Tag archive

Volta a Loulé

Pedro Silva e ACR Roriz conquistam Volta a Loulé em juniores

Abril 3, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

Entre 29 e 31 de março, o concelho de Loulé (Algarve) recebeu a XXIV Volta ao Concelho de Loulé, que contou com a participação de 21 equipas, sendo três de Espanha e uma da França. Entre elas, encontrava-se a barcelense ARC RORIZ SEISSA | KTM-BIKESEVEN | MATIAS&ARAÚJO | FRULACT, que escreveu mais uma bela página na sua história, ao conquistar, individual e coletivamente, esta grande competição ciclística, composta por quatro etapas (três em linha e um contrarrelógio por equipas).



O barcelense Pedro Silva entrou, assim, para a história da competição, ao sagrar-se o grande vencedor da classificação geral individual (Camisola Amarela), com o tempo de 06:53:19, deixando o segundo classificado, António Ferreira (Vito – Feirense), a 13s e, na terceira posição, João Macedo (Sicasal – Bombarralense), a 24s. Ainda na classificação geral individual, destaque para os excelentes resultados dos atletas da ACR Roriz, com Hélder Gonçalves a ser 4º classificado, com o mesmo tempo do terceiro classificado, João Carvalho 5º, a 31s, e ainda dentro do Top-10, Rafael Torres ficou na 9ª posição, a 38s. João Rocha foi 36º classificado, a 3:58, Flávio Fernandes terminou na 75ª posição, a 28:25, e Manuel Barbosa foi 78º, a 29:51.

Por ser júnior de primeiro ano, Pedro Silva conquistou, também, a Camisola Branca referente ao líder da juventude, sendo que nesta classificação destaca-se, igualmente, o 3º lugar de João Carvalho. Ainda na Juventude, Flávio Fernandes e Manuel Barbosa foram 25º e 26º, respetivamente.

A competição iniciou-se no dia 29 de março, com uma etapa de 59km de extensão, distância essa que não foi suficiente para fazer grandes diferenças entre os principias atletas no pelotão, que chegou ao centro de Loulé compacto. No sprint final, Pedro Silva e Hélder Gonçalves foram os melhores posicionados da equipa rorizense, na 8ª e 18ª posição, respetivamente, a 1s do vencedor.

A segunda etapa, com 81.3km, foi disputada num ritmo alucinante, fracionando o pelotão em vários grupos. Hélder Gonçalves e João Rocha estiveram na principal fuga do dia, tendo o primeiro vencido com distinção os dois prémios de Montanha de 1ª categoria, tornando-se assim líder da Classificação da Montanha e, portanto, vestindo a Camisola Azul no final da 3ª etapa. Ultrapassadas essas dificuldades, o pelotão alcançou os fugitivos e aí surgiram novos ataques de vários atletas, tendo-se isolado o sub-23 Pedro Rodriguez (Valverde Team) na frente da corrida. Já a escassos 3km do final, Pedro Silva conseguiu isolar-se numa posição intermédia, com mais dois atletas, formando-se um trio perseguidor ao ciclista espanhol. A tentativa de fazer a ponte para a frente da corrida saiu infrutífera. Contudo, Pedro Silva foi o mais forte do trio e cortou a linha de meta na segunda posição. Em virtude de o atleta espanhol ser da categoria Sub-23, não contou para as contas finais, tendo Pedro Silva, dessa forma, conquistado o 1º lugar e, por consequência, a liderança da competição e a respetiva Camisola Amarela. Ainda nesta etapa, destaca-se João Carvalho (9º), Hélder Gonçalves (10º) e Rafael Torres (15º), que chegaram no grupo seguinte, a 22s do vencedor Pedro Silva. Ainda nas contas desta etapa, João Rocha foi 26º, Manuel Barbosa 50º e Flávio Fernandes 80º.

Ainda no mesmo dia, a prova contou com um Contrarrelógio por Equipas, na Pista Bexiga Peres, com a distância de 4km (10 Voltas). Foi já na penumbra da noite e a conhecer os tempos de todas as equipas, que a formação de Roriz partiu para a sua prova, realizando um tempo de 5:24, menos 4s que as equipas da Bairrada e Bombarral, segunda e terceira classificadas nesta etapa. Este resultado cimentou, ainda mais, a liderança de Pedro Silva na classificação geral.

Chegava-se, assim, à derradeira etapa rainha, com a Camisola Amarela (Pedro Silva), a da Juventude (João Carvalho) e da Montanha (Hélder Gonçalves) envergadas pela ACR Roriz, bem como a liderança da classificação coletiva, tendo os jovens ciclistas pela frente uns exigentes 115km, com um desnível de 2400 d+, com quatro contagens de montanha, sendo duas em Barranco do Velho e uma em Tor, de 1ª categoria e que viria a ser decisiva. Foi com grande coesão que a equipa rorizense entrou para esta etapa, que muito cedo foi atacada pelos adversários, formando-se, após várias tentativas, uma fuga de três atletas, entre os quais Guilherme Mota (Alcobaça), o 2º classificado na Montanha e que foi amealhando os prémios de montanha necessários para passar para a primeira posição, ultrapassando, assim, Hélder Gonçalves nessa classificação. Este último ficou junto de Pedro Silva, efetuando um trabalho excecional, tal como os seus colegas, no controlo da etapa. A fuga só viria a ser alcançada a escassos 10 km do final, após um excelente trabalho de equipa e já após a última grande dificuldade de Tor. Foi nesse momento que os atletas da ACR Roriz mostraram o seu poderio na montanha e isolaram-se na frente da corrida, com cerca de 12 atletas, onde estavam alguns dos principais favoritos à geral e o camisola Amarela, o camisola Azul, João Carvalho, que vestia de branco, e Rafael Torres.



Este grupo restrito viria a disputar a vitória da etapa entre si, tendo Pedro Silva feito 3º no sprint final, Hélder Gonçalves chegou na 5ª posição, a 3s, e ainda dentro do Top-10, João Carvalho. A 10s chegou Rafael Torres, na 18ª posição, João Rocha foi 46º, Flávio Fernandes 84º e Manuel Barbosa 105º.

As excelentes prestações da equipa barcelense resultaram na vitória da competição e, igualmente, na juventude, sendo pelo segundo ano consecutivo, a grande vencedora da Classificação Coletiva, ficando no segundo lugar a equipa da Vito – Feirense e na terceira posição a equipa do BTT-Loulé BPI.

Fonte: ACRR.

Fotos: DR / Tomás Mota / Carlos Viegas.

 

Volta a Loulé

Abril 25, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião Por barcelosnahorabarcelosnahora
antonio matias
Professor António Matias

 

Os humilhados serão exaltados:

Na crónica deste mês começo por exaltar as lágrimas do Luís Pereira, quando as dores nas costas não lhe permitiram suportar o esforço dos sucessivos sprints que se disputavam na frente do pelotão. Apetecia-me parar, confortá-lo e ajudá-lo a superar o seu desespero, e com um abraço amigo, abafar o fogo da sua raiva contra o seu corpo dorido que se negou a trabalhar.

Mas a corrida tem que continuar e tivemos que deixar “o nosso menino” na estrada, à espera do, para ele, horroroso carro vassoura, que faz um trabalho importantíssimo, mas onde ele se vai sentir humilhado pelo que esse facto significa: ir para o carro vassoura é desistir e isso nunca está na mente dos grandes guerreiros. A corrida continuou, nunca para. Só o comboio nos pode parar! E isso não aconteceu.

E por falar em comboio, na Volta a Loulé, o nosso TGV Azul começou a mostrar que é uma das equipas mais fortes do pelotão júnior nacional. Prova disso é que trouxemos o troféu da melhor equipa. E só não trouxemos a camisola amarela por erros que foram por nós detetados e tudo faremos para não voltarem a acontecer.

Sprint final de Loulé: duas horas depois, quando se juntou à equipa no hotel, o Luís, que chorou de raiva na estrada, ria às gargalhadas como só ele sabe fazer. Vamos ter saudades tuas Luís, fica bom depressa.




 

 

 

 

 

Taça de Portugal

Poesia “MÃO DE DEUS” (inspirada no Rei Maradona):

E para terminar em beleza         Divinal! Não exagero

Eu vos quero apresentar             Porque só com mão de Deus,

Uma força da natureza                Não diabo eu espero

Com um poder divinal.                O Fábio Costa venceu.

__________________________________

Poesia “VISÃO” (inspirada no Contra-relógio do Pedro)

Eu e o pai do Vieira                     O Pedro Lopes mostrou-nos

Tivemos uma visão                      O que é garra, energia, ardor

Uma visão verdadeira                  Que o Vieira até dizia

De um grande campeão.              Voa! Voa! Meu (con)dor.

Em abril emoções mil

A Taça de Portugal Júnior está ao rubro. Todos querem vencê-la mas nem todos podem. O contra-relógio é a prova da verdade e foi-o mais uma vez na Zambujeira. Se não fosse a mão de Deus outro galo cantaria e o nosso Pedro Lopes seria o líder da Taça de Portugal, mas diz o povo, Voz de Deus, que Ele escreve direito por linhas tortas. Esperemos que o Bom Jesus de Braga (onde se disputará a final no dia 21 de maio) nos ajude a confirmar que “Voz do povo é voz de Deus”.

Mensagem final: Os últimos são os primeiros

– Muito obrigado João Matias por nos fazeres sonhar, por ousares acreditar, por nos fazeres sentir que o sonho comanda a vida. Nunca esqueceremos o que fizeste em Hong-Kong.

– Força José Gonçalves! Acredita José Gonçalves! Sonha José Gonçalves! Nós sonhamos, nós acreditamos em ti. Nós estaremos contigo em cada pedalada tua no Giro de Itália.

Por: Professor António Matias*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

Juniores da ACR Roriz vencem Volta a Loulé

Abril 17, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo Por barcelosnahorabarcelosnahora

A equipa júnior da ACR Roriz SEISSA | KTM-Bikeseven | Matias&Araújo | FRULACT venceu a 23ª Volta ao Concelho de Loulé, prova para o pelotão júnior, que contou 3 etapas em linha e um Contra-relógio por Equipas e que decorreu entre os dias 13 e 15 de abril no Algarve.

A equipa constituída por Carlos Vale, Francisco Moreira, Hélder Gonçalves, José Vieira, Luís Pereira, Pedro Lopes, Renato Costa e Tiago Fernandes teve pela frente, no primeiro dia, uma etapa “rolante”, com pouco mais de 60 Km, onde os atletas da equipa barcelense chegaram integrados no pelotão, a 5 segundos de Pedro Lopes (CC Alcobaça), que venceu isolado a etapa. De referir o abandono de Luís Pereira devido a problemas físicos.

17799264_1032088160254821_1937772208974758164_n

O segundo dia previa-se um pouco mais desgastante, com uma etapa de 87 km, da parte da manhã, com duas contagens de Montanha de 1ª Categoria e, da parte da tarde, um contra-relógio por equipas, de 4 km, na Pista Bexiga Peres em Loulé, o que acabaria por fazer algumas diferenças entre as principais formações presentes. Na etapa em linha, a equipa de Roriz apresentou-se em bom plano, não sendo as contagens de montanha suficientes para provocar “estragos” no pelotão principal, acabando por ocorrer uma chegada ao sprint, com o João Dinis (Radio Popular | Boavista Formação) a sair vencedor.

Da parte da tarde, com o contra-relógio por equipas, terminou no 7º posto, a 00:05:18 da equipa vencedora, deixando tudo “em aberto” para a etapa “rainha”, de 117 km, do dia seguinte.

17952821_1398651200201287_7697448055797338418_n

Essa etapa revelou-se decisiva nas contas finais da Volta a Loulé, onde Pedro Lopes, Hélder Gonçalves e Renato Costa partiam a escassos 6 seg. do “camisola amarela”. Logo nos kms iniciais formou-se uma fuga, onde entrou Tiago Fernandes, que rapidamente distanciou-se do pelotão para mais de 3 minutos de diferença, chegando a ser o líder virtual da prova. A esta fuga juntou-se uma nova fuga que, entretanto, se tinha formado e onde se encontrava Renato Costa, chegando a estar a mais de 4 min. do pelotão. Com o aproximar dos kms finais, e da última contagem de montanha, o pelotão acabou por anular a distância para os fugitivos, sendo nessa mesma contagem de montanha, a cerca de 5 kms para o final, que se formou um grupo de fugitivos, onde se encontrava Pedro Lopes, Francisco Moreira, Hélder Gonçalves e José Vieira, que haveriam de fazer a diferença e ganhar alguma distância até à meta final, onde Pedro Lopes viria, num emocionante sprint, a conquistar o segundo lugar.

17903636_1640885995958536_7730948214256436516_n

Este segundo lugar de Pedro Lopes fez com que este terminasse no 5º lugar da Classificação Geral, onde Francisco Moreira foi 9º, Hélder Gonçalves 15º (6º, como júnior 1º ano), José Vieira 46º, Carlos Vale 60º, Renato Costa 62º e Tiago Fernandes 81º.

Com estes resultados, a nossa formação barcelense conquistou o 1º lugar da Classificação Coletiva.




No próximo fim de semana, entre 22 e 23 de abril, a equipa júnior rumará a Odemira para a realização da 2ª e 3ª etapas da Taça de Portugal. Já a equipa de Cadetes fará a sua estreia na Taça de Portugal, Zona A, no dia 22 de abril, em Paredes.

Fonte e imagens: ACR Roriz Cycling Team.

Ir Para Cima