Tag archive

Teatro

Programação cultural de novembro do Theatro Gil Vicente

Outubro 30, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Política Por barcelosnahorabarcelosnahora

A programação do Theatro Gil Vicente mantém, em novembro, a diversidade e a heterogeneidade artísticas, com música, cinema e teatro.



O cinema inicia a programação do Gil Vicente, com a Associação ZOOM – Cineclube de Barcelos a apresentar cinco noites de cinema: “Ciclo: Estados de Juventude” (1.ª parte), no dia 3; “Ciclo: Estados de Juventude” (2.ª parte), no dia 4; “Ciclo: Estados de Juventude” (3.ª parte), no dia 5. Estas curta-metragens inserem-se no Dia Mundial do Cinema que se comemora a 5 de novembro.

A sétima arte continua no dia 10 com “Ordem Moral”, de Mário Barroso,  e “O ano da morte de Ricardo Reis”, de João Botelho, no dia 17. As sessões têm início às 21h30 e têm entrada paga.

No dia 7, com duas sessões, às 16h00 e 19h00, a Fundação GDA, que tem por missão a valorização e dignificação do trabalho e das carreiras dos artistas (atores, bailarinos e músicos bem como o seu desenvolvimento humano, cultural e social) promove uma ação de divulgação e sensibilização sobre “Direitos de Autor e Direitos Conexos”. A entrada é gratuita e a ação permite a emissão de certificado de participação.

A música preenche três dias de programação, a começar com o concerto do músico barcelense João Dias, finalista do “Got Talent”, no dia 14, com entrada gratuita; no dia 19, é a vez do “Filme- Concerto de Tresor&Bosxh“, espetáculo inserido no ciclo de concertos ‘triciclo’, e no dia 26 “Tomorrow is the question”, de Demian Cabaud Quarteto, do Ciclo de ‘Jazz ao Largo’. Os espetáculos acontecem às 22h00 e têm um valor de 3€.

No âmbito do serviço educativo, programa dedicado à comunidade escolar, o Theatro recebe, no dia 11, duas sessões, às 10h30 e 14h30, de teatro infantil, com a peça “Em Pessoa”, pela CTB – Companhia de Teatro de Braga.

A rubrica “Em família no TGV” reserva a tarde de domingo, dia 15, às 16h00, com o musical “A Casinha de Chocolate”, pela GrowUp Eventos.

No dia 21, às 22h00, a Escola de Dança de Barcelos, na continuidade das comemorações dos seus 25 anos, convida os Doutor Assério para um espetáculo onde o Ballet e o Rock se apresentam num só, com o espetáculo “Ballet N’Rock”. A entrada tem um valor de 3€.

Nos dias 27, 28 e 30 de novembro dá-se início ao Ciclo de “Jovens Fadistas de Barcelos” com os fadistas barcelenses Sónia Lopes, Mário Bruno e Joana Lopes, respetivamente. Esta iniciativa conta a organização da Casa da Juventude, a partir das 21h30, no Theatro Gil Vicente.

Ainda no âmbito da programação cultural do mês de novembro, o auditório da Biblioteca Municipal recebe, no dia 6, às 22h00, o espetáculo dos “Evols”, concerto inserido no ‘triciclo’. A entrada tem um valor de 3€.

Os bilhetes para assistir aos espetáculos no teatro podem ser adquiridos no local, ou através de reserva por e-mail (tgv@cm-barcelos.pt) ou telefone (253 809 694).

Programação (Imagem: CMB)

Fonte e imagem: CMB.

Últimos espetáculos do Festival de Teatro de Barcelos

Outubro 20, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Festival de Teatro de Barcelos, organizado pel’ A Capoeira – Companhia de Teatro de Barcelos e pelo Município de Barcelos, chega ao último fim de semana de espetáculos.



Esta sexta-feira, dia 23 de outubro, pelas 21h30, o Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto apresenta “Circo Lar” [Ndr: imagem de destaque], um espetáculo que reinventa o imaginário do circo, outrora, lugar de celebração artística e de partilha comunitária. Um velho circo, outrora grandioso, encontra uma nova esperança quando surge Heitor, que se junta a esta companhia trazendo novas ideias para pôr este circo na ribalta, mostrando que o dia a dia se faz de reinvenções. Será que juntos vão ser capazes de transformar o seu próprio destino?

O encerramento do festival fica a cargo do Teatro de Balugas. Sábado, dia 24, pelas 21h30, o grupo barcelense apresenta “Raposos”. Eleito “Melhor Espetáculo Não Profissional 2020” pelo Guia dos Teatros, o espetáculo fala-nos da construção de uma barragem que “não passou o tamanho das portadas da igreja”. A aldeia foi salva pelo rio que secou, mas homens e bichos procuram a água e os esconderijos levados pelo corte das árvores.

“Raposos”, por Teatro de Balugas (Foto: DR)

Para garantir a segurança de todos, é de relembrar o uso obrigatório de máscara; já o distanciamento dentro da sala será garantido pelas bilheteiras.

Os bilhetes têm o custo de 3€ e podem ser adquiridos na bilheteira do Theatro Gil Vicente ou através do site www.gilvicente.bol.pt .

Imagens: DR.

“Raposos”, do Teatro de Balugas, encerra o Festival de Teatro de Barcelos no próximo sábado

Outubro 19, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

A peça “Raposos” marca o encerramento do Festival de Teatro de Barcelos. O espetáculo do Teatro de Balugas, distinguido pelo Guia dos Teatros como “Melhor Espetáculo Não Profissional 2020”, realiza-se este sábado, dia 24 de outubro, pelas 21h30, no Theatro Gil Vicente.



O trabalho artístico, com texto e encenação de Cândido Sobreiro, é um alerta sobre a propriedade da terra e os seus elementos naturais. A história fala-nos de uma barragem abandonada na construção, que não passou o tamanho das portadas da igreja da localidade, ao contrário das grandes barragens que engoliram aldeias inteiras; aqui o rio pressentindo tamanha clausura secou. Entre as árvores cortadas e a aldeia abandonada, os que ficaram, entre homens e bichos, tudo tentam para encontrar o rio novamente, algum sinal de água. Esta é uma procura efabulada sobre esconderijos, animais e homens antigos.

Cartaz da peça “Raposos” (Imagem: TB)

Os bilhetes podem ser adquiridos na bilheteira do Theatro Gil Vicente ou através do site www.gilvicente.bol.pt .

Imagens: TB.

“Pão Nosso” do Teatro de Balugas selecionado para o Festival Ibérico de Teatro Amateur

Outubro 12, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Os espetáculos “Pão Nosso”, do Teatro de Balugas, e “A importância de se chamar Ernesto”, da Retorta Teatro, foram as peças selecionadas para representar Portugal na sétima edição do Festival Ibérico de Teatro Amateur, que se realiza de 16 a 18 de outubro de 2020.



O certame realiza-se de dois em dois anos, alternando entre Espanha e Portugal. A edição de 2020 decorrerá em Mérida e La Garrovilla, numa organização conjunta da Federación de Asociaciones de Teatro de Extremadura, da Escenamateur – Confederación Española de Teatro Amateur e da Federação Portuguesa de Teatro.

Cartaz do Festival (Imagem: DR)

Devido à situação pandémica atual, os espetáculos portugueses serão transmitidos online e, no final, as companhias estarão também online em conversa com o público.

O espetáculo “Pão Nosso” foi o vencedor, este ano, do Concurso Nacional de Teatro onde foi distinguido com o Prémio Ruy de Carvalho para Melhor Espetáculo, recebendo, ainda, o Prémio de Melhor Cenografia, como foi um dos três espetáculos finalistas nomeados para Melhor Espetáculo Internacional nos prémios ESCENAMATEUR “Juan Mayorga” de las Artes Escénicas 2020, em Espanha.

A peça “Pão Nosso” (Foto: TB)

Esta produção do Teatro de Balugas resulta de uma residência artística de teatro comunitário que foi premiada pelo Programa de Apoio ao Associativismo da Fundação INATEL, tendo a peça arrecadado o prémio de Melhor Espetáculo no Festival de Teatro de Barcelos em 2018, bem como os prémios de Melhor Cenário, Melhor Sonoplastia, Melhor Iluminação Cénica e Melhor Guarda-Roupa. Em 2019, a peça de teatro foi selecionada para apresentação no Festival Transfronteiriço de Teatro Amador PLATTA, em Espanha.

Foto: TB.

Segundo fim de semana do Festival de Teatro de Barcelos propõe dois espetáculos

Outubro 12, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

O Festival de Teatro de Barcelos continua na próxima sexta-feira, dia 16 de outubro, com “A Ceia dos Cardeais”, d’A Capoeira – Companhia de Teatro de Barcelos, pelas 21h30.



Três atores devem apresentar “A Ceia dos Cardais”, de Júlio Dantas, mas a sua insatisfação pelo texto leva-os, durante a montagem, a fazer suas as palavras de Almada Negreiros. «Morra o Dantas, Morra! Pim!». Este é um espetáculo divertido que junta o academismo literário de Júlio Dantas e o febril modernismo de José de Almada Negreiros.

A Ceia dos Cardeais (Foto: DR)

Domingo, dia 18 de outubro, pelas 16h00, o Teatro e Marionetas de Mandrágora apresenta “O Jardim – Tomo I – Primavera”, um espetáculo de marionetas para crianças dos 0 aos 6 anos, que pretende captar a sua atenção e transportá-las para um universo de fantasia através de símbolos, cor e uma forte componente musical.

O Jardim – Tomo I – Primavera (Foto: DR)

Para garantir a segurança de todos, é de relembrar o uso obrigatório de máscara, já o distanciamento dentro da sala será garantido pelas bilheteiras.

Os bilhetes têm o custo de 3€ e podem ser adquiridos na bilheteira do Theatro Gil Vicente ou através do site www.gilvicente.bol.pt .

Fonte: A CAPOEIRA.

Fotos: DR.

Entre 02 a 24 de outubro, o Festival de Teatro de Barcelos sobe ao palco do Theatro Gil Vicente

Setembro 30, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

A Capoeira – Companhia de Teatro de Barcelos organiza o 33º Festival de Teatro de Barcelos. De 2 a 24 de outubro, o Theatro Gil Vicente receberá 7 espetáculos, para todas as faixas etárias.



O festival será inaugurado pela Fértil Associação Cultural que, dia 2 de outubro, apresentará o recém-estreado “Talvez um dia”, um espetáculo sobre a nossa infinita esperança de que tudo se resolve e a inércia a que essa mesma esperança nos pode levar.

“Talvez um dia” (Foto: DR)

Neste fim de semana, o público poderá, ainda, contar com a presença da Ajidanha, no dia 3 de outubro, que apresentará “À Deriva”, um espetáculo premiado em Portugal, Espanha, Cuba e Canadá, caracterizado pelo nonsense, pela comédia visual e física, e pela sátira implícita do sistema social e político que muitas vezes se revela absurdo e profundamente injusto.

“À deriva” (Foto: DR)

No dia 4, a Fértil volta ao palco barcelense, desta vez com um espetáculo para crianças maiores de seis anos: “Os Grandes Não Têm Grandes Ideias”. Com recurso à marioneta e a formas animadas, o espetáculo questiona as ideias dos adultos, sensibilizando para questões ambientais, políticas e de educação.

“Os Grandes Não Têm Grandes Ideias” (Foto: DR)

O festival prossegue dia 16 de outubro com “A Ceia dos Cardeais”, pel’A Capoeira – Companhia de Teatro de Barcelos e, dia 17, com um espetáculo para crianças dos 0 aos 6 anos: “O Jardim – Tomo I – Primavera”, pelo Teatro e Marionetas de Mandrágora.

Para encerrar o festival, o Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto apresentará “Circo Lar”, no dia 23, e o Teatro de Balugas volta ao Theatro Gil Vicente com ”Raposos”, dia 24.

“Raposos” (Foto: DR)

“Este projeto d’A Capoeira – Companhia de Teatro de Barcelos tem vindo a assentar no objetivo de elevar a qualidade da oferta teatral para o público barcelense, focando parte da atenção na criação de público a longo prazo, através espetáculos para o público infantil e privilegiando espetáculos com qualidade artística reconhecida”, refere a companhia em nota.

O Festival de Teatro de Barcelos conta com o apoio da Câmara Municipal de Barcelos.

Os espetáculos dominicais, dedicados ao público mais jovem, realizam-se pelas 16h00, enquanto os restantes têm início às 21h30.

“Após tantos meses sem a emoção que nos traz o teatro, é hora de voltar, tendo sempre em conta o momento particular em que vivemos. Para garantir a segurança de todos, é de relembrar o uso obrigatório de máscara, já o distanciamento dentro da sala será garantido pelas bilheteiras”, informa a organização.

Os bilhetes têm o custo de 3€ e podem ser adquiridos na bilheteira do Theatro Gil Vicente ou através do site www.gilvicente.bol.pt.

Fotos: DR.

Diversidade marca programação do primeiro ao último dia de outubro no Theatro Gil Vicente

Setembro 30, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Festival de Teatro e concertos musicais marcam um mês repleto de atividades na emblemática sala barcelense

No próximo mês de outubro, o teatro impera no Theatro Gil Vicente, com a 33ª edição do Festival de Teatro de Barcelos, mas ainda há lugar para a música e as habituais sessões de cinema.



A programação inicia no dia 01, às 22h00, Dia Mundial da Música, com o recital “Híbrido”, do percussionista barcelense Álvaro Cortez e a pianista Isabel Romero. A entrada tem um valor de 3€.

A Associação Zoom apresenta três sessões de cinema: no dia 6, com “A Estrada”, no dia 13, com “Os Inúteis” e, no dia 20, com “A Voz da Lua”, obras de Federico Fellini. As sessões de cinema têm início às 21h30 e têm entrada paga.

O Festival de Teatro Popular preenche grande parte da programação do Theatro Gil Vicente no mês de outubro. No dia 02, “Talvez um dia”, pela Fértil Associação Cultural; no dia 03, “À Deriva”, pela Ajidanha; no dia 04, “Os Grandes não têm grandes ideias”, pela Fértil Associação Cultural; no dia 16, “A Ceia dos Cardeais”, pela A Capoeira-Companhia de Teatro de Barcelos; no dia 18, “O Jardim | Tomo I | A Primavera“, pelo Teatro e Marionetas de Mandrágora; no dia 23, “Circo Lar”, pelo Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, e, no dia 24, “Raposos” pelo Teatro de Balugas. Os espetáculos decorrem às sextas-feiras e sábados, às 21h30, e aos domingos, às 16h00, e têm o custo de 3€.

Ainda no dia 10, às 21h30, é apresentada a peça de teatro “Armazenados”, pelo Teatro Art’Imagem. A rubrica “Em família no TGV”, espaço dedicado ao público infantil, reserva a tarde do dia 25, às 16h00, com “Hakuna Matata | O Musical”, pela ProtagonizaMagia | Associação Cultural.

No âmbito do serviço educativo, programa dedicado à comunidade escolar, o Theatro recebe nos dias 28 e 29, duas sessões, às 10h15 e 11h15, de teatro infantil com a peça “Arlequim Recicla Assim”, pela Companhia de Teatro de Santo Tirso.

A música tem espaço reservado no palco do Gil Vicente com o ciclo de concertos da “Linha TGV” e o do “triciclo”.

O regresso do ciclo “Linha TGV” tem lugar no dia 30, às 22h00, com “Gator, The Alligator”, e o bilhete tem um custo de 4€. No dia 31, sobe a palco “Luís Severo + Pedro Augusto” e a entrada tem um valor de 8€. Se for entrada geral (sexta e sábado), tem um valor de 10€.

O ciclo de concertos “triciclo” está de volta para mais três meses de programação transversal, a decorrer entre outubro e dezembro, depois de uma paragem forçada devido à pandemia da COVID-19.

O ciclo musical começa no dia 5 de outubro, às 17h00, no Largo Dr. Martins Lima, com “Samba Sem Fronteiras”, grupo luso-brasileiro radicado no Porto, que é um dos mais genuínos exemplos do samba de raiz.

Depois de uma viagem até ao Brasil, o “triciclo” prossegue no dia 17 de outubro, às 22h00, nos Claustros da Câmara Municipal, com “Phole”. O tocador natural de Viana do Castelo apresenta uma forma singular de reinventar o instrumento típico das romarias minhotas.

Os bilhetes para assistir aos espetáculos no teatro podem ser adquiridos no local, ou através de reserva por e-mail (tgv@cm-barcelos.pt) ou telefone (253 809 694).

Cartaz (Imagem: CMB)

Fonte e imagem: CMB.

“A Furgoneta”, do Teatro de Balugas, estreia em Viana do Castelo e Barcelos

Setembro 21, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

A estreia de “A Furgoneta” marca a abertura do Festival Transfronteiriço de Teatro Amador PLATTA. O novo espetáculo do Teatro de Balugas, com texto e encenação de Cândido Sobreiro, vai a cena no dia 25 de setembro, pelas 21h30, na Sala Principal do Teatro Municipal de Viana do Castelo e, no dia seguinte, 26 de setembro, à mesma hora, no Theatro Gil Vicente, em Barcelos.



De 25 a 27 de setembro, o Teatro do Noroeste – CDV apresenta a 3ª edição do Festival PLATTA, estando, este ano, excecionalmente, concentrado entre Portugal e a Galiza. Este Festival conta com os espetáculos “A Furgoneta”, do Teatro de Balugas, e “Coa Mirada Nas Súas Mans”, do Lohengrin Teatro, para além das Leituras Encenadas do texto vencedor do II Prémio PLATTA de Teatro Breve. A entrada é livre, mas sujeita a levantamento de bilhete.

No dia 26 de setembro, o novo trabalho da companhia de teatro barcelense é apresentado no Theatro Gil Vicente, em Barcelos, às 21h30. Os bilhetes podem ser adquiridos online em https://GilVicente.bol.pt/.

A Furgoneta” conta-nos a história de Romão e do irmão que decidem reformar o negócio do pai, homem com milhares de quilómetros feitos pelas aldeias do Minho. Mas agora, o negócio é outro: a furgoneta que vendia tudo e mais alguma coisa passa a start-up, e a compra de uma simples faca, que dava para estonar batatas e cortar o pescoço ao frango, já não é feita da mesma maneira! Confrontados por um modo de vida que está a chegar ao fim entre os últimos fregueses e os velhos vendedores ambulantes, os dois irmãos vêm-se divididos entre o progresso tecnológico e os que ainda resistem nas aldeias à espera da buzina estridente e dois dedos de conversa.

À boleia da furgoneta, somos também confrontados com a desertificação e o abandono do mundo rural. No retrovisor, já se avistam escavadoras!

O texto deste novo trabalho do Teatro de Balugas é o projeto vencedor da 1ª edição da Bolsa TEIA de Criação Teatro Amador 2020, lançada com o objetivo de incentivar a produção de teatro amador no âmbito das associações que integram a rede cultural TEIA – Teatro Em Iniciativa Associativa, do Projeto Comunidade do Teatro do Noroeste – Centro Dramático de Viana do Castelo.

Cartaz (Imagem: TB)

Imagem: TB.

“Prá Frente Barcelos” entre 18 de julho a 5 de setembro

Julho 14, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Atividades culturais na frente ribeirinha

“Prá Frente Barcelos” é o título da sugestão do Município para as atividades culturais a realizar na frente ribeirinha de Barcelos entre 18 de Julho e 5 de setembro.



Com as limitações impostas pela pandemia do COVID-19, que motivaram a anulação dos eventos culturais e artísticos, a Câmara Municipal de Barcelos decidiu relançar as atividades culturais com conteúdos capazes de atraírem a população.

Será assim ao longos dos próximos três meses, com uma programação que integra teatro, música, dança e cinema, em espaços montados na frente ribeirinha de Barcelos, ao ar livre, numa área limitada, com assistência condicionada às determinações da Direção-Geral da Saúde.

A programação inicia já no dia 18 de julho, às 11h00, com o espetáculo infantil “Os 3 Porquinhos”, pela Capoeira – Companhia de Teatro de Barcelos”. Às 22h00 é a vez do músico Frederico Dinis apresentar “An unexplained emptiness”.

Domingo, dia 19 de julho, às 18h30, a Ronda Típica do Bairro da Misericórdia proporciona um fim de tarde com muita música e diversão.

O cineclube ZOOM continua a apostar no cinema. No dia 21, o filme “Rio Bravo”, de Howard Hawks (1959), e, no dia 28, “Assalto à 13ª Esquadra”, de John Carpenter (1976).

Nos dias 23, 24, 25 e 26, o ciclo de concertos “triciclo” está de volta. O primeiro concerto fica a cargo de “Gãrgoola”, um projeto artístico do duo João Miguel Fernandes e Filipe Miranda. No dia 24, atua “Baleia,Baleia,Baleia”, uma dupla formada por Manuel Molarinho (baixo e voz) e Ricardo Cabral (bateria). Dia 25, realiza-se um concerto com “White Haus”, projeto musical de João Vieira (X-Wife, DJ Kitten). Todos os espetáculos acontecem às 22h00. No dia 26, “Homem em Catarse”, o alter-ego musical do músico barcelense Afonso Dorido, às 18h30.

No dia 31, às 21h30, dia em que se comemoram os 118 anos do Theatro Gil Vicente, no Largo Dr. Martins Lima (em frente ao Teatro), realiza-se um espetáculo de dança pela Escola de Dança de Barcelos e Trovas e Cantigas, com “Poetas e Tradições”.

A programação continua no mês de agosto com muita música e cinema.

A iniciar o mês, no dia 1, às 22h00, Filipe Miranda e Joana Jardim apresentam “Do aqui para sempre”. No dia 2, às 12h00, a Escola da Banda Musical de Oliveira leva a palco “Estágio de Sopros e Percussão”.

Às 18h30, é a vez do Circulo Católico Operários de Barcelos apresentar “Dimensão Minhota”.

O cineclube ZOOM leva à frente ribeirinha, duas sessões de cinema. No dia 4, o filme “Bacarau”, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles (1959), e, no dia 11, “Martin Eden”, de Pietro Marcello (2019).

O teatro infantil fica a cargo da Capoeira – Companhia de Teatro de Barcelos com a peça “Pinóquio”, no dia 8, às 11h00. Às 22h00, “O Fado de Lisboa” é apresentado pela artista barcelense Carla Cortez.

A música continua no dia 14 com o Ciclo “Jazz ao Largo”, com o guitarrista português “Tó Trips”. No dia 15, a Banda Musical de Oliveira apresenta “Big Band”, às 21h30.

No dia 21, às 22h00, tem lugar um espetáculo da Linha TGV e, no dia 22, às 22h00, o músico João Miranda.

O Festival “River Blues” está de volta, mas desta vez no palco da frente ribeirinha. Arranca no dia 28 de agosto, às 22h00, com o espetáculo de “Smokestakers” e “L – Blues “. No sábado é a vez de “Delta Blues Riders”.

A programação de verão “Prá Frente Barcelos” termina no dia 5 de setembro com a peça de teatro “Enxôta Diabos”, pela A Mó-Grupo Teatro Vale do Neiva, às 21h30.

Todos os espetáculos são de entrada livre, mas com levantamento obrigatório de bilhete no Theatro Gil Vicente, de terça feira a sexta-feira, das 10h00 às 18h00, ou no próprio dia do espetáculo (no período de 1 hora que antecede o evento). O espaço estará preparado para receber 400 pessoas com todas as condições de segurança.

Fonte e imagem: CMB.

Criação teatral no Vale do Neiva regista a instalação da Linha de Muito Alta Tensão no Minho

Julho 14, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Economia Por barcelosnahorabarcelosnahora

Teatro de Balugas responsável pelo trabalho de campo

“Sem Rei Nem Roque” tem como palco o território de Barcelos e Ponte de Lima, com incidência no vale do Neiva e as suas aldeias afetadas pela construção do projeto elétrico.



O trabalho de campo é da responsabilidade do Teatro de Balugas e “vai registar o confronto da natureza e das pessoas com a colocação da linha no terreno, questionar o que fica, o que desaparece e que poder é este que se assenhoreia do território”, refere em nota.

“São as novas torres, sem reis, maiores do que as torres sineiras das nossas igrejas e que assustariam as defesas dos nossos primeiros castelos roqueiros.   Cada torre tem mais de 75 metros de altura, numa área de implantação de 200 m2, além de margens de segurança ao longo de toda a linha, garantidas pela criação de uma ‘servidão administrativa’ com uma largura de 45 metros, tudo em nome de uma prometida ‘energia verde e limpa’ e de uma também prometida ‘luz mais barata’”, conclui.

Foto: Cristina Faria.

1 2 3 17
Ir Para Cima