Tempo de virar o jogo

Outubro 5, 2020 Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião
Joana Martins

Que eu não perca a vontade

De Ser,

De Amar,

Só por medo de sofrer.

De dar

Sem nada esperar

Só por medo de cair.

De sorrir

Até de chorar.

Virar o jogo.

Do frio fazer fogo.

Da tristeza

E dos dias escuros

Fazer florir

Bem-me-queres.

E querer ir…

De joelhos,

Só para agradecer

O tudo,

O nada,

O que vier

Por bem.

Paz,

Amor,

Intensidade

E fazer valer a pena

Cada dia que pensei desistir

Cada palavra que calei

Cada hora que o silêncio dominou.

Voltar confiante

E mostrar à vida

Que quem manda nela,

Sou eu!!!

.

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima