Volta a Portugal: Domingos e João com momentos de destaque

Agosto 7, 2018 Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo

Iniciou no passado dia 1 de agosto mais uma edição da Volta a Portugal em bicicleta, no caso, a 80ª edição da competição maior do ciclismo nacional. São 19 equipas e 133 ciclistas que disputam até dia 12 as 10 etapas e o prólogo.



Como hoje é o “dia de descanso” desta Volta, fazemos aqui um pequeno resumo do trajeto dos dois ciclistas barcelenses presentes: Domingos Gonçalves e João Matias.

O primeiro, atual campeão nacional de estrada e de contrarrelógio, participa integrado na equipa RÁDIO POPULAR | BOAVISTA, conjuntamente com Daniel Silva, David Rodrigues, Luís Gomes, Óscar Pelegrí, Filipe Cardoso e João Benta.

Já João Matias integra a VITO | FEIRENSE | BLACKJACK conjuntamente com Edgar Pinto, Hugo Sancho, Luís Afonso, Ricardo Vale, Soufiane Haddi e Xuban Errazkin.

O primeiro dia de prova trouxe-nos o prólogo inicial em Setúbal, com uma distância de 1,8km que mal dava para “aquecer os motores” destas “máquinas” ciclísticas.

Domingos Gonçalves conseguiu a 5ª posição, com 2m22s, ficando a 4s do vencedor, Rafael Reis, da CAJA RURAL | SEGUROS RGA. Por coincidência, João Matias “rulou” ao nível do seu conterrâneo, conseguindo a 8ª posição, exatamente com o mesmo tempo que este.

A 1ª etapa ligou Alcácer do Sal a Albufeira, numa distância de 191,8km, com 3 metas volantes e 3 prémios de montanha de 4ª categoria. O calor foi o “inimigo” destes atletas – levando, por exemplo, ao abandono de Joaquim Silva (CAJA RURAL), devido a um golpe de calor –, que chegaram à turística Albufeira em pelotão, com chegada ao sprint. O vencedor foi o italiano Riccardo Stacchiotti, da MSTINA FOCUS. João Matias conseguiu a 8ª posição – curiosamente a mesma do prólogo – com o mesmo tempo do vencedor: 5h14m43s. Domingos Gonçalves, porque chegou integrado no pelotão, terminou em 18º, mas também com o mesmo tempo do vencedor. Na classificação geral, Domingos Gonçalves ficava em 4º e João Matias em 6º, ambos a 4 segundos do camisola amarela, Rafael Reis.

O calor tornou a ser o “companheiro indesejado” na aventura alentejana da Volta, com a 2ª etapa a ligar Beja a Portalegre, numa distância de 203,6km, com 3 metas volantes.

Domingos Gonçalves foi protagonista de um momento caricato, quando a cerca de 20km da meta é vítima de um furo. O seu carro de assistência passa por ele nesse preciso momento, mas não se apercebe da sua paragem, de nada valendo a intercomunicação entre ciclista e carro. Felizmente, num gesto de fair-play, o carro da VITO-FEIRENSE apercebeu-se do “desespero” do barcelense – que já tinha pontapeado a roda com o pneu furado –, parou e cedeu uma das suas rodas de trás. Claro que este percalço fez com que Domingos Gonçalves tivesse que despender mais energia para se recolocar no pelotão, sendo que no final, isso não se iria notar.

Depois, chegou mais um momento caricato desta etapa. Após o final da mesma, o ciclista da RÁDIO POPULAR-BOAVISTA terminou em 9º, integrado no sprint final, vencido pelo espanhol Vicente García de Mateos (AVILUDO | LOULETANO | ULI), com o tempo de 5h47m25s – o mesmo do vencedor. Este resultado colocava Domingos Gonçalves como líder da prova e com a camisola amarela porque Rafael Reis viu-se envolvido numa queda coletiva, a cerca de 500 metros da meta, tendo chegado depois do primeiro grupo a terminar. No entanto, o colégio de comissários decidiu que a queda teria ocorrido dentro da chamada “zona de proteção”, recolocando os ciclistas vítimas dessa queda com o mesmo tempo do grupo que finalizou antes, ou seja, com o mesmo tempo do atleta de Barcelos. Dessa forma, Rafael Reis mantinha a amarela por 4 segundos.



Esta foi, também, uma etapa que não correu bem a João Matias, que terminou em 103º, com 5h51m08s, a 3m43s do vencedor. Na geral, Domingos Gonçalves mantinha a 4ª posição enquanto João Matias descia para a 96ª, a 3m47s do camisola amarela.

Na 3ª etapa, o pelotão ligou Sertã a Oliveira do Hospital, em 177,8km de estradas. A etapa teve, para além do muito calor, 3 metas volantes, 2 prémios de montanha de 4ª categoria, 2 de 3ª e 1 de 2ª. Aliás, o calor foi tal que a organização da prova decidiu encurtar a etapa seguinte, a etapa rainha.

Desta feita, o vencedor isolado foi o espanhol Raúl Alarcón, da W52-FC PORTO, vencedor da Volta do ano passado. Domingos Gonçalves chegou nos primeiros lugares (9º), “puxando” mesmo pelo sprint final desse grupo, terminando a 1m05s do vencedor e novo camisola amarela.

João Matias, que dentro dos últimos 20km de prova tinha uma “claque” de apoio, com direito a tarja e enfoque da transmissão televisiva, via helicóptero, terminou em 22º, integrado no pelotão, tal como o seu conterrâneo, ficando, assim, igualmente a 1m05s do vencedor.

Como referido, a organização da prova decidiu encurtar a 4ª etapa em 27km, não passando pela Torre e terminando nas Penhas da Saúde (Covilhã). A etapa ligou a Guarda à Covilhã, numa distância de 144,3km, com 3 metas volantes, 1 prémio de montanha de categoria especial, 1 de 1ª e 1 de 3ª.

O vencedor tornou a ser Raúl Alarcón, com Domingos Gonçalves a chegar em 11º, a 3m07s do vencedor. Já João Matias, que rolou perto de Belmonte, terra de seu pai, António Matias, terminou na 72ª posição, a 20m30s do vencedor.

Na geral individual, Domingos Gonçalves ficava em 11º, a 4m07s de Alarcón, e João Matias colocava-se em 55º, a 21m30s do camisola amarela.

Ontem, 6 de agosto, decorreu a 5ª etapa, que ligou Sabugal a Viseu, numa distância de 191,7km, com 3 metas volantes e 2 prémios de montanha de 3ª categoria.

A chegada foi ao sprint, em pelotão, com a vitória a sorrir, novamente, ao italiano Riccardo Stacchiotti (MSTINA FOCUS). Desta feita, João Matias esteve em destaque, lutando até ao final pela vitória, conseguindo um grande 3º lugar, com o mesmo tempo do vencedor.

Como a chegada foi em pelotão, Domingos Gonçalves também terminou com o mesmo tempo, mas em 37º. Ele que ainda apareceu pela frente da corrida já no último quilómetro.

Esta etapa ficou marcada pelo violento acidente de Rui Vinhas (W52-FC PORTO), que foi aconselhado a desistir pelos médicos, não o tendo feito e terminando estoicamente a etapa ainda dentro do controlo. De louvar, não só Rui Vinhas, mas todos os atletas deste desporto que é bem duro.

Na geral, Domingos Gonçalves manteve o 11º, agora com 24h55m46s, a 4m07s de Raúl Alarcón. Já João Matias manteve o 55º, agora com 25h13m09s, a 21m30s do líder.

Hoje foi dia de descanso e a próxima etapa, amanhã, liga Sernancelhe a Boticas, numa distância de 165,4km.

Fotos: PODIUM/Paulo Maria.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Nova “era” Keizer

Bem-haja, caros leitores do BnH. Jogou-se a 12ª jornada do Campeonato Nacional,

Pin It on Pinterest

Shares
Share This

Partilha esta Notícia

Partilha com os teus amigos

Ir Para Cima