Tag archive

PSD Barcelos

Comissão Política do PSD Barcelos demite-se

Agosto 10, 2021 em Atualidade, Concelho, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

A Comissão Política de Barcelos do PSD, demite-se de funções alegando vários acontecimentos de ditaram esta decisão.

Passamos a publicar na íntegra o comunicado:

“Sob o lema “Confiar no Futuro”, a Comissão Política de Barcelos do PSD, tudo fez para apresentar aos barcelenses uma nova solução política que lhes devolvesse a confiança e lhes desse a esperança num futuro melhor.

A Comissão Política aprovou uma candidatura à presidência da Câmara Municipal, que era disruptiva para com a oferta do Partido Socialista e tinha o condão de agregar o PSD em seu redor.

Porém, esta solução foi inviabilizada através de velhos métodos de fazer política, tendo sido indicado pela Comissão Política Nacional do PSD, como candidato à presidência da Câmara Municipal de Barcelos, o companheiro Mário Constantino.

Como é do conhecimento público, esta decisão foi tomada ao arrepio dos estatutos do PSD, tendo tal facto sido reconhecido pelo Conselho de Jurisdição do PSD, bem como por dois acórdãos do Tribunal Constitucional.

Mas, mais grave que a indicação do candidato, foi todo o conjunto de acontecimentos que lhe seguiram com absoluto desrespeito pelas estruturas legitimamente eleitas.

O candidato e primeiro vereador do PSD, com lugar por inerência na Comissão Política de Secção, deixou de comparecer às reuniões deste órgão.

Negociou e assinou uma coligação com o CDS-PP e um acordo com o BTF, utilizou meios do partido sem dar qualquer conhecimento à CPS, indicou um candidato à presidência da mesa da Assembleia Municipal diferente do aprovado pela Comissão Política, elaborou as listas à Câmara Municipal e à Assembleia Municipal a seu beloprazer e, ainda mais grave, incluiu o Sr. Domingos Pereira (Ex. vereador e Ex. presidente da estrutura local do Partido Socialista) na lista à Câmara Municipal, ao arrepio da vontade manifestada pelos militantes presentes no último plenário de secção, que rejeitaram terminantemente a inclusão desse nome na lista. Tudo isto sem dar qualquer satisfação, nem colher qualquer aprovação por parte do órgão partidário local.

Já esta Comissão Política tudo fez para revindicar a sua legitimidade para indicar o candidato e fazer as listas aos órgãos autárquicos. Quando essa legitimidade foi reiteradamente reconhecida, deu nota da sua disponibilidade para legitimar o candidato e apresentar listas de consenso.

Porém o candidato e sua entourage sempre se esquivaram a qualquer negociação. Preferiram enveredar por velhas estratégias políticas, negando aos militantes a realização de uma Assembleia de Secção obrigatória para apreciação de listas, com o único intuito de inviabilizar eventuais listas apresentadas por esta Comissão Política.

Ainda assim a Comissão Política, cumprindo o determinado nos Estatutos, elaborou e aprovou as listas à Câmara Municipal e à Assembleia Municipal, tendo ainda aprovado todas as candidaturas às Assembleias de Freguesia.

Após esta aprovação e voltando a seguir os Estatutos, remeteu-as ao Sr. Presidente da Comissão Política Distrital para aprovação daquele órgão. Mas, uma vez que as mesmas não se faziam acompanhar pelo Parecer obrigatório da Assembleia de Secção, por recusa do respetivo Presidente da mesa que se furtou a agendar a reunião magna dos militantes da Secção, o Sr. Presidente da Comissão Política Distrital entendeu que o processo estava incompleto e devolveu-o à Secção, respeitando plenamente a deliberação do Concelho de Jurisdição Nacional quanto ao
processo de escolha dos candidatos, no mais correto respeito pelos estatutos do PSD.

Convocado para a entrega das listas aprovadas pela Comissão Politica de Secção de Barcelos, também o Mandatário de Listas indicado pela Comissão Política Nacional, companheiro Carlos Reis, agindo em benefício próprio, se recusou a receber e fazer entregar no tribunal as listas legitimamente elaboradas e aprovadas pela Comissão Política de Secção, em violação grave e grosseira dos Estatutos Nacionais do PSD quanto ao processo e órgãos com competência para aprovar e submeter listas, assim como negociar coligações ou acordos locais.

Perante isto a Comissão Política de Secção poderia ter forçado a entrega das suas listas no tribunal, ou poderia ainda ter impugnado aquelas que foram ilegitimamente entregues. Mas tal decisão teria como consequência a inexistência de listas do PSD concorrentes à Câmara e Assembleia Municipais.

A Comissão Política, em benefício do Partido e da democracia entendeu não o fazer. Não poderíamos privar os barcelenses de uma alternativa ao Partido Socialista. Não que esta alternativa tivesse feito algo para colher o apoio da Comissão Política. Não que esta alternativa tivesse feito algo em favor das mais elementares regras da democracia e do respeito pelas instituições. Não que esta fosse a solução política que desejávamos para “Confiar no Futuro”.

Antes estamos perante uma solução que incorpora intervenientes com um passado de hostilidade com o PSD, que apresenta divergências políticas em temas fraturantes como o caso das Águas de Barcelos, ou ainda de anos de gestão sem visão estratégica para o investimento público no concelho, bem como de uma permanente judicialização da
política Barcelense.

“Importa também respeitosamente lembrar que, para a militância, perder a identidade é tão ou mais grave do que perder uma votação, e no PSD essa identidade está plasmada nos estatutos, regulamentos, programa e deliberações, que os militantes – acima de tudo – devem respeitar e fazer respeitar”

Assim, porque não nos foi possível cumprir a nossa missão, não resta a esta Comissão Política outra alternativa que não a de antecipar o final do seu mandato. Volvidas as eleições autárquicas devolveremos aos Militantes a palavra para que seja eleita nova direção.

Terminamos voltando a citar palavras sempre sábias do nosso fundador, Francisco Sá Carneiro, que também se adequam, na devida proporção, ao acima descrito:

“Pouco importa às pessoas saber que têm os direitos reconhecidos em princípio, se o exercício deles lhes é negado na prática.”

Barcelos, 9 de agosto de 2021

A Comissão Política do PSD Barcelos”

TC indefere providência cautelar para “travar” candidatura de Mário Constantino

Julho 24, 2021 em Atualidade, Concelho, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Tribunal Constitucional indeferiu a providência cautelar que pretendia “travar” a indigitação de Mário Constantino como candidato do PSD à câmara de Barcelos, interposta pela Comissão Política concelhia, divulgou aquela candidatura.

Em comunicado, a candidatura de Mário Constantino, Barcelos Mais Futuro, refere que depois da decisão daquele tribunal vai “dar continuidade ao seu compromisso de campanha” de “dar mais credibilidade, estabilidade e progresso” ao concelho de Barcelos, no distrito de Braga.

A concelhia do PSD de Barcelos tinha indicado o nome do empresário têxtil João Sousa para encabeçar a candidatura à Câmara de Barcelos, escolha ratificada pela distrital de Braga, mas que a direção nacional chumbou para “impor” Mário Constantino.

“Reagimos com serenidade e com a mesma tranquilidade com que sempre lidamos com esta situação (…). Claro que fico satisfeito que uma instituição com a credibilidade e responsabilidade do Tribunal Constitucional venha reiterar que essa providência cautelar não faz qualquer sentido”, afirma no comunicado Mário Constantino.

Sobre esta questão, instado a pronunciar-se, o Conselho de Jurisdição Nacional do PSD considerou que a imposição, pelos órgãos nacionais, do nome de Mário Constantino como candidato à Câmara de Barcelos constituiu “uma grave violação” dos estatutos do partido.

O processo de escolha do candidato à Câmara de Barcelos não foi pacífico mesmo na concelhia, tendo levado à demissão do anterior presidente da, Bruno Torres, depois de o seu nome ter sido chumbado para encabeçar a lista, a que se seguiram mais cinco demissões.

Nas eleições de 2017, o PS ganhou a autarquia de Barcelos com 41,19% (cinco vereadores), o PSD/CDS-PP ficou em segundo com 32,81% (quatro mandatos), o movimento Barcelos, Terra de Futuro teve 17,90% (dois vereadores), o BE 1,84%, PCP-PEV 1,45% e o Movimento Alternativa Socialista 1,23%.

Às eleições de 26 de setembro concorrem Mário Constantino, que encabeça uma coligação entre PSD, CDS-PP e BTF, Horário Barra (PS) e José Maria Cardoso (BE).

Foto:barcelosmaisfuturo21

Comissão Política de Secção de Barcelos do PSD reage à decisão do Concelho Nacional de Jurisdição

Julho 12, 2021 em Atualidade, Concelho, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

A Comissão Política de Secção de Barcelos do PSD, torna pública a sua posição em relação à decisão Concelho Nacional de Jurisdição, relativa ao seu pedido de medida cautelar no Tribunal Constitucional para travar a indigitação de Mário Constantino como candidato, por considerar que os órgãos nacionais violaram os estatutos do partido.

Em comunicado esta comissão refere que, “passados vários meses sobre a decisão da CPN, é reposta a verdade sobre o sucedido, a direção do PSD violou os estatutos e regulamentos internos, bem como das competências que lhe estão atribuídas neste âmbito.”

Acrescentou também que, “foi feita a clarificação dos poderes e competências desta CPS, afirmando-se de forma inequívoca o seu papel no tocante à indicação de candidatos e de listas aos diversos órgãos autárquicos do concelho de Barcelos.”

“Pelo que se encontram agora reunidas as condições para efetivamente se proceder a um movimento de união em torno do PSD, na construção de um projeto agregador, diferenciado da proposta do Partido Socialista, e gerador de valor para o nosso concelho,” concluiu o comunicado assinado pela Comissão Política de Secção de Barcelos do PSD.

Jurisdição Nacional do PSD denuncia grave violação dos estatutos em Barcelos

Julho 8, 2021 em Atualidade, Concelho, Política, Portugal Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Conselho de Jurisdição Nacional do PSD considerou que a imposição, pelos órgãos nacionais, do nome de Mário Constantino como candidato à Câmara de Barcelos constitui “uma grave violação” dos estatutos do partido.

Em proposta aprovada por unanimidade na reunião de quarta-feira, a que a Lusa hoje teve acesso, o Conselho de Jurisdição acrescenta que “deve ser dada oportunidade” à concelhia de “ponderar a ratificação do candidato que já se encontra anunciado publicamente, sem prejuízo da sua competência para propor à distrital as listas de candidatura aos órgãos autárquicos”.

A proposta sublinha que a figura de homologação “tem mero valor de aceitação” do nome proposto pela concelhia e aprovado pela distrital.

O presidente do PSD, Rui Rio, já prometeu “resistir” no caso das divergências sobre a escolha dos candidatos autárquicos.

A concelhia de Barcelos tinha indicado o nome do empresário têxtil João Sousa para encabeçar a candidatura à Câmara de Barcelos, uma escolha entretanto ratificada pela distrital de Braga.

No entanto, a direção nacional do PSD, em abril, chumbou aquele nome e “impôs” Mário Constantino.

A concelhia já interpôs hoje um pedido de medida cautelar no Tribunal Constitucional para travar a indigitação de Mário Constantino como candidato, por considerar que os órgãos nacionais violaram os estatutos do partido.

A proposta agora aprovada pelo Conselho de Jurisdição vai ser junta ao processo.

Mário Constantino já considerou “ridícula e lamentável” a iniciativa da concelhia.

“Estão a prejudicar ostensivamente o partido”, acrescentou, escusando-se a mais comentários.

O processo de escolha do candidato à Câmara de Barcelos já levou à demissão do anterior presidente da concelhia, Bruno Torres, depois de o seu nome ter sido chumbado para encabeçar a lista.

Posteriormente, registaram-se mais cinco demissões, incluindo a da vice-presidente Mariana Carvalho, depois da escolha de João Sousa.

A Câmara de Barcelos é liderada, desde 2009, por Miguel Costa Gomes, do PS, que não se pode recandidatar às próximas eleições autárquicas, marcadas para 26 de setembro, por causa da lei de limitação de mandatos.

O PS vai agora candidatar Horário Barra, atual presidente da Assembleia Municipal.

O atual executivo é composto por cinco eleitos do PS, quatro da coligação PSD/CDS-PP e dois do Movimento Barcelos Terra de Futuro (BTF).

Nas autárquicas de setembro, PSD, CDS-PP e BTF vão concorrer coligados.

Fonte: Lusa

Foto: barcelosmaisfuturo21

Passagens de Nível do Concelho de Barcelos continuam sem intervenção

Junho 16, 2021 em Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Deputado Carlos Eduardo Reis e quatro Deputados eleitos pelo círculo eleitoral de Braga, questionaram o Governo, Ministro das Infraestruturas e Habitação, sobre a “grave oportunidade perdida” de não se ter resolvido o problema relacionado com as Passagens de Nível do Concelho de Barcelos, quando se procedeu à Modernização da Linha do Minho.

As Infraestruturas de Portugal (IP) teriam um plano de intervenção para supressão de todas as Passagens de Nível no Concelho de Barcelos por desnivelamentos.

As Passagens de Nível de Quintiães e Aguiar continuam sem intervenção, tendo os habitantes desta União de Freguesias de atravessar diariamente uma linha onde circulam comboios a um limite máximo de 100 quilómetros por hora.

Fonte: PSD Parlamento

PSD e BTF selam candidatura conjunta às autárquicas em Barcelos

Abril 13, 2021 em Atualidade, Concelho, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

O movimento independente “Barcelos Terra do Futuro” (BTF) anunciou hoje que chegou a um “acordo de princípio” com o PSD para a apresentação de listas conjuntas a todos os órgãos autárquicos do concelho.

Em comunicado, o BTF acrescenta que “muito brevemente” serão tornados públicos todos os detalhes formais e políticos do acordo.

O BTF refere que, no final da semana passada, reuniu com o candidato do PSD, Mário Constantino Lopes, “para uma primeira abordagem formal e exploratória para a apresentação de listas conjuntas a todos os órgãos autárquicos do concelho de Barcelos”.

“Na prossecução das vontades manifestadas, foi possível alcançar um acordo de princípio sobre esta matéria, com o PSD e o BTF”, sublinha.

Diz ainda que, nas últimas semanas, tem mantido contactos com dirigentes de outras forças políticas, para aprofundar “as reais manifestações de disponibilidade do BTF na eventual apresentação de listas a todos os órgãos autárquicos no concelho de Barcelos”, no distrito de Braga.

“Esta abordagem teve maior intervenção com particular interesse de dirigentes nacionais do PSD e de dirigentes locais do CDS/PP, não esquecendo, também, contactos de dirigentes do PS”, acrescenta.

Nas últimas autárquicas, o BTF, liderado pelo ex-socialista e ex-vice-presidente da Câmara Domingos Pereira, conquistou dois lugares na vereação.

A coligação PSD/CDS obteve quatro mandatos.

O PS, que ganhou as eleições, elegeu cinco elementos.

No último mandato, Domingos Pereira foi vice-presidente da Câmara, mas entretanto o presidente, Miguel Costa Gomes, retirou-lhe a confiança política e todos os pelouros que detinha.

Domingos Pereira fundou o BTF, movimento por que concorreu em 2017.

Nas eleições deste ano, Miguel Costa Gomes não se pode recandidatar, devido à lei de limitação de mandatos, tendo o Secretariado socialista indicado o nome de Horácio Barra, atual presidente da Assembleia Municipal, mas o partido ainda não anunciou publicamente o candidato.

Segundo a lei, as autárquicas decorrem entre setembro e outubro, mas as eleições ainda não têm data marcada.

Fonte: LUSA

Comissão Política do PSD Barcelos repudia nomeação de Mário Constantino como candidato à Câmara Municipal

Abril 8, 2021 em Atualidade, Concelho, Mundo, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

Conforme comunicado do PSD Barcelos na rede social Facebook, a Comissão Política da secção de Barcelos, repudia a nomeação de Mário Constantino como candidato à Câmara Municipal.

Relembramos que, o nome escolhido como candidato à Câmara Municipal pela concelhia e pela distrital foi o independente e empresário João Sousa. No entanto a decisão da comissão política nacional do PSD foi aprovar Mário Constantino para candidato, deixando cair o nome escolhido pela concelhia.

Reproduzimos o comunicado do PSD Barcelos na íntegra,

“A Comissão Política de Secção do PSD Barcelos (CPS) foi absolutamente surpreendida pela notícia de que a Comissão Política Nacional do PSD (CPN), na sua reunião de 6 de abril de 2021, indicou como candidato à presidência da Câmara Municipal de Barcelos o companheiro Mário Constantino.

Tal decisão foi tomada em clara contradição com o processo que conduziu à escolha do candidato, bem como em clara contradição com a escolha generalizada de todos quantos foram ouvidos sobre este assunto.

Mas vamos por partes:

DO PROCESSO

O candidato escolhido deveria colher a pré-aprovação da Secção, da Comissão Política Distrital (CPD) e da CPN.

No dia 7 de março de 2021 o companheiro Bruno Torres viu a sua propositura à presidência da Câmara Municipal de Barcelos ser recusada pela CPS. Na sequência dessa recusa apresentou a sua demissão do cargo de presidente da CPS.

Em articulação com o Sr. Presidente da CPD, Dr. Paulo Cunha, e de acordo com os Estatutos do Partido assumiu a presidência deste órgão o companheiro António Lima.

De imediato foi solicitada uma reunião entre o Sr. Presidente do Partido, Dr. Rui Rio, o Presidente da CPD e o Presidente da CPS. Por dificuldades de agenda, esta reunião apenas teve lugar no dia 22 de março.

Nessa reunião foi referido pelo Sr. Presidente da CPS que estava a auscultar diversas sensibilidades do partido, desde os membros da CPS, passando pelos Sr. Presidentes de Junta, deputados e ex-deputados, membros da lista vencedora e membros da lista opositora à CPS, e as estruturas locais da JSD e dos TSD. O objetivo era claro: reduzir a tensão interna, apontar soluções para a nomeação de candidato, sendo de imediato referido que a prioridade passaria pela indicação de um independente, com forte vocação empresarial.

O Sr. Presidente do Partido e o Sr. Presidente da CPD validaram esta estratégia e, em conjunto, articularam um calendário: agendar um plenário de secção para validar perfil de candidato, cuja primeira data disponível seria a 31 de março; continuar a ouvir as pessoas até àquela data; articular entre CPS, CPD e CPN a proposta de candidato; se o candidato proposto pela CPS colhesse a aprovação da maioria das pessoas da CPS e da CPD, a CPN iria certamente aprovar o nome indicado. E foi este caminho que foi percorrido pelo Presidente da CPS. Tratou que fosse agendado um plenário e continuou a ouvir os militantes e simpatizantes do PSD até ao dia aprazado.

De permeio, ocorreram novas reuniões entre o Sr. Presidente da CPS, da CPD e o Sr. Secretário-Geral do PSD Dr. José Silvano que acompanhou todas as ações desenvolvidas, quer pela concelhia, quer pela distrital, no sentido de ter uma solução vencedora para o PSD Barcelos. O único alerta que este deu, foi que, se a solução fosse interna, teriam de ser considerados os resultados das sondagens realizadas, no entanto era conhecedor de que o plano concelhio e distrital sempre passaria por uma solução externa. Mais teve conhecimento prévio do nome, perfil e curriculum do candidato que viria a ser apresentado e não levantou qualquer obstáculo ou esgrimiu qualquer argumento contra.

Ora, depois de ouvidos militantes, Presidentes de Junta e outras personalidades, foi apresentado o nome do empresário João Sousa que colheu o parecer favorável do presidente da CPD e do Secretário-geral do Partido.

Só depois de obtido este parecer é que foi votado, por unanimidade, quer na JSD, nos TSD e na CPS, o nome do candidato proposto pelo Sr. Presidente da CPS.

No dia seguinte, a CPD aprovou também a proposta apresentada pela CPS, e remeteu-a à CPN.

O nome do empresário João Sousa colheu aprovação implícita e explicita das mais diversas sensibilidades do partido, com exceção do companheiro Mário Constantino e de uma pequena entourage a ele afeta.

Pelo que, se a solução proposta pela CPS colheu unanimidade interna das estruturas locais, colheu amplo consenso local, colheu aprovação distrital, conforme plano gizado em articulação com o líder do PSD e com o seu Secretário-Geral não se percebe a razão pela qual não foi atendida esta indicação.

DO CANDIDATO

A CPS fez uma análise à situação atual do Município de Barcelos e sinalizou evidentes debilidades:

Imagem externa do Município prejudicada pelos processos protagonizados pelo seu Presidente;

Ausência de tomada de decisões estratégicas para o nosso concelho, em dossiês tão importantes como o da água e saneamento, da circular urbana, do hospital, etc;

Ausência de trabalho em equipa;

Ausência de investimento, primando por uma política de redistribuição de recursos financeiros do orçamento municipal.

Apego ao poder por parte dos intervenientes locais, que se preparam para uma troca de cadeiras, qual oligarquia russa.

Do trabalho de auscultação das bases do partido, ficou também claro e foi informada a Direção da CPS que seria impossível encontrar uma solução interna que colhesse a aprovação da maioria dos militantes. Mais foi defendido pela maioria das pessoas ouvidas que deveria ser apresentada uma cara nova para o partido.

Pelo que a solução encontrada primava por suprir as debilidades da proposta do PS bem como resolvia os problemas internos do PSD.

Efetivamente, a proposta do Sr. João Sousa tem como principais virtudes:

O espírito de missão de alguém que aos 64 anos, não sendo político, deixa o conforto dos seus projetos pessoais, para dar o melhor de si em favor da terra que o viu nascer e onde criou riqueza;

A capacidade de tomar decisões em tempo útil. É alguém que sabe que atrasar uma decisão implica a perda de tempo e dinheiro. Infelizmente, e da pior das formas, os Barcelenses também já sentiram na pele este facto;

A capacidade de sinalizar prioridades de investimento e de investir em diversos domínios, desde o têxtil até ao vinho;

A capacidade de, trabalhando em equipa e em família, fazer florescer diversos projetos de sucesso, dos quais dependem diretamente mais de 400 agregados familiares do nosso concelho;

A ligação às marcas de elevada notoriedade nacional Ana Sousa e Temperatura, que rapidamente poderão projetar a notoriedade do candidato;

A disponibilidade para o projeto 24 horas por dia, 7 dias por semana;

Não precisar da política, nem dos vencimentos que ela proporciona;

O entusiasmo que o candidato demonstrou para com o convite e a possibilidade de ele alargar horizontes para lá do eleitorado natural do PSD Barcelos;

Ser alguém externo ao partido e, por essa via, ser mais bem aceite pelos diversos players locais do nosso partido;

Assim, o candidato proposto pela CPS e aprovado pela CPS e CPD vai ao encontro do perfil defendido pela maioria dos militantes que defendiam uma cara nova, ataca as debilidades do executivo camarário e teria condições para resolver os problemas internos do PSD Barcelos.

Pelo que,

Não se compreende a razão pela qual a CPN não validou a proposta apresentada pela CPS e pela CPD, porquanto a mesma obedeceu ao processo defendido pelo Sr. Presidente do Partido, e o candidato corresponde ao perfil defendido pelos militantes colhendo unanimidade junto das estruturas locais.

JUSTIFICAÇÃO PARA A DECISÃO

No dia 7 de abril, o Sr. Secretário-Geral contactou o Sr. Presidente da CPS e comunicou-lhe a decisão de indicar o Dr. Mário Constantino como candidato à Câmara Municipal de Barcelos.

Instado a fundamentar tal decisão, foi justificado pelo Sr. Secretário-Geral que a decisão baseia-se no facto de que o Dr. Mário Constantino ter sido a pessoa melhor colocada na sondagem realizada em Janeiro de 2021.

Ora, tal argumento surge ao arrepio da retórica da Direção do Partido que sempre tem vindo a desvalorizar as sondagens realizadas a nível nacional. Acresce que, o Sr. João Sousa não foi incluído na sondagem realizada em janeiro de 2021, pelo que tal argumento não colhe qualquer fundamento que justifique a decisão tomada.

Mais foi referido que, para a decisão, muito contribuiu a facto de o Dr. Domingos Pereira, na qualidade de líder do movimento independente BTF, apenas aceitar coligar-se com o PSD caso o candidato fosse o Dr. Mário Constantino. Daqui se depreende que o Sr. Domingos Pereira teve maior importância para a decisão tomada, de que as estruturas locais e distritais do PSD.

Não foi referido pelo Sr. Secretário-Geral quem é que na CPN auscultou os militantes do concelho de Barcelos para tomar esta decisão.

Tão-pouco foi tida em consideração a absoluta rejeição do nome do Dr. Mário Constantino por parte da totalidade dos Srs. Presidentes de Junta do PSD.

Estranhamos ainda que na cerimónia de apresentação de candidatos realizada no dia de ontem não tenha sido dada qualquer justificação pública para esta tomada de posição. O facto de que Barcelos ser a segunda secção do país com mais militantes ativos, e ser o 6º concelho que mais votos contribui para o PSD certamente deveria merecer outra atitude por parte dos responsáveis do nosso partido.

EM SÚMULA

A CPS, reunida a dia 7 de abril de 2021 deliberou o seguinte:

1. Repudiar veementemente a tomada de decisão por parte da CPN, que surge ao arrepio dos estatutos e das mais elementares regras democráticas;

2. Lamentar que o processo não tenha sido avocado no seguimento da demissão do companheiro Bruno Torres, contribuindo assim para expor de forma grosseira os membros do PSD, os membros da CPS e da CPD e em particular um industrial de sucesso, João Sousa, que é alheio a todo este processo;

3. Solicitar uma reunião com carácter de urgência com o Sr. Presidente do Partido, Dr. Rui Rio, para que nos sejam apresentadas as justificações para a tomada de posição da CPN. Lembrar que há mais de 20 anos que nenhum processo do distrito de Braga havia sido avocado pela CPN;

4. Apresentar um voto de louvor a todo o trabalho desenvolvido pelo Sr. Presidente da CPD, por toda a colaboração demonstrada ao longo deste processo.

Os Barcelenses, que tantas e tantas vitórias deram ao PSD, a grandeza da secção de Barcelos, a grandeza do nosso concelho e sobretudo o empresário e empreendedor João Sousa não mereciam este comportamento indecoroso por parte da Direção Nacional do Partido, pelo que, depois de ouvidas as devidas explicações a CPS reserva-se ao direito poder vir a tomar outras ações em defesa da nossa dignidade e dos superiores interesses dos Barcelenses.

Barcelos, 8 de abril de 2021

A Comissão Política do PSD Barcelos.”

Fonte: Facebook PSD Barcelos

Foto: Coligação Mais Barcelos

PSD Barcelos sem plenário há mais de um ano

Março 23, 2021 em Atualidade, Concelho, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

Otília Castro candidata à liderança da estrutura local do PSD de Barcelos nas passadas eleições de 18/07/2020, declara que o Plenário de Militantes da Secção do PSD de Barcelos, já não se reúne desde 20 janeiro de 2020.

Em nota enviada às redações, a mesma informa que já solicitou junto do Presidente da Mesa da Assembleia de Secção do PSD de Barcelos, a convocação de uma Assembleia de Secção, com a ordem de trabalhos que reproduzimos na íntegra:

“1- Análise da situação estatutária irregular do Presidente da Mesa da Assembleia de Secção, o qual está estatutariamente impedido de exercer o quarto mandato consecutivo, nos termos do expresso no ponto 2, do Artigo 76º dos Estatutos do PSD, “2. A elegibilidade dos Presidentes dos órgãos não eleitos em Congresso Nacional … fica limitada a três mandatos consecutivos ou ao período máximo de seis anos…” ;

2- Eleição dos substitutos do Presidente e do Tesoureiro da Comissão Política de Secção de Barcelos, por vacatura dos cargos por demissão, sob proposta da Comissão Política, nos termos do Artigo 53º dos Estatutos do PSD;

3- Apreciação e definição do perfil do candidato a Presidente da Câmara Municipal de Barcelos a partir de proposta da Comissão Política de Secção, nos termos do Artigo 53º dos Estatutos do PSD.”

PSD Barcelos emite comunicado sobre demissão de Bruno Torres

Março 16, 2021 em Atualidade, Concelho, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

Em comunicado enviado às redações, e assinado por António Lima, o PSD Barcelos, pronuncia-se sobre a demissão de Bruno Torres.

Leia o comunicado aqui na íntegra:

“Como é do conhecimento geral, o Presidente da Comissão Política (CP) do PSD Barcelos, Bruno Torres, apresentou a sua demissão no passado dia 8 de março. Estas decisões são individuais e cumpre-nos, natural e democraticamente, aceitá-las e respeitá-las, pelo que agradecemos o trabalho até aqui desenvolvido, na certeza plena que connosco irá continuar a colaborar para que o PSD Barcelos atinja os resultados pretendidos.

Estas alterações motivaram uma reorganização na Comissão Política, reorganização essa que decorreu com a maior ponderação, serenidade e responsabilidade, conforme o tempo e a situação nos exigem.

Assim, dando cumprimento aos Estatutos do PSD, o membro da comissão política António Lima, até então 1.º Vice-Presidente, desempenha, desde 8 de março, as funções de Presidente da Comissão Política do PSD Barcelos.

Mariana Carvalho mantém-se na vice-presidência do partido. Por proposta da direção, a CP deliberou, ainda, que António Brito e Paula Belchior desempenharão respetivamente as funções de Vice-presidente e de Tesoureiro da CP.

Dada esta nota informativa, acresce referir que o PSD Barcelos está empenhado no objetivo de vencer a Câmara Municipal de Barcelos. O caminho a percorrer será feito com seriedade, com ética e com muita dedicação. Iniciámos o contacto com as freguesias, no sentido de formar as melhores equipas. Reiteramos a nossa total confiança nos Presidentes de Junta eleitos, e às suas equipas, no sentido de apoiar a sua recandidatura.”

O comunicado termina com a indicação que muito em breve será anunciado o candidato à Câmara Municipal.

Fonte: PSD Barcelos

PSD Barcelos lança plataforma, com os apoios disponíveis no âmbito do COVID-19

Fevereiro 25, 2021 em Atualidade, Concelho, Economia, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

O PSD Barcelos cria um plataforma online, onde compila todos os apoios disponíveis para familias e empresas no âmbito da pandemia de COVID-19.

O impacto do COVID-19 nas famílias e empresas portuguesas é muito substancial, nesse sentido as medidas de apoio representam muitas vezes uma luz ao fundo do túnel.

O PSD Barcelos considera “que tem sido deficiente a divulgação e apoio na implementação das medidas disponíveis. Nesse sentido, lança esta plataforma de apoio com a compilação das medidas disponíveis. A mesma estará em constante atualização.”

Aproveita para reforçar que “uma vez mais se verifica a necessidade de ser criada a Agência para o Investimento em Barcelos, que promova o empreendedorismo, facilite a fixação de empresas e divulgue medidas de incentivo empresarial.”

Pode consular as medidas em www.psdbarcelos.pt

Fonte|Foto: PSD Barcelos

1 2 3 10
Ir Para Cima