Visão do Empreendedorismo

Outubro 1, 2021 Atualidade, Concelho, Opinião
Daniela Vieira

Daniela Vieira, natural de Barcelos, recém licenciada em Organização e Gestão Empresariais pelo Instituto Politécnico de Viana do Castelo, com o sonho de empreender e tornar sonhos de infância realidade, é a convidada a escrever o artigo do mês de outubro no espaço da Intensify World.

Recentemente venceu o prémio regional do Poliempreende e tem como objetivo continuar este projeto que reúne sonhos e muito trabalho. Com vinte anos reúne toda a ambição para lutar por aquilo que acredita e força para qualquer obstáculo que tentar interferir com os seus objetivos.

Visão do Empreendedorismo:

O empreendimento é visto, por muitos, como uma ferramenta estratégica para o desenvolvimento de um país e, com a situação vivida atualmente, este conceito ganha dimensões cada vez maiores.

Com o intuito de valorizar o empreendimento, apoiar a inovação e a capacidade de adaptação às necessidades de mercado, foi criado o Poliempreende, em 2003 – uma atividade que reúne diversas instituições de ensino superior e premia projetos desenvolvidos e apresentados por alunos que integram ou integraram as instituições integradas nesta iniciativa. Assim sendo, o assunto a abordar foi a minha participação na primeira fase do concurso – fase regional – e, por surpresa, a passagem à fase nacional, realizada no Politécnico de Santarém.

No que diz respeito ao empreendedorismo, tive a sorte de fazer parte de uma instituição (Instituto Politécnico de Viana do Castelo – Escola Superior de Ciências Empresariais) que procura trabalhá-lo ao longo do percurso académico e que cria oportunidades para os alunos levarem a cabo as sua ideias. A minha ideia de projeto surgiu da necessidade de criar uma empresa fictícia para desenvolver ao longo da licenciatura em Organização e Gestão Empresariais, tarefa incluída numa unidade curricular do curso.

A ideia consiste na criação de uma empresa que desenvolve o design, a produção e a venda de jóias de luxo, com uma vertente sustentável, através da utilização de ouro reciclado e, quando utilizados diamantes, este serão de origem laboratorial. Foi a necessidade de criar um projeto e o meu gosto pelas joias, que deram origem a este projeto que pretendo trazer à realidade. Um dos objetivos que este projeto tem é dar enfase no trabalho feito por artesãos joalheiros, que dedicam o seu tempo a transformar metais preciosos em autênticas obras de arte que podem ser utilizadas por todos.

O processo de criação deste projeto foi exigente no melhor sentido, uma vez que permitiu perspetivar ao pormenor os fatores que influenciam a criação de uma empresa e ter uma noção dos entraves a diferentes níveis.

No meu ponto de vista, as gerações mais jovens, deveriam ter contacto com disciplinas de empreendimento e de gestão uma vez que, com o aumento da exigência do mercado de trabalho, é preciso, muitas vezes, procurar alternativas inovadoras.

O maior desafio deste projeto foi sem dúvida entender todo o processo produtivo desde o design à produção das jóias, o que se tornou extremamente gratificante e o meu fascínio pelo tema aumentou ainda mais.

Depois de encerrado todo o concurso, tanto a nível regional como nacional, posso concluir que toda esta iniciativa de implementar o empreendedorismo nas gerações futuras é magnifica e necessária, para além de permitir que haja um brainstorming com um impacto gigante, criando sinergias nunca antes previstas.

Foi imensamente compensador passar por esta experiência e irei levar para toda a minha vida o lema de que apesar da competição, o que realmente conta é a capacidade que temos de nos adaptar e as pessoas que nos ajudam a lutar pelos nossos objetivos.

Por: Daniela Vieira

PUB

218910333_904017513661701_8501182798823808285_n-1.png

PUB

Captura-de-ecra-2021-04-12-as-11.19.30.png

PUB

Claudia-Campanha-Bnh.jpg

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima