIM POR TIM TUM, um projeto acústico singular que junta em palco o talento de quatro bateristas.

No dia seguinte, é a vez da banda barcelense LA LA LA RESSONANCE apresentar um concerto original inspirado no afamado contrabaixista e compositor icónico norte-americano, Charles Mingus.

Os CORETO PORTA JAZZ, um grupo formado por 12 elementos da nova geração de músicos sediados no Porto, cujas atividades individuais são reconhecidas na cena jazzística nacional, encerram o ciclo de concertos, no dia 16.

O festival promove, para além dos concertos, um workshop de improvisação liderado pelos músicos Susana Santos Silva e Jorge Queijo.

Fonte e imagem: CMB.

Ir Para Cima