Tag archive

Rotary Club de Barcelos

Rotary Club de Barcelos – Plano de ação

Agosto 2, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Rotary é uma organização de Líderes de negócios e profissionais, unidos no mundo inteiro, que prestam serviços humanitários, fomentam um elevado padrão de ética e ajudam a estabelecer a paz. Todos os Clubes Rotários partilham um objetivo fundamental que consiste em realizar projetos de âmbito local, nacional e mundial.



Este ano em particular, devido à conjuntura provocada pela COVID-19, que trouxe impactos a nível pessoal e profissional para todos nós, é um desafio para o Rotary e para quem lidera um grupo rotário, tendo obrigado a um reajuste no planeamento do Ano Rotário 20/21, o qual vai ser delineado à medida da necessidade local.

Porém, em traços gerais, pretendemos manter projetos do Rotary Internacional como a Erradicação da Poliomielite, através da Campanha de recolha de fundos para vacinação “End Polio Now”, a Cegueira Evitável e atuar na nova área de foco do Rotary que é o Meio Ambiente, tendo já realizado uma Palestra/reflexão sobre a situação ambiental na nossa comunidade, no passado dia 28/07/2020, Dia Mundial da Conservação da Natureza, que se realizou com a colaboração da associação Amigos da Montanha.

A nível Distrital, é intenção participar em projetos com outros Clubes como é o caso do Jardim de Infância em Cacheu, Guiné-Bissau, e a organização do RYLA (Prémios Rotary de Liderança Juvenil).

Localmente, pretendemos apoiar jovens estudantes, desempregados e famílias afetadas pela conjetura; impulsionar programas já existentes no Clube como a cedência de cadeiras de rodas a famílias ou instituições; concluir projetos de anos transatos; e organizar seminários, conferências e palestras sobre temas da atualidade e formação rotária.

Não permitiremos que a pandemia nos domine. Na verdade, a história mostra que os Rotários são visionários e procuramos o ideal em que todos vivam num mundo melhor. Ao mesmo tempo, somos resilientes e capazes de resistir a desafios.

Aproveitemos, então, as oportunidades e da adversidade criaremos vantagens, pois é neste tempo que o Rotary pode intervir e a comunidade mais irá necessitar da nossa participação.

É o que iremos fazer, pois somos pessoas de ação e não temos tempo a perder.

O Rotary Abre Oportunidades!

Por: Manuela Briote* – Presidente do Rotary Club de Barcelos (2020-2021).

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Manuela Briote (Rotary) e Joel Silva (Rotaract) recebem a “Tarefa” de presidir os seus Clubs

Julho 2, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Transmissão de Tarefas decorreu em ambiente emotivo e seguro

Na noite da passada terça-feira, dia 30 de junho, a sala do Hotel Bagoeira recebeu mais uma Transmissão de Tarefas do Rotary Club de Barcelos e do Rotaract Club de Barcelos. A cerimónia foi muito mais contida e contou com muito menos participantes do que o habitual, devido aos condicionalismos inerentes da pandemia COVID-19.



A noite foi repleta de momentos cerimoniais e de muita emoção. Os pontos altos, de forma cronológica, foram a entrega dos Certificados de Agradecimento do Club de Barcelos ao Bagoeira – recebido por um dos seus funcionários – e ao Barcelos na Hora – recebido pelo seu Diretor, Pedro Soares de Sousa; os discursos de término de mandato de Cláudia Santos – Past Presidente do Rotary – e de Francisca Henriques – Past Presidente do Rotaract; assim como, das Transmissões de Tarefas e dos primeiros discursos, enquanto Presidentes, de Manuela Briote (Rotary) e de Joel Silva (Rotaract).

Instada a expressar o que sentiu no momento em que recebeu a Tarefa de presidir ao Club barcelense, Manuela Briote salienta que “um clube Rotário é um clube de profissionais ativos, envolvidos em projetos que criem oportunidades de servir, dentro dos valores de humanismo de Rotary. Ser Rotário é estar comprometido com a sua comunidade. Ser Rotário é potenciar mudanças duradouras na sua comunidade e no mundo, com vista a uma melhoria das condições de vida das populações, em áreas de enfoque tão distintas como: a Paz e Resolução de Conflitos, a Prevenção e Tratamento de Doenças, a Água Potável e Saneamento, a Saúde Materno-Infantil, a Educação Básica e Alfabetização, o Desenvolvimento Económico e Comunitário e a Defesa do Meio Ambiente. Ser Rotário é ‘Dar de Si antes de Pensar em Si’.” Mais precisamente sobre esse momento, “a Transmissão de Tarefas é um dos momentos mais importantes do Ano Rotário. Neste ano Rotário, cabe-me a mim a Responsabilidade e a Honra de assumir a função de Presidente do Rotary Club de Barcelos”.

A nova “timoneira” do Club deixa umas palavras sobre a Presidente cessante, Cláudia Santos, que “deixa um legado que faz aumentar a minha responsabilidade. Foi uma Presidente que teve a capacidade de liderar com o coração e a razão, sempre com uma mensagem positiva. Mesmo em tempo de contingência, conseguiu que o Club reunisse online, fez palestras e angariação de fundos para diversas organizações, apoio na aquisição de material hospitalar, distribuição de máscaras e desinfetantes”.

Já sobre o mandato rotário, a responsável afirma saber “que o ano que agora inicio será um Ano diferente, com adversidades e contingências, mas também sei que os Rotários são pessoas de Ação, e que, com a ajuda e colaboração dos meus companheiros e da minha equipa (Secretário: Francisco Cardoso e Tesoureiro: Marcelino Mota), que integram o quadro diretor, com o Protocolo Henrique Santos e Protocolo Digital Miguel Henriques, bem como com a nossa Past Presidente Cláudia Santos, vamos conseguir trabalhar mais e melhor em prol daqueles que mais precisam”, sendo que neste ano, pretende “dar continuidade ao trabalho que o Club tem vindo a desenvolver, em especial, terminar a concretização de alguns projetos do Club junto da comunidade local, bem como, apoiar o Projeto Girassol, a construção de um jardim de Infância em Cacheu na Guiné Bissau. Acredito que podemos fazer a diferença e Abrir Oportunidades”.

Finalmente, sobre o lema do Ano Rotário 20/21: “O Rotary Abre Oportunidades”, Manuela Briote salienta que “acreditamos que os nossos gestos humanitários, grandes e pequenos, criam oportunidades para as pessoas que precisam da nossa ajuda. O Rotary cria oportunidades de liderança e dá aos associados a hipótese de viajarem pelo mundo para colocarem as suas ideias de serviços humanitários em prática e criar vínculos duradouros”.

Joel Silva, que agora preside aos desígnios dos jovens rotários do Rotaract Club de Barcelos, começa por referir que “primeiramente, quando me convidaram a ser Presidente, tive algum receio, tinha dúvidas, medos e incertezas, fiquei com um passo atrás. Mas conforme o tempo foi passando, fui ganhando, aos poucos, confiança em mim mesmo e com o incentivo e apoio de todos, decidi então aceitar este desafio de ser o Presidente do Rotaract Club de Barcelos”, tendo sentido esse mesmo apoio na Transmissão de Tarefas. “Sei que, enquanto Presidente inexperiente, posso contar com o apoio de todos para aquilo que for necessário. Isso deixa-me mais aliviado e, ao mesmo tempo, com vontade de exercer o meu mandato”, salienta.

Ainda sobre o momento da Transmissão de Tarefas, o responsável refere que, mesmo dentro de todas as restrições causadas pela pandemia, o momento superou as suas expectativas e já “sentia saudades” de um momento como esse. “Sendo este um encontro tão especial para a comunidade de Rotary e de Rotaract, era ainda mais especial para mim pois eu iria receber um cargo com muita importância. No momento da transmissão, senti-me (mais do que esperava) emocionado, feliz, um pouco nervoso, entusiasmado e ansioso. Foi, de facto, um momento muito bonito que eu irei, sem dúvida, guardar para sempre na memória. Apesar do cargo como Presidente, sinto-me, e sou, ainda novo na comunidade, ao contrário da presidente anterior. Daí que, agora como presidente e representante, espero conhecer e interagir ainda mais com a comunidade, conectar-me não só com um mundo, mas com aqueles à minha volta”. E falando destes, Joel Silva salienta que tem “a equipa de Rotaract, a minha querida, amigável, atenciosa e feliz equipa. Exceto a presidente anterior, Francisca Henriques, e outro membro do grupo, os restantes três eu não conhecia, mas ao longo do ano, adorei imenso conhecê-los e o tempo que estive com eles foi suficiente para perceber que eles são pessoas que me irão apoiar quando eu precisar porque, no final de contas, esta equipa é o maior apoio que tenho enquanto Presidente e, por isso, agradeço a todos os membros integrantes e, em especial, à ex-Presidente Francisca Henriques pelo excelente mandato feito no ano 2019-2020. Para ela, as minhas palavras não têm medida suficiente para demonstrar a minha gratidão. Quero, também, deixar um agradecimento, obviamente, ao Rotary Club de Barcelos, em especial à Mariana Ballester, que, de certa forma, atuava como porta-voz do Rotary e nos ajudou sempre que necessário”.

Como objetivos para o ano rotário do Club que agora preside, o jovem refere que “passam, neste momento, por manter e dar continuação aos projetos anteriores e, sobretudo, na captação de novos membros. Temos, igualmente, alguns projetos em mente, mas não posso adiantar muito devido à incerteza causada pela situação pandémica em que vivemos”.

De uma forma mais intrínseca, Joel Silva sente-se motivado e entusiasmado “para fazer algo em prol do bem da comunidade, neste ano mais difícil devido à pandemia, tornando o desafio maior. Mas considero que o Rotaract conseguirá fazer aquilo que sempre fez e encontro-me confiante acerca disso”, conclui.

Fotos: DR.

Rotary e Rotaract de Barcelos transmitem mandatos a 30 de junho

Junho 13, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

No próximo dia 30 de junho, o restaurante Bagoeira recebe mais uma cerimónia de Transmissão de Mandatos dos Clubs barcelenses.



A partir das 20h15, o Rotary Club de Barcelos faz a sua transmissão de mandato para o ano rotário 2020-2021.

De igual forma, o Rotaract Club de Barcelos, os mais jovens rotários, também farão a sua transmissão para o mesmo ano rotário.

Imagens: DR.

Fibromialgia como tema central de videoconferência organizada pelo Rotary de Barcelos e FIBRO

Maio 16, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Tom Hennessy, em 1993, designou o dia 12 de maio como o Dia Internacional da Sensibilização para as Doenças Crónicas Imunológicas e Neurológicas.



Esta data foi escolhida para lembrar o aniversário de Florence Nightingale, uma enfermeira inglesa do exército britânico que melhorou a assistência médica e fundou a primeira Escola de Enfermagem, mas que se tornou uma doente crónica afligida por esta doença, e acamou nos últimos 50 anos da sua vida, pois muitos dos seus sintomas eram semelhantes, e seriam mais tarde identificados como da Fibromialgia e do Síndrome de Fadiga Crónica / Esclerose Múltipla.

Em anos anteriores, este dia foi comemorado em instalações próprias para a comemoração destes dias e sempre com dezenas de convidados. No entanto, e de acordo com as normas da DGS, o evento não se pôde realizar este ano, dadas as circunstâncias de pandemia mundial provocada pelo COVID-19.

“Mas seria impensável deixar este dia em branco”, refere Jorge Mandim, Presidente da FIBRO – Associação da Fibromialgia.

Já Cláudia Santos, Presidente do Rotary Club de Barcelos, salienta que “já há alguns anos que o Rotary Club de Barcelos se associa à FIBRO para divulgar ações e formar a população relativamente a esta doença que é silenciosa e afeta a estabilidade de muitos de nós. Este ano, tudo estava preparado para uma grande celebração, mas fomos ‘desafiados’ por um vírus, de nome COVID-19, que nos levou a quase desistir da sua comemoração. Mas o ser humano é resiliente e adapta-se, mais cedo ou mais tarde, aos desafios que vão surgindo”.

Assim, o Rotary Club de Barcelos e a FIBRO viram na plataforma ZOOM e nas suas redes sociais uma oportunidade para a celebração.

Num evento inédito, adaptado à realidade atual, realizaram uma videoconferência, tendo como oradores: Vítor Seco (investigador), o Presidente da FIBRO, Jorge Mandim, e Paula Encarnação, consultora externa da FIBRO, professora-adjunta da Escola Superior de Enfermagem, da Universidade do Minho; e moderada por Cláudia Santos, Presidente do Rotary Club de Barcelos.

O evento online chegou a atingir 5230 visualizações e estendeu-se a nível nacional.

O primeiro palestrante a quem foi dada a palavra foi Vítor Seco, que alertou para o facto de que a fibromialgia é uma doença crónica. Nem sempre aceite por todos, mas reconhecida pela OMS. Uma doença que, ao aparecer, transforma a vida familiar do doente envolvido. Neste momento, devido ao COVID-19, existe uma diminuição da qualidade de vida do doente, associada ao confinamento, onde é importante o auxílio da família e dos amigos. É importante a forma como se comunica com estes doentes, pensar positivo é fundamental.

No final, deixou a mensagem de que “ter um comportamento de dádiva, privilegiar a compreensão e amar o próximo incondicionalmente, vai ser determinante nas nossas vidas, doentes ou não, pois isso vai-nos ajudar a sermos melhores e mais felizes”.

O segundo palestrante foi Jorge Mandim, Presidente da FIBRO, que caracterizou a doença, explanando tudo o que a Associação faz em prol destes doentes. Orientando, protegendo e zelando pelos seus interesses. Um apoio imprescindível nos dias de hoje. Falando dos muitos protocolos que a associação tem em prol do benefício dos seus associados. Lembrou, também, o Dia do Enfermeiro, que tanto apoia em todas estas lutas, deixando um bem-haja a todos.

A terceira palestrante, Paula Encarnação, iniciou com informação sobre o vírus COVID-19, de como ele se instala e o que provoca no organismo humano.

Alertou para a importância do uso das máscaras, como as usar e desinfetar caso não sejam de utilização única. Ajudou, também, os doentes a distinguir os sintomas da doença da fibromialgia e os do COVID-19, visto alguns serem iguais. É importante que os doentes com fibromialgia conheçam o seu corpo. “Foi uma delicia ouvir a forma como falou com todos os ouvintes. Com uma voz doce e empática, transmitiu a importância do pensamento positivo, para que nos possamos afastar do medo e pânico, que normalmente se instala, durante o dia, em cada um de nós, conforme os desafios se nos apresentam”, salienta Cláudia Santos.

Terminou, contando uma história intitulada de “A ilha dos sentimentos”, um conto onde impera o amor e a generosidade e de leitura aconselhada.

Por fim, a Presidente do Rotary Club de Barcelos encerrou a palestra, agradeceu aos palestrantes pela palestra elucidativa. Agradeceu aos companheiros do seu e de outros clubes rotários, assim como aos doentes com fibromialgia, alertando-os para a importância de se associarem à FIBRO, para estarem acompanhados nesta luta. E a todos os ouvintes, desejou, em nome do clube, “saúde e dias repletos de momentos felizes, conectando assim o Mundo com Amor”

“Podemos dizer que esta iniciativa foi um êxito, não só pelas visualizações que teve, mas também pelas palavras de carinho que iam sendo escritas nos comentários pelos participantes”, refere Jorge Mandim.

A título de exemplo, eis alguns desses comentários: «Belíssima iniciativa. Felicito a parceria Rotary, e FIBRO, mais uma prova de que ‘Juntos somos mais fortes'”. “A forma inteligente, tranquila e conhecedora dos palestrantes foi uma constante. BEM-HAJAM pela partilha.” “*****O amor move montanhas*****” e “Boa noite a todos e parabéns pela iniciativa, que demonstra que o Rotary Club de Barcelos e a FIBRO não se deixam parar por esta pandemia e confinamento! Muito bem!!»

FIBRO e Rotary de Barcelos celebram Dia Mundial da Fibromialgia a 12 de maio

Maio 10, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Na próxima terça-feira, dia 12 de maio, pelas 21h30, a FIBRO – Associação Barcelense de Fibromialgia e Doenças Crónicas e o Rotary Club de Barcelos associam-se, novamente, para a celebração do Dia Mundial da Fibromialgia, com uma palestra online, em direto nas suas páginas de Facebook.



A palestra contará com o contributo de Paula Encarnação, da Escola Superior de Enfermagem da Universidade do Minho, de Victor Seco (moderador) e de Jorge Mandim, Presidente da FIBRO.

Pode assistir à palestra no Facebook da FIBRO (https://www.facebook.com/fibroassociacao/) ou do Rotary Club de Barcelos (https://www.facebook.com/RotaryBarcelos/).

A Fibromialgia e a COVID-19

É evidente que a situação de pandemia provocada pela COVID-19 tem impacto no doente fibromiálgico, independentemente dos problemas de saúde provocados por esta doença que assola o mundo.

A abrupta descida de rendimentos auferidos devido à paragem das atividades económicas, o aumento do desemprego, as inseguranças financeiras e sociais, que são elementos com impacto no bem-estar mental de uma pessoa considerada “normal”, são empolados num doente fibromiálgico devido à sua condição.

O distanciamento social, a informação constante, a propagação de notícias, falsidades e mitos, nas redes sociais, o contágio (ou o medo de contágio), o falecimento de familiares e amigos, são múltiplos os fatores que contribuem para um estado de saúde mental mais frágil, aumentando os níveis de ansiedade e de stress, com consequente impacto nos sintomas da fibromialgia.

A nível de saúde física, o encerramento de ginásios, piscinas, centros de fisioterapia e de reabilitação, a suspensão de atendimentos presenciais, adiamento de consultas médicas, suspensão de Juntas Médicas, etc. também impactam, negativamente, em todos os aspetos físicos e cognitivos, em muitos casos acelerando a evolução da doença, como por exemplo, aumento da rigidez das articulações e da fadiga muscular, com retrocesso na qualidade de vida, e aumentando o risco de incapacidade e de  não  conseguir trabalhar.

A redução da força muscular é comum em pacientes com fibromialgia, limitando sua capacidade de realizar atividades diárias e aumentando o risco de incapacidade.

Segundo o Fórum Europeu das Pessoas com Deficiência “um terço dos doentes com incapacidade e deficiência em risco de pobreza e exclusão social”, salientando ainda que “é preciso salvaguardar que não ficam para trás. Isso é muito difícil, mas tem de ser feito. Sob pena de se comprometer mais uma geração de pessoas com deficiência”.

Impacto social e disseminação

Com as ações de sensibilização pretende-se que a comunidade desmistifique a fibromialgia. Valorizando as capacidades que os doentes fibromiálgicos possuem, promovendo uma sociedade inclusiva.

Informar e sensibilizar a comunidade para a problemática das dificuldades diárias e permanentes do doente crónico e fibromiálgico, através de ações de formação, junto de diferentes públicos-alvo, desmistificando crenças erradas sobre a doença, promovendo a esperança e diminuindo o estigma negativo da doença.

Pretende-se que os diferentes agentes envolvidos (familiares, profissionais de saúde, entidades empregadoras e outros agentes da comunidade) conheçam o mais possível o doente com DOR Crónica, garantindo a sua participação em igualdade de oportunidades.

A Fibromialgia foi reconhecida pela Organização Mundial de Saúde em 1992, com o código CID 10 – M79.7. Em Portugal foi reconhecida, em 2003 pela Direção Geral da Saúde através da Circular Informativa nº 27/DGCG de 03/06/2003; DGS-Direção-Geral da Saúde – NORMA Nº 017/2016 – 27/12/2016 –; Atualização 13/07/2017 – Abordagem Diagnóstica da Fibromialgia, para: Médicos do Sistema de Saúde.

Mas, o que é a Fibromialgia?

A Fibromialgia, segundo a Sociedade Portuguesa de Reumatologia, caracteriza-se “por queixas dolorosas neuromusculares difusas. Outras manifestações que acompanham também as dores são a fadiga, as perturbações do sono e os distúrbios emocionais”.

Quais são os sintomas?

Os seus sintomas variam de pessoa para pessoa, em termos de intensidade.

Estas manifestações podem variar em relação à hora e ao dia, com mais frequência de manhã, e agravam-se com a atividade física, mudanças climatéricas, a falta de sono e com o stress.

Outras alterações associadas a esta doença são: a fadiga, que normalmente se mantém ao longo do dia; ansiedade; perturbações na atenção, concentração e memória; problemas gástricos e síndrome de cólon irritável.

Qual é o diagnóstico?

O diagnóstico desta doença é difícil, resultando normalmente de um processo moroso por exclusão de outras enfermidades, baseando-se no histórico clínico e na observação médica, processo esse que coloca em evidência a dor difusa associada à fadiga, às perturbações do sono, às alterações emocionais, e às dores de cabeça.

Qual é o tratamento?

A Fibromialgia não tem cura.

Independentemente de quando é feito o diagnóstico de fibromialgia, com o passar dos anos, os sintomas na pessoa tendem a piorar, caso não haja condições para uma terapêutica adequada, adaptação ou a ajuda de familiares e terceiros, nas diversas tarefas diárias

Como é vital, para o despiste e deteção da doença, um diagnóstico o mais cedo possível, este deverá ser realizado por profissionais de saúde familiarizados com a doença, para que possam diagnosticar, tratar, acompanhar e prestar informação, adequadas a cada pessoa e aos seus familiares, iniciando assim todo o processo de adaptação a uma nova realidade.

Imagens: DR.

Rotary Club de Barcelos comemora 52º aniversário

Abril 23, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

No passado dia 20 de abril, o Rotary Club de Barcelos comemorou o 52º aniversário da sua fundação. Como os ditames indicam que o Club deve reunir às terças-feiras, este momento foi festejado no dia seguinte, a 21 de abril.



O dia iniciou com uma oração, pelas 9h30, em honra dos rotários do Club já falecidos, “companheiros esses que, saudosamente, recordámos por todos os feitos realizados, quer na nossa comunidade de Barcelos, como mais além”, refere Cláudia Santos, a Presidente do Club.

Pelas 21h30, realizou-se uma reunião virtual com a maioria dos membros a estarem presentes online, assim como a Assistente do Governador, Ermelinda Jaques, do Rotary Club de Ponte da Barca, clube afilhado do de Barcelos, e outros convidados e familiares.

“Através da partilha dos companheiros, fomos transportados aos momentos passados em companheirismo, fazendo habitar a saudade nos nossos corações. Todos estamos ansiosos para o reencontro, no entanto, mesmo virtualmente, continuamos juntos em propósitos e ações”, salienta a Presidente.

O Club fez, igualmente, um vídeo para celebrar este momento, onde constam, não só, várias fotografias tiradas ao longo do último ano, nomeadamente, de saudações às bandeiras, como, no final, surgem os atuais membros do quadro social do Club, ou seja, os seus sócios rotários.

Foi a forma que Club barcelense encontrou para conseguir realizar, mesmo que virtualmente, a celebração do seu aniversário. “Encontraremos sempre meios de conectarmos connosco, com os outros, com a humanidade”, conclui Cláudia Santos.

Fotos: RCB.

[Ndr: a foto de destaque foi retirada de um evento passado, não é relativa à celebração deste aniversário]

Rotary de Barcelos: Colocar as nossas aptidões ao serviço do próximo

Abril 15, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Perante a presença desta guerra silenciosa a nível mundial, provocada pelo vírus COVID-19, todos fomos obrigados a tomar consciência de que o susto é real e não um sonho. Por isso, temos de nos consciencializar e, o mais rapidamente possível, controlarmos o nosso lado emocional. É, assim, necessário criar uma nova rotina, colocando as nossas aptidões ao serviço do próximo.



Também para o Rotary Club de Barcelos foi um desafio. As reuniões terminaram, passaram a existir telefonemas entre os companheiros, mas faltava a alma do companheirismo, sentirmo-nos juntos com uma única voz. Assim, decidimos iniciar as reuniões no dia 14 deste mês. A nossa primeira reunião digital! 🙂

Foi uma reunião extremamente produtiva em que experienciámos que vários companheiros estão empenhados no ideal de servir. O Rotary é um club de profissionais que tem como lema «Dar de Si antes de Pensar em Si»! Assim, vários companheiros, imbuídos deste espírito de solidariedade e entreajuda, realizaram ações individuais, e também coletivas, onde tivemos a oportunidade de apoiar o Hospital de Barcelos, ao unirmo-nos à ação da Real Irmandade do Senhor Bom Jesus da Cruz e, também, ao apoiar o nosso Centro de Saúde ACES Cávado III com a oferta de 200 batas impermeáveis, 30 batas não impermeáveis e 3 litros de álcool gel desinfetante.

É, por isso, importante que cada um de nós reflita e veja onde pode ajudar, onde pode ser útil, mesmo com um simples telefonema para alguém que, sabendo nós que está sozinho, podemos transformar o dia dessa pessoa, amenizando a sua solidão.

É este o desafio que impera, que nos conectemos de algum modo, com muita fé.

Por: Cláudia Santos* (Presidente do Rotary Club de Barcelos).

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

O Rotary promove a paz e a compreensão mundial

Fevereiro 27, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora

O mês de fevereiro, mês em que o Rotary foi fundado, em Chicago, pelo advogado Paul Harris e mais três amigos, mais precisamente no dia 23 de fevereiro de 1905, é dedicado à Paz e Compreensão Mundial.

A paz e a compreensão mundial preocupam e andam na boca dos principais responsáveis políticos e do cidadão comum, palavras hoje suplantadas pelas da crise económica e social.



Na verdade, os dias que estamos a viver, de incerteza, de intranquilidade, de medo e de falta de perspetivas imediatas, leva-nos a refletir sobre a responsabilidade de cada um no modo de inverter esta crise que afeta toda a humanidade.

O mundo vive uma situação de profundo desequilíbrio. Sinais disso são o desemprego, a desigualdade social, a corrupção, a solidão, o egoísmo, o consumismo e a vida fácil, o enriquecimento a qualquer preço e a falta de valores, mas também os conflitos culturais e religiosos, as guerras pela conquista do poder, tudo isso agravado pelo recrudescimento do terrorismo, uma nova forma sangrenta de contestação, estúpida, mas mortífera e a questão dos refugiados.

Todos estes fatores nos inquietam e nos levam a pensar como será possível modificar esta situação e caminhar para um mundo mais fraterno, mais solidário e mais igual, em que prevaleça a paz e a compreensão mundial.

O século XX foi o século das guerras

O mundo nunca viveu completamente livre de guerras, mas em nenhum outro período se verificou o seu aumento como no século XX. Segundo dados da Cruz Vermelha Internacional, mais de 100 milhões de pessoas foram mortas em guerras, desde o início do século passado.

Desde a II Guerra Mundial, a guerra que supostamente acabaria “com todas as guerras”, já se verificaram mais de 150 guerras (conflitos que resultaram em mais de mil mortes por ano), bem como centenas de conflitos, rebeliões e revoluções armadas.

Pensava-se que a queda do Muro de Berlim, em novembro de 1989, trouxesse não só o fim da guerra fria entre as superpotências, mas também uma nova era de paz global. Infelizmente, não foi o caso.

As guerras, hoje, já não são pela expansão territorial ou pela imposição de ideologias, mas são, essencialmente, um choque de culturas, um conflito de civilizações.

Por outro lado, a disponibilidade de armas de destruição massiva, manobradas por fanáticos, está a criar novas formas de guerra, que não envolvem países, especificamente, mas que semeiam a intranquilidade e o pavor entre as populações, transformando, todos, em reféns.

Apelos à paz

Todavia, os sinais e os apelos à paz são, também, constantes, vindos de todas as partes do globo.

O Prémio Nobel da Paz de 2008, o antigo presidente finlandês Martti Ahtisaari, e notável negociador da paz internacional, que mediou a paz em vários pontos do globo nos últimos 30 anos, contribuiu, decisivamente, para um mundo mais pacífico e para a fraternidade entre as nações.

No seu discurso de posse, Barak Obama não deixou de apelar à paz:

“Saibam que a América é amiga de toda nação e todo homem, mulher e criança que busca um futuro de paz e dignidade, e que nós estamos prontos para liderar uma vez mais.”

O papa Bento XVI, saudando os participantes do encontro inter-religioso de Nicósia-Chipre, em 17 de novembro do ano passado, onde a Comunidade de Santo Egídio e a Igreja Ortodoxa daquela ilha, reuniram 40 líderes religiosos e chefes de Estado, referiu:

“Mantenham alta a chama da paz, alimentem-na com gestos quotidianos de caridade e amizade fraterna.”

A pobreza agrava os conflitos

Alguns dias mais tarde, na mensagem para o Dia Mundial da Paz/2009, intitulada “Combater a Pobreza, Construir a Paz”, Bento XVI afirmava:

“Já o meu venerado antecessor João Paulo II, na Mensagem para o Dia Mundial da Paz de 1993, sublinhara as repercussões negativas que acaba por ter sobre a paz a situação de pobreza em que estão populações inteiras. De facto, a pobreza encontra-se frequentemente entre os fatores que favorecem ou agravam os conflitos, mesmo os conflitos armados. Estes últimos, por sua vez, alimentam trágicas situações de pobreza”. “Vai-se afirmando (…), com uma gravidade sempre maior – escrevia João Paulo II –, outra séria ameaça à paz: muitas pessoas, mais ainda, populações inteiras vivem hoje em condições de extrema pobreza. A disparidade entre ricos e pobres tornou-se mais evidente, mesmo nas nações economicamente mais desenvolvidas. Trata-se de um problema que se impõe à consciência da humanidade, visto que as condições em que se encontra um grande número de pessoas são tais que ofendem a sua dignidade natural e, consequentemente, comprometem o autêntico e harmónico progresso da comunidade mundial”.”

Na verdade, para além da guerra, há ainda os problemas causados pela pobreza, pelo analfabetismo, pela falta de perspetivas e o fosso, cada vez maior, entre os que têm muito e os que não têm nada.

Qual o papel de Rotary para a paz e compreensão mundial?

Mas poderá uma organização, como o Rotary – sem poder político, sem intervenção nos meandros da administração pública ou da diplomacia formal, valendo-se apenas da capacidade de persuasão e do prestígio pessoal daqueles que compõem os seus quadros sociais – fazer algo, realmente útil e proveitoso para diminuir os conflitos, e procurar o entendimento entre os povos e as nações?

Na segunda metade do século XX, o Rotary, através de Rotary Internacional e da Fundação Rotária, estabeleceu uma série de programas que o colocaram na vanguarda dos movimentos de paz entre os povos.

São programas como os Serviços à Comunidade Mundial, o Intercâmbio Internacional de Jovens, as Bolsas Educacionais, o Intercâmbio de Grupos de Estudos e os Subsídios Equivalentes, que envolvem a participação de pessoas de diferentes culturas e nacionalidades e criam, certamente, um vínculo de compreensão e paz entre essas pessoas.

Mas este projeto de paz em Rotary ganhou uma nova dimensão com o aparecimento dos CREI – Centros Rotary de Estudos Internacionais da Paz e Resolução de Conflitos.

Todos os anos, 70 bolsistas são selecionados numa competição de carácter global para estudar nas seis unidades dos CREI existentes em universidades parceiras do programa espalhadas pelo mundo. Em dois anos de curso de mestrado, pelo valor de 50 mil dólares por bolsa de estudo, os alunos são formados embaixadores da paz.

Embora vivamos momentos de incerteza, perante possibilidade de novos conflitos mundiais, embora a desigualdade, o desemprego e a fome sejam uma realidade, não devemos abandonar os ideais dos nossos precursores.

Como rotários, e cidadãos do mundo, é necessário reforçar as nossas convicções, a nossa capacidade de bem servir. Não basta proclamarmos os nossos objetivos. É preciso lutar para que eles prevaleçam, tomando atitudes corajosas. A paz, que nos parece um objetivo inalcançável, um dia será realidade.

Por: Victor Pinho*. (Rotary Club de Barcelos)

Rotary de Barcelos distingue Manuel Ribeiro como Profissional do Ano Rotário 2019/20

Fevereiro 20, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Foi numa sala de jantar do Hotel Bagoeira cheia que o Rotary Club de Barcelos realizou, esta terça-feira, em reunião ao jantar, a sua “Homenagem de Reconhecimento Profissional” do Club, que este ano agraciou o rotário Manuel Ribeiro.



Manuel José Cardoso Ribeiro é empresário, filho do fundador da empresa LIBARME e, também ele, empreendedor e fundador da LIBARGEL, uma das mais conceituadas e conhecidas empresas barcelenses.

Foi agraciado no âmbito da homenagem ao profissional que o Club rotário realiza todos os anos a uma figura que se destaque no concelho de Barcelos. Esta distinção reconhece Manuel Ribeiro pelo seu percurso de vida repleto de um enorme espírito humanitário e filantrópico, dedicado às instituições, à comunidade e ao bem comum.

Esta homenagem contou com mais de uma centena de rotários, amigos, familiares, dirigentes associativos, antigos clientes e fornecedores. Manuel Ribeiro foi surpreendido por vários testemunhos, um dos quais enviado pelo Comendador Rui Nabeiro, fundador do Grupo Delta Cafés.  O carácter humanitário e altruísta, a justiça da homenagem prestada e o percurso profissional de excelência, caracterizaram as várias intervenções.

Ao Barcelos na Hora, Manuel Ribeiro, instado a explicar o que sentiu neste momento de homenagem ao seu percurso de vida, enquanto pessoa solidária, homem de família, empresário e rotário, confessou que tem “dificuldade em descrever o que ontem [ndr: terça-feira, dia 18 de fevereiro] me passou pela alma. Foi muita emoção e nem por sombras imaginava a dimensão que atingiu. Fiquei surpreendido pela presença de tantos amigos. Acabei por verificar que uns chamaram outros! Fiquei impressionado pela forma esmerada, muito cuidada, com que a Presidente Cláudia [ndr: Cláudia Santos, Presidente do Rotary Club de Barcelos] preparou e dirigiu a reunião”.

Sobre a homenagem, o empresário referiu que o reconhecimento que lhe “foi prestado pelo Rotary e pelos presentes, alguns dos quais, em representação de instituições de solidariedade, calaram bem fundo na minha alma. Quem me conhece, sabe que não sou de esperar ouvir agradecimentos, e muitos dos quais, sinceramente, acho que não mereço tanto, por serem excessivos. O que posso fazer de bem pelos outros, faço-o porque isso me conforta a alma, dá-me tranquilidade na vida. É como que o cumprimento de um dever!”

Um dos momentos da noite foi a divulgação de uma declaração áudio de Rui Nabeiro, Presidente do Grupo Nabeiro – Delta Cafés, com fortes e sentidas palavras dirigidas a Manuel Ribeiro. Sobre estas, o homenageado afirmou que “quanto às palavras que me foram dirigidas, via áudio, pelo Sr. Comendador Rui Nabeiro, associando-se à homenagem de que fui alvo, não sei como descrever o enorme orgulho que senti. Nunca imaginei que iria ouvir, ali, naquele momento, as suas palavras amigas. Foi uma surpresa tão grande que fui acometido de uma enorme emoção. Tendo tido o privilégio de conhecer bem este grande ‘Empresário’, mas, acima de tudo, um ‘Homem’ de uma dimensão humana excecional, não me admirava que, caso ele tivesse conhecimento deste evento, faria questão de, de alguma maneira, me manifestar o seu apreço. Aconteceu!…Pareceu um sonho!”

O momento em que Manuel Ribeiro interveio na sua cerimónia de homenagem foi repleto de muita emoção, referindo-se aos amigos, presentes e ausentes, a colaboradores, a clientes e fornecedores, assim como a instituições que marcaram presença. No entanto, foi quando se referiu a seus pais, e nomeadamente a seu pai, que a emoção acometeu as suas palavras e a sua intervenção. “Quando pretendia fazer referência ao meu pai e aos valores que ele me transmitiu, infelizmente, não consegui, por ser traído pela emoção. Enfim, fraquejei num momento importante para o que pretendia evocar”, concluiu.

Para nós, presentes, este momento foi, igualmente e deveras emotivo, que mostrou o quão humano e sentimental é Manuel Ribeiro, que tal como a maioria dos “mortais”, emociona-se quando fala de alguém que lhe diz muito. No caso, seu pai, e logo numa cerimónia, já dela, “pejada” de muita emoção.

Igualmente ao Barcelos na Hora, Cláudia Santos, Presidente do Rotary Club de Barcelos e a “força motriz” desta homenagem, começou por citar Jean Giono, no seu livro “O homem que plantava árvores”, para explicar o porquê deste momento e da escolha de Manuel Ribeiro: «Para que o carácter humano revele qualidades verdadeiramente excecionais, temos de ter a boa sorte de ser capazes de observar o seu desempenho durante muitos anos. Se esse desempenho é desprovido de egoísmo, se o seu propósito é uma generosidade inigualável, se há a certeza absoluta de que não existe uma ideia de recompensa e que esse propósito, além do mais, deixou a sua marca visível na terra, então, não haverá engano.»

Continuou, referindo que são “gratos por homenagear um profissional que não ignora a comunidade que o envolve, e que no que é, transmite o que diz e faz”, salientando que “não podemos esquecer a esposa, que caminha ao seu lado, neste maravilhoso percurso, D. Maria Manuela de Sá Ramos Ribeiro”.

Fotos: BnH e RCB.

Rotary de Barcelos e Delegação barcelense da Liga Portuguesa Contra o Cancro ajudam a descomplicar o Cancro

Fevereiro 19, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

No passado sábado, dia 15 de fevereiro, pelas 16h00, o Auditório Dr. António Martins, na Escola Superior de Gestão do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) ficou bem preenchido para a palestra “Descomplica o Cancro”, organizada pelo Rotary Club de Barcelos e a Delegação de Barcelos da Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC).



O evento contou com as intervenções de José Mariz, do Instituto Português de Oncologia (IPO) do Porto, de Marta Peixoto e Tatiana Cunha, do IPO de Coimbra, de Isaque Ferreira, Delegado de Barcelos da LPCC, de Ângela Leal e Sandra Varzim, igualmente desta Delegação. A palestra foi moderada por Cláudia Santos, Presidente do Rotary Clube de Barcelos, e foi encerrada pela intervenção de Vítor Veloso, Presidente da LPCC – Núcleo Regional do Norte.

José Mariz “descomplicou” o Cancro, salientando que as pessoas sofrem desta patologia porque são constituídas por células, dando ainda mais informações que fizeram com que os presentes pudessem “olhar” para o cancro como uma doença, sim, grave e cada vez mais comum, mas, igualmente, com cada vez mais possibilidades de cura. Marta Peixoto e Tatiana Cunha partilharam as suas intervenções, que versaram mais sobre os aspetos médicos e técnicos, falando de prevenção primária (atitudes a tomar para evitar o cancro, evitando comportamentos e ações de risco) e prevenção secundária (detetar a doença de uma forma ainda prematura ou inicial).

Pelo lado da Delegação de Barcelos, Ângela Leal apresentou dados sobre a ação da delegação barcelense e Sandra Varzim apresentou o plano de atividades para futuro.

Cláudia Santos, em declarações ao Barcelos na Hora, deixou o agradecimento ao IPCA, “que nos acolheu e proporcionou um espaço condigno e acolhedor, e, também, ao testemunho de vida da Provedora do Estudante, Professora Irene Portela”. Agradeceu, igualmente, a todos os interventores, à Minho TV, Barcelos na Hora, Rádio Barcelos e Rádio Cávado, assim como, “a todos os que optaram por estar presentes e semear, em si, novas visões sobre uma problemática que a todos pode afetar”.

Como balanço, a Presidente do Rotary de Barcelos sente que alcançaram o objetivo “de mostrar à comunidade de Barcelos que não estão sozinhos e que existe uma delegação à qual se podem dirigir e onde serão atendidos com discrição e carinho”, de “alertar para os cuidados a ter para uma vida mais saudável, para uma vida com menos medo e mais positiva”. Para além dos objetivos, na opinião desta responsável, também foram construídas pontes “entre os estudantes e a Liga, através do desafio lançado pela Professora Irene Portela, provedora do estudante do IPCA” e “entre os profissionais e a assembleia, pelas dúvidas que foram esclarecidas no momento”.

“No final, saímos com a mensagem que devemos levar uma vida calma, viver o dia a dia de forma feliz e saudável, sendo vigilantes no nosso primeiro templo, que deve ser o nosso corpo. E, assim, tudo correrá bem. Temos que acreditar que é possível um futuro positivo, desde que o primeiro foco sejamos nós, na nossa paz interior e saúde. Somos gratos, enquanto Rotary Club de Barcelos, por estarmos inseridos numa comunidade que se pretende informar e, assim, fazer valer a pena, arregaçar as mangas e investir em momentos como este”, concluiu.

Já Isaque Ferreira, Delegado de Barcelos da LPCC, ao Barcelos na Hora, também deixou o agradecimento a todos os preletores presentes, assim como, à Minho TV, “pela transmissão em direto para as redes sociais do evento” e ao Barcelos na Hora, Rádio Barcelos e Rádio Cávado “pela divulgação do evento”.

Sobre esta iniciativa, o Delegado salientou que ”quando fomos convidados, Delegação de Barcelos da LPCC, pelo Rotary Club de Barcelos para sermos apresentados ao Rotary, seria com o objetivo de apenas apresentar a Delegação e os seus serviços. No entanto, a ambição de ambos os intervenientes sentiu necessidade de expandir e enriquecer o evento à comunidade. Assim, cresceu a ideia desta palestra ‘Descomplicar o Cancro’”, concluindo que “os objetivos a que nos propusemos superaram todas as expectativas”.

Ainda sobre o evento, Isaque Ferreira considerou que “quem participou neste evento, reteve que é possível, para além de viver com o cancro, ter qualidade de vida e, acima de tudo, preveni-lo de forma muito simples, bastando assumir alguns cuidados no dia a dia. Por outro lado, teve oportunidade de conhecer a Delegação de Barcelos da LPCC na sua essência e o seu plano de atividades para 2020”.

Para futuro, pretendem “manter a parceria com o Rotary Club de Barcelos, assim como, com outras instituições/entidades que possam precisar dos nossos serviços, mas também, colaborar connosco em atividades futuras. O lema da Delegação de Barcelos será sempre apoiar o doente oncológico e os seus familiares seja em que contexto for”.

A palestra foi encerrada por Vítor Veloso, Presidente da LPCC – Núcleo Regional do Norte, que enalteceu o trabalho da Delegação de Barcelos e o seu plano de atividades para 2020, salientando que em Barcelos a LPCC está muito bem representada.

Este evento, para quem não teve oportunidade de estar presente, pode ser acompanhado no direto que foi realizado pela Minho TV.

Fotos: BnH.

Ir Para Cima