Tag archive

Rodrigo Amaral

Festival do Rio 2018 apresentado ontem

Julho 14, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Com Barcelos e o Rio Cávado como pano de fundo, realizou-se, ontem à noite, a cerimónia de apresentação do Festival do Rio 2018, que decorre a 28 de julho, e não só.



No mesmo palco onde ser realizará o referido Festival de Folclore, com as bandeiras dos países dos grupos convidados, tendo em frente os guias, Paulo Lopes (Presidente do Grupo Folclórico de Barcelinhos) explicou, sucintamente, alguns pormenores do programa para 15 dias de muito folclore nacional e internacional. Na mesa, a fazer-lhe companhia, estiveram Armandina Saleiro (Vereadora da Câmara Municipal de Barcelos), José Rui Peixoto (Presidente da Junta de Freguesia de Barcelinhos), Rodrigo Amaral e Maria José Amaral (Presidentes Honorários do Grupo Folclórico de Barcelinhos).

Assim, no dia 24 de julho será feita uma primeira apresentação, com dois grupos, no Jardim das Barrocas. Aliás, neste mesmo Jardim, a 25, 27 e 29 de julho, atuarão dois grupos por dia. Na quinta-feira que precede o Festiva, realiza-se o “Porto de Honra”, que é um “ato simbólico”, quando “começa verdadeiramente o Festival”, salientou Paulo Lopes.

Na sexta-feira, à imagem de em edições anteriores, os grupos deslocam-se a Alheira, seguindo-se, no sábado, a grande gala, o Festival propriamente dito, no palco montado nas margens do rio, “empoleirado” por cima dele.

De seguida, na segunda-feira, os grupos começam a ir embora e chegam outros para atuarem na Feira de Artesanato. Logo no dia 3 de agosto, na abertura, atuam o grupo de Taiti, o da Rússia e o do Chile; no dia 6, o da Sérvia e o da República Checa; no dia 7, atuam os grupos da Argentina e da Guiné-Bissau; por fim, no dia 9, atuam os grupos da Polónia e da Colômbia.

Em suma, serão cerca de 600 pessoas, de 17 grupos, que, num espaço de 15 dias, passarão por Barcelos.

Imagem: retirada de vídeo da RB.

 

Misericórdia de Barcelos comemora 518 anos reconhecendo mérito de quem serviu e serve a Instituição

Maio 23, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

“A Santa Casa da Misericórdia de Barcelos orgulha-se da sua história e reconhece o mérito de todas as mulheres e de todos os homens que serviram a Misericórdia de Barcelos, enquanto membros dos Órgãos Sociais, Irmãos e Colaboradores da Instituição”, frisou o Provedor Firmino Silva, na sessão solene que marcou o início das comemorações dos 518 anos da Instituição.



Esse mérito foi reconhecido igualmente no presente, nomeadamente com a homenagem aos colaboradores que completaram 15, 20, 25, 30 e 40 anos de relevantes serviços prestados à instituição, assim como ao membro dos órgãos sociais, Rodrigo Amaral, a quem foi entregue a medalha e o diploma de Irmão Honorário pelos 39 anos de trabalho voluntário em prol da Santa Casa.

“O nosso passado e o nosso presente obriga-nos a que tenhamos que projetar o futuro. Uma das preocupações sempre presente será a da sustentabilidade económica da instituição, sendo a valência da infância a que mais nos inquieta”, explicou o Provedor, que ainda apontou como prioridade a necessidade de intervenções de fundo, de remodelação e requalificação, que alguns equipamentos reclamam. Nesse sentido, “estamos a preparar uma candidatura ao Norte 2020, para a requalificação do Lar da Misericórdia, aumentando a sua capacidade de 38 para 43 camas”.

Em representação do Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, esteve o vereador José Beleza, que realçou o “sentimento de gratidão que a comunidade tem de ter para com a Santa Casa”. Mais, declarou que “o futuro será de confiança porque a história de Barcelos confunde-se com a da Santa Casa” pois o peso da instituição é tal que “Barcelos e a Santa Casa estão sempre de braços dados”. Por isso, a Câmara mantém a sua disponibilidade de parceria.

Deputado ao Parlamento Europeu interveio sobre “Economia Social e Fundos Europeus”

Outro momento da cerimónia foi a intervenção do Eurodeputado José Manuel Fernandes, que interveio com uma palestra sobre “Economia Social e Fundos Europeus”, onde deu conta de que existem outras oportunidades para além das subvenções, de realizar candidaturas ou apresentar projetos a instrumentos financeiros, ou seja, a possibilidade de realizar empréstimos a taxas de juro reduzidos.

Reconheceu, ainda, o papel fundamental das Misericórdias, que são um “excelente parceiro e uma mais-valia. Fazem um trabalho verdadeiramente notável. Na economia social, a inovação, a investigação, os instrumentos financeiros e novos serviços vão ser uma necessidade e aí, as Misericórdias deverão estar na linha da frente”.

Garantiu, ainda, que seria “essencial que existisse uma estrutura que aconselhasse o investimento e que desse apoio técnico” às instituições que se candidatassem a fundos comunitários.

Concluiu, afirmando que “temos de nos preparar, organizar, estar juntos e unidos para vencermos os desafios, aproveitarmos as oportunidades e caminharmos com um objetivo onde se pretende alcançar um crescimento inteligente, um crescimento com inovação e sustentável. A sustentabilidade económica, ambiental e social é uma questão de solidariedade para com as gerações futuras”.

De realçar que a cerimónia solene foi antecedida de uma missa, presidida pelo Arcipreste de Barcelos, P.e. José Araújo, concelebrada pelo Prior de Barcelos e Capelão da Misericórdia e animada pelo Coro de Barcelos.

Próximos eventos dos 518 anos

O programa comemorativo prossegue no próximo dia 29 de maio, pelas 21h30, no auditório da Misericórdia de Barcelos, com uma palestra subordinada ao tema “A linguagem religiosa num mundo secular”, proferida pelo Frei Hermano Filipe Rodrigues.



No dia 31 de maio, pelas 10h00, haverá uma missa comemorativa do Dia Nacional das Misericórdias e , pelas 21h30, um sarau musical pela Orquestra da Banda de Oliveira, na igreja da Misericórdia.

No encerramento, dia 8 de junho, pelas 21h30, no auditório da Misericórdia de Barcelos, será lançado o III volume da obra “Apontamentos para a História de Barcelos”, de António Miguel da Costa Almeida Ferraz, proferida pelo Prof. Doutor P.e António Júlio Trigueiros. Também haverá lugar a um momento musical pelo Quinteto da Banda Musical de Oliveira.

Fonte e fotos: SCMB.

Eurodeputado José Manuel Fernandes coloca Misericórdias na linha da frente para vencer o desafio do envelhecimento da população

Maio 22, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

O Eurodeputado José Manuel Fernandes, eleito para o Parlamento Europeu pelo Partido Social Democrata, onde se encontra desde 2009, integrando o grupo parlamentar do Partido Popular Europeu, marcou presença nas comemorações dos 518 anos da Santa Casa da Misericórdia de Barcelos, que se realizaram no passado fim de semana.



José Manuel Fernandes acredita que as instituições particulares de solidariedade social, e de modo especial as Misericórdias, estão na linha da frente para ajudar a vencer um dos grandes desafios que a União Europeia tem pela frente: fazer face ao cada vez maior envelhecimento da população da população europeia.

Na sessão solene de abertura das comemorações, o Eurodeputado sublinhou o empreendedorismo das IPSS, num “trabalho essencial para o bem estar e o progresso social”, valorizando “a matriz cristã da identidade europeia e dos nossos valores, onde é fundamental a dignidade humana”.

“Na caminhada da vida, não podemos deixar ninguém para trás”, defendeu, numa cerimónia onde a Misericórdia liderada pelo provedor Firmino Silva homenageou o Irmão Rodrigo Amaral e os funcionários com 15, 20, 30 e 40 anos de casa.

Enaltecendo o esforço na procura de “novas soluções e superando dificuldades e limitações para poderem ajudar os outros”, José Manuel Fernandes anotou que “as IPSS, e de modo particular as Misericórdias, vão muito além do crescimento inteligente e sustentável, ao assumirem um papel insubstituível no crescimento inclusivo”.

Convidado a falar sobre “Economia Social e Fundos Comunitários”, o Eurodeputado salientou os recursos de apoio à “investigação para a inovação social e a criação de novos serviços, de forma a assegurar mais igualdade, qualidade de vida e valorização das diferentes gerações no seio das comunidades”.

Para além dos programas com verbas comunitárias geridos, nacionalmente, no âmbito do Portugal 2020 – através do qual o país recebe mais de 11,5 milhões de euros por dia no período 2014 a 2020 –, José Manuel Fernandes chamou a atenção para programas geridos, centralmente, pela Comissão Europeia, nomeadamente o Horizonte 2020 para a investigação (ao abrigo dos Desafios Societais) e o ‘EaSi’ (para o emprego e a inovação social).

Deixou, ainda, o desafio para candidaturas a instrumentos financeiros que funcionam através de empréstimos a juros mais baixos e que constituem recursos de alavancagem ao investimento, como acontece com o Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos – mais conhecido como Plano Juncker.

José Manuel reconheceu os recursos humanos de excelência que estão ao dispor da Misericórdia de Barcelos, assim como a disponibilidade de “dirigentes que dão o máximo para servir os outros”. Mas advertiu que nem sempre as IPSS têm condições técnicas para aceder a fundos importantes para cumprir, muitas vezes, requisitos impostos pela Administração Central para o cumprimento de normas, em serviços da responsabilidade do próprio Estado.

Por isso, defendeu a necessidade de serem criadas estruturas para apoio e aconselhamento técnico, uma função que deveria ser assumida também pela CCDR-N.

“São ferramentas essenciais para pôr em prática a solidariedade e a caridade, na luta contra a pobreza, a exclusão e as desigualdades sociais”, sustentou José Manuel Fernandes, lembrando que, dos 26 mil milhões de euros de fundos europeus atribuídos a Portugal para o período 2014 a 2020, no final do ano passado estavam autorizados 14 mil milhões, mas apenas estavam executados menos de 6 mil milhões para projetos de investimento.

Fotos: DR.

Misericórdia de Barcelos comemora 518 anos com vasto programa de atividades

Maio 15, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura port barcelosnahorabarcelosnahora

A Santa Casa da Misericórdia de Barcelos está a celebrar 518 anos de existência e iniciará as comemorações já no próximo domingo, dia 20 de maio, pelas 17h00, na Igreja da Misericórdia, com uma Eucaristia Solene, participada pelo Coro de Barcelos. Segue-se a Cerimónia Solene, com os discursos protocolares e homenagens a colaboradores e ao Irmão Honorário Rodrigo Amaral.



Na terça-feira, dia 29 de maio, pelas 21h30, no Auditório da Misericórdia, as cerimónias prosseguem com uma palestra  sobre “Humanização dos Serviços”, subordinada ao tema «A Linguagem Religiosa num mundo secular», proferida pelo Frei Hermano Filipe Rodrigues.

No dia 31 de maio, na Igreja da Misericórdia, haverá uma Missa comemorativa do Dia Nacional das Misericórdias.

Já em junho, sexta-feira, dia 8, pelas 21h30, no Auditório da Misericórdia, haverá o lançamento do III Volume da obra “Apontamentos para a História de Barcelos”, de António Miguel da Costa Almeida Ferraz, proferida pelo Prof. Doutor Pe. António Júlio Trigueiros. Este é o 3º de 11 volumes. Também haverá lugar a um momento musical pelo Quinteto da Banda Musical de Oliveira.

As comemorações encerram no sábado, dia 9 de junho, pelas 21h30, na  Igreja da Misericórdia, com um Sarau Musical pela Orquestra da Escola de Música da Banda de Oliveira.

Estas iniciativas estão abertas à comunidade, a quem a Misericórdia de Barcelos apela à participação. “É sempre importante para a Misericórdia de Barcelos esta interação com a comunidade numa data tão especial como esta”, refere em nota.

Fonte e imagem: SCMB.

Rodrigo Amaral e Avelino Mesquita homenageados no Dia da Cidade

Setembro 1, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Política port barcelosnahorabarcelosnahora




Rodrigo Amaral e Avelino Mesquita foram agraciados com a Medalha de Mérito Cultural, grau prata, da Câmara Municipal de Barcelos, na cerimónia de comemoração do 89º Aniversário da Elevação de Barcelos a Cidade, que se realizou ontem de manhã, dia 31 de agosto, no Auditório dos Paços do Concelho.

Esta distinção foi atribuída a Rodrigo Amaral, pelo contributo “em prol do folclore, bem como da preservação e difusão do património cultural nacional e local”; no caso de Avelino Mesquita, por ter tido“ uma presença assídua na imprensa regional e local, sendo autor de obras nas áreas da poesia e do teatro. A par destas atividades teve um papel determinante no associativismo local, designadamente nas áreas do desporto e da cultura”.

Depois da cerimónia do hastear da bandeira, foram entregues as medalhas aos cidadãos condecorados. Primeiro, foi a vez da esposa do Sr. Rodrigo Amaral receber a medalha das mãos do Sr. Presidente, uma vez que o homenageado não pôde comparecer por motivos de saúde. Em sua representação, Maria José agradeceu todo o apoio do executivo municipal ao Grupo Folclórico de Barcelinhos e a condecoração atribuída ao seu marido.

Seguiu-se a atribuição da medalha a Avelino Mesquita, que agradecendo a distinção, enalteceu a sua terra e os baluganenses que “tudo têm feito para valorizar Balugães”.

Por sua vez, o Presidente da Câmara, Miguel Costa Gomes, elogiou o papel relevante que os homenageados têm tido “na área da cultura e no movimento associativo do concelho”, nomeadamente “ao Sr. Rodrigo Amaral, pelo seu empenho no associativismo e, dentro dele, na promoção das nossas mais profundas tradições culturais, com o folclore”; e “ao Sr. Avelino Mesquita, homem de cultura e autodidata que, através da sua obra e da sua participação no dinamismo associativo local, nos mostra uma grande força de viver e um otimismo contagiante”. O autarca concluiu, expressando “a estes dois barcelenses, o meu mais profundo respeito e reconhecimento, agradecendo tudo quanto fizeram por Barcelos e pelos barcelenses”.

A cerimónia de atribuição das Medalhas de Mérito Cultural, integrada nas Comemorações do Dia da Cidade, teve início nessa manhã com a Cerimónia Protocolar do Hastear da Bandeira, no Largo do Município. No entanto, o programa de comemorações começou na passada sexta-feira, dia 25, com oficina de dança; no dia 28, com oficina de cordofones; e ontem, oficina de percussão.

As comemorações prosseguiram com várias intervenções musicais um pouco por toda a cidade, tendo o seu ponto alto com o espetáculo musical “Terreiro dos Sons”, que contou com a participação de diversas associações do concelho; e encerraram com um Baile no Terreiro, dinamizado pela Associação Coreto.

De realçar, ainda, a revelação do Prémio Literário do Município de Barcelos 2017, que foi atribuído a Inês Martins de Faria, com o trabalho “Menina Entre Dois Azuis”, na modalidade de ficção.

O Prémio Literário do Município de Barcelos vai na sua 9ª edição e foi, de acordo com o Município, “criado com o objetivo de criar condições para o aparecimento de novos valores, de incentivar a produção literária e de estimular o gosto pela escrita, contribuindo-se, deste modo, para a defesa e enriquecimento da Língua Portuguesa”. O prémio consiste na publicação da obra.

Fonte e fotos: CMB.

Barcelos comemora amanhã 89 anos de elevação a cidade

Agosto 30, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

No próximo dia 31 de agosto, quinta-feira, a cidade de Barcelos vive uma data histórica, ao celebrar 89 anos de elevação à categoria de cidade.



Barcelos tornou-se cidade em 1928, ficando constituída pelos aglomerados urbanos das freguesias de Barcelos, Barcelinhos e Arcozelo.

Foi o Governo saído da Revolução de 28 de maio de 1926, liderado pelo general José Vicente de Freitas, com António de Oliveira Salazar e José da Silva Monteiro, respetivamente, como ministros das Finanças e da Justiça, que decidiu atribuir o estatuto de cidade à velha vila de Barcelos, pondo fim a um longo processo de luta pela dignificação de Barcelos e das suas gentes. À frente do Município estava, à época, o Capitão Francisco Caravana.

Em 1928, Barcelos tinha pouco mais de 50 mil habitantes. Quase nove décadas volvidas, o concelho cresceu e é hoje o município português com maior número de freguesias e uma população que ultrapassa os 120 mil habitantes.

Para assinalar o 89º aniversário, a Câmara Municipal de Barcelos associou-se ao Terreiro dos Sons e preparou um programa com um vasto conjunto de iniciativas, para todos os gostos, dedicadas à identidade e cultura local. De 25 a 31 de agosto, diversas artes estarão em comunhão: dança, música, canto, artesanato, cinema e outras artes, baseadas na oferta local.

Assim, a Oficina de Dança será dinamizada pela Associação Coreto, que contará com a participação de grupos folclóricos e de danças e cantares de Barcelos. Serão partilhadas danças tradicionais portuguesas e de outras regiões do mundo.

A Coreto é uma associação cultural, sem fins lucrativos, que tem por objetivo a promoção e divulgação de artes e culturas tradicionais originárias de todo o Mundo. Nasce de uma paixão pela música e danças tradicionais e do desejo de levar esta paixão a mais pessoas e lugares. A Coreto também tem a intenção de aprofundar o conhecimento pela cultura e artes de várias comunidades, pelas suas tradições, usos e costumes, pelos seus princípios e valores; e de os colocar e vivenciar de forma integradora na nossa contemporaneidade, com base em princípios e valores de partilha, integração e solidariedade.

Já a Oficina de Cordofones terá a dinamização de Daniel Pereira Cristo, músico e estudioso dos cordofones tradicionais, que irá explorar as sonoridades e as particularidades dos instrumentos ancestrais da tradição minhota, do cavaquinho à braguesa, passando pelo bandolim.

Na Oficina de Percussão será Mário Gonçalves, Educador na World Music School Helsinki e Professor de Bateria e Percussão no Círculo Arte e Recreio, músico e estudioso percussionista, que fará uma abordagem dos instrumentos de percussão tradicional, abordando temas que vão desde a manutenção dos instrumentos, às várias dinâmicas e conjugações rítmicas.

Na Sessão Solene do 89º Aniversário da Elevação de Barcelos a Cidade, com início marcado para as 10h30, após o hastear da bandeira, será atribuída a Medalha de Mérito do Município de Barcelos a Rodrigo Carlos da Cruz Amaral.

Em nota enviada a este jornal, o Município explica que “o folclore tem as suas raízes nos costumes e tradições mais profundas dos povos, transmitidas de geração em geração. Dada a importância que o folclore tem assumido ao longo dos tempos levou a UNESCO a declará-lo como sinónimo de cultura popular, em virtude de representar uma identidade social de uma comunidade através de criações culturais, coletivas e individuais, constituindo deste modo a essência da cultura das nações.

À semelhança dos demais países, Portugal também tem tido um papel preponderante na promoção e divulgação deste património cultural, identificativo de um povo. Esta promoção e divulgação tem sido levada a efeito por inúmeros grupos de folclore, bem como pela Federação do Folclore Português, onde importa destacar o papel levado a cabo pelo cidadão barcelense Rodrigo Carlos da Cruz Amaral.

Dado o contributo deste cidadão em prol do folclore, bem como da preservação e difusão do património cultural nacional e local, é justo o seu reconhecimento pelo trabalho desenvolvido na criação e consolidação do «Festival de Folclore do Rio», que veio a assumir uma dimensão internacional e que no corrente ano, já vai na sua 37.ª edição. Este reconhecimento é extensível à sua participação nos órgãos diretivos do Grupo Folclórico de Barcelinhos, ao longo das últimas décadas, para além do papel determinante na criação da Federação de Folclore Português, onde foi conselheiro. Acresce, ainda, realçar a sua vastíssima participação e colaboração no movimento associativo local.

Com este reconhecimento, pretende ainda o Município de Barcelos louvar o papel promovido pela Federação de Folclore Português, no concelho de Barcelos, aquando da celebração do seu 40.º aniversário”, refere a dia nota de imprensa.

Também a Avelino Mesquita será atribuída Medalha de Mérito do Município de Barcelos.

Na referida nota, o Município salienta que “foi apresentada pela Junta de Freguesia de Balugães e pelas associações baluganenses uma proposta de atribuição ao escritor Avelino Mesquita, da Medalha de Mérito Cultural, grau de Prata, da Câmara Municipal de Barcelos.

A proposta tem subjacente o facto deste cidadão, enquanto escritor, ter tido, ao longo dos tempos, uma presença assídua na imprensa regional e local, sendo autor de obras nas áreas da poesia e do teatro. Das publicações efetuadas importará destacar as seguintes: ‘O Dente de Ouro’; ‘Aquém do Neiva’ e ‘Balugães a sua história, as suas gentes’ (em co-autoria).A par destas atividades, teve um papel determinante no associativismo local, designadamente nas áreas do desporto e da cultura”.

Pelas 17h00, no Centro Histórico, Geronyom apresentará Hang-Handpan, uma performance musical utilizando o instrumento musical mais inovador do século XXI: Hang – Handpan. Fidel, percussionista e exímio tocador de Djambé, realizará uma performance musical de percussão que transportará o público à África subsariana. Já Jorge Picas, da Vamos a Isso – Associação de Desporto e Cultura, vai oferecer uma performance musical de percussão reinventada, utilizando instrumentos de percussão feitos a partir de materiais recicláveis.

À noite, pelas 21h30, no Largo do Município, realiza-se o espetáculo musical Terreiro dos Sons, numa parceria entre o Município e a Terreiro dos Sons, que contará com a participação de diversas associações do concelho.

Finalmente, pelas 23h00, realiza-se o Baile no Terreiro, dinamizado pela Associação Coreto, trazendo novamente as danças tradicionais ao terreiro para um verdadeiro convívio entre as associações e o público barcelense.

As associações e grupos participantes serão A Capoeira, ZOOM, ACOBAR, Associação d’Improviso, Banda Musical de Oliveira – Sons do Barro – Quinteto de Cordas, Círculo Católico – Galos Gaiteiros, Grupo de Cantares da Cruz Vermelha Portuguesa – delegação de Campo, Grupo de Danças e Cantares de Aldreu, Grupo de Danças e Cantares de Barcelos, Grupo Folclórico de Barcelinhos, Grupo Folclórico de S. Lourenço de Alvelos, Rancho Folclórico de Carapeços, Ronda Típica da Associação de Moradores do Bairro da Misericórdia e Vamos a Isso – Associação de Desporto e Cultura.

Fonte e imagens: CMB.

Ir Para Cima