Tag archive

Teatro de Balugas

A peça “Pão Nosso” vence Concorso Teatrale Internazionale “Città di Chivasso” em Itália

Dezembro 31, 2020 em Atualidade, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

O júri do festival atribuiu o prémio de Melhor Espetáculo ao trabalho do Teatro de Balugas, como o prémio de Melhor Encenação a Cândido Sobreiro, autor e encenador da peça de teatro premiada.

A entrega decorreu online na passada segunda-feira e contou com a presença do júri, composto por várias personalidades ligadas ao teatro, como Paolo Ascagni, presidente da UILT Nazionale – Unione Italiana Libero Teatro

O certame foi organizado pela Officina Culturale APSe teve os apoios institucionais da IATA (International Amateur Theatre Association) e CIFTA (Comité International des Fédérations Théatrales Amateurs de culture latine).

No final da entrega, ficou o convite para a peça ser apresentada em Chivasso (Piemonte, Turim) após o término das restrições impostas pela Covid-19.

Fonte|Foto: TB

Teatro de Balugas vai representar Portugal no Mondial du Théâtre no Mónaco

Dezembro 25, 2020 em Atualidade, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

A Companhia de teatro amador de Balugães é uma das 15 selecionadas.

Há mais de 30 anos que o Mondial du Théâtre não recebia uma companhia de teatro portuguesa. Criado em 1957, o Festival Mundial de Teatro Amador realiza-se, de quatro em quatro anos, no Principado do Mónaco e vai contar com o espetáculo “Pão Nosso” do Teatro de Balugas (Barcelos), selecionado para representar Portugal na sua 17ª edição, que vai acontecer de 17 a 22 de agosto de 2021.

O certame, que recebeu mais de 80 candidaturas, conta com 15 espetáculos apurados de países como Argentina, Eslováquia, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, França, Irão, Itália, Japão, Lituânia, Marrocos, Portugal, República Centro-Africana, Reino Unido e Rússia que serão apresentados no Théâtre Princesse Grace e no Théâtre des Variétés.

A peça de teatro “Pão Nosso”, com texto e encenação de Cândido Sobreiro, fala-nos da aldeia de Balugães, terra onde já se amassou muito pão e onde se talharam muitas gamelas de pinho. O pão era o sustento, as gamelas também. Uma relação de pequenas histórias que contam mais do que o artefacto, o alimento, o labor. Uma recolha de memórias, ladainhas, cantigas e ofícios, recuperando utensílios e articulando artisticamente com a comunidade a criação do espetáculo. A partir daqui, o Teatro de Balugas aborda de uma forma teatral e poética o ciclo do pão na aldeia, reconstruindo-o a partir de princípios diferentes não tradicionais e quase oníricos.

O trabalho da companhia de teatro de Balugães, vencedor do CONTE 2020 – Concurso Nacional de Teatro com o Prémio Ruy de Carvalho para melhor espetáculo, é uma vez mais premiado internacionalmente, depois de ter sido um dos três espetáculos finalistas nomeados para Melhor Espetáculo Internacional nos prémios ESCENAMATEUR da Confederação de Teatro Amador em Espanha, selecionado para o Festival Transfronteiriço de Teatro Amador PLATTA, e um dos representantes de Portugal no Festival Ibérico de Teatro Amateur, ambos festivais também realizados em Espanha. A peça de teatro foi também selecionada para o Red Apple International Theater Festival, no Sri Lanka, e para o Concorso Teatrale Internazionale “Città di Chivasso”, em Itália, onde foi apresentada online devido à pandemia.

Fonte |Fotos: Teatro de Balugas

Prémio “Palco de Terra” para o Teatro do Noroeste-CDV e para Orlando Alves

Dezembro 1, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Iniciativa levada a cabo pelo Teatro de Balugas

A companhia de teatro de Viana do Castelo foi premiada, na categoria “Instituição”, pelo trabalho desenvolvido na dinamização e promoção do teatro amador na região através da rede cultural TEIA, com destaque para a realização do Festival Transfronteiriço de Teatro Amador PLATTA e a Bolsa de Criação Teatro Amador TEIA.



Na categoria “Personalidade”, a distinção foi para o ator e encenador Orlando Alves, por uma vida dedicada ao associativismo, com destaque para o Grupo Nun’Álvares, de Fafe, em especial para o trabalho desenvolvido no Teatro Vitrine.

O Prémio “Palco de Terra” é uma iniciativa da companhia Teatro de Balugas (Barcelos), cuja primeira edição se realizou em 2017. É um galardão concedido anualmente para reconhecer e agradecer o trabalho e o esforço de pessoas e instituições no âmbito do teatro realizado no meio rural e da criação artística sobre o Minho. A iniciativa tem o apoio da Câmara Municipal de Barcelos, Fundação INATEL e Junta de Freguesia de Balugães (Barcelos).

Os galardoados do “Prémio Palco de Terra 2020” foram anunciados hoje, 1 de dezembro, e como a entrega presencial foi cancelada devido ao estado de emergência em vigor, a cerimónia será transmitida online no dia 8 de dezembro, às 13h00, nas redes sociais do Teatro de Balugas.

Fotos: TB.

Peça “Pão Nosso”, do Teatro de Balugas, selecionado para festival em Itália

Novembro 29, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Depois da seleção para o Red Apple International Theater Festival, no Sri Lanka, o espetáculo “Pão Nosso”, do Teatro de Balugas, foi, agora, selecionado para o Concorso Teatrale Internazionale “Città di Chivasso”, em Itália.



O trabalho é um dos 8 espetáculos finalistas de vários países, como Croácia, Itália e Portugal. A organização do festival é da Officina Culturale, com sede em Chivasso, Piemonte (Turim).

Cartaz (Imagem: DR)

O trabalho da companhia de teatro de Balugães (Barcelos) é, uma vez mais, premiado internacionalmente, depois de ter sido um dos três espetáculos finalistas nomeados para Melhor Espetáculo Internacional nos prémios ESCENAMATEUR da Confederação de Teatro Amador em Espanha, selecionado para o Festival Transfronteiriço de Teatro Amador PLATTA, e um dos representantes de Portugal no Festival Ibérico de Teatro Amateur, ambos festivais também realizados em Espanha.

Foto: TB.

“Pão Nosso”, do Teatro de Balugas, selecionado para festival na Ásia

Novembro 19, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

O espetáculo “Pão Nosso”, do Teatro de Balugas, foi selecionado para o Red Apple International Theater Festival 2020. O certame, que recebeu 218 candidaturas, conta com 15 espetáculos finalistas de várias partes do mundo, como Espanha, Itália, Rússia, Nepal, Índia, Indonésia, Bangladesh, Malásia, Paquistão e Portugal, que serão exibidos online entre 1 a 5 de dezembro de 2020. A organização do festival é da Red Apple Theater Gathering, com sede no Sri Lanka, organização que é, também, centro nacional da International Amateur Theatre Association nesse país asiático.



O trabalho da companhia de teatro de Balugães (Barcelos) é, uma vez mais, premiado internacionalmente, depois de ter sido um dos três espetáculos finalistas nomeados para Melhor Espetáculo Internacional nos prémios ESCENAMATEUR da Confederação de Teatro Amador em Espanha, selecionado para o Festival Transfronteiriço de Teatro Amador PLATTA, e um dos representantes de Portugal no Festival Ibérico de Teatro Amateur, ambos festivais também realizados em Espanha.

Imagem: DR.

“Raposos”, do Teatro de Balugas, encerra o Festival de Teatro de Barcelos no próximo sábado

Outubro 19, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

A peça “Raposos” marca o encerramento do Festival de Teatro de Barcelos. O espetáculo do Teatro de Balugas, distinguido pelo Guia dos Teatros como “Melhor Espetáculo Não Profissional 2020”, realiza-se este sábado, dia 24 de outubro, pelas 21h30, no Theatro Gil Vicente.



O trabalho artístico, com texto e encenação de Cândido Sobreiro, é um alerta sobre a propriedade da terra e os seus elementos naturais. A história fala-nos de uma barragem abandonada na construção, que não passou o tamanho das portadas da igreja da localidade, ao contrário das grandes barragens que engoliram aldeias inteiras; aqui o rio pressentindo tamanha clausura secou. Entre as árvores cortadas e a aldeia abandonada, os que ficaram, entre homens e bichos, tudo tentam para encontrar o rio novamente, algum sinal de água. Esta é uma procura efabulada sobre esconderijos, animais e homens antigos.

Cartaz da peça “Raposos” (Imagem: TB)

Os bilhetes podem ser adquiridos na bilheteira do Theatro Gil Vicente ou através do site www.gilvicente.bol.pt .

Imagens: TB.

“Pão Nosso” do Teatro de Balugas selecionado para o Festival Ibérico de Teatro Amateur

Outubro 12, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Os espetáculos “Pão Nosso”, do Teatro de Balugas, e “A importância de se chamar Ernesto”, da Retorta Teatro, foram as peças selecionadas para representar Portugal na sétima edição do Festival Ibérico de Teatro Amateur, que se realiza de 16 a 18 de outubro de 2020.



O certame realiza-se de dois em dois anos, alternando entre Espanha e Portugal. A edição de 2020 decorrerá em Mérida e La Garrovilla, numa organização conjunta da Federación de Asociaciones de Teatro de Extremadura, da Escenamateur – Confederación Española de Teatro Amateur e da Federação Portuguesa de Teatro.

Cartaz do Festival (Imagem: DR)

Devido à situação pandémica atual, os espetáculos portugueses serão transmitidos online e, no final, as companhias estarão também online em conversa com o público.

O espetáculo “Pão Nosso” foi o vencedor, este ano, do Concurso Nacional de Teatro onde foi distinguido com o Prémio Ruy de Carvalho para Melhor Espetáculo, recebendo, ainda, o Prémio de Melhor Cenografia, como foi um dos três espetáculos finalistas nomeados para Melhor Espetáculo Internacional nos prémios ESCENAMATEUR “Juan Mayorga” de las Artes Escénicas 2020, em Espanha.

A peça “Pão Nosso” (Foto: TB)

Esta produção do Teatro de Balugas resulta de uma residência artística de teatro comunitário que foi premiada pelo Programa de Apoio ao Associativismo da Fundação INATEL, tendo a peça arrecadado o prémio de Melhor Espetáculo no Festival de Teatro de Barcelos em 2018, bem como os prémios de Melhor Cenário, Melhor Sonoplastia, Melhor Iluminação Cénica e Melhor Guarda-Roupa. Em 2019, a peça de teatro foi selecionada para apresentação no Festival Transfronteiriço de Teatro Amador PLATTA, em Espanha.

Foto: TB.

Entre 02 a 24 de outubro, o Festival de Teatro de Barcelos sobe ao palco do Theatro Gil Vicente

Setembro 30, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

A Capoeira – Companhia de Teatro de Barcelos organiza o 33º Festival de Teatro de Barcelos. De 2 a 24 de outubro, o Theatro Gil Vicente receberá 7 espetáculos, para todas as faixas etárias.



O festival será inaugurado pela Fértil Associação Cultural que, dia 2 de outubro, apresentará o recém-estreado “Talvez um dia”, um espetáculo sobre a nossa infinita esperança de que tudo se resolve e a inércia a que essa mesma esperança nos pode levar.

“Talvez um dia” (Foto: DR)

Neste fim de semana, o público poderá, ainda, contar com a presença da Ajidanha, no dia 3 de outubro, que apresentará “À Deriva”, um espetáculo premiado em Portugal, Espanha, Cuba e Canadá, caracterizado pelo nonsense, pela comédia visual e física, e pela sátira implícita do sistema social e político que muitas vezes se revela absurdo e profundamente injusto.

“À deriva” (Foto: DR)

No dia 4, a Fértil volta ao palco barcelense, desta vez com um espetáculo para crianças maiores de seis anos: “Os Grandes Não Têm Grandes Ideias”. Com recurso à marioneta e a formas animadas, o espetáculo questiona as ideias dos adultos, sensibilizando para questões ambientais, políticas e de educação.

“Os Grandes Não Têm Grandes Ideias” (Foto: DR)

O festival prossegue dia 16 de outubro com “A Ceia dos Cardeais”, pel’A Capoeira – Companhia de Teatro de Barcelos e, dia 17, com um espetáculo para crianças dos 0 aos 6 anos: “O Jardim – Tomo I – Primavera”, pelo Teatro e Marionetas de Mandrágora.

Para encerrar o festival, o Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto apresentará “Circo Lar”, no dia 23, e o Teatro de Balugas volta ao Theatro Gil Vicente com ”Raposos”, dia 24.

“Raposos” (Foto: DR)

“Este projeto d’A Capoeira – Companhia de Teatro de Barcelos tem vindo a assentar no objetivo de elevar a qualidade da oferta teatral para o público barcelense, focando parte da atenção na criação de público a longo prazo, através espetáculos para o público infantil e privilegiando espetáculos com qualidade artística reconhecida”, refere a companhia em nota.

O Festival de Teatro de Barcelos conta com o apoio da Câmara Municipal de Barcelos.

Os espetáculos dominicais, dedicados ao público mais jovem, realizam-se pelas 16h00, enquanto os restantes têm início às 21h30.

“Após tantos meses sem a emoção que nos traz o teatro, é hora de voltar, tendo sempre em conta o momento particular em que vivemos. Para garantir a segurança de todos, é de relembrar o uso obrigatório de máscara, já o distanciamento dentro da sala será garantido pelas bilheteiras”, informa a organização.

Os bilhetes têm o custo de 3€ e podem ser adquiridos na bilheteira do Theatro Gil Vicente ou através do site www.gilvicente.bol.pt.

Fotos: DR.

“A Furgoneta”, do Teatro de Balugas, estreia em Viana do Castelo e Barcelos

Setembro 21, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

A estreia de “A Furgoneta” marca a abertura do Festival Transfronteiriço de Teatro Amador PLATTA. O novo espetáculo do Teatro de Balugas, com texto e encenação de Cândido Sobreiro, vai a cena no dia 25 de setembro, pelas 21h30, na Sala Principal do Teatro Municipal de Viana do Castelo e, no dia seguinte, 26 de setembro, à mesma hora, no Theatro Gil Vicente, em Barcelos.



De 25 a 27 de setembro, o Teatro do Noroeste – CDV apresenta a 3ª edição do Festival PLATTA, estando, este ano, excecionalmente, concentrado entre Portugal e a Galiza. Este Festival conta com os espetáculos “A Furgoneta”, do Teatro de Balugas, e “Coa Mirada Nas Súas Mans”, do Lohengrin Teatro, para além das Leituras Encenadas do texto vencedor do II Prémio PLATTA de Teatro Breve. A entrada é livre, mas sujeita a levantamento de bilhete.

No dia 26 de setembro, o novo trabalho da companhia de teatro barcelense é apresentado no Theatro Gil Vicente, em Barcelos, às 21h30. Os bilhetes podem ser adquiridos online em https://GilVicente.bol.pt/.

A Furgoneta” conta-nos a história de Romão e do irmão que decidem reformar o negócio do pai, homem com milhares de quilómetros feitos pelas aldeias do Minho. Mas agora, o negócio é outro: a furgoneta que vendia tudo e mais alguma coisa passa a start-up, e a compra de uma simples faca, que dava para estonar batatas e cortar o pescoço ao frango, já não é feita da mesma maneira! Confrontados por um modo de vida que está a chegar ao fim entre os últimos fregueses e os velhos vendedores ambulantes, os dois irmãos vêm-se divididos entre o progresso tecnológico e os que ainda resistem nas aldeias à espera da buzina estridente e dois dedos de conversa.

À boleia da furgoneta, somos também confrontados com a desertificação e o abandono do mundo rural. No retrovisor, já se avistam escavadoras!

O texto deste novo trabalho do Teatro de Balugas é o projeto vencedor da 1ª edição da Bolsa TEIA de Criação Teatro Amador 2020, lançada com o objetivo de incentivar a produção de teatro amador no âmbito das associações que integram a rede cultural TEIA – Teatro Em Iniciativa Associativa, do Projeto Comunidade do Teatro do Noroeste – Centro Dramático de Viana do Castelo.

Cartaz (Imagem: TB)

Imagem: TB.

Criação teatral no Vale do Neiva regista a instalação da Linha de Muito Alta Tensão no Minho

Julho 14, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Economia Por barcelosnahorabarcelosnahora

Teatro de Balugas responsável pelo trabalho de campo

“Sem Rei Nem Roque” tem como palco o território de Barcelos e Ponte de Lima, com incidência no vale do Neiva e as suas aldeias afetadas pela construção do projeto elétrico.



O trabalho de campo é da responsabilidade do Teatro de Balugas e “vai registar o confronto da natureza e das pessoas com a colocação da linha no terreno, questionar o que fica, o que desaparece e que poder é este que se assenhoreia do território”, refere em nota.

“São as novas torres, sem reis, maiores do que as torres sineiras das nossas igrejas e que assustariam as defesas dos nossos primeiros castelos roqueiros.   Cada torre tem mais de 75 metros de altura, numa área de implantação de 200 m2, além de margens de segurança ao longo de toda a linha, garantidas pela criação de uma ‘servidão administrativa’ com uma largura de 45 metros, tudo em nome de uma prometida ‘energia verde e limpa’ e de uma também prometida ‘luz mais barata’”, conclui.

Foto: Cristina Faria.

1 2 3 6
Ir Para Cima